Category Archives: Futsal

Falcão faz exibição perfeita na despedida do futsal brasileiro
   2 de novembro de 2018   │     0:03  │  0

Resultado de imagem para DESPEDIDA de FALCÃO NO FUTSAL

Em seu último capítulo com a seleção brasileira, o habilidoso atacanete Falcão, (foto acima/Correio da Bahia),   mostrou um pouco do desempenho que o consagrou durante as duas décadas que vestiu a camisa verde e amarela. Sem o mesmo físico de antes, mas com a genialidade inabalável, o craque marcou dois golaços para definir a vitória do País sobre o Paraguai por 4 a 2, no amistoso disputado no último domingo, em Jaraguá do Sul.

Foi a 258.ª aparição de Falcão com a seleção. Aos 41 anos, o maior jogador de futsal de todos os tempos deixa um longo legado de conquistas com a camisa do País. Ao longo de 20 anos, o craque conquistou 29 títulos, com destaque para o bicampeonato mundial em 2008 e 2012.

A emoção tomou conta do astro ainda no hino nacional, em que ele não conseguiu conter as lágrimas. E não demorou para que Falcão premiasse os cerca de 10 mil presentes, que lotaram a arena em Jaraguá, com um golaço.

Logo aos três minutos, Falcão aproveitou roubo de bola no campo de ataque, recebeu na área e, com um toque de gênio, venceu o goleiro ao finalizar de letra. Não bastasse marcar em sua despedida, o gol fazia o astro alcançar um número histórico, afinal, foi o seu 400.º pelo Brasil.

Nos minutos finais da etapa inicial, Walex ainda faria o segundo. Mas as atenções estavam mesmo todas voltadas para Falcão, que mostrou toda sua vontade no intervalo. “Fico feliz demais de encerrar da melhor maneira possível, mas quero mais. É difícil, desde o café, a preleção. Mas é bom quebrar isso do gol 400 logo. Agora, quero mais um”, disse ao SporTV.

E Falcão teria mais. Mas não sem antes o Paraguai dar emoção à partida. Com dois gols marcados rapidamente, a seleção visitante empatou a partida e ameaçou estragar a festa para o craque.

Mas ele não deixaria. Faltando apenas sete minutos para o fim, Falcão recebeu na linha de fundo e, mesmo pouco ângulo, aproveitou o quique da bola para encobrir o goleiro, marcando outro golaço. e, no último segundo, ainda selaria o placar para a seleção.

Com o cronômetro zerado, as atenções voltaram-se para Falcão, que ajoelhou no centro da quadra para agradecer à torcida. Ele também foi carregado nos ombros pelos companheiros, antes de receber homenagens até do Paraguai, que lhe deu uma camisa com o número 12, com o qual se consagrou ao longo da carreira.

ESTADÃO conteúdo

Confederação Brasileira de Futsal sorteia jogos da Supercopa
   21 de fevereiro de 2018   │     0:03  │  0

A Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) já realizou o sorteio da Supercopa de futsal, que será realizada nos dias 2 e 4 de março. O vencedor do torneio ganha vaga na Copa Libertadores da modalidade.

A competição com caráter eliminatório já começa nas semifinais e os vencedores se enfrentam na grande finais. Os quatro times que irão participar são Joinville, Horizonte, Atlântico e Sorocaba. Enquanto os dois primeiros foram campeões, respectivamente, da Liga Futsal e da Copa do Brasil, o time gaúcho foi vice-campeão da Taça Brasil e os paulistas são os anfitriões.

Esta é a terceira edição da Supercopa de futsal. Em 2016 o Jaraguá do Sul foi campeão e, em 2017, o Carlos Barbosa subiu ao lugar mais alto do pódio. No ano passado, o ACBF venceu a Libertadores sob comando de Marquinhos Xavier, atual treinador da Seleção Brasileira.

