Category Archives: UFC

Johnny Walker tem luxação leve no ombro e pode voltar aos treinos em quatro semanas
   7 de março de 2019   │     0:02  │  0

Resultado de imagem para Johnny Walker do UFC

 

A atabalhoada comemoração da vitória relâmpago no UFC 235 quase custou a Johnny Walker, (foto acima/Supersportes), metade do ano. O lutador brasileiro, que lesionou o ombro esquerdo ao bater de mau jeito na lona na celebração do nocaute imposto a Misha Cirkunov, no último sábado, recebeu uma suspensão médica de 180 dias da Comissão Atlética de Nevada (NAC, na sigla em inglês), órgão que regulamentou o evento.

No entanto, o peso-meio-pesado se submeteu a exames nesta semana que revelaram apenas uma luxação leve, e ele deve ser liberado a retomar os treinos após quatro semanas de reabilitação.

O diagnóstico foi de leve lesão de Hill-Sachs (fratura com afundamento da cabeça do úmero, causada por uma luxação). Segundo seu manager, Lucas Lutkus, comunicou ao Combate.com, Johnny Walker apenas passará por quatro semanas de reabilitação e voltará aos treinos. O site “MMA Fighting” foi o primeiro a noticiar o diagnóstico.

Johnny Walker nocauteou Misha Cirkunov em apenas 36 segundos de luta, sua segunda num espaço de um mês. Porém, ele comemorou com uma lenta e violenta queda à lona em posição de continência. Sua intenção era repetir a celebração que mostrou em sua vitória anterior, no UFC Fortaleza, em que fez o passo da minhoca, popular em danças de break. No entanto, o ombro esquerdo saiu do lugar com o impacto na lona, e Walker deixou o octógono com um saco de gelo na região.

O peso-meio-pesado fluminense recebeu a suspensão de 180 dias da Comissão Atlética de Nevada antes dos exames de segunda-feira. A ressonância magnética e o parecer do ortopedista, contudo, podem liberá-lo a retornar ao octógono mais cedo.

Fora Walker, outros nove lutadores receberam seis meses de suspensão médica. Principal destaque do UFC 235, Jon Jones foi um deles. O americano tem uma suspeita de lesão no pé esquerdo; caso a radiografia aponte fratura, o campeão dos meio-pesados só será liberado antes de 30 de agosto com autorização de um ortopedista. “Bones” recebeu ainda uma suspensão mínima sem luta até 17 de abril, e não pode treinar com contato até 2 de abril, devido a uma laceração no olho esquerdo.

Blog com GloboEsporte

 

Johnny Walker e Munhoz ganham prêmios do UFC 235, e Jon Jones mantém título
   4 de março de 2019   │     0:04  │  0

Quase 15 mil pessoas acompanharam um show de perfomances no UFC 235, que aconteceu na noite do último sábado, na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA). No dia em que Jon Jones era a principal estrela do evento e permaneceu com o cinturão dos meio-pesados ao derrotar Anthony Smith, por decisão unânime, em cinco rounds, foram dois brasileiros que paparam a premiação da organização: Pedro Munhoz e Johnny Walker.

De Belford Roxo para o mundo, Walker subiu no octógono pelo card preliminar e sequer deu chances para o letão Misha Cirkunov. O lutador, de 27 anos, precisou apenas 36 segundos para nocautear o rival com uma joelhada incrível. O “caça-bônus” levou mais uma vez US$ 50 mil pela “Performance da Noite”.

Foi o segundo nocaute do meio-pesado em apenas um mês. No UFC Fortaleza, em 2 de fevereiro, o carioca precisou de 15 segundos para nocautear Justin Ledet.

– Eu acho que nasci para isso, é uma habilidade natural. Eu treino como o inferno, eu não vou a festas, eu não bebo álcool, estou de dieta o ano todo, eu só tenho doces nos fins de semana. Estou focado mais do que tudo, 100% focado – disse o lutador.

