Category Archives: UFC

Júnior Cigano é internado com bactéria na perna
   24 de outubro de 2019   │     19:30  │  0

Junior Cigano é hospitalizado e cancela lutasJunior Cigano é hospitalizado e cancela lutas (Foto: Reprodução Instagram)

Após os rumores da desistência de Júnior Cigano do confronto com Alexander Volkov no UFC Moscou, previsto para o dia 9 de novembro, o lutador veio a público através das redes sociais, para esclarecer o que motivou sua saída. Em vídeo, Cigano afirmou que está internado em um hospital desde a última segunda-feira, 14, após descobrir uma infecção bacteriana na perna esquerda.

O lutador contou como percebeu que havia algo de errado com sua perna enquanto treinava na academia. “Eu estava treinando na sexta-feira passada na academia, chutando o saco. No sábado, apareceu uma ‘lesãozinha’ na minha perna e eu tratei como sempre trato, colocando gelo e tomando anti-inflamatório. No domingo, não melhorou, eu notei que piorou bastante, estava bastante quente, vermelho e dolorido. Aí percebi que já não se tratava de uma lesão comum”, explicou.

Cigano também afirmou ter passado por três cirurgias para a colocação e retirada de drenos – tubo utilizado para remover fluidos de uma ferida – e segue com um tratamento rígido com antibióticos.

Ele ainda explicou o motivo de não ter anunciado, até o momento, sua internação. “Não falei nada antes porque minha intenção era continuar na luta. Seria minha primeira luta na Rússia. Estava confiante que ia acontecer isso, mas o doutor me falou que eu sou um cara de sorte, que sou forte e bastante saudável, porque pela gravidade da situação era para eu ir direto para a UTI, e isso fez cair a ficha que realmente não daria para continuar na luta”, desabafou Cigano.

O lutador agradeceu o apoio dos fãs, e ressaltou a vontade enfrentar Volkov em outra oportunidade.

ESTADÃO Conteúdo

Nocauteado em briga de rua, BJ Penn lamenta episódio
   12 de setembro de 2019   │     0:01  │  0

BJ Penn espera se manter longe de confusões — Foto: Getty Images

BJ Penn espera se manter longe das confusões que ele mesmo procura  (Foto: Getty Images)

Em má fase dentro do octógono, BJ Penn, na última semana, também viveu momento conturbado ao ser nocauteado em uma briga de rua, no Havaí, Estados Unidos. Em entrevista para a “TSN”, o ex-campeão do UFC quebrou o silêncio a respeito do episódio e garante que agiu com o intuito de se defender.

– Estava em um show para encontrar um amigo de infância. Um conhecido ficou aborrecido com algo, alguma coisa do passado, e queria brigar comigo. Eu disse: “Não, não, não, não quero brigar, somos amigos, está tudo bem”.

Ele caminhou para fora do bar, pensei em acalmá-lo, levá-lo para dentro outra vez para vermos o show como velhos amigos. Fui lá fora dar um abraço, e ele me golpeou duas vezes. E me bateu de novo. Quem colocou o vídeo cortou ao meio, eu gostaria que eles tivessem na íntegra para mostrar que tentei abraçá-lo. Minha adrenalina subiu, porque ele estava me dando socos e falei: “Vá em frente, me acerte novamente”.

Achei que fosse dizer: “Deixa para lá, BJ”. Ele me deu um knockdown, aí eu tive que me defender, o que aparece no segundo vídeo.

Em meio a um processo de custódia com a ex-namorada em função dos dois filhos mais novos, BJ lamentou mais um capítulo negativo fora do octógono – em junho, em outro vídeo, aparece brigando com um indivíduo na saída de uma boate.

– Em um dos vídeos apareço segurando alguém no chão. Estou no meio de um caso de custódia… A última coisa que eu queria era encarar qualquer tipo de problema. A possibilidade de ver os meus filhos depende dessas coisas. Estou enfrentando um caso de custódia e acontece isso duas vezes.

Hall da Fama do Ultimate e uma lenda do MMA, BJ Penn – entre idas e vindas da aposentadoria – venceu pela última vez em 2010, quando nocauteou Matt Hughes. Desde então, empatou com Jon Fitch no ano seguinte e amargou sete derrotas consecutivas. A expectativa é que seu último confronto seja contra Nik Lentz, ainda sem data e local para acontecer.

Blog com COMBATE

 

Cejudo aceita desafio de José Aldo: “Vou para matar”
   24 de agosto de 2019   │     15:00  │  0

Henry Cejudo conquistou o cinturão dos galos após vencer Marlon Moraes no UFC 238 — Foto: Getty Images

Henry Cejudo conquistou o cinturão dos galos após vencer Marlon Moraes no UFC 238  (Foto: Getty Images)

Campeão peso-galo e peso-mosca do UFC, Henry Cejudo acenou de forma positiva ao desafio feito por José Aldo na última semana. O brasileiro, ex-campeão peso-pena do evento, declarou que deseja baixar de categoria e enfrentar o americano pelo título da divisão até 61kg. Em entrevista exclusiva ao Combate, o americano afirmou que se interessa por um combate contra o manauara, inclusive na casa do adversário.

