Seleções que jogarem abertura da Copa de 2030 na América do Sul terão duas semanas de descanso
   9 de outubro de 2023   │     17:00  │  0

A Fifa divulgou, na última sexta-feira, alguns detalhes do calendário previsto para a Copa do Mundo de 2030, que, embora tenha Espanha, Marrocos e Portugal como países-sede, fará jogos de abertura no Uruguai, na Argentina e no Paraguai. De acordo com a entidade, as seleções que participarem das três partidas na América do Sul terão duas semanas de descanso até voltarem a campo, já em território espanhol, marroquino ou português, para a disputa das demais partidas.

O pontapé inicial longe das sedes majoritárias foi a forma da Fifa corresponder ao apelo do Uruguai, que liderava a candidatura sul-americana com o objetivo de celebrar os 100 anos da primeira Copa, realizada justamente em solo uruguaio, em 1930. Os três jogos de abertura, com as respectivas seleções anfitriãs em campo, serão nos dias 8 e 9 de junho. Também haverá uma cerimônia de celebração do centenário do Mundial, em Montevidéu.

Depois disso, as equipes que jogaram na América do Sul, entre elas Uruguai, Argentina e Paraguai, vão disputar a segunda rodada da fase grupos apenas nos dias 21 e 22 de junho, na Espanha, no Marrocos ou em Portugal. As demais seleções dessas chaves fazem a rodada de estreia nos dias 15 e 16 de junho, nas sedes principais, que receberão os primeiros jogos dos outros grupos a partir do dia 13 de junho.

A Fifa também definiu a final para o dia 21 de julho. O local, contudo, ainda é incerto. Representantes espanhóis e marroquinos começaram a se movimentar para levar a decisão do Mundial aos seus respectivos países e fizeram manifestações públicas sobre o assunto poucas horas depois do anúncio da Fifa.

O presidente da Federação Marroquina de Futebol, Faouzi Kekjaa, disse em entrevista à Rádio Mars, do Marrocos, que espera uma final em Casablanca, no novo estádio que está sendo planejado na cidade. “Esperamos viver uma final extraordinária que honre todo o continente e as jovens gerações em um estádio em Casablanca que será extraordinário e maravilhoso”, afirmou.

Na margem oposta do Mediterrâneo, também há desejo de receber a final da Copa de 2030, conforme afirmado por Miguel Iceta, ministro interino dos Esportes da Espanha, em entrevista à rádio Onda Cero. “Espera-se que a final seja realizada na Espanha”, disse Iceta, que também disse haver um acordo avançado sobre as sedes com as federações de Marrocos e Portugal.

Arivaldo Maia com Redação do ESTADÃO CONTEÚDO