CSA tem o desafio mais difícil na rodada deste domingo
   24 de fevereiro de 2018   │     23:08  │  0

Enfrentar o líder em casa, tendo que suportar o calor do Sertão, com certeza, não será fácil.

Mas, acostumado aos grandes momentos do nosso futebol, quando tem como prioridade ser o campeão desta temporada, o CSA não pensa em outro resultado que não seja uma vitória contra o CEO na tarde deste domingo.

O Timaço transmite também CRB x CSE, outro jogo de excelente qualidade.

A Jornada de Consagração da Rádio Gazeta vai começar às 14 horas. Confira!

Arivaldo Maia

COMENTÁRIOS 0

Santa Rita vence o Coruripe e luta para não cair
     │     22:14  │  0

O Santa Rita conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Alagoano. No Estádio Gerson Amaral, o Tricolor derrotou o Coruripe por 2 a 1, na noite deste sábado, em partida válida pela sétima rodada do estadual. Márcio Telê, aos 35′ do primeiro tempo, e Tenório, aos 2′ da etapa final, marcaram os gols dos visitantes. Ivan descontou para o Hulk nos acréscimos. O time de Boca da Mata ficou com um jogador a menos ainda no primeiro tempo: Carlinhos foi expulso.

Com a vitória, o Santa Rita agora tem cinco pontos e segue na briga para fugir do rebaixamento. O time continua na penúltima posição. O Coruripe permanece em quinto lugar, com nove pontos. O Hulk tem três vitórias e três derrotas.

Na oitava rodada, marcada para o próximo domingo, o Coruripe encara o CSE. O jogo será às 16h, no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios. O Santa Rita folga.

Blog com Globoesaporte/AL

COMENTÁRIOS 0

Time alternativo do Flamengo é goleado pelo Fluminense
     │     21:33  │  0

Pode-se atribuir diversas dimensões a um clássico. Quando ele é válido pelo Campeonato Estadual, a importância dada por cada clube parece estar atrelada ao que se vive, na verdade, fora dele. Por isso, o Fluminense entrou em campo, na Arena Pantanal, com força máxima. Já o Flamengo, de olho no confronto com o River Plate, pela Libertadores, na quarta-feira, poupou seus titulares neste sábado. Definir prioridades é do jogo, assumir as suas consequências também. Desfigurado, o rubro-negro foi facilmente goleado pelo rival, que aplicou um 4 a 0 sem dificuldades.

Bastou pouco mais de um minuto para que o torcedor tivesse uma prévia do que viria pela frente: a precisão do ataque tricolor em sobreposição ao caos do sistema defensivo rubro-negro. Rômulo, principalmente, e Léo Duarte falharam em cortar o lançamento de Sornoza, que encontrou Marcos Júnior livre para abrir o placar. Aos 17, foi a vez de Pedro aproveitar a bola que pingava na área após escanteio para ampliar. E, antes do intervalo, Diego Alves deu rebote para Gilberto fazer o terceiro.

Não foi imediato, como raramente o é, mas o Fluminense começa a responder à insistência do técnico Abel Braga em um modelo de jogo hoje pouco praticado no futebol brasileiro, estruturado a partir de três zagueiros, com transições rápidas.

O rubro-negro, por sua vez, parece ter se esquecido das ideias que Paulo César Carpegiani tenta implementar. Se costuma mandar a campo uma linha de quatro meias (Diego, Everton Ribeiro, Paquetá e Everton) com forte aproximação da área, o técnico decidiu, neste sábado, estruturar o seu setor meio-campo com Rômulo e Ronaldo à frente de Cuéllar. O que se viu foi assustadora lentidão e o desespero para lançar bolas a fim de que Vinicius Junior tentasse encontrar uma luz no fim do túnel.

Na saída para o intervalo, Leo Duarte cobrou maior comprometimento na marcação e uma postura diferente na segunda etapa. E Carpegiani até tentou, sem muita criatividade, injetar novo ânimo, com Jean Lucas na vaga de Rômulo e Geuvânio no lugar de Marlos Moreno. Mas o panorama não mudou. Aos 10, Gilberto cruzou para Marcos Junior finalizar de cabeça e não deixar dúvidas: era goleada.

Foi louvável a postura do time tricolor, que não se satisfez com o placar construído facilmente e aproveitou para atropelar um adversário de tantas fragilidades — uma boa maneira de encerrar um jejum incômodo. Desde junho de 2016, o Fluminense não vencia o Flamengo. Nesse período, foram nove encontros, oito apenas na temporada passada. Apesar de ter conquistado a Taça Guanabara graças a um empate, o Tricolor estava engasgado com o revés na decisão do Carioca e com a eliminação na Sul-Americana.

E o estrago poderia ter sido maior, não fossem as intervenções de Diego Alves. É verdade que o goleiro demonstrou certa falta de ritmo. Mas cresceu ao longo dos 90 minutos e, aos 31 da etapa final, fez duas grandes defesas para segurar o 4 a 0.

