Category Archives: Narradores

Galvão Bueno pode ficar sem grandes eventos para narrar
   2 de setembro de 2020   │     13:00  │  1

Podcast #NaPontados Dedos: ouça os especiais com Galvão Bueno

 

Os fãs de esportes na TV podem ouvir cada vez menos o bordão “Bem amigos da Rede Globo”. Seu dono, Galvão Bueno, (Foto acima/Divulgação), corre o risco de não ter o que narrar. Em consequência da crise suscitada pela pandemia de covid-19 e de profunda reestruturação financeira para cortar gastos, a emissora carioca abriu mão de competições importantes, como a Copa Libertadores e a Fórmula 1.

Existe a possibilidade de o canal não transmitir também a Copa do Qatar, já que entrou na Justiça a fim de obrigar a FIFA a renegociar valores e sinalizou que, na falta de novo acordo, não vai exibir o Mundial. Galvão seria, como manda a tradição, a principal voz desses eventos. O imenso vácuo na programação esportiva da Globo deixou o locutor com poucas possibilidades.

O contrato entre as partes vai até 2022. Existia a expectativa de a próxima Copa servir para uma despedida em grande estilo daquele que, desde 1981, desperta paixão e ódio nos telespectadores da Globo. Galvão Bueno deixou de ser apenas um jornalista de TV e se fez personagem midiático. Fonte infindável de elogios, críticas, imitações e memes.

O narrador já se destaca como âncora de roda de debates: seu programa Bem, Amigos é uma das maiores audiências do SporTV. Ele também atrai público ao conduzir matérias especiais, como as do quadro Na Estrada, do Esporte Espetacular, quando revela um pouco da intimidade e do pensamento de grandes atletas.

Dar a ele uma atração solo na Globo seria uma compensação à falta de grandes transmissões esportivas. Aos 70 anos, o narrador ainda tem energia de sobra e é um ímã de anunciantes. O horário após o Fantástico – sem um sucesso de público desde o fim do Sai de Baixo, em 2002 – poderia ser preenchido pelas histórias, polêmicas, gafes, ranhetices e anedotas do inigualável Galvão.

Nota do Blog: Galvão Bueno é o maior talento da narração esportiva no Brasil. Em qualquer esporte sua transmissão faz a diferença. Não há nada igual. Arivaldo Maia.

Blog com Jeff Benício/Terra Esportes

Morre Rodrigo Rodrigues, apresentador do Sportv
   28 de julho de 2020   │     13:02  │  2

Rodrigo Rodrigues, apresentador do Grupo GloboRodrigo Rodrigues, apresentador do Grupo Globo (Foto: Reprodução)

“Quando é que você vai pagar aquele almoço, hein?”. Se você já trabalhou com Rodrigo Rodrigues, é bem provável já ter ouvido o convite em forma de provocação por parte do apresentador. No ar ou fora dele, Rodrigo aproximava as pessoas. É no mínimo sarcástico que, logo ele, um agregador nato, tenha sido vítima de uma doença que exige isolamento. Aos 45 anos, Rodrigo morreu, nesta terça-feira, de complicações geradas pela Covid-19, após sofrer uma trombose venosa cerebral.

Rede Vida, TV Cultura várias vezes, SBT, Bandeirantes, ESPN Brasil em duas passagens, TV Gazeta, Esporte Interativo, SporTV, TV Globo. No competitivo mundo do jornalismo televisivo, trabalhar em todas essas emissoras é só uma das façanhas da divertida, atribulada e recheada de amigos vida de Rodrigo de Oliveira Rodrigues, o RR, um sujeito que conseguiu tanto porque foi muitos. Este é um obituário incompleto se disser que morreu o apresentador de TV. Não foi só ele que se foi. Junto, morreu também o divertido músico — líder e fundador da banda “The Soundtrackers”, especializada em trilha sonoras de filmes —, o ex-dono de restaurante na Vila Madalena, o boêmio que não bebia nos bares com os amigos, o escritor de livros.

