Category Archives: STJD

Série B: Grêmio consegue efeito suspensivo e Arena é liberada na reta final
   29 de setembro de 2022   │     19:00  │  0

52372909466 2769674ff6 cGrêmio poderá jogar na Arena – (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

O Tricolor chegou a tomar três mandos de gancho.
O julgamento final do caso ainda não foi marcado pelo STJD.

O Grêmio teve o pedido de efeito suspensivo deferido na tarde da última terça, dia 27 de setembro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. O pedido foi acolhido pelo relator do processo no Pleno, auditor Felipe Bevilacqua, que liberou o clube do cumprimento da pena de perda de três mandos de campo e multa de R$ 100 mil até o julgamento final. Ainda não há data para julgamento do recurso.

Com isso, o Grêmio conseguirá, provavelmente, terminar a Série B atuando ao lado de seus torcedores. Temia tal punição, já que o clube ainda não garantiu o acesso à elite do futebol nacional.

Confira abaixo trecho do despacho do relator:

“Não obstante os fatos serem GRAVES e a equipe ser reincidente, entendo que, além de preenchidos os requisitos para o respectivo deferimento, neste momento, deve ser preservado o basilar princípio do equilíbrio e manutenção das competições (pro competitione).

Sem maiores digressões, entendo que no presente caso o deferimento do pedido de efeito suspensivo se impõe, sob o conhecido fundamento PERIGO DE DANO REVERSO, ou seja, mantida a decisão de piso, os prejuízos oriundos desta podem ser irreversíveis e irreparáveis, ao passo que no julgamento de mérito, a pena pode ser adequada e modulada ao caso concreto e surtirá os efeitos esperados.

Neste passo, defiro o EFEITO SUSPENSIVO com fulcro no artigo 147-A do CBJD, para tornar sem efeito integralmente a R. Decisão atacada, mantendo a realização das partidas da forma como se encontram no calendário do Campeonato Brasileiro série B de 2022, bem como a multa aplicada, até o julgamento final desta Corte, pelos motivos expostos.

Intime-se com URGÊNCIA todas as partes para ciência”, escreveu o auditor Felipe Bevilacqua.

Arivaldo Maia com Agência Futebol Interior

CRB paga multa pela irresbonsabilidade de torcedores marginais, mas, não perde pontos
   28 de setembro de 2022   │     13:22  │  0

A 3ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou na manhã desta quarta-feira o processo 3199, que envolvia o CRB. Denunciado por cânticos discriminatórios da torcida contra a árbitra Edina Alves, no jogo diante do Criciúma, pela 26ª rodada da Série B, o clube alagoano multado em R$ 10 mil.

O CRB foi julgado com base no artigo 243-G, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O clube também foi denunciado no artigo 213, inciso III, por arremessos de objetos contra os jogadores do Criciúma, e multado em R$ 3 mil. Totalizando R$ 13 mil.

Advogado de defesa, Osvaldo Sestário sustentou que o CRB fez um Boletim de Ocorrência referente ao arremesso de objetos no gramado e tem elaborado e divulgado campanhas no combate a qualquer tipo de discriminação e preconceito.

O CRB é o 11º colocado do Brasileiro, com 40 pontos, e entra em campo no próximo sábado para enfrentar o Ituano, às 18h30, no Estádio Novelli Júnior.

Arivaldo Maia com Redação e ge – Alagoas, e Marcelo Rocha do Timaço da Gazeta

CRB será julgado nesta quarta por cânticos discriminatórios contra árbitra
     │     7:00  │  0

Denunciado com base no artigo 243-G do CBJD, clube corre risco de pagar multa.

A manhã desta quarta-feira está sendo aguardada com muita expectativa pelo torcedor regatiano. Denunciado por cânticos discriminatórios contra a árbitra Edina Alves, no jogo diante do Criciúma, o clube pode perder até três pontos no julgamento que será realizado pelo STJD.

O processo contra o CRB é o 11º na lista de pautas da Terceira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. A sessão começa às 10h, na sede do STJD, no Rio de Janeiro.
A denúncia contra o CRB foi formulada com base no artigo 243-G, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Além das ofensas contra a árbitra, a súmula da partida apresenta ainda relatos de objetos arremessados contra os jogadores do Criciúma. Por conta disso, o CRB foi denunciado com base no artigo 213, inciso III, por não prevenir e reprimir o lançamento dos objetos.

