Category Archives: Futebol Feminino

Com o Flamengo na disputa, Brasileiro feminino terá transmissões em redes sociais
   17 de março de 2019   │     0:02  │  0

A meia Juliana está na lista de destaques da equipe do Flamengo -
A meia Juliana está na lista de destaques da equipe do Flamengo (Foto: Marcos Ramos)

 

Desde 2015, Juliana defende o Flamengo no Campeonato Brasileiro feminino de futebol. Hoje, a meio-campo de 27 anos estará em mais uma estreia do torneio (que começou ontem), contra o Iranduba, na Arena Amazônia, em Manaus.

A CBF fechou parceria com o Twitter, que irá transmitir os jogos na sua plataforma; há negociação em curso de transmissão das partidas numa emissora de TV aberta , apoio logístico total da entidade e cotas para todos os clubes. O número de atletas profissionalizadas também cresceu de 30 para 200, com expectativa de 600 até o fim da temporada.

O momento atual, ela acredita, é para ser agarrado com unhas e dentes. É o ano em que a Copa do Mundo da categoria será transmitida na TV aberta pela primeira vez. O Brasil tem a grande estrela do evento, a seis vezes melhor do mundo Marta. E a CBF e a Conmebol vincularam a participação dos times masculinos em suas competições à formação de equipes femininas profissionais e de base:

Segundo a CBF, “este ano promete pela grande visibilidade que o futebol feminino vai ter. É muito importante para a gente que as pessoas possam ver os jogos, ver as mulheres jogando”.

Além da maior projeção da competição, os clubes tradicionais, obrigados a investir na categoria pelas entidades, percebem novas oportunidades de negócios e investimentos.

Premiações ainda são baixas

A vida das mulheres no futebol no Brasil está longe de ser a dos sonhos. Os valores de salários e premiações, se comparados com o universo masculino, são ínfimos.

No Brasileiro de 2018, o time masculino do Palmeiras, por exemplo, recebeu R$ 18 milhões. O Corinthians, campeão feminino, ficou com R$ 120 mil. Menos de 1% do prêmio pago aos homens. Na Libertadores, a diferença se mantém. Ano passado, foram R$ 35 milhões para os campeões e R$ 206 mil para as campeãs.

Blog com EXTRA

Enfrentado adversários difíceis, Brasil acumula derrotas e mostra pouco repertório
   11 de março de 2019   │     0:01  │  0

Treinado por Vadão (no detalhe), o Brasil foi muito mal no Torneio She Believes
Treinado por Vadão, o Brasil foi muito mal no Torneio She Believes (Foto: Douglas DeFelice/Reuters)

A três meses da estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo feminina da França, os resultados recentes na preparação geram um alerta. Nas últimas dez partidas, foram oito derrotas e duas vitórias. Mas o sinal amarelo vai além dos placares e envolve a falta de repertório e organização tática.

Desde o título da Copa América, em abril de 2018, a CBF optou por colocar as meninas diante de adversários que estão acima no Ranking da Fifa — e essa lista aumenta gradualmente, já que o Brasil está em décimo, pior colocação na história. Independentemente, a sensação é que o time de Vadão não está em curva ascendente.

— Há muitas coisas que não fazem sentido. Você não vê um destaque. A Marta fica prejudicada porque volta muito, não tem transição. Se comparar com o desempenho da seleção com o próprio Vadão, em 2015, 2016 e agora, é impressionante o desnível. Não tem setor que funcione — avalia a jornalista Renata Mendonça, do site Dibradoras, especializado em futebol feminino, lembrando a trajetória que teve queda nas oitavas de final da Copa-2015 e quarto lugar na Rio-2016.

Nos dez jogos desde o sucesso na Copa América, justamente a competição que deu vaga no Mundial, foram pelo menos duas partidas contra Estados Unidos, Inglaterra e Japão. As três seleções estiveram ao lado do Brasil no Torneio She Believes, competição concluída na semana passada: o time de Vadão perdeu os três jogos.

Embora o sistema do futebol feminino no Brasil ainda tenha problemas estruturais — apesar das evoluções recentes, como as Séries A1 e A2 do Brasileiro —, é possível destacar quem está no topo da pirâmide: as jogadoras da seleção. A maioria atua fora do Brasil. Na última lista, 17 das 23 convocadas. Aí, a expectativa cresce. Só que o resultado ainda não veio.

— Estamos jogando contra as melhores. Se quiséssemos maquiar resultados, marcaríamos amistosos fáceis. Mas jogar contra seleções abaixo de nós não construiria nada — argumenta Marco Aurélio Cunha, coordenador do futebol feminino da CBF.

