Em ano para ser esquecido, CSA ainda levou mais de 70 mil pessoas ao Rei Pelé na Série C
   8 de outubro de 2023   │     10:30  │  0

Torcida azulina foi presente na Série C, fez sua parte, mas ficou triste com o clube sem calendário até o final do ano, e esperando outra edição da complicada 3ª Divisão da CBF – (Foto: A I L T O N  C R U Z)

Azulão fez dez partidas como mandante, mas não conseguiu obter lucro financeiro.

A temporada atual foi uma completa decepção para a torcida do CSA. Mas isso não impediu que o torcedor fosse ao Rei Pelé apoiar a equipe, sobretudo nos jogos da Série C do Brasileirão.

Um levantamento feito pela Gazetaweb.com aponta que mais de 70 mil azulinos compareceram ao estádio para empurrar o clube no Nacional.

O Azulão teve uma particularidade em relação a alguns adversários porque teve o benefício de jogar dez partidas dentro de casa. Enquanto isso, os dez piores ranqueados da Série C fizeram apenas nove jogos como mandantes.

A má fase do time na competição não foi impeditivo para que o torcedor fosse ao estádio. Ao todo, 70.928 torcedores compareceram ao Trapichão.

A média por jogo foi de 7.092 presentes. Algo que supera 50% da capacidade atual do Rei Pelé.

Inclusive, o recorde de público do CSA na Terceirona aconteceu na 15ª rodada, no duelo com o Pouso Alegre. Na ocasião, 10.226 azulinos compareceram e assistiram ao Azulão vencer por 2 a 1. No entanto, essa foi a única vez que a marca de 10 mil foi superada.

O pior público deste ano aconteceu ainda na 4ª rodada. O clube marujo recebeu o Brusque e, no empate por 0 a 0, apenas 4.707 pessoas estiveram no estádio.

Finanças

Junto com sócio-torcedor e patrocínio, a bilheteria é uma das principais fontes de renda do CSA. Todavia, a Terceirona acabou sendo prejudicial e poucas vezes o Azulão conseguiu lucro em suas partidas.

Nos dez confrontos que fez no Estádio Rei Pelé, o CSA conseguiu ter lucro apenas três vezes. Nas vitórias sobre Manaus e Botafogo-PB, o time marujo conseguiu cerca de R$ 13 mil de lucro, em cada. Já no triunfo sobre o São José, os cofres foram abastecidos com especificamente R$ 1.436,88.

Qualquer time com o ‘tamanho’ do CSA, não passa pela Série C sem levar um sério abalo nas suas finanças.

O ano azulino foi desastroso. Porém, na avliação do Blog, com Rafeal Tenório comandando, com certeza, 2024 será um novo tempo.

“A Nação Fantastica Azulina” merece sempre mais!

Arivaldo Maia e Guilherme Nobre – Redação da Gazetaweb