Advogado do CRB, Osvaldo Sestário conversou com o ge e mostrou confiança na aplicação de uma pena mais leve.
“Acreditamos que não deve ocorrer a perda de pontos. Agora, a gente não deve fugir da aplicação do pagamento de multa.”

– A denúncia seria natural que ia ser ofertada porque a árbitra relatou na súmula. Porém, a gente está com a nossa linha de defesa montada no sentido de que o clube não pactua com essas práticas discriminatórias, tendo, inclusive, funcionárias no seu quadro de colaboradores – argumentou Sestário.

Arivaldo Maia com Redação do ge – Alagoas

CRB terá o experiente Sestário na defesa do caso de cânticos discriminatórios de parte da sua torcida
   24 de setembro de 2022   │     7:00  │  0

Osvaldo Sestário trabalha na defesa do CRB — Foto: Janailton Falcão/Manaus FC

Osvaldo Sestário trabalha na defesa do CRB — (Foto: Janailton Falcão/Manaus FC)

Advogado minimiza risco de perda de pontos: “Não deve ocorrer”.

O CRB começou a trabalhar a sua linha de defesa após ter sido denunciado pelo STJD em razão de cânticos discriminatórios da torcida contra a árbitra Edina Alves. Esse caso foi registrado no jogo diante do Criciúma, dia 27 de agosto, pela 26ª rodada da Série B. Uma vídeo cassetada de alguns torcedores que só atrapalham, nunca ajudam!

Advogado do clube, Osvaldo Sestário conversou com o ge e explicou qual será a estratégia montada para minimizar os prejuízos no julgamento, marcado para quarta, às 10h. Existe até o risco do time perder três pontos.

– Acreditamos que não deve ocorrer a perda de pontos. Agora, a gente não deve fugir da aplicação do pagamento de multa.

– A denúncia seria natural que ia ser ofertada porque a árbitra relatou na súmula. Porém, a gente está com a nossa linha de defesa montada no sentido de que o clube não pactua com essas práticas discriminatórias, tendo, inclusive, funcionárias no seu quadro de colaboradores – argumentou Sestário.

O advogado disse ainda que o CRB vai intensificar campanhas junto à torcida para evitar que esse tipo caso aconteça outra vez.

– Além disso, a diretoria do CRB está disposta e já vem praticando trabalhos de conscientização junto ao seu torcedor para coibir toda prática discriminatória, seja ela de qualquer natureza.

CRB AINDA NA 1ª PÁGINA DA SÉRIE B

Até o fechamento do nosso Blog na noite de ontem, o CRB, apesar de perder uma posição, continuava entre os 10 melhores da competição, agora ocupando o 10º lugar.

No site Infobola, o Galo aumentou sua chance de rebaixamento, passando de 1% para 2%. Ou seja, continua em posição confortável na tabela da Série B.

Arivaldo Maia e Redação do ge – Alagoas

CSA pede efeito suspensivo e espera contar com Roberto Fernandes contra o Vasco
   16 de agosto de 2022   │     7:00  │  0

Roberto Fernandes, técnico do CSA — Foto: Morgana Oliveira/Ascom CSA

Roberto Fernandes, técnico do CSA — (Foto: Morgana Oliveira/Ascom CSA)

Advogado Osvaldo Sestário fala sobre o processo e acredita que treinador será liberado.

O CSA trabalha para contar com o técnico Roberto Fernandes contra o Vasco, na próxima quinta-feira. Advogado contratado pelo clube, Osvaldo Sestário conversou com o ge nesta segunda-feira e deu detalhes.

– Nós entramos com o efeito suspensivo do Roberto Fernandes na semana passada e estamos esperando o resultado do pedido sair até hoje. O relator do processo contra o técnico está analisando o pedido e estamos confiantes que o resultado será favorável.

Roberto foi punido no dia 05 de agosto, pela 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), com dois jogos de suspensão por conta da expulsão após o jogo contra o Tombense. Na época, o técnico comandava o Náutico.

Como o técnico já cumpriu uma partida, na derrota do CSA para o Sport, no último sábado, o advogado está otimista.

– Creio que o efeito será concedido. O técnico já cumpriu uma partida e imagino que ele será liberado para trabalhar até que o fato seja julgado pelo pleno do STJD.

Arivaldo Maia com Redação do ge – Alagoas