Category Archives: Série B

Papel do presidente Sergio Frota na campanha do Sampaio Corrêa ganha destaque na imprensa
   12 de novembro de 2022   │     21:00  │  0

 

 

Em edição mais recente, o Jornal Pequeno, de São Luís, destacou em suas colunas a campanha do Sampaio Corrêa na Série B, e frisou o papel do presidente Sergio Frota na temporada positiva da Bolívia Querida.

A campanha do Sampaio Corrêa na Série B e o fator Sergio Frota

Foi por pouco. Em sua melhor participação no Campeonato Brasileiro da Série B, neste atual modelo de pontos corridos, o Sampaio Corrêa terminou a competição em quinto lugar, e ficou muito perto de conseguir o acesso.

Na opinião de muitos cronistas e comentaristas esportivos, a Bolívia Querida teve um desempenho em campo superior a Vasco e Bahia, equipes que subiram para a Série A, ao lado de Cruzeiro e Grêmio. No entanto, outros fatores inviabilizaram o acesso da equipe maranhense, que deixou o seu torcedor muito orgulhoso por toda a campanha.

Dizem que quando a análise descamba para o terreno da arbitragem, é preciso enxugar as lágrimas e engolir o choro. Mas é impossível, para quem acompanhou de perto toda a Série B, não admitir o quanto o Sampaio foi prejudicado ao longo da competição.

Erros são naturais, acontecem jogo após jogo, e um dia a equipe que foi prejudicada no outro será beneficiada. Natural, porém, o apito subtraiu, de forma acintosa, até, pelo menos 8 pontos da Bolívia. Pontuação que garantiria o time Tricolor na elite do futebol brasileiro em 2023.

Lamentos à parte, é preciso aplaudir a trajetória do Sampaio nesta Série B e reconhecer o papel decisivo do presidente Sergio Frota nessa já histórica campanha boliviana. Com escassos patrocínios e falta de apoio, tanto da iniciativa pública quanto privada, Frota conseguiu montar um grupo competitivo, com o menor orçamento da competição, e chegou na frente de clubes que possuem investimentos muito superior, a exemplo de Sport, Criciúma, Chapecoense, Ponte Preta, Guarani, Náutico e CSA, esses dois últimos rebaixados para a terceira divisão.

Em uma terra como o Maranhão, onde fazer futebol é um desafio descomunal, a quinta colocação em um campeonato brasileiro é para ser aplaudida de pé. Não é um milagre. Trata-se de gestão, planejamento e liderança de grupo, tudo isso aliado a uma comissão técnica competente e uma diretoria que não acompanha o seu presidente por acaso. Todos sabem exatamente o que é vestir a camisa do Sampaio Corrêa.

Que a campanha do Sampaio sirva de inspiração e motive incentivos, apoios e visão de futuro para quem pensa o futebol no estado. Afinal, vislumbrar a Bolívia Querida na Série A iria potencializar toda uma cadeia produtiva, desde o comércio local até o setor do turismo, com a possibilidade de se contar, praticamente toda semana, com o desfile de grandes equipes por terras maranhenses.

O retorno que tal feito representa é algo de proporções inimagináveis, e não pode ficar apenas em divagações. Sergio Frota já provou que é possível, e com os devidos incentivos, em 2023, ano do centenário da Bolívia Querida, esse sonho pode se tornar realidade.

NOTA DO BLOG

Em nome do Blog do Arivaldo Maia, um dos mais acessados em Alagoas, via Gazetaweb, nada mais resta do que festejar o excelente desempanho do Bolívia Querida, um dos grandes desta banda do Brasil. Parabéns!

Texto: Arivaldo Maia e Agência Futebol Interioir

 

Série B: Ataque do Novorizontino foi o quinto mais eficiente com 44 gols
   10 de novembro de 2022   │     17:00  │  0

O Grêmio Novorizontino encerrou sua inédita participação no Campeonato Brasileiro da Série B, conseguindo se manter na edição do ano que vem, ao terminar a competição no 16º lugar, com 44 pontos.

O clube de Novo Horizonte, contando com três técnicos – Allan Aal, Rafael Guanaes e Mazola Júnior – durante o campeonato, conquistou 11 vitórias e 11 empates, sendo derrotado 16 vezes. Marcou 44 gols e sofreu 49, tendo, portanto, saldo negativo de 5 gols.

ALLAN AAL: 3 VITÓRIAS, 5 EMPATES E 5 DERROTAS

Sob o comando de Allan Aal, nas 13 primeiras rodadas, o Tigre conquistou três vitórias (duas em casa: 3×1-CRB-AL e 2×1-Ituano; e uma fora: 0x1-Ponte Preta) e cinco empates (dois em casa e sem gols, com Sport e Sampaio Corrêa; e três fora: sem gols com Vila Nova e por 1 a 1 com Londrina e Criciúma), sofrendo 5 derrotas (3 em casa: 0x3-Chapecoense, 1×2-Guarani e 1×3-Tombense; e duas fora: CSA-2×1 e Grêmio de Porto Alegre-2×0). Marcou 12 gols e sofreu 16.

