Category Archives: Seleção do Brasil

Botafogo, Flamengo e Vasco são os times que mais cedem atletas titulares para Copas do Mundo
   29 de novembro de 2022   │     3:00  │  0

 — Foto: Infoesporte

Jairzinho arrebentou defendendo o Brasil— (Foto: Infoesporte)

Trio de times cariocas contribui bastante para as formações iniciais da seleção brasileira na história do Mundial. PSG e Juventus foram os clubes com mais representantes no jogo contra a Sérvia.

Os tempos são outros. Na vitória sobre a Sérvia, nenhum clube brasileiro esteve representado entre os jogadores escolhidos por Tite para iniciar o duelo. Os clubes que mais apareceram com seus atletas em campo foram Juventus (Alex Sandro e Danilo) e PSG (Marquinhos e Neymar). Porém, as Copas do século passado tinham a maioria de jogadores de equipes brasileiras.

O Glorioso é disparado o clube que mais vezes viu seus atletas vestindo a amarelinha desde o início em partidas do Mundial. Ao todo, foram 129 vezes. Tricampeão do mundo em 1970, Jairzinho foi quem mais representou o Brasil como atleta do Botafogo: 16 partidas como titular. O Furacão da Copa do México marcou nove gols e ainda deu duas assistências pela Seleção em Mundiais.

Nilton Santos (15), Didi (12), Garrincha (10), Bebeto (7) e Marinho Chagas (7) são outros alvinegros que ganharam espaço na seleção pentacampeã em edições da Copa do Mundo. Porém, o clube não tem nenhum jogador entre os principais da Seleção em Mundiais desde 1998, com Bebeto. O goleiro Jefferson foi convocado em 2014, mas ficou no banco em todos os compromissos da equipe.

Zico marcou 5 gols pelo Brasil em Copas do Mundo — Foto: Getty Images

Zico marcou 5 gols pelo Brasil em Copas do Mundo — (Foto: Getty Images)

Abaixo do Botafogo, o Flamengo é o segundo clube que mais “exportou” jogadores titulares para a seleção brasileira em Copas do Mundo. Seus atletas somaram um total de 88 partidas desde o pontapé inicial. Ídolo do Rubro-Negro, Zico foi camisa 10 também no Brasil. O ex-meia atuou em oito partidas como titular da Seleção em Mundial além de outras seis quando entrou como reserva. No total, o Galinho marcou cinco gols e deu cinco assistências em Mundiais.

Ao todo, o Flamengo já teve sete campeões do mundo com a seleção brasileira. No primeiro título, em 1958, o clube emplacou quatro convocados: Zagallo, Joel, Dida e Moacir. Depois, rubro-negros fizeram parte das conquistas de 1970 (Brito), 1994 (Gilmar Rinaldi) e 2002 (Juninho Paulista). Considerando os titulares das campanhas do Brasil em Mundiais, os nomes com mais jogos entre os 11 iniciais foram Júnior Baiano (7), Brito (6), Zagallo (6), Toninho Baiano (6) e Juvenal (6).

Ídolo do Vasco, Bellini foi o primeiro brasileiro a levantar a taça da Copa do Mundo — Foto: Arquivo CBF

Ídolo do Vasco, Bellini foi o primeiro brasileiro a levantar a taça da Copa do Mundo — (Foto: Arquivo CBF)

O terceiro clube que mais cedeu jogadores para o time titular do Brasil na história da Copa do Mundo foi o Vasco da Gama. Foram 73 partidas entre os 11 iniciais de atletas do Cruz-Maltino. Ademir Menezes, Augusto, Barbosa, Bellini, Dirceu e Orlando Peçanha formam o sexteto com mais jogos de titular pelo Brasil, como atletas do Vasco, com seis partidas cada.

Artilheiro da Copa de 1950, Ademir Menezes era um dos dos principais nomes da seleção vice-campeã do mundo e um dos ídolos do Vasco. Outro nome de destaque do Vasco que brilhou pela seleção brasileira em um Mundial foi o zagueiro Bellini. Capitão da Copa de 1958, ele jogou todas as partidas da campanha do primeiro título como titular.