Pouco deverá mudar do ponto de vista do rubro-negro, que terá outras caras diante do River. Já para o Tricolor, vale o alento: há onde se apegar para acreditar em um ano mais feliz.

Blog com matéria do EXTRA

COMENTÁRIOS 0

Cabo vai alterar o CSA; CRB jogará com time alternativo
     │     0:05  │  1

A grande expectativa no CSA é se haverá ou não mudança no ataque, pois foi o único setor que o novo técnico azulino mexeu na quarta-feira passada, diante do Salgueiro, pela Copa do Nordeste. Giva, Didira e Leandro Kível foram substituídos, respectivamente, por Yago, Bruno Veiga e Josimar.

Mas, também existia possibilidade de alterações em outro setor da equipe, mais precisamente, na defesa. Rafinha, que está tratando de uma lesão, não treinou e Paulinho deverá ser mantido na lateral-esquerda. Outro jogador de contenção, Leandro, também está fora do jogo na cidade de Olho D’Água das Flores.

Confira o provável time para enfrentar o CEO: Mota; Celsinho (Lennon), Roger, Xandão e Paulinho; Dawhan, Yuri, Didira e Daniel Costa, Giva e Leandro Kível.

Esta partida vai ser um duelo de líderes no Campeonato Alagoano, pois o CEO está em primeiro lugar, com 12; e o CSA em segundo, com 11 pontos.

Embora esteja na parte de cima da tabela, o CSA vive momento de pressão, pois além de ter sido eliminado da Copa do Brasil ficou com chances bastante reduzidas de prosseguir na Copa do Nordeste após o 1×1 com o Salgueiro. A delegação azulina viaja hoje para evitar o desgaste do deslocamento até a cidade de Olho D’Água das Flores. Vai pernoitar em Arapiraca.

Quanto ao CEO, as apostas para derrotar o CSA recaem sobre o atacante Nona, que é um dos artilheiros do Estadual 2018 com cinco gols assinalados. Sobre os ingressos, até o meio-dia deste sábado custam R$ 20 a inteira e R$ 15 para mulheres. No dia da partida três preços vão ser praticados: R$ 30 a inteira, R$ 20 para mulheres e R$ 15 a meia-entrada.

DESFALQUES NO CRB

O CRB tem pelo menos três desfalques confirmados para o duelo deste domingo contra o CSE, às 16h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. O lateral-esquerdo Diego, o volante Claudinei e o meia Leílson seguem vetados pelo departamento médico e estão fora da sétima rodada do Campeonato Alagoano.

Na derrota para o Santa Cruz, pela Copa do Nordeste, o técnico Mazola Júnior escalou Manoel, Feijão e Rafael Bastos nas vagas dos lesionados. A tendência é que o treinador continue com as mesmas peças. Mas, em função do duelo com o São Paulo na quarta (28), pela Copa do Brasil, é provável que o técnico faça mais alterações, poupando vários titulares.

Assim, o Galo deverá enfrentar o Tricolorido de Palmeira dos Índios com: João Carlos; Edson Ratinho, Edson Borges, Anderson Conceição e Manoel; Willians, Juliano e Rafael Bastos; Willians Santana, Ruan e Neto Baiano.

O atacante Mazola já está regularizado. O atleta está sendo preparado fisicamente para o clássico contra o CSA, no dia 4 de março (domingo).

O CRB folgou na última rodada do Estadual; atualmente é o terceiro colocado com 10 pontos.

Textos: Arivaldo Maia e Gazetaweb

COMENTÁRIOS 1

Patinadora é traída por figurino e perde pontos por seio à mostra
     │     0:04  │  0

 Guillaume Cizeron e Gabriella Papadakis da França se apresentam na competição de patinação artística durante os Jogos Olímpicos de Iverno na Gangneung Ice Arena, na Coreia do Sul - 19/02/2018

 

A francesa Gabriella Papadakis, (foto acima/Reuters), passou por uma situação constrangedora durante a prova de patinação artística dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang. No início de sua apresentação ao lado do parceiro Guillaume Cizeron, a atleta de 22 anos foi traída por seu uniforme e deixou o seio esquerdo à mostra por alguns segundos. Apesar do incidente, que custou alguns pontos, a dupla terminou a fase classificatória na segunda colocação, com nota 81.93.

Gabriella Papadakis chorou após a prova e lamentou o ocorrido ao jornal americano USA Today. “Foi o meu pior pesadelo e aconteceu na Olimpíada. Eu estava bem distraída, aconteceu logo nos primeiros segundos. Eu disse a mim mesma que eu não tinha escolha e que tinha de seguir em frente.”

Guillaume Cizeron tratou de dar força à parceira.  “É frustrante perder alguns pontos por causa de um problema de figurino. Não é para isso nos preparamos nos treinos. Ainda assim, estou orgulhoso da nossa performance.” A dupla disputará a final da patinação artística.

A OBS, empresa que cuida das transmissões oficiais das Olimpíadas, foi criticada nas redes sociais por ter exibido o momento da gafe várias vezes e em câmera lenta.

Blog com VEJA

COMENTÁRIOS 0