Category Archives: Futebol Feminino

Brasil pode sediar Copa do Mundo feminina de 2023
   24 de janeiro de 2020   │     15:00  │  0

Resultado de imagem para Seleção feminina do brasil

Marta & Cia: Brasil poderá fazer Copa Feminina em casa (Foto: El País)

Quatro países apresentaram candidaturas para sediar a próxima Copa do Mundo, em 2023: Brasil, Colômbia, Japão e a candidatura conjunta entre Austrália e Nova Zelândia, anunciou a Fifa.

“Estas quatro candidaturas foram apresentadas antes da data-limite de 13 de dezembro”, escreveu a Fifa em comunicado.

“A Fifa colocará agora em prática um processo de avaliação, incluindo visitas de inspeção entre janeiro e fevereiro de 2020”, concluiu a entidade.

A Fifa deverá escolher a sede da próxima Copa do Mundo feminina na reunião de seu Conselho, no início de junho de 2020 em Addis Abeba, capital da Etiópia.

A entidade que rege o futebol no mundo confirmou a ampliação de 24 para 32 seleções na próxima Copa feminina, num momento em que o futebol feminino vem ganhando popularidade.

Blog com AFP

 

Mundial Feminino poderá ser realizado a cada 2 anos
   22 de dezembro de 2019   │     21:00  │  0

Atualmente, a competição é disputada a cada quatro anos; próxima edição será em 2023

Fifa já decidiu expandir o Mundial Feminino de 24 para 32 seleção a partir de 2023 (Foto: Jose Cabezas/Reuters)

O Mundial Feminino pode ser realizado a cada dois anos, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino, nesta sexta-feira. Atualmente, a competição é disputada a cada quatro anos, com a seleção norte-americana tendo levantado o troféu em 2015 e novamente em julho na França.

Infantino explicou ter ficado interessado em uma proposta da Federação Francesa de Futebol para dobrar a frequência do Mundial Feminino por causa de seu “incrível impacto para o desenvolvimento do jogo” comparado ao torneios de futebol de clubes. “Precisamos ver que tipo de grandes eventos podemos criar”, disse Infantino. “Então estamos estudando isso, é claro.”

A Fifa já decidiu expandir o Mundial Feminino de 24 para 32 seleção a partir da sua próxima disputa, em 2023. O anfitrião desse torneio será decidido em junho, em votação dos membros do Conselho da Fifa. A entidade recebeu ofertas do Brasil, do Japão, da Colômbia, além de uma candidatura conjunta de Austrália e Nova Zelândia.

O Mundial Feminino já teve oito edições, tendo começado a ser disputado em 1991. O melhor desempenho da seleção brasileira se deu em 2007, quando perdeu a final para a Alemanha.

Blog com Esportes Band

Brasil se candidata a receber Mundial Feminino de 2023
   17 de dezembro de 2019   │     0:03  │  0

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já entregou na sede da Federação Internacional de Futebol (Fifa) em Zurique (Suíça), os documentos para apresentar o Brasil como candidato para sediar a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2023.

Segundo a CBF, “a proposta do Brasil prevê jogos em oito cidades distribuídas em todas as regiões do país, que também receberam jogos da Copa do Mundo de 2014. São elas: Manaus, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre”.

O Brasil concorre ao direito de sediar o Mundial Feminino de 2023 com Colômbia, Japão e com a candidatura conjunta de Austrália e Nova Zelândia.

Blog com A TARDE

 

Futebol feminino do Flu em crise
   9 de dezembro de 2019   │     0:02  │  0

O verdadeiro drama financeiro vivido pelo Fluminense não faz distinção de categoria ou sexo. Nem mesmo os bons resultados obtidos pelo futebol feminino nesta temporada diminuiram a agonia de quem está há quatro meses sem receber. Sem saber o dia de amanhã, as atletas tricolores se atropelam com dívidas e assinaram uma carta-reclamação para pedir ajuda.

EXTRA teve acesso à carta assinada pelo elenco, onde questionam “não entrarem na fila” quando há dinheiro para pagamento oriundo da venda de atletas e reclamam de promessas não cumpridas. O último débito aconteceu no mês de agosto — como as atletas são bolsistas (custo de R$ 30 mil por mês), não recebem salário do clube.

— Todas as vezes que é liberado alguma grana para acertar as contas, nós não entramos nem na fila. Tanto é que já completamos quatro meses de salários atrasados […] Não queríamos que chegasse a esse ponto, mas tivemos que desabafar e lutar pela nossa causa — diz um dos trechos da carta.

Em contato, algumas atletas relataram que estão correndo risco de serem expulsas de casa devido ao atraso no pagamento do aluguel. Outras, que vieram de outros estados para jogar no clube, e não estão conseguindo se sustentar.

— As promessas são de que o clube recebeu dinheiro de algumas vendas de jogadores e que receberíamos. Estamos escutando essa mesma coisa tem quatro meses — disse uma das atletas, que preferiu não se identificar.

Procurado, o Fluminense informou que “recebem suas bolsas ao mesmo tempo de todos os outros bolsistas do clube e, portanto, estão sujeitas ao mesmo período de atraso” e que “de nenhuma forma estão sendo preteridas em relação aos outros”.

O clube também afirma que “além das bolsas, as atletas recebem plano de saúde, plano dentário, vale-transporte e alimentação nos treinos” e que “segue trabalhando para resolver todas as questões financeiras o mais rápido possível”.

Blog com EXTRA

Corinthians conquista mais um título feminino
   17 de novembro de 2019   │     22:30  │  0

Com mais uma atuação avassaladora, o Corinthians sagrou-se, pela primeira vez, campeão paulista de futebol feminino ao bater novamente o São Paulo por 3 a 0, ontem, em Itaquera. A conquista consagra a excelente campanha do time de Parque São Jorge, que venceu simplesmente todos os 20 jogos que disputou na competição.

Foram marcados diante do rival os últimos três dos 67 gols anotados (com somente sete sofridos) pela equipe, dispensando a vantagem obtida há duas semanas no Morumbi, quando as corintianas venceram por 1 a 0.

Do outro lado, a derrota freia a rápida ascensão do São Paulo, que veio da Série A2, chegou à terceira final de campeonato no ano e tentava sua terceira taça estadual – vencera em 1997 e 1999.

No primeiro tempo, o Corinthians simplesmente não parecia ter a vantagem do empate. Embalado por sua torcida, um público de quase 30 mil pessoas em Itaquera, as atuais bicampeãs da Libertadores partiram para o ataque.

E logo aos quatro minutos de partida, Victoria Albuquerque fez um belo gol, ganhando na velocidade da zaga rival e batendo de cobertura para vencer a goleira Carla e abrir o placar da decisão.

Melhor durante boa parte da primeira etapa, as comandadas do técnico Arthur Elias voltaram com ritmo semelhante para o segundo tempo. Em ótimo contra-ataque, Juliete ampliou, aproveitando assistência de Milene.

Com seu principal destaque, a atacante Cristiane, apagado na partida, o São Paulo até buscou se lançar ao ataque para reagir a tempo, mas foi o Corinthians que acabou tendo as melhores chances para ampliar. Na última delas, aos 35, Victoria Albuquerque devolveu a gentileza a Milene em jogada que acabou no fundo das redes, fechando a conta e sacramentando o inédito título corintiano.

Blog  com Esportes Band