Os quatro grandes de São Paulo e o Fluminense aparecem na sequência com muitos representantes entre os esquadrões do Brasil em Copas. Os primeiros times fora do país a entrarem no top-10 são da Europa: Barcelona (50) e Roma (44).

Arivaldo Maia, Guilherme Maniaudet, Roberto Maleson e Rodrigo Breves – Redaçao do ge – Rio de Janeiro

 

Pagode do hexa: quem é quem nos bastidores da cantoria que anima o vestiário da seleção
   19 de novembro de 2022   │     1:00  │  0

Jogadores brasileiros são ‘pagodeiros’ até em campo – (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Longe de um clima de oba oba, a seleção brasileira vive momentos de alegria e descontração antes da estreia na Copa do Mundo. O período de treinos em Turim, na Itália, foi mostra disso. E um dos símbolos da cultura nacional, o samba esteve presende para aproximar ainda mais os atletas no vestiário.

Como em outros mundiais, os jogadores trocam um pouco a bola pelos instrumentos musicais, e não fizeram tão feio assim. Rodrigo é o cara do banjo, instrumento de cordas que entoa a melodia das canções. Entre elas, uma está prestes a ser ensaiada. “A vitória demora, mas vem”, de Juninho Thybau, sobrinho de Zeca Pagodinho, que promete embalar a campanha e vai virar clipe da CBF.

Além de Rodrigo, vários outras caras se envolvem na cantoria e na dança. Daniel Alves reveza o pandeiro com Thiago Silva. No tan tan, o atacante Raphinha faz a base para que Paquetá e Vini Jr desfilem o talento com as perninhas rápidas com muito samba no pé.

– Temos nosso momento de pagode, brincadeiras, essa mescla tem sido boa – afirmou Rodrygo, ao enumerar as funções.

Segundo o atacante, Tite pede que a molecada exale alegria no ambiente e contamine a seleção não só com boa música, mas confiança para a busca do hexa. Além do samba, o funk também tem vez no vestiário e há uma canção concorrente.

Arivaldo Maia com Redação do EXTRA

Última chamada para a Copa: Tite vai à Europa tirar dúvidas e buscar certezas na convocação
   23 de outubro de 2022   │     17:00  │  0

Seleção Brasileira de Tite vive últimos momentos antes da Copa do Mundo no CatarSeleção Brasileira de Tite vive últimos momentos antes da Copa do Mundo no Catar – (Foto:  Lucas Figueiredo/CBF)

A comissão técnica comandada por Tite já enviou para a Fifa uma lista de 55 jogadores pré-convocados para a Copa do Mundo. Desta relação sairão os 26 nomes que irão ao Catar pela Seleção Brasileira em busca do hexa. Na última chamada para o Mundial, a rota do fim da preparação dá dicas das dúvidas e certezas na cabeça do treinador.

Diferente de outras seleções pelo mundo, o Brasil não divulgará a listagem, embora muitos jogadores já sejam certos na convocação. A CBF enviará a comissão técnica para últimas observações na Europa, que começaram ontem, quando Cléber Xavier e Bruno Baquete acompanharam duelo entre a Juventus de Danilo e Alex Sandro contra o Empoli, pelo Campeonato Italiano. Bremer focou fora por lesão.

A viagem se estenderá até o dia 2 de novembro, quando Tite e o auxiliar Matheus Bachi assistirão à Juventus x PSG, confronto com mais brasileiros nesta rodada da Liga dos Campeões, cinco, somando Neymar e Marquinhos, do time francês, ao trio de defesa da Velha Senhora.

O jogo também será em Turim, onde a Seleção fará a reta final de preparação para o Catar, terá a observação in loco de oito jogos entre competições nacionais e a Liga dos Campeões. Pela rota deles, é possível ver que alguns jogadores já têm o passaporte carimbado.

