Category Archives: Série A

Sport e Flamengo ficam no empate por 1 a 1 no Brasileirão
   3 de dezembro de 2021   │     23:02  │  0

Sport e Flamengo fizeram jogo equilibrado na Arena Pernambuco – (Foto: /ESTADÃO CONTEÚDO)

O Sport recebeu o Flamengo na noite desta sexta-feira, 3, na Arena de Pernambuco, e empatou em 1 a 1. Já rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, os donos da casa fizeram um jogo equilibrado com o rubro-negro, com muitas chances de gol para todos os lados.

Quem abriu o placar foram os visitantes, com Michael aos 40 minutos. O camisa 19 recebeu apareceu livre de marcação na área e chutou no cantinho de Mailson. No segundo tempo, aos seis minutos, Gustavo ganhou disputa com Rodrigo Caio e empatou a partida.

Um pênalti foi marcado para o Flamengo aos 10 minutos, mas Vuaden anulou por considerar simulação. O Flamengo, sem contar com vários titulares, ainda tentou três vezes ampliar o placar, mas não conseguiu.

Na próxima segunda-feira, o Flamengo enfrenta o Santos às 20h (horário de Brasília) e o Sport viaja para jogar contra a Chapecoense, às 21h.

Blog com Jovem Pan

Atlético vence Bahia e é campeão brasileiro após 50 anos
     │     12:00  │  0

Bahia e Atlético-MG se enfrentaram na Arena Fonte Nova

Atlético-MG vence o Bahia na Arena Fonte Nova e é o novo campeão do Brasil – (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Time do técnico Cuca sai atrás, mas marca com Hulk de pênalti e Keno duas vezes para soltar o grito entalado na garganta.

Acabou o sofrimento do torcedor do Atlético-MG no Brasileirão. Após 49 anos, 11 meses e 14 dias, a taça nacional mais uma vez vai para o lado preto e branco de Belo Horizonte. Depois de sair com dois gols de desvantagem em Salvador, os comandados de Cuca buscaram virada incrível para 3 a 2 sobre o Bahia, em cinco minutos, para soltar o grito de “campeão.”

O jogo atrasado da rodada 32 teve como herói o atacante Keno, melhor jogador do Atlético-MG em bela campanha na temporada passada, na qual perdeu fôlego após liderar muitas rodadas e acabar em terceiro. O jogador fez o gol de empate e o da virada após pedir calma para todo time quando o placar era 2 a 0 contra. Hulk, artilheiro do Brasileirão, iniciou a reação com cobrança de pênalti precisa. Agora são 18 gols na atual edição.

Depois de chorar com os vices de 1977, 80, 99, 2012 e 2015, o torcedor do Atlético-MG finalmente festejou o fim da sina de bater na trave no Brasileirão. Campeão da primeiro edição da competição, com gol do ídolo Dadá Maravilha em final contra o Botafogo em 1971, o time Mineirão festeja a segunda taça com show e gol de seus atacantes mais uma vez.

Após assumir a liderança na rodada 15, o Atlético-MG não mais deixou a ponta escapar e fez a festa com duas rodadas de antecedência.
Disposto a definir logo o título, o Atlético-MG iniciou alugando o campo ofensivo. E foi logo colocando Danilo Fernandes para trabalhar, com dois chutes perigosos de Keno em menos de 15 minutos. Nacho também seria parado por um gigante goleiro baiano.

Mesmo necessitando da vitória para deixar a zona de rebaixamento e com grande apoio da torcida, o Bahia não saía da defesa. Receoso de perder e se complicar ainda mais, chegou mais nós cruzamentos, sem levar perigo.

Apesar de os dois times terem motivos de sobras para ganhar, o empate prevaleceu em uma primeira etapa melhor disputada pelo líder, refletindo a situação de ambos na tabela. O Atlético saiu lamentando a falta de pontaria e o Bahia reverenciando seu goleiro.

O segundo tempo começou muito melhor, com emoção e em alta velocidade. Depois de apenas se defender, o Bahia voltou com mais coragem e teve duas boas chegadas com Gilberto. Uma sem conclusão e outra com Everson segurando firme.

Depois de chorar com os vices de 1977, 80, 99, 2012 e 2015, o torcedor do Atlético-MG finalmente festejou o fim da sina de bater na trave no Brasileirão. Campeão da primeiro edição da competição, com gol do ídolo Dadá Maravilha em final contra o Botafogo em 1971, o time Mineirão festeja a segunda taça com show e gol de seus atacantes mais uma vez.

Após assumir a liderança na rodada 15, o Atlético-MG não mais deixou a ponta escapar e fez a festa com duas rodadas de antecedência.
Disposto a definir logo o título, o Atlético-MG iniciou alugando o campo ofensivo. E foi logo colocando Danilo Fernandes para trabalhar, com dois chutes perigosos de Keno em menos de 15 minutos. Nacho também seria parado por um gigante goleiro baiano.

