Cruzeiro e Valladolid: Ronaldo vive pressão e ascensão em projetos no futebol
   20 de outubro de 2023   │     19:00  │  0

Ronaldo, gestor do Cruzeiro, durante passagem pela Toca da Raposa — Foto: Gustavo Aleixo

Ronaldo, gestor do Cruzeiro, durante passagem pela Toca da Raposa —( Foto: Gustavo Aleixo)

No campo, Cruzeiro vive momento de pressão por resultados, enquanto Valladolid encara ascensão na Segunda Divisão com Paulo Pezzolano.

Ronaldo Fenômeno vive momentos distintos em seus dois investimentos no futebol. Enquanto no Cruzeiro há um momento de pressão pela recuperação no Brasileiro, com um time se aproximando na zona do rebaixamento, no Valladolid passa por um crescimento esportivo, apesar dos protestos nas arquibancadas.

No Cruzeiro, o Fenômeno viu o time ir, gradativamente, caindo de produção no Campeonato Brasileiro, independente do resultado de ontem com o Flamengo.

Diante dos resultados, Ronaldo precisou também mudar o comando técnico: saiu Pepa, entrou Zé Ricardo. O treinador, em três jogos, conquistou uma vitória, um empate e sofreu uma derrota.

A gestão do Fenômeno sofreu protestos na porta do CT e também no Mineirão, estádio que o time não venceu na temporada. O Cruzeiro é o terceiro pior mandante do Campeonato Brasileiro.

No Valladolid, a relação entre Ronaldo e parte da torcida não anda bem. No começo do mês passado, houve protesto durante o empate por 1 a 1 com o Elche, no momento que o time tinha apenas uma vitória em cinco partidas na Segunda Divisão. A situação, entretanto, mudou em campo.

O Valladolid vem de cinco vitórias seguidas na divisão de acesso e já está em sétimo lugar na busca de voltar novamente à Primeira Divisão da Espanha. A equipe é treinada por Paulo Pezzolano, uruguaio que treinou o Cruzeiro no título da Série B de 2022.

Mesmo assim, os protestos continuaram após a última partida. Houve repúdio por parte de Ronaldo e do clube em cânticos contra brasileiros.

O objetivo no clube espanhol é voltar à elite do país. No Cruzeiro, a meta é ficar entre os 20 da Série A, inicialmente. Como “bônus”, conseguir vaga na Copa Sul-Americana.

Arivaldo com Redação do ge — de Belo Horizonte