Category Archives: Seleções

Gabriel Jesus “colhe” informações do Manchester City com Fernandinho na Seleção
   10 de outubro de 2016   │     0:04  │  0

Gabriel Jesus Seleção Brasileira (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Gabriel Jesus é um dos destaques da seleção brasileira comandada por Tite (Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Em entrevista coletiva neste fim de semana,  logo após o treinamento da Seleção em Natal, o atacante falou sobre a futura parceria com o volante no clube comandado pelo espanhol Josep Guardiola.

– Quanto mais conhecimento eu tiver da cidade, do clube e de tudo por lá, fica mais fácil para a minha chegada. Procuro sempre perguntar o que tenho de curiosidade e o que pode ser importante para mim. Vai ser um choque, é normal – disse o atacante.

Mais cedo, Philippe Coutinho falou sobre o que esperar de Gabriel Jesus no Campeonato Inglês. O meia do Liverpool vê o companheiro de seleção brasileira, futuro rival na Europa, pronto para começar a sua carreira na Inglaterra.

– Ele é um craque, não vai te dificuldade nenhuma de se adaptar. É um jogador ágil, forte e rápido. Tudo o que se exige na Inglaterra ele tem. Tenho certeza que vai chegar muito bem – afirmou o meia.

Companheiros de Neymar e Coutinho no Mundial Sub-17 de 2009. Onde estão?
   9 de outubro de 2016   │     0:02  │  0

Protagonistas da Seleção contra a Bolívia, Neymar e Philippe Coutinho jogam juntos com a amarelinha desde os 15 anos, mas não fizeram sucesso sempre. A primeira competição internacional da dupla foi o Mundial Sub-17 de 2009, na Nigéria, em que o Brasil foi eliminado na primeira fase após vencer o Japão por 3 a 2 na estreia e ser derrotado por México e Suíça (ambos por 1 a 0).

Aquele time, que saiu do torneio debaixo de várias críticas, revelou vários jogadores que hoje fazem sucesso em grandes clubes. E, além de Neymar e Coutinho, tem Casemiro e Alisson como titulares da Seleção principal. Confira o destino de cada um.

Alisson (goleiro): goleiro titular, falhou no gol da derrota por 1 a 0 para a Suíça que eliminou o Brasil. Mas se recuperou, ganhou a posição de titular no Inter e rumou para a Europa. Atualmente está no Roma e é titular da Seleção brasileira.

Crystian (lateral-direito): revelado no Santos, chegou a ter chances nos profissionais, mas não se firmou. Passou por Boa Esporte, Paulista, Paraná, Paysandu e Penapolense, clube que defende atualmente.

Gerson (zagueiro): capitão do time, Gerson era elogiado pelo potencial que mostrava em campo, mas no Grêmio, clube que ele defendia, sempre houve dúvidas em relação ao sucesso dele por causa da altura (tem 1,77m). Não se firmou e passou, depois, por Oeste, RB Brasil e Atenas-URU. Em 2016, assinou com o Mumbai City, da Índia.

Romário Leiria (zagueiro): canhoto, Romário Leiria era do Internacional e tinha muito cartaz na base. Foi também campeão mundial sub-20 em 2011, mas não se firmou no Colorado. Passou por Náutico, Paysandu e Novo Hamburgo e agora tenta a sorte no Marítimo, de Portugal.

Dodô (lateral-esquerdo): o então lateral do Corinthians surgia como uma das principais promessas da equipe. Teve poucas chances no time principal, mas, após boa passagem pelo Bahia, foi para o Roma. De lá, para o Internazionale, e agora para o Sampdoria.

Casemiro (volante): ainda chamado de Carlão em 2009, Casemiro atuava mais adiantado do que hoje, como um segundo volante, e chegava bem para finalizar de fora da área. No ano seguinte, estreou pelos profissionais do São Paulo, e de lá foi para o Real Madrid, onde é titular absoluto desde a chegada de Zinedine Zidane ao comando técnico. É também absolutou na Seleção, mas ficou fora do jogo contra a Bolívia por lesão.

Guilherme Batata (volante): autor de um dos gols da vitória por 3 a 2 sobre o Japão na estreia, Guilherme Batata era um volante que aliava boa marcação e qualidade no chute de longe. Mas jamais se firmou no Furacão, e rodou emprestado por vários clubes. O último foi o Luverdense, em 2016.

Wellington Nem (meia): meia de origem, Wellington Nem fez parte de uma tentativa de Lucho Nizzo de deixar a equipe mais ofensiva na competição, e chegou a atuar como segundo volante. Não foi bem, mas deu a volta por cima e acabou vingando nos profissionais como atacante, pelo lado do campo. Foi titular do Fluminense campeão brasileiro de 2012 e hoje está no Shakhtar Donetsk.

Zezinho (meia): foi o craque do Sul-Americano Sub-17 daquele ano, e para muitos gaúchos, era melhor do que Neymar na época. Foi mal no Mundial e depois, apesar de alguns brilharecos em Santos e Atlético-PR, teve a carreira prejudicada pela intensa vida noturna.

