Category Archives: UFC

Para quem gosta de lutas, hoje tem UFC imperdível
   5 de setembro de 2020   │     16:30  │  0

 

A. Sakai (esq.) faz maior luta da sua carreira contra A. Overeem (dir.). (Foto: Reprodução/Instagram)

Protagonistas do duelo principal do UFC deste sábado, em Las Vegas, os pesos-pesados Augusto Sakai, do Brasil, e Alistair Overeem, da Holanda, colocarão à prova o octógono montado no UFC Apex.

Com 233kg somados (118,6kg de Sakai e 114,5kg de Overeem), os dois farão não só um duelo de peso, como também de gerações. Enquanto Sakai, de apenas 29 anos, faz sua 17ª luta como profissional,

Overeem, de 40 anos de idade, chega à impressionante marca de 65 lutas na carreira. Em comum, o mesmo objetivo: chegar ao grupo dos desafiantes ao cinturão do atual campeão, Stipe Miocic.

O Combate transmite o evento ao vivo e com exclusividade a partir de 19h (horário de Brasília), com o “Aquecimento Combate” a partir de 18h40.

Mais cinco brasileiros no evento

Nas outras oito lutas do evento, nada menos que seis membros do Esquadrão Brasileiro estarão em ação neste sábado. No card principal, o paraense Michel Pereira enfrentará o russo Zelim Imadaev. Os dois se estranharam na pesagem do evento, na sexta-feira, e Imadaev chegou a dar um tapa no rosto do brasileiro, forçando a segurança do UFC a separá-los. Promessa de luta quente!

UFC Overeem x Sakai
5 de setembro de 2020, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL (21h, horário de Brasília):
Peso-pesado: Alistair Overeem x Augusto Sakai
Peso-meio-pesado: Ovince St. Preux x Alonzo Menifield
Peso-meio-médio: Michel Pereira x Zelim Imadaev
Peso-leve: Thiago Moisés x Jalin Turner
Peso-pena: Brian Kelleher x Kevin Natividad
CARD PRELIMINAR (19h, horário de Brasília):
Peso-médio: André Sergipano x Bartosz Fabinski
Peso-mosca: Viviane Araújo x Montana de la Rosa
Peso-pesado: Alexander Romanov x Marcos Pezão
Peso-galo: Cole Smith x Hunter Azure.

Blog com Combate

Jon Jones pede salário maior para voltar a lutar
   20 de agosto de 2020   │     17:00  │  0

Jon Jones abdicou de cinturão do UFC - Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

 

Jon Jones abdicou de cinturão do UFC (Foto: uol.com.br)

 

Jon Jones revelou que não é mais campeão dos meio-pesados (93kg) do UFC. Por meio das redes sociais, Jones informou que abdicou do cinturão e garantiu que só voltará a lutar pela organização em caso de boa compensação financeira. O agora ex-dono do título disse que anunciou a decisão em conversa com a cúpula da franquia, comandada pelo presidente Dana White.

“Acabei de sair do telefone com o UFC. Hoje eu posso confirmar que estou deixando vago o cinturão do peso meio-pesado. Ele está oficialmente disponível. Tem sido uma jornada incrível, sincero agradecimento a todos os meus concorrentes, UFC e acima de tudo aos fãs”, escreveu Bones no Twitter.

Em outro post, o ex-campeão indicou a possibilidade de subir para a divisão dos pesos pesados (120kg), mas isso em caso de boa oferta financeira para uma luta. “A última vez que conversei com o UFC sobre meu salário não teve negociação. Se isso algum dia mudar, eu adoraria voltar e competir novamente como um peso pesado. Até lá, vou aproveitar o UFC como fã e fazer o meu melhor para tomar conta da minha família e comunidade”, acrescentou.

Em um terceiro post, Jon Jones garantiu que, mesmo afastado, continuará com o programa de testagem antidoping traçada pela USADA, em parceria com o UFC. “De boa fé, eu vou continuar no programa de testes provavelmente pela próxima metade do ano ou algo assim. Eu vou continuar a levantar pesos e treinar todas as diferentes artes marciais”, completou.

Aos 33 anos, Jon Jones coleciona vitórias, grandes exibições e também problemas fora do octógono na trajetória profissional. Campeão dos meio-pesados entre 2011 e 2015, e de 2018 a 2020, Bones chegou a perder título por causa de doping, em 2017. Ele ainda se envolveu em confusões na vida pessoal, que o levaram a passar por tribunais e delegacias em Albuquerque, no Novo México, onde mora.

