Category Archives: Treinadores

ÚLTIMA HORA: Técnico do CSA é afastado após derrota surpreendente para o Aliança
   2 de fevereiro de 2023   │     23:08  │  0

Roberto Fonseca caiu após a derrota para o Aliança no Rei Pelé — Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

O treinador Roberto Fonseca caiu após a derrota saurpreendente para o Aliança no Rei Pelé — (Foto: A I L T O N  C R U Z)

O técnico Roberto Fonseca não resistiu a mais um resultado negativo e foi demitido na noite desta quinta-feira, após a derrota do CSA para o Aliança, por 2 a 1, no Estádio Rei Pelé.

Christiano Beltrão, integrante da junta diretiva do CSA, informou ao competente repórter Warner Olivera, do Timaço da Rádio Gazeta, que o técnico Roberto Fonseca vai sair. “O Roberto segue a vida dele, desejamos boa sorte.

Com apenas quatro pontos na tabela de classificação do Alagoano, o CSA amarga a vice-lanterna e agora corre risco de rebaixamento.

Fonseca comandou o CSA em oito jogos oficiais, sendo dois na pré-Copa do Nordeste, cinco no Campeonato Alagoano e um no Nordestão. O treinador deixa o comando do CSA com apenas duas vitórias, três empates e três derrotas.

Secretário do Conselho Deliberativo do clube, Cristiano Beltrão confirmou a saída do técnico.

– O Roberto vai seguir a vida dele e o CSA segue a sua vida. A gente deseja boa sorte e vamos trabalhar pra buscar o substituto, se possível, ainda hoje. Foi uma conversa muito boa, o Roberto é um cara educado, inteligente e sabe que é resultado – afirmou Beltrão, acrescentando:

– A situação do CSA não é fácil, não adianta iludir a torcida, é trabalhar. Tudo é oferecido da melhor maneira possível, agora é virar a chave e pensar no jogo de domingo, pela Copa do Nordeste – disse o dirigente, em entrevista ao repórter Warner Oliveira, do consagrado Timaço da Gazeta.

O CSA volta a jogar domingo pela Copa do Nordeste. Às 16h, recebe o Vitória no Estádio Rei Pelé.

Arivaldo Maia com Redação do ge – Alagoas

Abel chega a 41 cartões recebidos no Palmeiras; trio da comissão fica suspenso para torneio nacional
     │     1:00  │  0

Abel Ferreira reclama durante jogo do Palmeiras contra o Flamengo pela Supercopa — Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Abel Ferreira reclama durante jogo do Palmeiras contra o Flamengo pela Supercopa — (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Técnico e auxiliares foram expulsos na final da Supercopa e cumprirão suspensão na Copa do Brasil ou Brasileirão; Abel recebeu três cartões em cinco jogos em 2023.

Abel Ferreira foi expulso pela primeira vez em 2023 nos minutos finais da vitória do Palmeiras sobre o Flamengo, na conquista do título da Supercopa, no último sábado, em Brasília.

Foi a sexta expulsão do português desde a chegada ao Brasil.

O árbitro Wilton Pereira Sampaio, que havia advertido Abel com cartão amarelo no primeiro tempo, justificou a expulsão na súmula apontando que o técnico do Palmeiras “protestou contra a arbitragem dando um soco no ar e chutando o microfone”.

Desde que chegou ao Palmeiras, em novembro de 2020, Abel Ferreira soma 41 cartões recebidos, sendo 35 amarelos e seis vermelhos. O treinador considera que parte das advertências são uma espécie de perseguição da arbitragem. Apesar de tentar diminuir o tom das reclamações, ele já recebeu três cartões em cinco jogos em 2023.

Além de Abel, os auxiliares João Martins e Vitor Castanheira também foram expulsos por reclamação com a arbitragem na final da Supercopa. Os dois portugueses são os substitutos na ausência de Abel Ferreira no comando do Palmeiras.