Nascido e criado na Tijuca, foi da Saens Pena até Picadilly, em Londres, passando pela estação Châtelet, em Paris, escreveu guias de viagem baseado em estações de metrô, biografou a Blitz, sua banda favorita. Rubro-negro, fã confesso de Zico, ganhou fácil a simpatia de todas as torcidas no jornalismo esportivo, informando sempre sem esquecer de se divertir, divertindo-se sempre sem se esquecer de informar. Morreu, inclusive, combatendo nas redes sociais a desinformação sobre a doença de que foi vítima, falando sério quando tinha que falar, usando memes quando era a melhor maneira de informar.

Na TV, ao vivo ou nas redes, Rodrigo trazia leveza. Sua informalidade, no ar, por vezes incomodava chefes que prezavam por uma comunicação mais objetiva. Rodrigo nunca ligou. Tinha estilo próprio, ideias fixas e, se incomodado ou incomodando, procurava — e achava — outro lugar para se sentir melhor. Era do tipo raro que fazia questão e conseguia estar bem com todos ao redor. Numa famosa redação, dois comentaristas de estilos completamente diferentes — um, o engraçadinho, o outro, mais sério, por vezes visto como rabugento — não se bicavam. Em comum entre os dois, só a amizade com Rodrigo.

O obituário, porém, seguiria incompleto se não tivesse um parágrafo inteiro para o amigo Rodrigo. As más notícias sobre seu estado de saúde trouxeram solidariedade, manifestações e uma constatação rara: Rodrigo era unânime entre os que conheciam. Em tempos de falta de empatia, a dele sobrava. No isolamento, recentemente, juntou paixões: a música e os amigos. Pegou um violão, gravou e postou amigos cantando, incluindo alguns que mal sabíamos que tinham dotes musicais.

Uma delas foi a apresentadora Karine Alves, recém contratada pelo SporTV, para a mesma função de Rodrigo. Concorrência? Eles nem se conheceram pessoalmente, mas ele sabia que ela cantava bem. Gravou com a amiga virtual e postou “Sorriso Negro”, canção que ficou famosa na voz de Dona Ivone Lara e dedicou ao movimento #VidasNegrasImportam.

Blog com EXTRA

 

Apresentador do Sportv entra em coma após trombose cerebral
   27 de julho de 2020   │     9:06  │  0

Apresentador Rodrigo Rodrigues
Rodrigues, que comanda o programa “Troca de Passes”, também foi diagnosticado com Covid-19

 

O apresentador da Rede Globo Rodrigo Rodrigues está internado, desde a noite de sábado (25), em coma induzido, após sofrer trombose venosa cerebral. Rodrigues está hospitalizado em uma UTI do hospital Unimed Rio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. As informações são do site UOL.

Segundo o site, o apresentador precisou passar por uma cirurgia para para diminuição da pressão intracraniana após a equipe médica confirmar uma trombose venosa cerebral, conhecida por TVC. Rodrigues foi diagnosticado com Covid-19, segundo o hospital.

Por meio de boletim, o hospital informou que, “neste momento, encontra-se sedado e internado na unidade de terapia intensiva”. Nesse domingo (26), a Rede Globo informou  que o apresentador do programa “Troca de Passes”, do Sportv, havia sido afastado após diagnóstico confirmado de Covid-19 há cerca de 15 dias.

O apresentador trabalha na Globo deste 2019. Ele tem passagens pelo SBT, TV Cultura, TV Gazeta e Band entre as emissoras abertas.

Blog com O TEMPO

Galvão Bueno vai narrar título do Fla na Libertadores
   22 de julho de 2020   │     13:00  │  0

Galvão Bueno, narrador da Rede Globo

Galvão Bueno, narrador da Rede Globo (Foto: Divulgação / Estadão)

 

Um dos principais narradores do futebol brasileiro, Galvão Bueno completa 70 anos nesta quarta-feira e para celebrar a data, ele realizará o sonho de muitos flamenguistas. Galvão irá narrar a decisão da Libertadores do ano passado entre Flamengo e River Plate, que terminou com o título do clube carioca, após uma emocionante virada por 2 a 1.

