Category Archives: Ex-jogadores

Autópsia confirma que parada cardíaca causou a morte do capitão da Fiorentina
   8 de março de 2018   │     0:03  │  0

Astori foi encontrado morto em hotel

Uma autópsia realizada terça-feira confirmou que o capitão da Fiorentina, Davide Astori, (foto acima/AFP), morreu após sofrer uma parada cardíaca no último domingo. Ele foi vítima deste problema súbito dentro de um hotel de Údine, onde o time estava concentrado para enfrentar a Udinese naquele mesmo dia pelo Campeonato Italiano. O morte trágica provocou o adiamento de toda a rodada de domingo da competição nacional.

Os legistas que realizaram a autópsia no atleta, que tinha apenas 31 anos de idade, descobriram que a morte foi causada por “uma parada cardíaca sem explicação macroscópica, seguramente como consequência de uma bradiarritmia”, informou a Fiorentina, por meio de nota publicada em seu site oficial.

“O exame confirmou que foi uma morte súbita e inesperada sem nenhuma motivação particular. Os batimentos cardíacos diminuíram lentamente até pararem. Um exame histológico adicional será realizado dentro dos próximos 60 dias. Mas agora o corpo pode ser devolvido à família”, completou o comunicado do clube de Florença, onde o defensor se tornou um ídolo depois de ter sido revelado pelo Milan, traçado passagem marcante com a camisa do Cagliari e ainda atuado pela Roma em uma temporada.

O atleta, que defendeu também a seleção italiana em 14 partidas, entre 2011 e 2017, esteve presente na Copa das Confederações realizada no Brasil em 2013. Após a autópsia, o corpo de Astori foi levado para Florença, onde ele morava, e haverá velório no centro de treinamento nacional da seleção italiana, nos arredores da cidade, onde amigos e fãs poderão comparecer. O funeral está marcado para hoje, dia 08/03, na Basílica di Santa Croce, também em Florença.

Blog com O DIA

Túlio Maravilha e Romário alertam sobre comemorações provocativas
   27 de fevereiro de 2018   │     0:01  │  0

Autor do gol que deu o título do Campeonato Brasileiro de 1995 ao Botafogo, Túlio Maravilha comemorou o tento comendo grama

Autor do gol que deu o título do Campeonato Brasileiro de 1995 ao Botafogo, Túlio Maravilha comemorou o tento comendo grama (Foto: Lance)

 

Comemorações polêmicas voltaram a ser destaque dentro dos campos e na mídia nas últimas semanas. Após o episódio do “chororô” de Vinícius Junior na semifinal da Taça Guanabara contra o Botafogo, Bahia e Vitória protagonizaram um clássico sangrento no último domingo. Depois de marcar um dos gols da partida, o atacante Vinícius comemorou fazendo o “créu” em frente a torcida do Vitória, no Barradão, ato que deu início a uma briga generalizada entre jogadores das duas equipes. O clássico, que começou com a promessa de paz, chegou ao fim 11 minutos antes do tempo regulamentar e com sete jogadores expulsos.

Apesar do momento de rivalidade à flor da pele, não é difícil recordar comemorações que empolgavam a torcida nas arquibancadas, como Bebeto com o tradicional “embala neném”, criado para homenagear o filho Mattheus, e Pelé, com o soco no ar, que jamais ofendeu ou machucou um rival. Também cabe destaque às histórias mais “recentes”, casos da comemoração de Túlio Maravilha comendo grama ao marcar um gol pelo Glorioso, na final do Brasileirão de 1995, contra o Santos, e Romário pedindo silêncio aos torcedores que criticavam seu desempenho quando balançava as redes pelo Vasco.
Em entrevista ao LANCE! , Túlio Maravilha e Romário, ídolos do futebol pela irreverência em campo e também pelos gestos festivos no ato do gol, mandam um recado para os atletas que buscam se firmar no esporte: a comemoração é válida desde que o respeito seja mantido entre as equipes.

