Daniel Paulista fala sobre reta final do Brasileiro e tem dúvidas no ataque sem Anselmo Ramon
   7 de novembro de 2023   │     5:00  │  0

Palpite CRB x Chapecoense

A quatro jogos de encerrar a competição e sem chance de acesso, Galo recebe a Chapecoense.

O CRB encara a Chapecoense na noite de hoje, no fechamento da 35ª rodada, apenas para cumprir tabela. Na véspera do jogo, o técnico Daniel Paulista foi para a entrevista coletiva sabendo o que faltou para o time chegar à final da Série B ainda vivo na briga pelo acesso.

– As oscilações dentro de um campeonato de pontos corridos, como é a Série B, premia quem é o mais regular. Agora vejo que todas as equipes passam por oscilações dentro da competição. No nosso caso, houve um baixo rendimento no início, que ajudou a comprometer, hoje nós não temos chance, depois que assumimos tivemos uma grande arrancada, um crescimento muito grande dentro da competição, o que nos fez novamente acender essa chama pela busca do acesso, mas nós não tínhamos margem pra erro. E no momento que nós também oscilamos, e essa oscilação ela veio agora no final, não temos margem de recuperação. Então comprometeu também esse final que poderia ser um final diferente pelo que aqui apresentou desde que nós assumimos o comando.

O treinador recomendou que o clube tire lições dessa situação para a próxima temporada.

– Acho que serve de aprendizado pra uma situação de continuidade, de prosseguimento de trabalho, que a Série B ela não perdoa quem tem esse tipo de oscilação ou oscila por muito tempo. Isso é fundamental pra que, numa próxima temporada, um próximo campeonato, se consiga corrigir esses momentos para que isso não venha a pesar no resultado final.

Daniel falou como é encerrar a temporada sabendo que não tem mais chances de brigar pelo acesso à Série A.

– Eu vejo que tem um sentimento misturado dentro da competição. Acho que quando chegamos, tínhamos uma missão que era tirar o CRB daquela situação, totalmente adversa, incômoda, tivemos essa capacidade, conseguimos recuperar a equipe num curto espaço de tempo e, como eu disse, conseguimos acender essa chama do acesso dentro de nós mesmo, dentro do nosso torcedor, mas infelizmente, no final, aonde a gente acreditava que essa chance se poderia tornar uma realidade, a equipe novamente não conseguiu manter o rendimento e nós temos responsabilidade em cima desse momento que a equipe vive hoje e temos que trabalhar agora pra fazer o melhor nos últimos quatro jogos.

Perguntado se pretende dar mais oportunidade a atletas pouco utilizados no Brasileiro, o técnico regatiano sinalizou positivamente.

– Nós iremos aproveitar essas últimas partidas para dar mais oportunidade, na medida do possível, a praticamente todos os atletas que temos à disposição. É claro que alguns poderão receber mais minutos, outros menos, porque há também a dinâmica dos jogos, aquilo que se espera dentro da partida, mas a possibilidade que nós teremos dentro dessas quatro partidas de colocar atletas que foram importantes dentro dessa caminhada da competição, mas que talvez receberam poucas oportunidades efetivamente dentro dos jogos, mas foram importantes no dia a dia, talvez, agora poderão receber novas oportunidades… A gente rodar mais a questão do elenco dentro desses jogos e pode ter certeza que vamos fazer isso.

DÚVIDAS NO ATAQUE

Para o duelo de hoje contra a Chape, sem Anselmo Ramon, o treinador deve apostar em um trio diferente.

Titular incontestável, sua ausência deve causar uma dor de cabeça daquelas, pois os seus reservas diretos, Rômulo e Hyuri, também têm chances de não jogarem.

Caso volte, Rômulo é quem tem mais chances de começar jogando, mesmo que não esteja 100% fisicamente. Já Hyuri possui chances mais remotas de titularidade. O atacante já está recuperado, mas tem baixa minutagem nesta Série B.

Outra solução para o treinador é mudar a característica ofensiva, abrindo mão de três atacantes para escalar somente dois jogadores rápidos e substituindo o centroavante por um meia ou ponta que possa fazer a função de falso 9: João Paulo, Rafael Longuine ou Renato.

Fato é que a escalação regatiana deverá ser bem diferente da rodada passada, com um pouco mais de ofensividade. Em relação aos jogadores machucados, o CRB não tem divulgado boletins médicos. Sendo assim, a dúvida sobre a presença de Rômulo e Renato irá pairar até minutos antes do confronto desta noite.

CRB e Chapecoense entram em campo logo mais às 19 horas, no Rei Pelé.

O Galo ocupa o 10º lugar com 50 pontos conquistados, enquanto o time da Chape, na zona de rebaixamento, tem 33.

Arivaldo Maia e Redação do ge – Alagoas