Category Archives: Rei do Futebol

Aos 75 anos de idade, Pelé se casa pela terceira vez
   11 de julho de 2016   │     0:02  │  0

 

Empresária Márcia Cibele Aoki é terceira esposa de Pelé (Foto: Divulgação)Empresária Márcia Cibele Aoki é terceira esposa de Pelé (Foto: Divulgação)

Pelé se casou pela terceira vez na noite do último sábado. Aos 75 anos de idade, Édson Arantes do Nascimento, o melhor jogador de futebol de todos os tempos, oficializou sua união com a empresária Márcia Cibele Aoki em cerimônia reservada realizada na cidade do Guarujá.

Aproximadamente 100 convidados participaram da celebração no litoral paulista. Pelé e Márcia se conheceram durante uma festa em Nova York na década de 1980. Em 2010, após reencontro inusitado no elevador do prédio em que moravam em São Paulo, ambos iniciaram a relação, assumida publicamente em 2012.

Pelé casou pela terceira vez. Em sua primeira boda, com Rosimeri Cholbi, Pelé teve três filhos, entre eles o ex-goleiro Edinho, irmão de Jennifer e Kelly. Com a cantora gospel Assíria Nascimento, o antigo camisa 10 teve os gêmeos Joshua e Celeste.

Blog com Gazeta Esportiva

Leilão de ‘relíquias’ de Pelé pode alcançar R$ 17 milhões em Londres
   8 de junho de 2016   │     0:04  │  0

Pelé venceu a primeira Copa do Mundo com apenas 17 anos, em 1958 (Foto: copadomundo.uol.com.br)

Uma casa de leilões está negociando em Londres objetos pessoais, medalhas e até uma réplica da taça Jules Rimet que pertencem a Pelé.

A oferta do acervo do Rei do Futebol está ocorrendo durante um período de três dias, e foi iniciada na manhã de ontem. A expectativa é de uma arrecadação de até US$ 5 milhões (cerca de R$ 17 milhões).

Além de itens pessoais, Pelé colocou à disposição dos leiloeiros uma variedade de presentes que ganhou durante a carreira e após sua aposentadoria dos campos.

O catálogo cobre 60 anos da vida do ex-jogador de 75 anos – ou seja, desde que Pelé assinou contrato com o Santos, aos 15 anos de idade.

Além de medalhas e chuteiras, o leilão vai incluir camisas usadas em jogos e até a mesmo bola do milésimo gol, marcado pelo artilheiro em um 2 a 1 do Santos sobre o Vasco em 1969.

Raridades e curiosidades

Entre os itens mais valiosos e raros estão as três medalhas que Pelé ganhou quando venceu com a seleção brasileira as Copas de 1958, 1962 e 1970.

O preço estimado de cada uma é de R$ 750 mil.

O objeto mais caro – poderá alcançar um valor entre R$ 1,4 milhão e R$ 2,1 milhões – é uma réplica da taça Jules Rimet feita especialmente para o jogador depois do tricampeonato no México.

Interesse

O Leiloeiro Nelles afirma que a Julien’s Auctions fez uma “estimativa conservadora” de que o leilão poderá arrecadar entre US$ 3,6 milhões e US$ 5 milhões, mas que “os lances que vão determinar o preço final”.

“Há tantos coringas: a taça Jules Rimet, as medalhas das Copas, chuteiras. Idealmente, estamos pensando em chegar a três vezes (o valor) da estimativa conservadora e talvez até dez vezes mais.”

Nelles diz esperar que o leilão atraia um público variado: desde torcedores de futebol e colecionadores a museus de esportes e grandes corporações.

“Apesar de o leilão ser em Londres, não vamos vender apenas para os clientes da Grã-Bretanha. O leilão será transmitido ao vivo em nosso site para que os interessados em outros países participem.”

O leiloeiro afirmou que já há interessados de regiões tradicionalmente fãs de futebol, como Europa e América do Sul, mas que os itens também devem atrair também compradores de lugares como EUA, Japão, China, Coreia do Sul e países árabes.

Blog com iG Esportes

Em entrevista, Pelé fala sobre seu filme e coloca Messi como “príncipe”
   17 de maio de 2016   │     0:02  │  0

O Rei tem novo filme já lançado sobre sua vida que orgulha todos os brasileiros (Foto: exame.abril.com.br)

Prestes a ter o filme sobre o começo de sua carreira estreando em solo espanhol, o Rei do Futebol, falou à revista Magazine de La Vanguardia sobre suas origens e a emoção de ser homenageado em mais um filme. Perguntado, ainda, sobre “quem seria o príncipe do futebol”, Pelé não titubeou em apontar o argentino Lionel Messi.

“Dos últimos 15 anos Messi é o príncipe. Não digo que é o Rei porque meus pais fecharam a fábrica e quebraram o molde. O Rei só tem um”, brincou Pelé. “Dos argentinos, acho que Di Stefano foi o mais completo, mais ainda que Maradona ou Messi”, acrescentou.

Para o futebolista, o esporte mundial poderia ter muitos Reis. “Muhammad Ali por ter marcado toda uma época. Ou Roger Federer. É muito difícil falar. O.J. Simpson também fez coisas incríveis e, claro, tem o velocista jamaicano Usain Bolt, que eu conheço pessoalmente”, comentou o Rei do Futebol.