– Qualquer um pode comemorar seu gol desde que não provoque a torcida a ponto de gerar briga e confusão. O jogador que marca, deve comemorar e o futebol brasileiro é assim, é catimbado. As pessoas gostam de zoar e isso deve ser levado na esportiva, mas é vista de outra forma dependendo da rivalidade dos times que estão em campo. A forma de se comemorar vai pela emoção do momento. Gestos obscenos geram revolta em campo e na torcida mesmo, então devem ser evitados principalmente porque geram punição seguindo a regra da CBF – disse o Baixinho.

Destaque no Botafogo e autor do gol que deu o título do Campeonato Brasileiro de 1995 à equipe, Túlio Maravilha afirma que o caminho para evitar confusões é abusar da criatividade na hora de festejar.

– Estou triste e indignado porque qualquer comemoração que o jogador faz hoje, o torcedor e às vezes até os próprios atletas adversários levam para o outro lado. Tem uma frase típica da minha carreira que diz: “O perdedor justifica e o ganhador comemora”. Então, quando se ganha ou faz um gol, tem que comemorar e extravasar mesmo. Claro que isso deve ser feito com respeito, sem gestos obscenos para a torcida ou membros do clube. O futebol já está chato e sem graça e o torcedor quer ver gols. As comemorações dependem de cada jogador. No meu caso, eu fazia gols e dava nome a eles, homenageava papai, mamãe, coelhinho da Páscoa, dia de feriado… Tem que usar a criatividade. Hoje, com a internet, tem várias maneiras de você se inspirar para comemorar um gol.

Blog com Terra Esportes

Ronaldinho Gaúcho negocia jogo com as lendas do Barcelona em Recife
   26 de fevereiro de 2018   │     0:03  │  0

Oficialmente aposentado desde o mês passado, Ronaldinho Gaúcho pode fazer sua primeira aparição como um ex-atleta em 14 de abril. O craque está negociando para participar de um amistoso no time das lendas do Barcelona diante de uma seleção de ex-atletas de Sport, Náutico e Santa Cruz, na Arena Pernambuco.

O Barcelona Legends disputa partidas pelo mundo com jogadores que passaram pelo clube. Mas há uma condição: ter vencido a Liga dos Campeões ao menos uma vez pelo Barça.

Os organizadores do jogo em Recife estão convencidos de que Ronaldinho Gaúcho marcará presença, apesar de as negociações com seu irmão, Assis, serem complexas – algo que acontecia com frequência com todos os clubes brasileiros que tentaram contratá-lo durante sua carreira.

Uma postagem de Gaúcho no Instagram só aumentou a confiança na presença do craque. “Tenho muito carinho pela região Norte/Nordeste do Brasil, seria uma alegria muito grande vestir uma camisa de lá”, escreveu o melhor jogador do mundo em 2004 e 2005.

Além de Ronaldinho, o Barcelona Legends deve ter em campo outros dois brasileiros que fizeram sucesso com a camisa da seleção brasileira: Rivaldo e Edmilson. Pernambucano de uma cidade chamada Paulista, Rivaldo seria uma atração tão grande quanto Gaúcho por estar jogando diante de seus conterrâneos.

Depois de passar por Recife, as lendas do Barcelona já têm data para atuar no Camp Nou. De acordo com o site oficial do clube, Ronaldinho, Rivaldo, Kluivert, Giuly e Edmilson estarão em campo no dia 30 de junho. No ano passado, o time esteve na Índia, na Bulgária e no lendário Old Trafford, estádio do Manchester United, na Inglaterra.

Já a seleção pernambucana terá sua escalação definida pelo público, que votará para eleger quais ex-jogadores que fizeram sucesso nos três grandes de Pernambuco deveriam ser relacionados.