– Primeiramente, Brasil, amo vocês, gosto muito de vocês. Mas acho que gosto mais do meu ouro e dos meus cinturões mais que tudo. Sempre admirei o José Aldo, acho ele uma lenda, um dos melhores da história do UFC. Gostaria, inclusive, de desafiar ele para lutar no Rio de Janeiro. Vou para matar, para ganhar. José Aldo, você é o próximo! Tenho um recado para você: você pode ser o “Rei do Rio”, mas eu sou o “Rei de Tudo”. Ajoelhe-se. “Uh, vai morrer” – disse ele, fazendo referência ao grito tradicional da torcida brasileira nos ginásios.

Após vencer Marlon Moraes no UFC 238, em junho, Cejudo se recupera de algumas lesões sofridas no camp e na luta. A ideia é voltar ao octógono no início do próximo ano, mas o americano ainda não sabe qual dos dois títulos irá defender.

– Preciso defender todos os meus cinturões. Agora, tenho dois reinos: peso-galo e peso-mosca. Estou de férias, me recuperando de uma lesão no ombro. Me sinto pronto, mas não sei qual defenderei primeiro. A ideia é que eu volte a lutar em fevereiro ou março – disse ele.

Blog com COMBATE

Bate-Estaca garante que ‘vai pra cima’ de chinesa em disputa de título
   5 de agosto de 2019   │     0:03  │  0

Jessica Bate-Estaca defenderá seu título peso-palha pela primeira vez no UFC (Foto: Yago Rédua/TATAME)

Jessica Bate-Estaca defenderá seu título peso-palha pela primeira vez no UFC (Foto: Yago Rédua/TATAME)

 

Após conquistar o cinturão peso-palha em maio contra Rose Namajunas, Jéssica Bate-Estaca se prepara para defender o posto pela primeira vez no dia 31 de agosto no UFC Shenzhen, na China.

A desafiante será a atleta da casa, a chinesa Weili Zhang, que atualmente aparece na sexta posição da categoria. O confronto será a luta principal.

Em conversa com a imprensa na última quarta-feira (31), em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, Bate-Estaca fez uma análise da oponente e disse que vai lutar no ponto forte da chinesa, que é a trocação.

A campeã disse que isso faz parte de uma estratégia para frustrar o jogo da asiática e sair com a vitória.

Blog com Lance

Marreta vai operar e fica no mínimo oito meses parado
   10 de julho de 2019   │     0:01  │  0

Resultado de imagem para tHIAGO mARRETA NA CADEIRA DE RODAS APÓS ALUTA COM JON

 

As lesões sofridas por Thiago Marreta, (foto acima/ESPN), na luta contra Jon Jones pelo UFC 239 do último sábado foram piores do que se imaginava. O peso-meio-pesado brasileiro sofreu rompimentos em todos os ligamentos do joelho esquerdo e no menisco, revelou exame de ressonância magnética cujo resultado saiu nesta segunda-feira.Além disso, o lutador carioca tem suspeita de lesão no menisco e rompimento parcial dos ligamentos também no joelho direito, e vai passar por mais exames esta semana.

Ainda esta semana também, Marreta viaja para Los Angeles, onde vai operar o joelho esquerdo, e ficará nos EUA por um mês. Segundo sua equipe contou ao Combate.com, o cenário mais otimista é que o lutador fique oito meses em recuperação.
O médico consultado por Marreta e sua equipe se surpreendeu que o lutador tenha aguentado lutar os cinco rounds. Segundo ele, o brasileiro estava com o joelho solto, e arrebentou os ligamentos por continuar chutando. Por ter compensado o peso em cima da perna direita, o joelho desta perna, que Marreta já operou este ano, também acabou se lesionando.

Apesar das lesões, Thiago Marreta foi até o final da luta, e um dos juízes laterais deu vitória para ele em três dos cinco rounds. O lutador brasileiro acabou derrotado por decisão dividida dos juízes, e Jon Jones manteve o cinturão dos meio-pesados. Ambos os lutadores deixaram a arena em cadeiras de rodas. A Comissão Atlética de Nevada definiu uma suspensão médica de seis meses para Marreta, mas agora parece que o carioca vai precisar de ainda mais tempo para se recuperar. Jon Jones também recebeu uma suspensão médica de seis meses, com suspeita de lesão no pé esquerdo.

Blog com COMBATE