Já Pedro Munhoz surpreendeu o mundo no final do primeiro round. O paulista levou uma cabeçada de Cody Garbrandt, que fez um corte na sua cabeça, e ainda foi golpeado muitas vezes. Mas depois de tentar uma finalização, o brasileiro acertou um cruzado de esquerda que derrubou o ex-campeão dos pesos-galos. Assim, nocauteou e levou o prêmio de “Luta da Noite” junto com o americano.

– Tenho assistido a muitas lutas de Cody, estudando ele, então eu sabia que isso seria perfeito para mim. Eu nunca fui abandonado em uma briga ou na prática, eu acredito no meu queixo mais do que qualquer coisa. Eu sabia que era capaz de tirar suas fotos e, em seguida, dar meus tiros de volta. Eu tinha 100% de certeza de que, se conseguisse me conectar com o queixo dele, poderia derrubá-lo – disse Munhoz.

Outra brasileira no card, Polyana Viana perdeu para a norte-americana Hannah Cifers por decisão unânime, na luta que abriu o UFC 235 e marcou a estreia da atleta em um card de Vegas. A paraense até lutou bem, principalmente no segundo round, mas foi derrotada de forma apertada por 28-29, 28-29 e 28-29.

Blog com EXTRA

Ex-campeão dos médios e meio-médios do UFC, Georges St-Pierre anuncia aposentadoria do MMA
   25 de fevereiro de 2019   │     0:02  │  0

Resultado de imagem para GSP encerra a carreira como recordista de número de vitórias em lutas por título no Ultimate, com 13, além de lutador com mais quedas efetuadas em suas lutas (90) e mais golpes conectados (2591) na história da organização. Ele também é o segundo com maior número de vitórias (20), terceiro colocado em percentual de defesa de quedas (73,8%) e terceiro em percentual de defesa de golpes significativos (73,1%).

 

O que era um rumor foi anunciado oficialmente. Em entrevista coletiva realizada em Montreal (CAN), o ex-campeão dos pesos-meio-médios e médios do Ultimate, Georges St-Pierre, (foto acima/SoprTV Globo), revelou que está aposentado do MMA, aos 37 anos. O canadense, que chegou a receber um pedido de Khabib Nurmagomedov para que eles se enfrentassem antes que ele parasse de lutar, disse que deixa o esporte na melhor forma física e mental da sua vida.

– É preciso muita disciplina para se tornar e se manter campeão. Também é preciso muita disciplina para parar enquanto ainda sente que está na melhor forma física e mental da sua vida, mas eu sempre planejei deixar o esporte no topo e em boa saúde. Quero agradecer a minha família, meus treinadores e parceiros de treinos, meus patrocinadores e meus empresários pelo apoio indefectível durante todos estes anos. Sempre serei grato pelo trabalho de Lorenzo e Frank Fertitta, assim como por Dana White e todos os funcionários do UFC por me darem a oportunidade de mostrar minhas habilidades para o mundo, do UFC 46 ao UFC 217. Também quero agradecer a cada um dos meus adversários. Todos eles são atletas incríveis que trouxeram o melhor de mim. Eu me aposento das competições com grande orgulho de ter tido um impacto positivo no meu esporte. Pretendo seguir treinando e praticante artes marciais enquanto estiver vivo e estou ansioso para assistir a nova geração de campeões carregar nosso esporte para o futuro.

GSP encerra a carreira como recordista de número de vitórias em lutas por título no Ultimate, com 13, além de lutador com mais quedas efetuadas em suas lutas (90) e mais golpes conectados (2591) na história da organização. Ele também é o segundo com maior número de vitórias (20), terceiro colocado em percentual de defesa de quedas (73,8%) e terceiro em percentual de defesa de golpes significativos (73,1%).