Mesmo necessitando da vitória para deixar a zona de rebaixamento e com grande apoio da torcida, o Bahia não saía da defesa. Receoso de perder e se complicar ainda mais, chegou mais nós cruzamentos, sem levar perigo.

Apesar de os dois times terem motivos de sobras para ganhar, o empate prevaleceu em uma primeira etapa melhor disputada pelo líder, refletindo a situação de ambos na tabela. O Atlético saiu lamentando a falta de pontaria e o Bahia reverenciando seu goleiro.

O segundo tempo começou muito melhor, com emoção e em alta velocidade. Depois de apenas se defender, o Bahia voltou com mais coragem e teve duas boas chegadas com Gilberto. Uma sem conclusão e outra com Everson segurando firme.

Restando 25 minutos, o Bahia tinha vantagem imensa. Cuca, com cara de preocupado, não pensou duas vezes e foi logo mexendo na equipe. A troca deu resultado imediato com seus escolhidos. Nathan tocou para Eduardo Sasha sofrer pênalti de Luiz Otávio.

Hulk ajeitou a bola com carinho e deslocou Danilo Fernandes, anotando seu 18° gol na competição. Um minuto depois, Keno recebeu, cortou a marcação e bateu para empatar, calando a Fonte Nova. Cuca vibrava de um lado e Guto Ferreira pedia calma do outro.

O treinador do Bahia mexeu para tentar buscar novamente a vitória e viu Keno receber de Nathan para novo chutaço e uma incrível virada em cinco minutos. Cuca fechou a “casinha” com mais um defensor e contou com boas defesas de Everson para acabar com o mais longo jejum de títulos de um grande no Brasileirão. Uma festa linda e de quem mais mereceu.

Blog com Estadão

É campeão! Atlético-MG vira sobre Bahia e conquista o título do Campeonato Brasileiro
   2 de dezembro de 2021   │     22:00  │  0

Hulk, do Atlético-MGHulk, do Atlético-MG – (Foto Divulgação)

Virada inesquecível! O Atlético-MG é campeão brasileiro em 2021 com uma vitória de tirar o fôlego: após ver o Bahia abrir 2 a 0 nesta quinta-feira, na Fonte Nova, o Galo virou em 5 minutos e conquistou matematicamente o troféu. Os gols foram marcados por Hulk, de pênalti, e Keno, duas vezes.

O título não serviu apenas para dar fim à seca de 50 anos sem títulos do Campeonato Brasileiro, mas também para encerrar um incômodo tabu: entre os campeões da Série A, o Galo era a equipe que tinha o maior jejum do futebol brasileiro. Mas agora esse bastão tem um novo dono: o Guarani.

O Bugre está a 43 anos na seca, tendo conquistado o Brasileiro em 1978, quando venceu o Palmeiras por 1 a 0, em Campinas. Até então, o único título do Galo no Campeonato Brasileiro ocorreu em 1971, com protagonismo do ídolo Dadá Maravilha. Desde então, o clube mineiro foi vice em cinco oportunidades (1977, 1980, 1999, 2012 e 2015)

Entre os times da Série A já campeões, o maior jejum é do Internacional, que, apesar de ser tricampeão brasileiro, já não conquista a taça há 42 anos. Na penúltima edição, o time gaúcho perdeu a liderança na penúltima rodada, diante do Flamengo, que viria a se sagrar bicampeão.

O último título do Colorado no Brasileirão veio em 1979, com o tricampeonato conquistado pela lendária equipe liderada pelo craque Falcão. Ao longo destes quase 42 anos, o clube gaúcho terminou o nacional em segundo diversas vezes, igualando o Santos no recorde de vices no Brasileirão, cada um com oito.

Um pouco mais atrás aparece o Coritiba, que venceu seu único título nacional no ano de 1985, quando derrotou o Bangu em um Maracanã lotado. Depois disso, o Coxa nunca mais conseguiu aparecer entre os quatro melhores da competição e colecionou alguns rebaixamentos.

Blog com EXTRA

 

 

É hoje: Bahia x Atlético/MG – veja onde assistir, escalações, desfalques e arbitragem
     │     12:00  │  0

Bahia e Atlético-MG se enfrentam nesta quinta-feira, às 18h (horário de Brasília). De um lado, o Tricolor lutando para sair da zona de rebaixamento. Do outro, o Galo precisando vencer para confirmar o título brasileiro. A partida corresponde a um jogo atrasado da 32ª rodada.

O Bahia chega para o jogo em um momento delicado na tabela. Com apenas uma vitória nos últimos cinco jogos, a equipe está na zona de rebaixamento e precisa vencer para se manter vivo na luta pela permanência na Série A. O Esquadrão aparece na 17ª posição, com 40 pontos, dois a menos que o Athletico-PR, primeira equipe fora do Z-4.

O Atlético-MG tem a primeira chance de ser campeão dependendo apenas de si. Na terça, poderia ter erguido a taça “do sofá”, mas o Flamengo não tropeçou contra o Ceará. Nesta quinta, o Galo precisa de uma vitória para confirmar a conquista do bicampeonato.