Arivaldo Maia com  Redação do ge — São Paulo

Abel Ferreira sobe no ranking e fica mais perto de se tornar o maior campeão da história do Palmeiras
   31 de janeiro de 2023   │     23:00  │  0

Abel está a três títulos de se tornar o maior campeão da história do Palmeiras (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Abel está a três títulos de se tornar o maior campeão da história do Palmeiras (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Foto: Lance!

Treinador pode chegar ao topo da lista dos que mais levantaram taças pelo clube. Com mais quatro torneios em disputa, o português pode atingir o feito ainda este ano.

O Palmeiras conquistou a Supercopa do Brasil, no último sábado, ao bater o Flamengo, por 4 a 3, no Mané Garrincha, em Brasília. Trata-se de um título inédito na história do clube e que deixa Abel Ferreira mais próximo de se tornar definitivamente um dos maiores de todos os tempos no Verdão. Agora, com sete troféus na estante, o português ganhou mais uma posição no ranking histórico.

Com a taça, ele não apenas foi para a terceira posição, como também deixou Felipão para trás, com seis conquistas. Agora, Abel se iguala a Ventura Cambon, ambos com sete títulos na história do clube. Além disso, Cambon e Abel passam a ser os técnicos estrangeiros com troféus.

Dessa forma, Abel Ferreira ficou mais próximo do topo do ranking de técnico campões. Ele está apenas atrás de Vanderlei Luxemburgo (oito títulos) e Oswaldo Brandão (dez títulos). Contando com o fato de termos ainda quatro campeonatos a serem disputados pelo Verdão ao longo de 2023, o recorde pode chegar ainda neste ano (Paulistão, Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil).

– Não é o meu sétimo título, é o nosso sétimo título porque eu não fiz nenhum gol. Quero dizer que foi, na minha opinião, um dos melhores jogos que joguei desde que estou na América do Sul. Dois elencos muito qualificados e duas equipes que quiseram ganhar. Na primeira parte, o Palmeiras foi melhor e, mais uma vez, a nossa equipe mostrou uma força mental muito grande durante o jogo. No fim, depois de todos acontecimentos, com muitos gols e um ambiente espetacular, acho que fomos justos vencedores e parabéns à minha equipe. Há dois anos, perdemos uma Supercopa aqui e hoje viemos resgatar o que perdemos – comemorou o técnico alviverde após a decisão.

Vale destacar que, além do que foi citado acima, o comandante se tornou o único técnico palmeirense a conquistar pelo menos um título em quatro temporadas seguidas. Sem contar que, com a Supercopa do Brasil de 2023, o português igualou Felipão como o técnico com mais finais disputadas pelo clube (dez cada). O caminho para se tornar o maior de todos os tempos é real.

Desde novembro de 2020 no comando do Palmeiras, Abel Ferreira conquistou os seguintes títulos: duas Libertadores (2020 e 2021), um Brasileirão (2022), uma Copa do Brasil (2020), um Paulistão (2022), uma Recopa Sul-Americana (2022) e uma Supercopa do Brasil (2023).

Arivaldo Maia com Redação do LANCE

Odair diz entender protestos da torcida no Santos: ‘Os dois anos estão pesando’
   30 de janeiro de 2023   │     17:00  │  0

Odair Hellmann demonstra compreensão com as recentes exibições de insatisfação por parte da torcida do Santos. O técnico acredita que as reclamações e protestos se referem ao passado recente do time, que vem enfrentando dificuldades nas últimas temporadas. Na sua avaliação, a fraca performance apresentada nos últimos anos e os riscos que o time enfrentou, até mesmo de rebaixamento, se acumularam e estão “pesando” agora.

“Eu entendo a tristeza do torcedor, pelos dois anos em que o Santos não conseguiu dar uma resposta técnica a sua torcida. O torcedor tem que cobrar, vaiar quando ele achar que a equipe não está produzindo. Eu, aqui dentro, vou fazer as cobranças. Os jogadores precisam cobrar entre si”, comentou o treinador, após o empate por 1 a 1 com a Ferroviária, no sábado.