Texto: Blog do Jorge Nicola

Vasco oferece tratamento a Valdiram, e Renato Gaúcho, seu ex-técnico, se sensibiliza
   12 de fevereiro de 2018   │     0:03  │  0

Valdiram conversa com Renato Gaúcho em treino do Vasco, em 2004
Valdiram conversa com Renato Gaúcho em treino do Vasco, em 2004 (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)

 

A notícia de que Valdiram virou morador de rua, revelada pelo EXTRA, comoveu o mundo do futebol. Do lamento à solidariedade, não faltaram reações. Para o ex-jogador, a mais animadora veio do Vasco. Seu ex-clube conseguiu viabilizar tratamento numa clínica de reabilitação.

— Vínhamos pensando em fazer programas estruturados, e não compensatórios, para estes ex-jogadores em situação delicada. O caso do Valdiram acabou precipitando isso — disse o vice-presidente social cruz-maltino José Pinto Monteiro.

A ideia é submeter Valdiram a uma bateria de exames clínicos (sangue, urina, pulmão). Caso nenhuma doença seja detectada, ele será encaminhado para a clínica.

O sindicato dos atletas de futebol do Rio (Saferj) está de olho no caso. O presidente da entidade, o ex-jogador Deninho, afirmou que acompanhará as movimentações do Vasco. Ele defende as medidas propostas pelo clube.

— É preciso conhecer de perto. Mas, pelo que pude ver, o caso dele é clínico. Não adianta só dar dinheiro — defende Deninho.

O trabalho social da Saferj, que orienta e emprega ex-jogadores, ganhou publicidade em 2013, quando ajudou o ex-lateral do Botafogo Perivaldo. Ele morava nas ruas de Portugal e foi trazido de volta para o Brasil.

— Os casos são diferentes — pondera Deninho. — Com o Perivaldo, não havia caso de drogas ou alcoolismo.

Mesmo quem conheceu de perto as limitações de Valdiram não deixou de se comover. Foi o caso do técnico Renato Gaúcho. Foi sob seu comando, no Vasco, que o ex-atleta chegou à artilharia da Copa do Brasil de 2006.

— Ajudei muito o Valdiram no Vasco. Conseguimos recuperar ele, que foi muito importante na campanha da Copa do Brasil — recorda-se. — Da mesma forma que fiquei feliz em poder ajudá-lo, fico muito triste de ver que chegou nessa situação.

Valdiram foi titular no ataque vascaíno. Mas a indisciplina obrigou Renato a barrá-lo da decisão da Copa do Brasil, contra o Flamengo.

— Toda semana o multava. Cansei de dar conselhos. E usava essa multa não só para puni-lo, mas para tentar por juízo em sua cabeça.

Blog com EXTRA

Chicão vence ação contra o Corinthians e explica: “Tenho o direito de receber”
   9 de fevereiro de 2018   │     0:04  │  0

   Chicão ganhou oito títulos pelo Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

O Corinthians foi condenado nesta semana na Justiça em processo movido por Chicão (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

O ex-zagueiro venceu a ação no Tribunal Superior do Trabalho (TST), a última instância trabalhista. Ele pleiteava valores relativos a direito de arena – entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões.

Ao jornal “LANCE”, o Corinthians diz que ainda pode recorrer no Superior Tribunal Federal (STF).

Em entrevista ao “Fox Sports”, o ex-zagueiro defendeu-se das críticas que vem recebendo nas redes sociais por parte dos torcedores desde que o caso ganhou repercussão na imprensa.

Chicão cobrou a diferença de 5% para 20% no pagamento dos direitos de arena do período em que esteve no clube, entre 2008 e 2013.

– Eu jamais ia fazer isso por coisas absurdas, até pelo carinho que tenho pelo clube. Fiz o que a lei me respalda a fazer, trabalhei e tenho o direito de receber. Entrei com relação aos 15% do que a gente deveria receber. Se o clube tivesse pago 20% na época, nada disso estaria acontecendo.

Com oito títulos no Corinthians (Série B, Copa do Brasil, dois Paulistas, um Brasileiro, uma Libertadores, um Recopa e um Mundial), ele aparece na história como o segundo maior zagueiro-artilheiro, com 42 gols. Apenas Grané, entre 1924 e 1934, fez mais (50).

Blog com Globoesporte