Com baixa procura, Conmebol oferece ingressos grátis para a final da Libertadores
   24 de outubro de 2022   │     23:00  │  0

Taça Libertadores – (Foto: Divulgação/Conmebol)

A Conmebol enfrenta um grande problema envolvendo a final da Copa Libertadores da América. Até o momento, pouco mais de 11 mil ingressos foram vendidos para o confronto entre Flamengo e Athletico-PR.

Com a baixa procura pelos bilhetes, a entidade Sul-Americana busca alternativas para encher o Estádio Monumental. Uma das formas encontradas pela Conmebol foi distribuir entradas gratuitas para sócios do Barcelona de Guayaquil.

Todos os sócios do clube equatoriano que adquirirem um ingresso para a decisão, receberão outro bilhete gratuitamente. Além disso, a entidade deve aumentar o numero de cortesias distribuídas para patrocinadores e influencers. A informação foi divulgada primeiramente pelo portal “GOAL”.

Para garantir os seus dois ingressos para a decisão, os sócios do Barcelona de Guayaquil precisam pagar 85 dólares (cerca de R$ 438, na cotação atual). Já os torcedores de Flamengo e Athletico-PR, finalistas da competição, precisam investir 142 dólares (aproximadamente R$ 733) por apenas um ingresso.

Flamengo e Athletico-PR se enfrentarão na decisão da Copa Libertadores da América, no dia 29 de outubro, às 17h (horário de Brasília), no Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil, no Equador. O Rubro-Negro carioca busca o seu terceiro título da competição continental, enquanto o Furacão busca o triunfo inédito.

CRISE NO EQUADOR AFASTA TORCIDA BRASILEIRA

Os protestos contra o governo de Guillermo Lasso começaram em 13 de junho e já deixaram ao menos quatro mortos em meio a violentos confrontos entre polícia e manifestantes.

Entre as principais reivindicações estão a diminuição no preço dos combustíveis e um maior investimento do governo em setores como saúde e educação.

Várias cidades do Equador estão isoladas em diversos pontos do país por causa do bloqueio de estradas, provocando o desabastecimento de alguns produtos.

Para muitos, a Conmebol deveria ter marcado a final da Libertadores em outro país. Guayaquil está no meio dessa revolta popular.

Arivaldo Maia e redacao@odia.com.br