Conselheiro do CSA comenta cenário com possível renúncia de Rafael: “Tem de duas a três chapas para disputar a eleição”
   6 de setembro de 2023   │     9:00  │  0

Max Mendes disse que há articulação para disputa de eleição em caso de renúncia de Rafael Tenório — Foto: Arquivo Pessoal

Max Mendes disse que há articulação para disputa de eleição em caso de renúncia de Rafael Tenório — (Foto: Arquivo Pessoal)

Max Mendes critica postura do presidente-executivo: “Se vai sair, que seja antes dos 60 dias”.

Os bastidores políticos do CSA estão bastante agitados. Com a possível renúncia coletiva da atual diretoria, há uma articulação por parte de grupos para disputar a eleição, caso o presidente Rafael Tenório e os demais membros da executiva entreguem o cargo nos próximos dias.

Conselheiro do clube, Max Mendes conversou com o ge e comentou o cenário do clube.

– Antes de mais, gostaria de dizer que, a meu ver, tudo o que o Rafael Tenório solicitou do Conselho Deliberativo foi atendido. Foi assim, por exemplo, na eleição do Omar (Coêlho), foi com a eleição de sócios-torcedores para o quadro de conselheiros do clube, o que é um fato histórico porque você dá voz ao torcedor, foi assim agora na eleição do Christiano Beltrão para presidente do conselho, quando existia outro pré-candidato, mas os conselheiros entenderem que deveriam apoiar o Christiano, … Enfim, não vejo a oposição agindo como oposição para atrapalhar os rumos do clube.

Sobre prováveis candidatos ao cargo de presidente-executivo do CSA, Max afirmou que há interessados na disputa.

– Eu vejo mais de um grupo, dois ou, talvez, até três se articulando para disputar uma eleição do CSA. Mas é lógico que ninguém vai aparecer agora como candidato enquanto o presidente Rafael Tenório não tomar a decisão de se afastar, se esse for, de fato, o interesse dele. Ora, se ele pretende se afastar, por que esperar por 60 dias? – disse Max, acrescentando:

– Essa demora na definição dele só atrapalha o planejamento do CSA para a próxima temporada. Imagine se ele sai em 01 de novembro, será convocado um novo processo eleitoral, aberto prazo para inscrição de chapas, o prazo para a eleição em si e só depois é que o vencedor assume em cima da hora para montar todo planejamento. A crítica é construtiva, para o bem do clube. Se ele vai se afastar, acho que deve ser quanto antes.

O conselheiro fez uma avaliação das passagens de Rafael Tenório pela presidência do CSA.

– Em 2009, ele não teve êxito porque estava sozinho. Depois, voltou no finalzinho de 2015 e, junto ao Raimundo Tavares e outros azulinos, conseguimos diversas conquistas, como até mesmo aquela ascensão meteórica do clube da Série D para a A. A partir de 2019, houve um racha, o presidente preferiu se isolar e aconteceu justamente o que está acontecendo agora.

Max Mendes disse como vê o futuro do CSA mesmo diante de uma grave crise financeira.

– O CSA jamais vai ficar sozinho. Caso o presidente Rafael Tenório entregue o cargo, vão aparecer azulinos para fazer o clube sobreviver.

Arivaldo Maia com Denison Roma – Redação do ge – Alagoas