Rafael Tenório muda de planos e fala em renúncia coletiva da diretoria no CSA
   31 de agosto de 2023   │     9:09  │  0

Pressionado, presidente diz que pensa em deixar o cargo em novembro.

O CSA vive um período de instabilidade. Após o jogo contra o Botafogo-PB, dia 13 de agosto, o presidente Rafael Tenório detonou o time numa coletiva ainda no gramado do Estádio Rei Pelé e disse que iria renunciar. Um dia depois, de cabeça mais fria, explicou que agiu como torcedor e iria tirar uma licença de 30 dias.

Segunda-feira, em entrevista ao ge, Tenório informou que estava ainda licenciado, mas participava ativamente das decisões sobre o CSA.

Na última terça, no entanto, ele deu uma entrevista ao repórter Silas Emanuel, da TV Gazeta, e afirmou que vai organizar o clube para sair, ao lado de toda sua diretoria, no início de novembro. Procurado ontem também pelo ge, o presidente não atendeu às ligações.

Eleito por aclamação em fevereiro deste ano, Tenório reclama das cobranças de parte do Conselho Deliberativo, exigência de prestação de contas e disse que pretende deixar o clube para que outras pessoas possam tocar o CSA.

Enquanto isso, há um movimento político dentro do clube para buscar alternativas caso se confirme oficialmente a renúncia coletiva. Se toda a diretoria entregar o cargo em novembro, como falou Rafael, uma nova eleição precisa ser convocada pelo Conselho Deliberativo.

De imediato, no entanto, assumiria o presidente do Conselho Deliberativo, Christiano Beltrão, até que o que um novo presidente-executivo fosse eleito. Aconteceu justamente essa situação em dezembro do ano passado, quando Omar Coêlho entregou a carta de renúncia.

Mercado

O ge apurou que internamente há dificuldades da organização dos departamentos por causa dessa instabilidade política. Esses problemas prejudicaram, inclusive, a entrada do CSA no mercado para buscar jogadores em 2023.

De dezembro para cá, o clube teve quatro diretores de futebol, Herbson Paulino, Marquinhos Mossoró, Sidicley Menezes e Daniel Kaminski, o que atrapalhou muito o planejamento.

Presidente do Conselho Deliberativo do CSA, Christiano Beltrão aparece na linha sucessória da presidência executiva e ganhou um papel de relevância nesta semana. Após o presidente Rafael Tenório afirmar que a diretoria executiva vai renunciar em novembro, Beltrão conversou ontem com o ge e bancou a sua permanência no conselho.

– Do CSA, eu não saio nunca. Eu tenho mais três anos e meio pra cumprir, quem quiser sair que saia. O CSA não é uma opção. No CSA, o cara nasce, ama e morre com ele. Eu não abro mão do CSA para absolutamente nada. Pelo contrário, eu vou tentar unir e buscar alternativas e soluções para o CSA.

Vamos esperar, torcer e desejar que tudo termine bem.

Arivaldo Maia com Redação do ge – Alagoas