Wellington Silva (atacante): Um dos dois jogadores nascidos em 1993 do grupo, Wellington Silva foi também um dos poucos a se salvar no fracasso brasileiro. Pouco depois, estreou nos profissionais do Fluminense, mas ficou pouco tempo. Foi vendido para o Arsenal, não se firmou, rodou por clubes espanhóis e retornou ao Flu tirando o sobrenome por já haver um homônimo na equipe. Faz um ótimo Campeonato Brasileiro.

Luis Guilherme (goleiro): herói do Sul-Americano daquele ano na decisão por pênaltis, Luis Guilherme chegou ao Mundial na reserva. O goleiro, que era visto como uma joia no Botafogo e chegou a treinar no Arsenal, no Manchester City e no Blackpool, da Inglaterra. Mas não se firmou. Rodou por vários clubes e recentemente terminou o curso de psicologia.

Romário (lateral-direito): comparado a Maicon no início da carreira, Romário surgiu bem no vitória, mas sofreu com uma série de lesões no joelho e não conseguiu uma boa sequência no Vitória. Em 2016, foi emprestado ao Londrina.

Sidimar (zagueiro): muito elogiado na base do Atlético-MG, Sidimar foi muito prejudicado por lesões no joelho que o impediram de ter uma sequência. Aos 24 anos, depois de atuar por Araxá, Villa Nova e Madureira, está no Tupi, novamente machucado.

Elivelton (volante): jogador de muita marcação e força física, Elivelton não teve chances nos profissionais do Santos. Passou, posteriormente, por Boa Esporte e Oeste, clube pelo qual disputou o último Paulistão antes de rescindir o contrato, em setembro.

Giovani (atacante): cria da base do Internacional, Giovani era uma das opções entre os reservas. Passou pelos juniores do Fluminense, rodou o interior gaúcho e em 2016 atuou pelo Sergipe, sob o comando do técnico Clemer.

Willen (atacante): estreou junto com Philippe Coutinho nos profissionais do Vasco e tinha o apelido de Charuto. Teve chances, mas aos poucos foi perdendo espaço e rodou por vários clubes até ir para o futebol tailandês em 2016.

Felipinho (atacante): baixinho e rápido, Felipinho fazia sucesso no Internacional no sub-17 e rapidamente foi vendido para o futebol sul-coreano. Rodou novamente por clubes pequenos do Brasil, e atualmente está no Muharraq, do Bahrein.

João Pedro (meia): versátil, João Pedro podia atuar em várias posições do campo e logo subiu aos profissionais do Atlético-MG. Foi vendido ao Palermo, mas não teve sucesso e acabou emprestado ao Peñarol. Após passagem discreta pelo Santos, voltou à Europa e está no Cagliari.

André Lucas (goleiro): cria do Corinthians, passou também pelo Santos e rodou pelo interior paulista até chegar ao Cuiabá, clube que defende atualmente.

Brasil é multado pela Fifa por gritos de “bicha” em jogo da seleção
   5 de outubro de 2016   │     0:03  │  0

A Fifa multou o Brasil em 20 mil francos suíços (R$ 67 mil) por conta de gritos de “bicha” da torcida brasileira na partida da equipe contra a Colômbia, em Manaus,pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

A Fifa havia aberto processo disciplinar logo depois do episódio para analisar a postura da torcida durante jogo Brasil 2 x 1 Colômbia, em 6 de setembro. Na ocasião, torcedores gritaram a palavra “bicha” no momento em que o goleiro colombiano cobrava tiros de meta. O grito vem se tornando cada vez mais comum em jogos da seleção como forma de provocação aos adversários.

Nesta terça (04), a entidade máxima do futebol publicou em seu site que “depois de notícias dos jogos e evidências adicionais coletadas pelo Sistema de Monitoramento Antidiscriminação, a Fifa abriu procedimentos contra diversas associações: Honduras, El Salvador, México, Canadá, Chile, Brasil, Argentina, Paraguai, Peru, Itália e Albânia”.

A Fifa explicou que “todos os procedimentos abertos em relação a incidentes discriminatórios e de conduta antidesportiva pela torcida, incluindo cantos homofóbicos em algumas circunstâncias. O Comitê Disciplinar da Fifa tomou a decisão depois de diversas análises de cada circunstância de forma separada”.

Além do Brasil, as outras federações citadas pela entidade também foram punidas. O Chile não poderá jogar no Estádio Nacional na partida contra a Venezuela em 28 de março de 2017 por conta de eventos relacionados a sua torcida. Além disso, a seleção chilena ainda foi multada em 65 mil francos suíços (R$ 212 mil).

A federação hondurenha foi multada no mesmo valor que os chilenos, enquanto Albânia terá de pagar R$ 163 mil; El Salvador, R$ 147 mil; Itália, México e Peru, R$ 98 mil cada; e Paraguai e Argentina R$ 81 mil cada.