RAFAEL GUANAES: 5 VITÓRIAS, 4 EMPATES E 6 DERROTAS

Com Rafael Guanaes, que assumiu na 14.a rodada, foram 15 jogos, com 15 jogos, com cinco vitórias (quatro em casa: 2×0-Vasco, 1×0-Brusque, 2×1-Operário e 3×1-Criciúma; e uma fora: 0x1-Bahia) e quatro empates (três em casa, todos por 1 a 1 com Vila Nova, Ponte Preta e CSA; e um fora (Chaecoense-2×2), sofrendo, portanto, 6 derrotas (uma em casa; 0x1-Londrina; e cinco fora: Náutico-3×1, Cruzeiro-2×1, CRB-2×1, Ituano-1×0 e Sport-1×0). Marcou 16 gols e sofreu 17.

MAZOLA JÚNIOR: 3 VITÓRIAS, 2 EMPATES E 5 DERROTAS

E, nos dez jogos com Mazola Júnior, conquistou três vitórias (duas em casa: 2×0-Grêmio de Porto Alegre e 6×0-Naútico; e uma fora: Operário-0x3) e dois empates (um em casa: 1×1-Bahia; e um fora: Brusque-2×2), sofrendo, portanto, 5 derrotas (uma em casa: 1×4-Cruzeiro; e quatro fora: Sampaio Corrêa-2×1, Guarani-2×0, Tombense-2×0 e Vasco-3×0. Marcou 16 gols e sofreu 16.

5º MELHOR ATAQUE, COM 44 GOLS

Os seus 44 gols, que deram ao Tigre o 5.o ataque mais eficiente do campeonato, foram assinalados por Ronaldo (9), Douglas Baggio (8), Jhony Douglas (3), Diego Torres (3), Quirino (3), Gustavo Bochecha (2), Danielzinho (2), Hélio Borges (2), Ronald (2), Cléo Silva (2), e Rômulo, Lucas Tocantins, Bruno Costa, Léo Baiano, Ligger, Wellinton e Paulinho (um cada um), além do contra de Igor Mendonça do CRB.

O 3º COLOCADO BAHIA, MARCOU 43 GOLS

O melhor ataque foi o do campeão Cruzeiro: 57 gols. O vice-campeão Grêmio de Porto Alegre vem 2.o lugar, com 50 gols marcados.

Respectivamente em 3º e 4º lugares, com 48 gols, aparecem o 4º colocado Vasco e 5º colocado Sampaio Corrêa. O Bahia, que conquistou o acesso com o 3.o lugar na classificação geral, teve os mesmos 43 gols do 8.o colocado Criciúma.

Arivaldo Maia com Agência Futebol Inteiror

STJD pune Sport com perda de ponto do jogo contra o Vasco, na Ilha do Retiro, e cruz-maltino termina em terceiro na Série B
     │     3:00  │  0

 

 

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu o Sport com a perda do ponto da partida contra o Vasco, pela 35ª rodada da Série B. Na ocasião, parte da torcida pernambucana invadiu o gramado da Ilha do Retiro após o gol de empate dos cariocas nos acréscimos e o árbitro Raphael Claus encerrou a partida por falta de segurança.

O clube de Recife também foi punido com a perda de dois mandos de campo (jogos com portões fechados sem venda de ingressos) e multado em R$ 50 mil.

Assim, o cruz-maltino fica com os três pontos do jogo, soma 64 e termina a Série B em terceiro lugar à frente do Bahia.

O julgamento realizado ontem, e que foi adiado para depois do fim da segunda divisão, durou mais de seis horas.

O Sport foi denunciado em três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (205, 211 e 213) e também nos artigos 19 e 20 do Regulamento Geral de Competições da CBF.

Os jogadores do Vasco Raniel e Luiz Henrique foram condenados no artigo 258 A, por provocarem a torcida adversária durante a comemoração do gol de Raniel, e foram suspensos por duas partidas. Eles já cumpriram suspensão preventiva nos jogos contra o Criciúma e o Sampaio Corrêa.

Já o Vasco, incluído no artigo 257 (“participar de rixa, conflito ou tumulto”), foi absolvido. Por unanimidade, a comissão julgou a denúncia improcedente e absolveu o clube.

O goleiro Carlos Eduardo, do Sport, pegou quatro partidas de suspensão por agressão contra o massagista do Vasco. O vice-presidente do Sport Augusto Carreras não foi punido.

Já o goleiro reserva Halls, que correu atrás de um atleta do Sport e o agrediu, foi denunciado no artigo 254-A do CBJD, que fala em “praticar agressão física durante a partida”. Por isso, o tribunal votou pela pena mínima prevista no artigo, que é a suspensão de quatro partidas.