Depois de defender o cinturão ao bater Dominick Reyes por decisão unânime dos juízes (resultado muito contestado) no UFC 247, em fevereiro deste ano, Jon Jones passou a pedir aumento salarial para voltar ao octógono. Ele também demonstrou vontade em subir para os pesados e enfrentar Francis Ngannou, mas anunciou que a organização não lhe ofereceu a quantia que julgava justa para uma luta. Desde então, Jones vinha travando discussões com Dana White e reivindicava reajuste para retornar aos eventos.

Blog com Superesportes

Werdum fatura R$ 260 mil com bônus após bela finalização
   27 de julho de 2020   │     13:00  │  0

Fabrício Werdum faturou US$ 50 mil e foi um dos premiados do card (Foto: Reprodução/Twitter/UFC)

Fabrício Werdum faturou US$ 50 mil e foi um dos premiados do card (Foto: Reprodução/Twitter/UFC)

 

No último sábado (25), o UFC on ESPN 14 marcou a última edição da organização na “Ilha da Luta”, em Abu Dhabi, e a franquia liderada por Dana White resolveu “abrir o bolso” para premiar os destaques do card. Geralmente, é escolhida uma “Luta da Noite”, onde os dois atletas embolsam US$ 50 mil (aproximadamente R$ 260 mil, na cotação) atual, e outros dois lutadores são premiados com a “Performance da Noite”, recebendo a mesma quantia. No evento nos Emirados Árabes, no entanto, a companhia premiou seis atletas com o bônus de performance, onde todos eles receberam 50 mil dólares.

Em ação no card principal, Fabrício Werdum liderou a lista de premiados após finalizar Alexander Gustafsson com um belo armlock ainda no primeiro round. Quem também deu show e acabou sendo recompensado por isso foi o também peso-pesado Tom Aspinal, que em sua estreia na organização, nocauteou Jake Collier em apenas 45 segundos de combate.

Os outros quatro premiados com 50 mil dólares também tiveram grande atuação. Outro atleta da divisão dos pesados, Tanner Boser nocauteou o brasileiro Raphael Bebezão no segundo round. Já Jesse Ronson utilizou seu Jiu-Jitsu e finalizou Nicolas Dalby ainda no primeiro round, assim como o escocês Paul Craig, que finalizou Gadzhimurad Antigulov com um triângulo no round inicial. Por fim, o sueco Khamzat Chimaev também brilhou e, dez dias após fazer sua estreia pelo UFC, voltou a impressionar, dessa vez derrotando Rhys McKee por nocaute técnico.

Blog com LANCE

 

Adversário de Belfort impressiona por forma física
   7 de julho de 2020   │     15:00  │  0

Alain Ngalani foi o escolhido para enfrentar Belfort na estreia do brasileiro (Foto: Divulgação ONE Championship)

Alain Ngalani foi o escolhido para enfrentar Belfort na estreia do brasileiro (Foto: Divulgação ONE Championship)

 

Aos 44 anos, o peso-pesado camaronês Alain Ngalani foi o escolhido para enfrentar o brasileiro Vitor Belfort em sua aguardada estreia no ONE Championship, ainda sem data definida. Como Alain é pouco conhecido do público no Brasil, a TATAME entrou em contato para saber mais sobre a história do lutador, que falou a respeito.

“Eu comecei nas artes marciais aos 5 anos de idade, com o Judô. Depois, me torneio lutador ainda na adolescência, quando venci o campeonato regional e o nacional, me tornando mais tarde um lutador internacional”, afirmou Ngalani, que no MMA tem um cartel irregular de quatro vitórias e cinco derrotas.

“Já tive uma carreira bastante vitoriosa nas artes marciais. Eu pratiquei Judô, Carate Shotokan, Carate Kyokushin, Kickboxing e Muay Thai. O MMA eu comecei mais tarde, depois que já tinha conquistado tudo nas outras modalidades. O esporte estava se tornando muito popular e eu queria ver como me sairia, então quando tive a oportunidade no ONE, não hesitei.”

Na entrevista à TATAME, Ngalani confirmou que ele e Belfort já concordaram em se enfrentar, restando apenas uma confirmação por parte da organização asiática em relação à data e ao local – parte que está sendo dificultada por conta da pandemia do novo coronavírus. Sobre o brasileiro, pregou respeito e se disse animado com a grande oportunidade.

“É muito excitante enfrentar o Vitor Belfort. O homem é uma lenda, gosto do seu estilo, e quero muito saber como é lutar contra ele. Estou muito animado para voltar e ainda mais por ser contra o Vitor. Isso só me dá mais ânimo. (…) Meu Jiu-Jitsu melhorou muito, então estou confiante. Mas acredito que vamos lutar Kickboxing. Sou um cara da luta em pé”, opinou.

