Croácia é alvo de processo disciplinar na Fifa por ataques e xingamentos a goleiro do Canadá
   1 de dezembro de 2022   │     5:00  │  0

Croácia e Canadá se enfrentaram pela segunda rodada da fase de grupos – (Foto: AFP)

Jogador sofreu com hostilidade das arquibancadas no jogo do último sábado.

A Fifa anunciou a abertura de um processo disciplinar contra a Croácia em virtude de gestos hostis de torcedores contra o goleiro Milan Borjan, do Canadá. Durante a goleada, algumas pessoas presentes na arquibancada do Internacional Khalifa xingaram o jogador e sua família. Foi exposta uma bandeira que provoca diretamente o passado político e histórico do atleta.

Vale destacar que Borjan nasceu na hoje cidade croata de Knin, em 1987. Contudo, já afirmou várias vezes que nasceu na República Sérvia da Krajina. Três anos depois, o território se proclamou independente dentro da própria Croácia na dissolução da antiga Iugoslávia – que não foi reconhecida internacionalmente. Atualmente no Estrela Vermelha, o jogador não se reconhece croata.

Borjan fugiu da região com a família em 1995 em direção à Belgrado e, logo depois, foi migrado para o Canadá na “Operação Tempestade”. Na ocasião, o processo expulsou da região mais de 250 mil sérvios e matou mais de duas mil pessoas.

A bandeira exposta por torcedores croatas fazia referência ao evento de 1995. Com isso, ela remetia a uma empresa de tratores com o seguinte dizer: “Knin 1995 – Nada corre como Borjan”. Uma crítica ao jogador e sua família por terem fugido do país. Atualmente, menos de 10 mil sérvios ocupam a região de Knin.

A entidade abriu o processo de acordo com o artigo 13, que recrimina qualquer tipo de ofensa à dignidade e integridade de um país ou de uma pessoa. Além disso, também utilizará como base o 16, que versa sobre ordem e segurança nos estádios, de seu código disciplinar.

Os croatas também provocaram com gritos de “Vukovar, Vukovar”, que faz referência direta à Batalha de Vukovar. Foi um cerco de 87 dias à cidade de Vukovar, no leste da Croácia, onde o Exército Popular da Iugoslávia, apoiado por forças paramilitares da Sérvia, combateu o exército croata, em 1991. A imprensa da Sérvia repercutiu o ocorrido e cobrou providências junto à Fifa.

Por fim, é preciso destacar que o arqueiro iniciou sua carreira aos 13 anos no Canadá, quando defendeu as cores do East Hamilton SC, antes de ir para o Mount Hamilton SC. Com uma mudança para a Argentina, passou pelas divisões de base do Boca Juniors e do River Plate, dois anos em cada.

Subiu para os profissionais de outro time argentino, o Quilmes. Em seguida, retornou à Sérvia para vestir a camisa do FK Rad e foi convocado pela primeira vez para a seleção canadense. Ele também passou por clubes turcos, Sivasspor e Ludogorets, e atualmente joga na Sérvia no Estrela Vermelha de Belgrado.

Arivaldo Maia com redacao@odia.com.br