Pelé ainda falou que não gostaria de jogar no futebol dos dias de hoje, em que o esporte está cercado de muitos meios de comunicação que não existiam à época. “Estou contente em ter jogado na minha época. É verdade que hoje tudo seria mais fácil. Jogadores como Di Stefano e eu poderíamos ter muito mais registros de nossas partidas”, apontou. “Esse filme vai servir para que muita gente se familiarize com a minha figura”, adicionou Pelé sobre a produção “Pelé – o nascimento de uma lenda”.

Tendo estreado no dia 13 de maio nos Estados Unidos e chegando à Espanha, Pelé contou que se emocionou muito ao lembrar de seu pai e de seus ensinamentos durante as filmagens do filme. “Espero que esse filme possa mostrar para as futuras gerações que uma pessoa precisa ter base, apoio familiar e humildade”, disse o Rei.

Dirigido por Michael e Jeff Zimbalist e todo em inglês, o filme irá ilustrar o início de Pelé no futebol até a conquista da Copa de 1958. Com Leonardo Lima Carvalho e Kevin de Paula vivendo o Rei em sua infância, o filme ainda conta com Seu Jorge como Dondinho, pai do craque, Felipe Simas como Garrincha e Vincent D’Onofrio como Feola, técnico da Seleção Brasileira em 1958.

“No filme se vê de onde saí, que eu engraxava sapatos em Bauru quando meu pai estava doente. É uma mensagem simples: um atleta que pode se comunicar com o mundo pela linguagem universal, o futebol”, completou.

 

Blog com Footstats

Pelé exime Dunga de culpa por mau momento da Seleção Brasileira
   10 de abril de 2016   │     0:04  │  0

Pelé foi recebido com aplausos no clube Esperia, prestigiando crianças deficientes (Foto: www.gazetaesportiva.com)

Dunga ganhou um renomado incentivador da sua permanência na Seleção Brasileira. Para Pelé, a instabilidade da equipe nacional nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 se deve à falta de tempo para preparação, e não ao trabalho do treinador gaúcho.

“O Dunga não tem muita culpa disso. A Seleção Brasileira tem uma dificuldade grande hoje. Nada contra presidentes de clubes e empresários, mas, no meu tempo, poucos jogadores tinham agentes e estavam na Europa. Agora, infelizmente, não temos tempo para treinar. A maioria dos atletas está na Europa. Além disso, quem manda são os empresários. Isso complica muito”, lamentou Pelé.

Presente em um evento no Clube Esperia, para prestigiar a Associação Desportiva para Deficientes (ADD), o Rei já utilizou o mesmo discurso quando os treinadores do Brasil eram outros. E não retrocedeu ao ser questionado se Tite, do Corinthians, mostrava-se mais capacitado para o cargo.

“Gosto dos dois (Dunga e Tite). Os dois são ótimos”, elogiou Pelé, antes de voltar sua atenção exclusivamente a um dos técnicos. “O Dunga não tem culpa nenhuma do que está acontecendo.”

Aposentado desde o final da década de 1970, Pelé se gaba por ter deixado um legado ao futebol brasileiro que serve para contrapor um presente de vexames, como a derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal da última Copa do Mundo.

Ao escutar um paralelo entre a sua história e à do argentino Lionel Messi, do Barcelona, Pelé abriu um sorriso. “O que é lindo e temos de nos orgulhar é que todos os países com futebol procuram alguém para comparar com Pelé. Em Portugal, houve uma época em que era o Eusébio. Depois, o Beckenbauer na Alemanha. Aí, o Maradona. Falaram do Cruyff, que, infelizmente, faleceu há pouco tempo. Isso tudo é bom. Enquanto estão me comparando com alguém, o Brasil está na ativa”, afirmou.

 

Blog com Gazeta Esportiva

Pelé diz que houve erro médico em sua primeira cirurgia no quadril
   8 de abril de 2016   │     0:02  │  0

Próxima

O Rei Pelé reclama de erro médico na sua cirurgia feita em São Paulo (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Pelé, 75, disse que houve erro médico em uma cirurgia ao qual foi submetido em 2012, para a implantação de uma prótese no quadril.

Em entrevista à Folha na tarde da última quarta (6), o Rei do Futebol explicou que o que ele considera falha, de quatro anos atrás, fez com que ele tivesse que passar por uma nova operação, em dezembro do ano passado.

O primeiro procedimento, no qual ele acredita que houve erro, foi realizado em São Paulo, no hospital Albert Einstein, e o segundo foi nos Estados Unidos, no Hospital for Special Surgery, em Nova York.

“Segundo os médicos que me analisaram, teve um erro médico. Um erro na técnica dos médicos brasileiros. Eu tinha um problema na resistência e a dor não passava, de jeito nenhum. Eu fiz a fisioterapia normal, dois ou três meses, mas não passava. Os médicos que me orientaram a fazer a cirurgia no Brasil acharam melhor me levar para os Estados Unidos, para ver o que fazer.”, afirmou.

Quase quatro meses depois da operação, Pelé disse se sentir bem, sem nenhuma dor. Brincou que se sente quase pronto até para se candidatar a uma vaga na Olimpíada.

Como espectador dos Jogos do Rio-16, aos 75 anos, ele dará outra colaboração: está fazendo música para o evento esportivo, que começa em agosto.

Descontraído, o ex-jogador afirmou que lamenta o atual momento da gestão do futebol brasileiro e que manteria Dunga como técnico da seleção, embora também goste de Tite.

 

Blog com FOLHA DE SÃO PAULO