Flamengo quer setor popular caso estádio próprio saia do papel
   20 de novembro de 2023   │     22:00  │  0

 

Torcida do Flamengo nas arquibancadas do Maracanã – (Foto: Paula Reis / Flamengo)

Clube planeja reuniões na próxima semana para que o projeto avance.

O Flamengo planeja ter um setor popular em seu estádio próprio, caso ele saia do papel. Em entrevista ao canal “Máquina do Esporte”, no YouTube, o vice-presidente de comunicação e marketing rubro-negro, Gustavo Oliveira, disse que o clube trabalhará para ter ingressos com preços acessíveis em sua nova casa.

“O Maracanã tem uma distribuição ruim em termos de você determinar áreas específicas de ingresso barato. A ligação à entrada, os banheiros… Você não consegue abrir espaços muito claros para fazer um custo muito diferente. Mas se ganhar a licitação do Maracanã em 20 anos, uma das coisas que a gente pretende fazer é uma mudança estrutural para permitir esse tipo de coisa. E no nosso novo estádio, se a gente conseguir viabilizar lá imediatamente ou nos próximos tempos, terá uma área mais efetivamente popular. Porque aí você consegue construir um estádio com esse objetivo”, declarou Gustavo.

Nos últimos dias, a ideia de construir um estádio próprio para o Flamengo voltou a ganhar força. Em entrevista ao jornalista Mauro Cezar Pereira, o presidente Rodolfo Landim disse que pretende se reunir com a Caixa Econômica Federal para tentar avançar no projeto.

“Houve a mudança de governo e não havia alguém já efetivado à frente da Caixa. O novo presidente da Caixa foi empossado, fui à posse e estamos tentando uma reunião com ele para a semana que vem. Existe uma previsão de troca dos vice-presidentes da Caixa, então poderemos aprofundar as conversas, utilizando a tese do Flamengo, que é real”, explicou Landim.

A ideia do Flamengo é construir seu novo estádio no terreno do antigo Gasômetro, perto da Rodoviária do Rio, que é de propriedade da Caixa. O clube quer mostrar que o estádio do clube ajudaria a valorizar a região e, consequentemente, diminuir o prejuízo do fundo de investimento ligado à Caixa, que aportou dinheiro e vem acumulando prejuízo com a falta de recursos com outros projetos. O clube descarta uma Parceria Público-Privada (PPP).

Arivaldo Maia e