Blog com Terra Esportes

Ghiotti, o brasileiro que é ídolo no futsal do Napoli
   21 de novembro de 2017   │     0:02  │  0

Imagem relacionada

 

Jogar e vencer uma Liga dos Campeões é o sonho de muitos altetas profissionais, mas poucos possuem essa oportunidade. O feito foi realizado pelo ítalo-brasileiro Alexandre Ghiotti, de 35 anos, (foto acima, comemorando um gol), há mais de 15 anos na Itália e atualmente integrando o time de futsal do Napoli, equipe da primeira divisão do país.

A chance de ir para a Itália chegou a Ghiotti quando ele tinha 18 anos e atuava pelo Caxias do Sul, do Rio Grande do Sul. O jogador recebeu um telefonema de um agente, que, segundo o atleta, gostou do seu futebol. “Devido ao sobrenome italiano, ele fez o convite para eu atuar na Itália”, contou, em entrevista à ANSA.

Na península, Ghiotti já atuou pela Roma, Vesevo, Pescara, Kaos, Isola e Real Rieti, além de ter tido uma rápida passagem pelo Baku United, da Inglaterra. O jogador hoje acumula vários títulos na Europa, mas, antes do sucesso, passou por dificuldades para se adaptar. “As minhas principais dificuldades no começo eram compreendeer as instruções do treinador no idioma italiano, além da programação diferente de treinos, que requer uma adaptação, com muita dedicação e paciência”, disse Ghiotti. “Mas os italianos costumam tratar muito bem os brasileiros”.

Entre as 14 equipes que disputam a principal divisão do futsal italiano, estão mais de 60 atletas nascidos no Brasil.

“Atualmente a Itália é um dos países com maior poder econômico no futsal, sendo assim, o jogador fica seguro de poder jogar em um campeonato extremamente competitivo e ter qualidade de vida para si e a para família”, explicou. Conquista da Liga dos Campeões – Entre 2005 e 2011, quando atuava pelo Montesilvano, equipe que foi extinta em 2016, Ghiotti viveu a fase mais gloriosa da carreira. Pelo clube da província de Pescara, o brasileiro conquistou uma Série A e outra Copa da Itália.

No entanto, a maior façanha da equipe italiana foi se tornar a primeira equipe e – até hoje a única do país- a ter vencido a Liga dos Campeões de futsal na temporada 2010/2011. Na final, disputada em Almaty, no Cazaquistão, o Montesilvano derrotou por 5 a 2 o Sporting Lisboa, de Portugal.

“O momento mais feliz da minha carreira foi a conquista da Liga dos Campeões no ano de 2011. Fomos a primeira e única equipe italiana a ser campeão deste torneio. Também fomos escolhidos o melhor time do mundo. Este momento foi inesquecível, é fruto de muito trabalho da parte de todos que estavam no clube”, afirmou Ghiotti.

Invicto há cinco jogos, o Napoli do brasileiro Ghiotti está na quarta posição do Campeonato Italiano de “calcio a 5” com 18 pontos, somente quatro atrás do líder Came Dosson.

Blog e Agência ANSA

Brasileiro explica ‘êxodo’ para futsal da Itália
   3 de novembro de 2017   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Douglas Nicolodi, de 29 anos, defende o Real Rieti, equipe da Itália
O ítalo-brasileiro Douglas Nicolodi, de 29 anos de idade, atua há 10 anos no país europeu (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Com mais de 50 títulos internacionais conquistados, a seleção brasileira de futsal é a mais vitoriosa da modalidade e, até por isso, bastante concorrida.

Devido à falta de oportunidades no Brasil ou simplesmente para expandir a carreira, diversos atletas preferem se naturalizar e atuar por outros países. É o caso do ítalo-brasileiro Douglas Nicolodi, de 29 anos, que está há uma década na Itália e defende o Real Rieti, equipe da elite do futsal da península.

Após uma experiência como jogador de campo no Internacional, Nicolodi ganhou destaque dentro das quadras. A oportunidade de se mudar para a Itália veio quando ele atuava pelo A.S Rochemback, do Rio Grande do Sul. Segundo o atleta, um técnico do país europeu estava “em busca de jogadores com descendência italiana”, e o bom desempenho apresentado por ele chamou atenção do treinador, que o levou para a península em 2007.