Arivaldo Maia com Redação do EXTRA

Brock promete Cruzeiro motivado contra o CSA e revela último desejo na Série B
   6 de novembro de 2022   │     13:30  │  0

Zagueiro será o responsável por erguer a taça da Série B, inédita para a equipe estrelada - (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Zagueiro será o responsável por erguer a taça da Série B, inédita para a equipe estrelada – (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Foto: Lance!

Time celeste enfrenta a equipe alagoana na noite de hoje pelo último jogo da temporada.

Capitão do Cruzeiro, o zagueiro Eduardo Brock será o responsável por erguer a taça da Série B, logo mais. No entanto, em entrevista coletiva na Toca da Raposa, nesta sexta-feira, o jogador revelou um último desejo antes de se despedir da competição.

– A principal importância é de o Cruzeiro fazer um grande jogo, para finalizar todo o trabalho que foi feito no ano, para coroar todos os jogos que a gente fez no Mineirão, para dar esse presente para a torcida também, de erguer o troféu com uma vitória, com todo mundo pulando, festejando – declarou.

Para que isso aconteça, Brock prometeu uma equipe motivada, e que vá buscar o resultado. O Cruzeiro já não tem muitas pretensões na Série B desde que confirmou matematicamente o título, com seis rodadas de antecedência.

– Sempre temos uma responsabilidade muito grande em vestir essa camisa, principalmente quando se joga no Mineirão lotado, e quando se vai levantar um troféu após o jogo. Pode ter certeza que o Cruzeiro não vai entrar nervoso, pressionado, mas será o Cruzeiro que jogou o campeonato com um futebol bonito durante a competição – afirmou o zagueiro estrelado.

Além do mais, a Raposa pode decretar o rebaixamento do CSA à Terceira Divisão Nacional. Vale lembrar que o time alagoano foi um dos grandes algozes do Cruzeiro durante as três temporadas as quais a equipe mineira esteve na Série B.

Arivaldo Maia com Redação do Lance!

Os caminhos: como Vasco e Ituano podem buscar o gol para subir à Série A
     │     5:00  │  0

Como Vasco e Ituano podem buscar o gol para subir à Série A.Como Vasco e Ituano podem buscar o gol para subir à Série A – (Foto: Daniel Ramalho / Vasco)

Poucos jogos se desenharam com tamanha importância para o Vasco como o de hoje. O cruz-maltino visitará o Ituano precisando pontuar para voltar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro. O empate vale vaga na Série A, enquanto os donos casa precisam vencer.

A notícia ruim para o torcedor cruz-maltino é que o Ituano é uma equipe que tem levado poucos gols. Desde a estreia do técnico Jorginho estreou no Vasco, em 12 de setembro, o time carioca sofreu 14 gols em nove jogos. É o mesmo número de gols que os paulistas sofreram durante as 18 rodadas do segundo turno até aqui. Ou seja, de um lado há problemas defensivos, do outro, solidez.

A boa notícia é que existem caminhos visíveis a serem explorados pelos vascaínos. Por exemplo, o Ituano se notabiliza como um clube que sofre muitos gols no terço final de suas partidas, seja por questões técnicas, físicas ou simplesmente por apagões de seu sistema defensivo. Dos 14 gols sofridos pelos paulistas neste segundo turno, nove aconteceram nos 30 minutos finais de partida — cerca de 64% do total.

O técnico Jorginho tem algumas armas no banco de reservas, justamente para tentar mudar o panorama das partidas no segundo tempo. As duas principais são Gabriel Pec e Alex Teixeira. O garoto da base brilhou na vitória sobre o Criciúma, participando dos dois gols. Alex Teixeira, contra o Operário, fora de casa, fez dois gols salvadores, que deram os três pontos ao time.

Pressão do Ituano
Os cariocas costumam ter maiores dificuldades no começo das partidas. No segundo turno, a equipe sofreu 26 gols, 11 deles nos primeiros 30 minutos de jogo. Não será surpresa alguma se o Ituano, atrás da vitória, preparar uma estratégia de abafa no começo, jogando em casa, com o apoio da torcida. Será a chance de Aylon, artilheiro da equipe paulista, se destacar.

Fica difícil explorar as fraquezas atuais do Vasco e não destacar a má fase vivida pelo goleiro Thiago Rodrigues, que também é confirmada pelos números. Dos 26 gols sofridos pelo cruz-maltino neste segundo turno, 13 entraram no mesmo canto: o inferior direito do goleiro. Muitos deles em falhas ou através de rebotes, o que pode mostrar um problema do titular.

É possível também falar de erros coletivos. Por ser uma equipe grande na Série B, o Vasco tende a jogar mais no campo adversário e, por conta disso, sofrer muitos gols de contra-ataque — foram quatro no total, o mesmo número de falhas de Thiago Rodrigues até aqui.

O lado positivo para o time, e o torcedor, é o que o Vasco volta à Série A mesmo com um empate. Não haverá necessidade de se expor tanto em Itu.

Arivaldo Maia com Redação do EXTRA