A partida, disputada em novembro, foi realizada em Lima, capital do Peru, e o narrador chegou a ir para a cidade, mas teve um princípio de infarto e precisou ser levado para o hospital. A TV Globo colocou Luiz Roberto para narrar a decisão. A narração de Flamengo x River com a voz de Galvão Bueno vai passar no SporTV,  logo mais às 19h, no programa “Faixa Especial”.

A narração terá os comentários dos ex-jogadores Casagrande e Júnior. Além da transmissão, o programa também vai relembrar momentos históricos, narrações icônicas, bordões inesquecíveis de Galvão e entrevistas com pessoas que fizeram parte da história do narrador.

Galvão tem contrato com a Globo até 2022 e já anunciou algumas vezes sua aposentadoria, mas mudou o discurso logo em seguida. Em março, ele deu entrevista no programa Altas Horas, também da Globo, e afirmou que não pretende narrar a Copa de 2022, apesar do contrato com a emissora.

Blog com Terra Esportes

 

Narradores esportivos se adapatam para passar emoção
   13 de julho de 2020   │     13:00  │  0

Arivaldo Maia narrando na Copa da Alemanha (Foto: Arquivo/Arivaldo)

Os narradores esportivos do Rádio e TV, assim como os atletas, também precisam se adaptar com as mudanças ocorridas nas transmissões dos eventos após a pandemia do coronavírus. A falta de ritmo, a ausência do público e as novas formas de trabalho são alguns dos obstáculos a serem superados para que os profissionais levem emoção aos fãs do “novo futebol”.

Para Cesar Augusto, locutor da plataforma DAZN, a falta de público exige uma mudança no ritmo da narração. “Sem torcida, o futebol é um esporte novo para ser narrado. Este é o grande desafio do narrador. A voz é mais exigida neste sentido. É um ritmo novo de narração, não pode ter espaço em branco, que era preenchido anteriormente pelo grito de gol da torcida.”

Segundo o ex-repórter da TV Globo nos anos 90, “não temos mais o respiro da comemoração da torcida após um gol. Em um jogo do Boca Juniors não existe mais o caldeirão de La Bombonera”. “Eu narro futebol turco e a torcida é muito participante, mas não há mais isso”, disse o jornalista.

Fernando Nardini, da ESPN, se sentiu “meio engessado, com ferrugem” com o longo período fora dos microfones e aponta o trabalho em casa como uma das adaptações a serem feitas. “A dinâmica é diferente. Você mistura o seu dia a dia doméstico com o profissional. Trabalha onde tem também lazer e descanso. Interditei minha casa, mudei a rotina, não pode haver grande barulho. Fechei a porta e trabalhei, com camisa da TV e bermuda por baixo, pois só apareço da cintura para cima.”

Nardini também chama a atenção para a saúde mental neste período oscuro de confinamento. “O mais importante é controlar a cabeça e não pirar por conta do isolamento”, disse o narrador, um dos melhores do País quando o assunto é tênis.

No Fox Sports, Eder Reis é a “voz” das lutas e também narra os diversos campeões europeus do canal. Para ele, a parte técnica é outro obstáculo a ser superado. “Por fazer as transmissões de casa, eu tenho de entrar no ar muito antes do que quando o trabalho era feito na sede. É preciso uma boa conexão para entrar com o link da transmissão, além de modular o microfone”, disse o narrador.

Eder descreve como é feito seu trabalho. “Anoto todas as informações dos clubes e dos jogadores no papel, pois o computador é usado para receber as imagens. O celular também é um aliado na transmissão. Aí preciso acompanhar o jogo em uma tela de 15 polegadas, onde os lances não são tão detalhados.”

O futebol mundial está de volta e tenta superar a pandemia, assim como os profissionais que contam a história para cada torcedor dentro de casa. E eles estão renovados e prontos para gritar: “Gooooooooool”.

Blog com Terra Esportes