Category Archives: Tênis

Brasil perde sua maior tenista: Esther Bueno morre aos 78 anos
   8 de junho de 2018   │     22:26  │  0

Resultado de imagem para Maria Esther Bueno, hoije

Maior tenista brasileira da história, morreu nesta sexta-feira Maria Esther Bueno, (foto acima/O DIA), vítima de um câncer na região da boca. Com 78 anos, a ex-tenista havia sido internada no último mês de maio no Hospital 9 de Julho, em São Paulo, em estado grave e acabou não resistindo.

A doença foi descoberta em 2017 e ela chegou a realizar um tratamento severo, do qual vinha se recuperando. No entanto, recentemente, Maria Esther começou a sentir dores novamente e os exames apontaram que o câncer voltou a se manifestar e teria se espalhado por outros órgãos do corpo.

Ela estava internada no Hospital Nove de Julho, na capital paulista. Esther não teve filhos. A morte foi confirmada pelo sobrinho de Maria Esther, Pedro Bueno. O velório acontece neste sábado, de 8h às 15h, no salão oval do palácio do governo de São Paulo.

Blog com Gazeta Press e Globo.com

Federação Francesa de Tênis homenageia Guga com documentário
   21 de março de 2017   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Guga na França

Guga fez sucesso na França e no Mundo ao vencer três vezes o importante torneio de Roland Garros (Foto: Glooboesporte)

A marca dos 20 anos do primeiro dos três títulos de Gustavo Kuerten em Roland Garros não vai passar em branco na França. Nas últimas semanas, equipe contratada pela Federação Francesa de Tênis acompanhou o ex-tenista em Florianópolis para a gravação de um documentário sobre a surpreendente conquista – até hoje Guga é o único a vencer um Grand Slam sem antes levantar um troféu de nível ATP.

O documentário, ainda sem título, vai contar um pouco sobre a trajetória do catarinense, desde a infância, a partir de entrevistas com sua mãe, Alice Kuerten, o irmão Rafael e o primeiro treinador, Carlinhos.

Nas gravações, Guga contou sobre o assombro que causou ao ser campeão em Paris, mesmo sendo apenas o número 66 do ranking, na época. A surpresa já faz parte da história da competição. Ele e os familiares revelam como não tinham ideia do que significava a conquista, a importância em nível mundial e a repercussão que teria no Brasil.

Em uma revelação que não consta na sua autobiografia, ele revela que aos 15 anos construiu junto com o técnico Larri Passos a quadra de saibro do Hotel Maria do Mar, em Florianópolis. Juntos, pregaram até as fitas de marcação no chão. Para Guga, a construção em parceria com Larri marcou uma espécie de “pacto” entre pupilo e treinador no começo da parceria que renderia ao tenista o tricampeonato em Paris e o topo do ranking ao catarinense.

O documentário será lançado pouco antes do início de Roland Garros, no fim de maio. Em Paris, Guga também será homenageado pelo Hall da Fama do tênis, do qual já é integrante desde 2012.

Blog com O Estado de São Paulo

Francesa ataca Sharapova: “Todos estão falando que ela é trapaceira”
   17 de março de 2016   │     0:04  │  0

Maria Sharapova é criticada por outras tenistas e até acusada de ser trapaceira (Foto: Divulgação)

Tenista número 29 do mundo, a francesa Kristina Mladenovic bateu forte em Maria Sharapova ao comentar o recente caso de doping da russa. Em entrevista ao jornal Guardian, a jogadora contou como as colegas estão tratando o assunto entre elas.

“Todas as outras jogadoras estão dizendo que ele é trapaceira. Você com certeza duvida e pensa se ela mereceu tudo que ganhou até hoje. É terrível, mas é bom que finalmente tenha aparecido”, disse Mladenovic.

Sharapova foi pega com o medicamento Meldonium, que é usado para melhorar o fluxo de sangue no corpo. Na prática, ele dá ao atleta mais disposição e capacidade de recuperação. Até o fim do ano passado, no entanto, ele não estava na lista de substância proibidas pela Wada (Agência Mundial de Controle Antidopagem). A russa admitiu que faz uso do Meldonium há dez anos e disse ter cometido um erro ao não checar a mudança de regra no começo de 2016.

“Se eu tomo uma aspirina eu preciso pensar dez vezes se eu realmente posso fazer isso. Ela vem tomando essa droga há dez anos e é uma droga séria. Ela jogou com as regras e pensou: ‘Se não está banida, eu posso usar’. Para mim é desapontador. Eu não gosto da mentalidade de ser a melhor usando as regras assim”, disse Mladenovic.

Além de Sharapova, outros 99 casos de uso de Meldonium foram identificados pela Wada no começo deste ano. Até agora, a agência só divulgou 16 nomes, sete deles da Rússia. Pela repercussão do caso, a tenista perdeu dois patrocinadores de peso: Porsche e Nike.

 

Blog com UOL Esporte

Após doping, Sharapova é suspensa de cargo na ONU
   15 de março de 2016   │     23:26  │  0

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou a suspensão de Maria Sharapova do cargo de embaixadora da entidade por tempo indeterminado após nove anos de serviços prestados. A função da tenista era ajudar na erradicação da pobreza no Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas.

Sharapova revelou no último dia 7 de março que acabou sendo flagrada em um exame antidoping por ter usado a substância Meldonium, responsável por melhorar a circulação sanguínea em seres humanos. A tenista afirmou que usava um medicamento que continha essa substância para prevenir problemas cardíacos e controlar um início de diabetes.

“O PNUD continua grato a Maria Sharapova pelo apoio ao nosso trabalho, especialmente em torno da recuperação do desastre nuclear de Chernobyl. No entanto, após o anúncio de Sharapova, ela estará suspensa do cargo de embaixadora durante o prosseguimento da investigação”, comunicou a ONU através de um porta-voz.

A Agência Mundial Antidoping anunciou que o Meldonium passaria a integrar a lista de substâncias proibidas a partir de janeiro de 2016. No entanto, Sharapova usou a justificativa de que não havia sido informada para que ela pudesse cortar o medicamento. Caso seja provado que a russa ingeria o Meldonium realmente por conta de problemas de saúde, sua punição poderá ser reduzida pela Federação Internacional de Tênis.

Blog com Jornal do Brasil

Tenista brasileiro é campeão em duplas no Canadá e leva R$ 190 mil
   12 de agosto de 2013   │     0:02  │  0

Alexander Peya e Bruno Soares (à dir.) se abraçam após a conquista do título do Masters 1000 de Montréal, no Canadá

Alexander Peya e Bruno Soares (à dir.) se abraçam após a conquista do título do Masters 1000 de Montréal, no Canadá

O tenista brasileiro Bruno Soares, 31, e o austríaco Alexander Peya, 33, dupla número 2 do mundo, conquistou o título do Masters 1000 de Montréal, no Canadá, na tarde de ontem.

Os dois derrotaram os britânicos Andy Murray e Colin Fleming por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (7-4).

Além de 1000 pontos no ranking mundial, Soares e Peya faturou um prêmio de US$ 169.500, o que representa R$ 190 mil para cada um dos tenistas.

Este foi o primeiro título deste porte da dupla do mineiro. O Masters 1000 só perde em importância (pontuação e premiação) para os Grand Slams.

“Foi a nossa segunda final de um torneio Masters. Foi disputado em condições duras, com rivais difíceis, mas nós jogamos uma partida sólida”, afirmou Soares. Este foi o quarto título da dupla na temporada. São Paulo, Barcelona e Eastbourne foram os primeiros.