Por fim, o camaronês, que impressiona nas redes sociais por sua forma física e flexibilidade, contou como faz para, aos 44 anos, seguir esbanjando vigor. Com mais de 400 mil seguidores, o ex-campeão descartou se aposentar e mandou um recado para os fãs brasileiros.

“Estou muito satisfeito (com o que conquistei), mas ainda gosto da minha vida como lutador e sigo me divertindo. Sou uma pessoa feliz e gosto do que faço. Estou saudável e, enquanto me divertir, continuarei atrás do sonho (de ser campeão). (…) Sou tão flexível porque sou disciplinado. A forma física é resultado de anos de dedicação. Eu vivo uma vida muito saudável, sem álcool, sem abuso de substâncias, treinando regulamente, dormindo e comendo bem, além de amar o que faço”, revelou Alain, “eu amo o Brasil e espero que eu e o Vitor Belfort possamos dar aos fãs a melhor luta que eles já viram. Vai ser incrível”, finalizou o lutador.

Blog com LANCE

‘Durinho’ lidera lista de indicados ao ‘Oscar do MMA’
   5 de julho de 2020   │     12:45  │  0

 

O ‘World MMA Awards’, oscar da modalidade, divulgou os indicados para os prêmios da próxima edição, que levará em conta os acontecimentos no esporte a partir do segundo semestre de 2019 até o final dos primeiros seis meses deste ano. E, como não poderia deixar de ser, diversos brasileiros estão presentes na lista dos concorrentes nas mais variadas categorias. Nomes como Gilbert ‘Durinho’, (foto acima/UFC), Amanda Nunes, Cris ‘Cyborg’, Douglas Lima, Demian Maia e Jhenny Andrade foram lembrados pelos responsáveis pela votação.

Na categoria ‘Breakthrough Fighter Of The Year’ (em tradução livre: lutador que mais cresceu na carreira no ano), o meio-médio (77 kg) Gilbert ‘Durinho’ aparece como uma das opções de voto. Com ascensão meteórica e quatro expressivas vitórias neste período, o brasileiro chegou ao topo da divisão até 77 kg e vai disputar o cinturão da categoria no próximo dia 11 de julho, em duelo contra Kamaru Usman, no UFC 251, na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi. Ao seu lado na lista estão Jorge Masvidal, Alexander Volkanovski, Zhang Weili e Petr Yan.

Vencedor do Grand Prix dos meio-médios do Bellator, com uma vitória por pontos sobre Rory MacDonald na final do torneio, realizada em outubro de 2019, Douglas Lima conseguiu recuperar o título da organização e, com isso, ser indicado para o prêmio de ‘Melhor Lutador do Ano’. A concorrência, porém, é pesada, já que ao seu lado estão Henry Cejudo, Jorge Masvidal, Israel Adesanya e Justin Gaethje.

Na versão feminina do prêmio, duas brasileiras estão na lista de indicados. Com três defesas dos seus cinturões bem sucedidas durante o período de análise, Amanda Nunes, atual campeã peso-galo (61 kg) e peso-pena (66 kg) do UFC chega forte na disputa. Assim como Cris ‘Cyborg’, que se despediu do Ultimate com vitória sobre Felicia Spencer e estreou no Bellator triunfando sobre Julia Budd, para conquistar o título da divisão até 66 kg da entidade. As demais indicadas são: Kayla Harrison, Zhang Weili e Valentina Shevchenko.

O atleta do Bellator Douglas Lima também foi indicado ao prêmio de ‘Nocaute do Ano’, pela sua vitória sobre Michael ‘Venom’ Page, na edição 221 do evento. Após desequilibrar o adversário com um potente chute baixo, o brasileiro acertou um soco na ponta do queixo que apagou imediatamente ‘MVP’, garantindo seu triunfo. Na categoria ainda concorrem os seguintes nocautes: Jorge Masvidal sobre Ben Askren, no UFC 239; Cody Garbrandt sobre Raphael Assunção, no UFC 250; Anthony Pettis sobre Stephen Thompson, no UFC Nashville; e Sean O’Malley sobre Eddie Wineland, no UFC 250.

Já Demian Maia concorre na categoria ‘Finalização do Ano’, pelo mata-leão aplicado sobre Ben Askren, que lhe garantiu a vitória no combate disputado no UFC Cingapura, em outubro do ano passado. E a ring girl Jhenny Andrade foi indicada ao prêmio de melhor do ano, ao lado de Britanny Palmer, Mercedes Terrell, Louise McKie e Carly Baker.

Blog com Ag. Fight