CSA teve quatro técnicos diferentes em 2023; relembre campanhas
   21 de setembro de 2023   │     9:00  │  0

Cabo foi um dos comandantes azulinos em 2023 – (Foto: Morgana Oliveira)

O CSA teve uma temporada incomum, com menos jogos do que era esperado. Porém, nem isso impediu as constantes trocas de treinadores. Neste ano, o Azulão teve quatro técnicos diferentes e nenhum deles foi unanimidade entre os torcedores. O ano de 2023 contou com Roberto Fonseca, o interino Bebeto Moraes, Vinícius Bergantin e Marcelo Cabo.

Em termos de aproveitamento, apenas Bebeto e Bergantin ultrapassaram a marca de 50%. Porém, Bebeto foi o que teve menos jogos no comando, enquanto Bergantin foi quem mais comandou o CSA na temporada.

2023 começou com o experiente Roberto Fonseca, que chegou ao clube, após uma confusão nos bastidores. Até dezembro de 2022, o técnico para este ano seria Adriano Cabeça, o escolhido pelo ex-presidente Omar Coêlho. Contudo, Coêlho renunciou e Rafael Tenório assumiu.

O atual mandatário não quis seguir com Cabeça, então o dispensou e trouxe Fonseca. O problema foi a fraca campanha do experiente treinador. Em apenas oito partidas, conquistou duas vitórias, contra Potiguar Mossoró e Murici. Entretanto, nos outros duelos foram três empates e três derrotas. A gota d’água foi a derrota por 2 a 1 contra o Aliança, em pleno Rei Pelé.

Roberto Fonseca foi demitido com um aproveitamento de 37,5%, o pior da temporada. O CSA demorou para anunciar um substituto e o interino Bebeto Moraes precisou ficar no comando do profissional. Ele fez cinco jogos, mas deu dois triunfos, dois empates e uma derrota. Foi o melhor aproveitamento da temporada, com 53,3%.

Quando, enfim, o Azulão encontrou um novo treinador, parecia que tudo estava caminhando bem. O jovem Vinícius Bergantin chegou e conseguiu fazer com que o time parasse de perder. No entanto, a classificação no Campeonato Alagoano não veio, tampouco na Copa Alagoas.

Bergantin durou um bom tempo, fez uma campanha ótima na Copa do Brasil, levando o CSA para a 3ª fase. Entretanto, a oscilação na Série C pesou para a diretoria. Bastou uma derrota e um empate para o técnico cair. O treinador deixou o time azulino com 21 confrontos, oito vitórias, oito empates e cinco derrotas. O aproveitamento bateu 50,7%.

Sem Bergantin, Marcelo Cabo foi o escolhido, mas nada do desempenho melhorar. Com apenas 10 jogos, o aproveitamento despencou e o ídolo azulino obteve apenas 36,6% de aproveitamento, com duas vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

Até o momento, não há qualquer definição sobre quem será o treinador do CSA em 2024. A saída de Cabo não foi comunicada, o que abre a possibilidade de ele ficar. Entretanto, a torcida precisará aguardar as definições da diretoria e o planejamento para 2024 deve iniciar somente em outubro.

Técnicos do CSA em 2023:

Roberto Fonseca: 8 jogos | 2 vitórias | 3 empates | 3 derrotas | 37,5% de aproveitamento

Bebeto Moraes: 5 jogos | 2 vitórias | 2 empates | 1 derrota | 53,3% de aproveitamento

Vinícius Bergantin: 21 jogos | 8 vitórias | 8 empates | 5 derrotas | 50,7% de aproveitamento

Marcelo Cabo: 10 jogos | 2 vitórias | 5 empates | 4 derrotas | 36,6% de aproveitamento

Arivaldo Maia com Guilherme Nobre – Redação da Gazetaweb