Com Marcelo Moreno e atacante do Vitória, Bolívia divulga lista para pegar o Brasil
   1 de outubro de 2016   │     0:01  │  0

Ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo, Marcelo Moreno é principal nome da seleção do país. Rodrigo Ramallo, do Leão baiano, também é lembrado pelo técnico Ángel Hoyos

Marcelo Moreno, Bolívia (Foto: AIZAR RALDES / ar / AFP)

Marcelo Moreno, Bolívia (Foto: AIZAR RALDES / ar / AFP)

A Bolívia divulgou nesta sexta-feira a lista de 30 convocados para os próximos dois jogos das eliminatórias da Copa do Mundo 2018, contra Brasil e Equador. O argentino Ángel Guillermo Hoyos chamou 30 jogadores. O principal destaque ainda é o atacante Marcelo Moreno, ex-Cruzeiro, Grêmio e Flamengo. O também atacante Rodrigo Ramallo, do Vitória, voltou a ser chamado.

Moreno retornou à seleção boliviana na última convocação para as eliminatórias após um ano afastado. O atacante se desentendeu com o ex-treinador da equipe, Júlio César Baldivieso, e só voltou a defender a equipe após a saída do comandante. Em seu retorno, a Bolívia conquistou quatro de seus sete pontos, com a vitória por 2 a 0 em cima do Peru e o empate por 0 a 0 diante do Chile.

(Foto: Francisco Galvão / EC Vitória)

Atacante Rodrigo Ramallo do Vitória (Foto: Francisco Galvão / EC Vitória)

No restante da lista, as novidades são as ausências. Os bolivianos esperavam a presença do meia Martin Smedberg, do Goteborg-SUE, mas ele não foi convocado. O zagueiro Nelson Cabrera, do Bolívar, também era aguardado, mas a comissão técnica preferiu não chama-lo para evitar uma punição da Fifa. Cabrera é paraguaio e se naturalizou boliviano recentemente, mas não teria cumprido todos os requisitos mínimos da entidade máxima do futebol para defender outro país.

A Bolívia está na oitava posição das eliminatórias, com sete pontos. O Uruguai lidera, com 16 pontos, seguido do Brasil, que tem 15. No próximo dia 6, Brasil e Bolívia se enfrentam na Arena das Dunas, em Natal. No dia 11, os bolivianos encaram o Eaquador em La Paz.

Confira os 30 convocados:

GOLEIROS: Carlos Lampe (Huachipato-CHI), Guillermo Viscarra (Oriente Petrolero) e Alex Arancibia (Jorge Wilstermann).

DEFENSORES: Ronald Eguino, Edemir Rodríguez, Erwin Saavedra y Enrique Flores (Bolívar), Ronald Raldes (Oriente Petrolero), Edward Zenteno (Jorge Wilstermann), Alejandro Melean (Sport Boys) e Marvin Bejarano (The Strongest).

MEIO-CAMPISTAS: Walter Flores, Leonel Morales y Rudy Cardozo (Bolívar), Walter Veizaga, Pablo Escobar y Raúl Castro (The Strongest), Cristhian Machado (Jorge Wilstermann), Pedro Azogue (Oriente Petrolero), Jorge Eduardo Lovera (Guabirá), Joselito Vaca (Blooming) y Jhasmani Campos (Sport Boys).

ATACANTES: Marcelo Moreno (Changchun Yatai-CHN), Yasmani Duk (Cosmos-EUA), Rodrigo Ramallo (Vitória-BRA), Juan Carlos Arce (Bolívar), Leonardo Vaca (Sport Boys), Carlos Robledo (Blooming), Rodrigo Vargas (The Strongest) y Carmelo Algarañaz (Oriente Petrolero).

Agüero admite que mais jogadores pensam em deixar a seleção
   29 de junho de 2016   │     0:03  │  0

 

Agüero pode seguir o mesmo caminho de Messi na Seleção Argentina (Foto: futebolinterior.com.br)

 

Após a frustrante derrota para o Chile na final da Copa América Centenário, o melhor jogador do mundo indicou que deixaria a seleção da Argentina. Apesar de não ter oficializado suas intenções, Messi pode não ser o único a seguir este caminho. Sergio Agüero deixou no ar outras possíveis renúncias à camisa alviceleste.

“Provavelmente, Messi não será o único a deixar a seleção. Existem vários jogadores que consideram não seguir na equipe”, comentou o atacante na zona mista após o apito final.

“É claro que não queremos pensar nisso, mas, às vezes, as coisas vão acontecendo e vem isso na cabeça. Depois, é difícil parar de pensar. Não houve explicação de ninguém, porque estávamos todos arrasados. Ninguém falou uma palavra. Lamentavelmente, o que vai embora mais arrasado é o Leo. Esta foi a vez em que eu o vi pior no vestiário. Ele fez todo o possível para que a seleção chegasse até aqui”, contou Agüero.

O jogador admitiu que ele mesmo pensa em abandonar a seleção “pelas coisas que estão acontecendo” e, apesar de não ter citado nomes, a imprensa argentina especula que Javier Mascherano e Gonzalo Higuaín também consideram se juntar à debandada.

Blog com Terra Esportes