Odair se refere às temporadas 2021 e 2022 do Santos, quando a equipe não brigou por títulos e ainda passou sufoco, principalmente no Paulistão, com risco de queda. O momento difícil contrasta com 2020, ano em que o clube foi vice-campeão da Copa Libertadores – perdeu a final para o Palmeiras.

Na avaliação do atual treinador santista, a insatisfação acumulada está afetando o rendimento do time nesta temporada. “Aqueles dois anos estão se refletindo aqui dentro, tanto na relação do torcedor com os jogadores quanto na intranquilidade para fazer uma partida. Isso gera barreiras de dificuldade para transpor. Acho que hoje a gente conseguiu.”

Contra a Ferroviária, o Santos dominou a partida e fez uma boa apresentação no primeiro tempo. No segundo, pressionou bastante, mas não conseguiu o segundo gol. “Taticamente, a equipe foi sólida. A equipe foi coesa, compacta. Produziu um jogo de alternativas, ofensiva, pelo lado e pelo centro, finalizou 25 vezes, sete bolas ao gol. Só faltou o segundo gol para coroar a performance e a dedicação da equipe”, declarou.

“E coroar o aspecto mental. Não é fácil para nenhum atleta profissional passar por uma ambiente nervoso como este e ter estabilidade para não sair do centro da organização e acabar não gerando facilidades ao adversário. Houve esse processo de maturidade. Mas não é fácil. E aí você tem de ter controle emocional para conseguir passar por tudo isso e a equipe passou (no teste)”, disse Odair.

O treinador projeta outras boas atuações da equipe para mostrar serviço às arquibancadas.

“Precisamos trazer o torcedor para o nosso lado. Isso faz uma diferença tremenda. Fez no jogo de hoje, empurrou a equipe. Em alguns momentos vaiou. Mas não foi por hoje. O grito não foi por hoje, foi pelo que está entalado de dois anos. Só que eu quero tirar isso aqui o mais rápido possível. Vamos tentar trabalhar para isso. Os jogadores estão entregando o máximo para que a gente consiga produzir essa performance e gerar resultado para trazer tranquilidade. Esses dois anos estão pesando muito nesta relação, peço um voto de confiança do torcedor ao nosso trabalho.”

Arivaldo Maia com Redação do ESTADÃO CONTEÚDO

Diniz defende time alternarivo do Flu, mas admite: ‘Torcedor tem direito de ficar aborrecido’
   29 de janeiro de 2023   │     19:00  │  0

Fernando Diniz – (Foto: Marcelo Goncalves / Fluminense)

Tricolor empatou no Maracanã e perdeu chance de assumir a liderança no Estadual.

Após mais uma atuação ruim, o time reserva do Fluminense foi bastante vaiado no Maracanã. Contra o Boavista, o Tricolor vencia por 1 a 0, mas no fim cedeu o empate. Em entrevista coletiva, Fernando Diniz saiu em defesa de alguns jogadores que foram criticados pelos torcedores.

“O Marrony é um ótimo jogador, embora não esteja na sua melhor forma. O Felipe Melo é extremamente importante para o time, hoje cometeu erros, mas participou efetivamente, teve uma melhora na condição física e tem nos ajudado muito. E sobre o Michel Araújo: o torcedor tem todo direito de vaiar ou não, mas quando eu cheguei ele era pedido pela torcida”, disse.

O treinador fez questão de dizer que o Fluminense teve amplo domínio da partida, mas admitiu que o torcedor que compareceu ao Maracanã tem direito de ficar irritado com o resultado.

“Não é questão de mudar nada, muda coisas sim. Quando você faz tudo que você pode, um adversário faz algo extra série e você sofre, aí teria um outro sabor, mas hoje foi amargo. Nossa função é fazer o melhor que a gente pode e alegrar a torcida. O torcedor tem que ficar aborrecido mesmo, porque foi uma desatenção muito grande. Mas o que muda em relação ao time? Isso não muda nada. Seria muito cruel e injusto achar que uma bola no final do jogo muda tudo que você pensa. Mas, a gente acaba aprendendo nos erros”, afirmou.

Arivaldo Maia com Redação do jornal O DIA