Blog com Combate.com

 

Em luta memorável, Israel Adesanya vence Anderson Silva no UFC 234
   11 de fevereiro de 2019   │     0:04  │  0

Anderson Silva x Israel Adesanya UFC 234 — Foto: Quinn Rooney / Getty Images

Anderson Silva x Israel Adesanya UFC 234 ( Foto: Quinn Rooney / Getty Images)

Com a saída do campeão Robert Whittaker do UFC 234 após um problema de saúde poucas horas antes da edição, Anderson Silva e Israel Adesanya assumiram a luta principal do evento no último sábado (9). Os dois presentearam os fãs que marcaram presença na Rod Laver Arena, em Melbourne, na Austrália, e todos que estavam ao redor do mundo com uma luta no mais alto nível técnico. No fim, o nigeriano venceu por decisão unânime.

Além de Anderson, o Brasil foi representado por mais três lutadores no card e todos saíram derrotados. Na luta promovida ao co-main event de última hora, Lando Vannata finalizou Marcos Mariano com uma kimura. Já Rani Yaha perdeu para Ricky Simón por decisão unânime. Estreante, Raulian Paiva foi superado por Kai Kara-France no card preliminar.

Anderson e Adesanya fazem luta histórica

Na primeira metade do round, Anderson Silva adotou uma postura mais cadenciada, enquanto Israel Adesanya aplicou alguns low kicks. Já na segunda parte, “Spider” foi mais para cima, tentou uma blitz e foi surpreendido com um direto. O brasileiro passou a dosar e atacar de forma mais estratégica. O nigeriano teve uma agressividade maior e, por pouco, não acertou um low kick no brasileiro já na reta final do primeiro round.

Diferente do assalto inicial, Anderson voltou com uma guarda baixa e recebeu alguns golpes do nigeriano. Em uma troca incessante de base, Adesanya tentava confundir o brasileiro e ia alternando com jabs e chutes. O ex-campeão respondia as investidas e chegou a encurralar o oponente na grade. Assim como no primeiro round, o curitibano adotou uma blitz, foi para cima e aplicou alguns golpes para assustar o adversário.

Ao som de “Silva, Silva, Silva” na arena, Anderson voltou como a sua forma provocativa para entrar na cabeça do adversário. Em um momento, tentou uma joelhada voadora que não atingiu Adesanya por centímetros. O ex-campeão parou no centro do cage, pediu e recebeu alguns. No contra-ataque, colocou um golpe de encontro. Por decisão unânime, o nigeriano levou a melhor e agora tem um cartel de 16 vitórias e nenhuma derrota no MMA.

Blog com EXTRA

Rockhold sobe de categoria, diz que Jones é vencível e espeta: “Estou chegando, princesa”
   8 de janeiro de 2019   │     0:03  │  0

   Rockhold vem de derrota para Yoel Romero — Foto: Evelyn Rodrigues

Ex-campeão dos médios do Strikeforce e do UFC, o experiente lutador Luke Rockhold, (foto acima/Evelyn Rodrigues), diante das dificuldades em bater os 84kg da categoria, vai se aventurar no peso-meio-pesado. E o americano, que tem a língua afiada, aponta sua mira para Jon Jones, novo dono do cinturão ao vencer Alexander Gustafsson no último dia 29, no UFC 232.

Em entrevista ao site “TMZ Sports”, Rockhold mandou um recado para avisar a “Bones” – invicto na organização -, que planeja enfrentá-lo.

– Segure firme o cinturão. Estou chegando, princesa – disparou.

Luke Rockhold analisou a vitória de Jones contra Gustafsson e não enxerga essa aura de invencibilidade no compatriota, algoz de nomes como Daniel Cormier, Vitor Belfort, Mauricio Shogun, Lyoto Machida, dentre outros.

– Eu acho que ele pareceu vencível. É bom em pé, é estratégico e tira proveito de suas vantagens. É bom em tudo, ótimo, mas não acho que seja mais técnico na trocação. Não acho que ele tenha mais força. Sou um cara diferente neste peso. Estou mudando de categoria para ir atrás dele.

Destronado do posto de campeão dos médios ao ser nocauteado por Michael Bisping, Luke Rockhold se recuperou ao liquidar David Branch, entretanto, perdeu em sua última atuação, em fevereiro de 2018, para Yoel Romero, que o nocauteou no terceiro round.

Blog com Combate