O time comandado por Cuca tem 78 pontos, oito a mais que o rival carioca. Só no returno foram 36 pontos ganhos, igualando 2020, quando o Alvinegro teve sua melhor campanha na segunda metade do torneio com 20 equipes.

Bahia – Técnico: Guto Ferreira

O técnico Guto Ferreira não vai contar com o lateral-esquerdo Juninho Capixaba, que foi expulso diante do Atlético-GO. A tendência é que Rossi assuma a posição do jogador, que vinha atuando no setor ofensivo; na zaga, Luiz Otávio, que se recuperou de pontos que levou na cabeça após sofrer um choque, pode retornar. O restante do time deve ter a base que vinha sendo utilizada.

Time provável: Danilo Fernandes; Nino, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick de Lucca, Mugni e Rodriguinho; Rossi, Raí e Gilberto.

Pendurados: Conti, Daniel, Danilo Fernandes, Lucas Araújo, Lucas Mugni, Ramirez, Rodallega e Rodriguinho.

Quem está fora: Juninho Capixaba (suspenso); Jonas (lesão); Isnaldo, Matheus Teixeira e Marcelo Cirino (transição).

Atlético-MG – Técnico: Cuca

A equipe titular terá três mudanças. Suspensos, Allan, Jair e Diego Costa ficaram fora da viagem a Salvador. Dois substitutos são certos: Tchê Tchê e Nacho Fernández. A dúvida fica entre Eduardo Vargas e Alan Franco. Se a opção for pelo chileno, Zaracho recuará um pouco, jogando mais próximo de Tchê Tchê. Se Franco for o escolhido, Hulk voltará a jogar na função de camisa 9, com Zaracho pela direita do setor ofensivo.

Time provável: Everson; Mariano, Nathan Silva, Junior Alonso e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Zaracho e Nacho Fernández; Keno, Hulk e Vargas (Alan Franco).
Pendurados: Cuca, Eduardo Sasha, Guga, Hulk, Junior Alonso, Keno e Mariano

Quem está fora: Réver (lesionado); Allan, Jair e Diego Costa (suspensos); Savarino e Dylan (motivos não informados pelo clube).

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)

Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Alex Ang Ribeiro (SP)

Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Blog com Redação do ge — Salvador

No primeiro jogo pós-vice da Libertadores, Flamengo reage e bate Ceará merecidamente
   30 de novembro de 2021   │     22:22  │  0

Matheuzinho comemora o gol do Flamengo contra o Ceará

Matheuzinho comemora o gol do Flamengo contra o Ceará (Foto: André Durão)

Gabigol e Matheuzinho marcam os gols rubro-negros; Rick desconta para o Vôzão.

FLAMENGO É MELHOR E VENCE

No primeiro jogo após a dura derrota para o Palmeiras na final da Libertadores, o Flamengo reagiu rapidamente. Foi melhor e venceu merecidamente o Ceará por 2 a 1 nesta terça-feira, no Maracanã. Dessa forma, o time dirigido por Maurício Souza segue com remotas chances de ser campeão.

Os donos da casa buscaram o resultado desde os primeiros minutos com muita disposição. Gabigol abriu o placar logo aos dois e poderia ter feito outros três na etapa.

No segundo tempo, o Rubro-Negro não foi tão predominante desde o princípio, mas seguiu superior. O Ceará chegou a empatar com Rick, mas a igualdade não perdurou por muito tempo no marcador. Matheuzinho, numa bomba, desempatou e vibrou muito com o gol da vitória.

Flamengo morde desde o início

Apesar da derrota na final da Libertadores, o Flamengo, apoiado pela torcida, mostrou que queria jogo desde o princípio. De tanto morder, abriu o placar logo aos dois minutos, numa jogada que ilustrou o espírito rubro-negro. Diego desarmou Fabinho no campo de ataque, e Gabigol não perdoou.

Na sequência, o Flamengo seguiu dominante em campo, buscando o ataque o tempo todo. Teve um gol de Bruno Henrique acertadamente anulado, e Gabigol passou perto de marcar em outras três oportunidades. O Ceará só teve uma boa chegada, com Mendoza.

Ceará empata, mas vitória justa vem

Ao longo da etapa complementar, Tiago Nunes fez mexidas, e Rick, um dos colocados pelo treinador no segundo tempo, criou a jogada do gol que ele mesmo marcou. Na entrada da área tocou em Yony, que bateu. Rick pegou o rebote e empatou.

Mas, com tanto volume de jogo e apoio irrestrito da torcida, o Flamengo parecia decidido a vencer. No final, Michael, um dos jogadores mais regulares do time na temporada, teve paciência para segurar a bola e cruzar para a área. BH desviou, e Matheuzinho marcou o gol da vitória.

AGENDA

O Flamengo joga na próxima sexta-feira, às 20h, contra o Sport, no Recife. O Ceará volta a campo no próximo domingo, às 19h (de Brasília), quando pega o América-MG em casa.

Blog com Redação do ge – Rio de Janeiro