Como estarão no Velho Continente, Tite e seus pares não estarão, por exemplo, na final da Libertadores, em Guayaquil, quando o Flamengo dos selecionáveis Everton Ribeiro, Pedro e Gabigol, dentre outros, enfrenta o Athletico, no dia 29, um sábado. Os dois primeiros parecem certos no Catar. No mesmo dia, o técnico da Seleção e seu auxiliar estarão em Newcastle x Aston Villa, jogo que opõe Bruno Guimarães a Douglas Luiz e Phillipe Coutinho. A dupla do Villa não está garantida.

A opção deixa claro que ainda existem últimas questões a serem respondidas e dúvidas a serem tiradas. As dicas que as viagens dão, entretanto, é onde estão os espaços ainda não ocupados na lista de 26 jogadores.

A começar pela defesa, a comissão técnica observará quase todos os titulares, à exceção de Thiago Silva, nome certo para o Catar. Alisson, Danilo, Marquinhos e Alex Sandro serão observados pela comissão técnica na reta final, e fora o gol, a reserva das laterais e da zaga ainda têm dúvidas. Não à toa, Cleber Xavier também assistirá Roma x Napoli, amanhã, para ver Ibañez.

A favor do ex-Fluminense, além dos elogios de José Mourinho, conta a possibilidade de jogar também como lateral-direito. Já o zagueiro da Juventus vem sendo o grande destaque na posição na Itália, famosa por ter ótimos nomes por ali. É possível até que ambos sejam convocados, e aí, quem sobre é Dani Alves, em má forma física e técnica no Pumas, do México. Para piorar, o jogador de 39 anos ainda está atuando no meio-campo.

Se a outra lateral ainda reserva espaço, o preferido é Alex Telles, que receberá a visita de Cleber e Baquete para o jogo do Sevilla, agora com Jorge Sampaoli no comando, contra o Copenhagen, pela Liga dos Campeões, na próxima terça (25). Principal concorrente, Renan Lodi não vem tendo destaque no Nottingham Forest, que não será observado mesmo que enfrente Liverpool e Arsenal, ambos com selecionáveis no elenco, na sequência na Premier League.

Mesmo que tenham Gabriel Magalhães, Gabriel Martinelli e Gabriel Jesus, os Gunners não terão observações in loco nesta fase, assim como o Chelsea de Thiago Silva. O médico Rodrigo Lasmar e o auxiliar técnico César Sampaio também irão à Londres, mas para ver os casos de Richarlison e Lucas Paquetá, do West Ham. Sua equipe estará em campo no confronto com o Manchester United de Casemiro, Fred e Antony. A dupla de volantes é uma certeza, e o ponta está bem perto disso.

Ainda na Inglaterra, quem também será visto é o Liverpool, em uma espécie de “última chance” a Firmino, pressionado pela forte concorrência no ataque. O versátil jogador é velho conhecido de Tite e faz ótima temporada, mas foi o único que não saiu do banco nos dois amistosos realizados na França no último mês. De lá, viu Pedro marcar contra a Tunísia e praticamente carimbar seu passaporte ao Catar.

Adversários na rota

Além de observar muitos brasileiros in loco na Europa, Tite e sua comissão também cruzarão com adversários no Grupo G da Copa do Mundo.

Da Sérvia, os destaques Kostic e Vlahovic, da Juventus, e Gudelj e Dmitrovic, do Sevilla, estão na mira. A Suíça terá apenas Schar, do Newcastle, observado, enquanto dois dos principais jogadores de Camarões serão vistos de perto: Choupo-Moting, do Bayern de Munique, e Anguissa, do Napoli.

Curiosamente, na cidade onde começa e termina a viagem, o Torino reúne muitos jogadores que enfrentam o Brasil: os sérvios Milinkovic-Savic, goleiro, Lukic, meia e Radonjic, atacante, além do lateral suíço Ricardo Rodríguez. Uma passadinha nas instalações do clube não fará mal.