Com passagens por Bisceglie, Pescara e Cisternino, Nicolodi integra a vasta lista de brasileiros que optaram por migrar para o futsal da Itália. A atual temporada da Série A do Campeonato Italiano conta com mais de 60 atletas nascidos no Brasil, distribuídos entre as 14 equipes que disputam o torneio. “Muitos vêm para a Itália pela possibilidade de jogar como italiano com a dupla cidadania”, conta Nicolodi, em entrevista à ANSA. Isso abre caminho para brasileiros também vestirem a camisa da seleção da Itália de futsal, como é o caso do atleta do Rieti.

Nicolodi garante que foi bem recebido pelos italianos, mas diz já ter visto conterrâneos enfrentarem “problemas” no país europeu.

Nicolodi afirma que no futsal ele não teve grandes problemas com racismo, mas ressalta que já escutou “algumas piadinhas”. O jogador diz que, por possuir a dupla cidadania, ele é “italiano” e tem os “mesmos direitos” de qualquer um.

O ítalo-brasileiro conquistou cinco títulos na península, sendo o principal deles em 2015, quando ajudou o Pescara a se tornar campeão da Série A. Pelo Rieti, clube da região central da Itália, Nicolodi é o atual vice-artilheiro do Campeonato Italiano de “calcio a 5”, com sete gols. Em seis jogos, sua equipe está na oitava colocação, com nove pontos.

Blog e Agência ANSA

Em grave crise, futsal do Brasil apresenta técnico da seleção e pede ajuda à CBF
   8 de janeiro de 2017   │     0:03  │  0

Resultado de imagem para símbolos da seleção brasileira de futsal

O atacante Falcão é o maior destaque do futsal brasileiro nos últimos anos (Foto: Divulgação)

Em situação financeira precária, com a sede e o Centro de Treinamento penhoradas e precisando reerguer uma seleção que fez fiasco na última Copa do Mundo, a Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) decidiu recorrer à CBF para tentar se reerguer. E, com a ajuda do técnico Tite e do coordenador de seleções Edu Gaspar, a entidade encontrou uma luz no fim do túnel. O comando da seleção brasileira sinalizou com ajuda em termos de estrutura e logística.

Segundo o presidente da CBFS, Marcos Madeira, a parceira ainda é informal – vale ressaltar que o Brasil é o único país do mundo em que a seleção de futsal não é vinculada à mesma confederação que cuida do futebol de campo.

“Nessa parceria cada um vai fazer a sua parte. A CBFS não vai deixar de fazer o que sempre fez, e a CBF vai dar o que puder. É uma parceria de duas mãos, sem perda de autoridade, cada um fazendo a sua parte. Havia uma distância muito grande. Hoje não vai haver mais”, disse Madeira.

O anúncio foi feito em um hotel na zona oeste do Rio. No encontro, não havia nenhum dirigente da CBF. Questionado sobre isso, Madeira afirmou que o motivo era para não dar a impressão de que a CBF estaria assumindo o futsal brasileiro. “Se ela estivesse assumindo, essa coletiva seria na sede da CBF. Não veio ninguém não porque não quisesse vir, mas porque daria essa conotação”, justificou.

Um dos principais responsáveis pela aproximação das entidades foi o técnico Paulo Cesar Oliveira, o PC, que foi apresentado como novo técnico da seleção de futsal. Campeão mundial em 2008, ele retorna ao comando do time nacional.

Nos últimos anos, a CBFS enfrentou graves problemas de gestão que culminaram com a renúncia do ex-presidente, Aécio de Borba Vasconcellos. A situação financeira atual é caótica. As estatais que patrocinavam a entidade se retiraram por problemas na prestação de contas da confederação. De quebra, a principal competição do futsal brasileiro, a Liga Nacional, tornou-se independente.

O descalabro na gestão fez com que os principais jogadores da seleção anunciassem uma greve em 2014. A comissão técnica caiu no meio do ciclo para o Mundial. A preparação para a Copa do Mundo do ano passado, disputada na Colômbia, foi totalmente comprometida. Resultado: o Brasil caiu nas oitavas de final e terminou a competição com o décimo lugar, a pior campanha da história.

Blog com A TARDE