Na Copa do Mundo, o Brasil está no grupo de Austrália, Itália e Jamaica.

Blog com EXTRA

Post enigmático de Marta é ação de marketing da Netflix
   20 de fevereiro de 2019   │     11:55  │  1

Marta participa de ação para divulgar série da Netflix
Marta participa de ação para divulgar série da Netflix (Foto: Reprodução)

 

Um post enigmático em que Marta anunciava que se dedicaria à família em 2019 levantou dúvidas sobre uma possível aposentadoria da melhor jogadora de todos os tempos. Mas a publicação não passou de uma ação de marketing, como revelou a camisa 10 em novo post nesta quarta-feira.

A ação foi uma parceria de Marta com o serviço de streaming Netflix para divulgar a série The Umbrella Academy, que estreou na última sexta-feira e narra a história de jovens com superpoderes que se unem para combater o mal.

Caaaaalma, galera! Eu só disse que iria me dedicar à família, não largar meu superpoder de jogar bola”, tranquilizou a brasileira nas redes sociais.

O novo post de Marta foi recebido com alívio por torcedores nas redes. “Não mata a gente do coração”, escreveu um deles. “Achei que não ia jogar a Copa, fiquei preocupada”, comentou outra. “A rainha quase mata os brasileiros do coração”, acrescentou outro.

NOTA DO BLOG

Seja qual for a intenção de um dos seus patrocinadores, faltou esclarecer melhor a ‘Pegadinha’ que assustou todos os alagoanos. Aqui, muito diferente de outras regiões do Brasil, costumaos afirmar que ‘brincadeira tem hora’.

Arivaldo Maia e EXTRA

 

Bomba: Marta diz que vai encerrar sua brilhante carreira
   19 de fevereiro de 2019   │     12:01  │  0

Resultado de imagem para Marta, jogadora fpora de spérie

 

Nesta terça-feira, Marta, (foto acima/FOX Sports), pegou a todos de surpresa com uma postagem em uma de suas redes sociais. No dia em que completa 33 anos de idade, a maior jogadora de futebol da história revelou que fará uma pausa na carreira e ficará longe dos gramados por um ano.

A justificativa é de que se dedicará exclusivamente à família. Orgulho dos alagoanos, torcedora do CSA, Marta é um diferencial no futebol feminino no universo inteiro, sem falar na sua conduta exemplar.

“Comunico a todos uma decisão importante: este ano, vou me dedicar à minha família. Afinal, família vem sempre em primeiro lugar. Obrigada pelo apoio de sempre”, escreveu a atleta, em publicação que conta com uma foto artística sua, em preto e branco.

Blog com ESPN

Marta é 1ª mulher a deixar marca na calçada da fama do Maracanã
   12 de dezembro de 2018   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Marta

 

A jogadora alagoana Marta, (foto acima/Veja), eleita seis vezes a melhor do mundo, deixou a marca de seus pés na calçada da fama do estádio do Maracanã na última segunda-feira e, por ser a primeira mulher a receber a honraria, acredita que o feito foi uma vitória das mulheres do esporte brasileiro.

“Estou super feliz com esse reconhecimento e foi algo incrível … é mais uma cerejinha do bolo representando todas as meninas e todas as mulheres que lutam no esporte em geral“, disse ela no estádio.

“Espero que não seja a única e que outras mulheres deixem suas marcas aqui”, acrescentou ela.

Na calçada da fama do Maracanã estão as marcas dos pés de craques como Pelé, Zico e outros que brilharam no estádio e no mundo do futebol.

Marta defendeu apoio dos governos e políticas públicas de incentivo ao esporte brasileiro, começando pela base, nas escolas espalhadas por todo país.

“Peço em nome do esporte e assim a gente poderá cada vez mais ter oportunidade de representar no país e inspirar as crianças a praticar o esporte“, afirmou a camisa 10 do Brasil.

A jogadora acredita que seus feitos no futebol têm ajudado e estimulado as mulheres a buscarem cada vez mais seu espaço na sociedade brasileira.

“Esporte é cultura, te ensina valores e uma ferramenta fundamental para nosso dia a dia”, disse Marta, ao destacar que o futebol é sua vida. “Não sei se daqui a 5 anos vou estar jogando, mas me vejo envolvida no futebol de alguma maneira… meu pensamento é ajudar de alguma maneira“, finalizou a atleta de 32 anos.

Além dos pés, Marta vai ter um espaço com exposição de outras peças ligadas à sua história, como chuteiras, camiseta e troféu que ficarão à disposição dos visitantes do estádio.

Blog e EXTRA