Arivaldo Maia com Caio Blois – Redação do EXTRA

Museu Seleção Brasileira inaugura hoje estátua do alagoano Zagallo
   20 de outubro de 2022   │     5:00  │  0

Zagallo

Pela Seleção Brasileira, Zagallo jogou 36 partidas e marcou dois gols – (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)

Maior vencedor com a camisa da Seleção Brasileira, seja como jogador, técnico ou coordenador técnico, o alagoano Zagallo será homenageado pelo Museu Seleção Brasileira nesta quinta-feira. O tetracampeão do Mundo será eternizado em uma estátua de cera na sede da CBF, no Rio de Janeiro. A inauguração do tributo acontece às 11 horas (de Brasília).

Velho Lobo, como é conhecido, conquistou as Copas do Mundo de 1958 e 62 como jogador, a de 1970, como treinador, e, por fim, de 1994, como coordenador da comissão técnica de Carlos Alberto Parreira.

Além disso, comandou o Brasil nos Mundiais de 1998, quando foi vice-campeão, e 1974, quando ficou na quarta colocação, e foi coordenador na campanha brasileira na Copa do Mundo de 2006.

Números de Zagallo pelo Brasil

Zagallo soma, ao todo, 36 partidas com a camisa da Amarelinha, sendo 29 vitórias, quatro empates e apenas três derrotas. Sua estreia aconteceu em 4 de maio de 1958, quando marcou dois gols na goleada por 5 a 1 sobre o Paraguai.

Seis anos depois, em 7 de junho de 1964, o Velho Lobo se despediu com vitória por 4 a 1 sobre Portugal, em jogo válido pela Taça das Nações, competição promovida pela então CBD que reuniu Brasil, Argentina, Inglaterra e Portugal. Ambas as partidas, a primeira e a última, ocorreram no Maracanã.

Arivaldo Maia com Gazeta EsportivaGazeta Esportiva

Brasil x Tunísia: banana é atirada em Richarlison na comemoração de gol
   28 de setembro de 2022   │     23:00  │  0

Banana foi arremessada na direção dos jogadores do Brasil (Foto: Reprodução / SporTV)

Banana foi arremessada na direção dos jogadores do Brasil (Foto: Reprodução / SporTV)

Foto: Lance!

Caso acontece depois de Vini Jr. sofrer na Europa. Seleção Brasileira protestou contra o racismo no jogo contra Gana e também contra a Tunísia, antes da bola rolar.

Caso acontece depois de Vini Jr. sofrer na Europa. Seleção Brasileira protestou contra o racismo no jogo contra Gana e também contra a Tunísia, antes da bola rolar.

A imagem foi flagrada pela transmissão da TV Globo e do SporTV. O repórter Guilherme Pereira, que presenciou a cena, disse que o autor do gesto racista não foi identificado no momento.

O caso acontece poucos dias depois de Vini Jr. ter sofrido racismo na imprensa espanhola e também por parte da torcida do Atlético de Madrid. Na última sexta-feira, na vitória sobre Gana, os jogadores entraram com uma faixa escrito “celebrar como brasileiro não tem preço” em apoio ao atacante por conta de suas danças.

Ontem, novamente os jogadores da Seleção Brasileira se posicionaram. Na entrada no gramado, os atletas levaram uma faixa que tinha os dizeres “sem nossos jogadores negros, não teríamos estrelas na nossa camisa”.

Além da faixa, os jogadores entraram em campo com outro protesto. No casaco que estava sobre a camisa, as estrelas foram tampadas com uma faixa preta, em alusão à faixa mostrada na sequência.

A CBF se manifestou nas redes sociais e repudiou a atitude racista com os jogadores da Seleção Brasileira.

– Lamentavelmente, após a ação, uma banana foi atirada no gramado em direção a Richarlison, autor do segundo gol brasileiro. A CBF reforça o sua posição de combate ao racismo e repudia qualquer manifestação preconceituosa – disse a entidade.

Arivaldo Maia com Redação doLance!