Gaúcho Welder, novo atacante do CRB, fala sobre pressão pelo acesso: “Isso não pode nos tirar o foco”
   13 de janeiro de 2024   │     5:00  │  0

Welder é apresentado pelo CRB — Foto: Divulgação / Ascom CRB

Atacante de velocidade, Welder é apresentado pelo CRB — (Foto: Divulgação / Ascom CRB)

Jogador chega ao Galo após fazer parte da campanha do título do Vitória da Bahia na Série B.

Ontem, o atacante Welder, de 29 anos, foi apresentado pelo CRB. Na coletiva, ele comentou sobre a pressão pelo acesso no clube, similar ao que viveu no Vitória, e disse que isso não pode afetar os atletas.

– O jogador vive de pressão, a gente não pode deixar isso nos tirar o foco, ou em determinados momentos deixar isso pesar.

– Mas eu tenho certeza que do jeito que a gente tá trabalhando aqui, o trabalho sendo bem feito, bem focado, com a ideia da comissão, os jogadores também comprando a ideia, tenho certeza que a gente também vai conseguir alcançar os objetivos desse ano.

Questionado sobre a sua posição em campo, o gaúcho Welder deixou claro que não tem preferência por jogar como ponta ou como centroavante, deixando nas mãos do técnico Daniel Paulista para decidir.

– Eu comecei como camisa 9, como centroavante mesmo. Mas, pela facilidade que eu tenho, pela força que eu tenho, também não sou um cara lento, tenho velocidade, acabou que com um tempo eu fui sendo jogado pro lado […] Então, independentemente da onde o professor Daniel achar que deva me utilizar, eu vou estar pronto e à disposição.

Parte física

Ainda na coletiva, o jogador falou sobre como está a preparação e a parte física para a partida de estreia no Alagoano, contra o Penedense, no dia 20.

– A gente fez um trabalho já em casa, separado, o professor Mancha, da preparação física, mandou pra gente um trabalho pra fazer em casa. Então a gente não chegou zerado aqui na reapresentação. E agora, nessa sequência de duas semanas, a gente trabalhou forte também, trabalho bem específico, procurando aprimorar a parte física, porque treinar em casa é uma coisa e tá no clube é bem diferente. Mas acredito que a gente vai chegar bem, com perna, pra conseguir estrear bem.

Arivaldo Maia e Gabriel Diniz – Redação do ge – Alagoas