Category Archives: Ex-jogadores

Morre Pietro Anastasi, Ídolo da Juventus da Itália
   19 de janeiro de 2020   │     15:00  │  0

Resultado de imagem para Pietro Anastasi, ex-jhogador da Juve

 

Considerado um dos grandes nomes do futebol italiano nos anos 1970, o ex-atacante da Juventus Pietro Anastasi, (destaque da foto acima/Calciopédia), morreu na noite da última sexta-feira (17), aos 71 anos, na Itália, após uma longa batalha contra o câncer.

“Hoje é um dia muito triste para toda a Juventus, para o futebol italiano e para todos os que o conhecem. Pietro Anastasi nos deixou aos 71 anos”, diz a nota oficial no site da Juventus.

O clube que consagrou Anastasi também expressou suas condolências e proximidade à esposa Anna e aos filhos, Silvano e Gianluca. Nascido em Catânia, em 1948, o ex-jogador ascendeu no futebol italiano com o Varese e chamou a atenção da Juventus e Inter. No entanto, a Velha Senhora levou a melhor e contratou Anastasi.

Durante sua carreira, ele marcou 105 gols na Série A, dos quais 78 foram pela Juventus, onde conquistou o título de artilheiro em 1968 e, em seguida, três títulos da liga na primeira metade dos anos 70. Ao todo, o italiano vestiu a camisa da Velha Senhora por 258 jogos em oito temporadas.

Já defendendo a seleção italiana, o atleta disputou 25 partidas, marcando 8 gols. Um dos momentos mais marcantes de sua vida profissional aconteceu em 1968, quando, com apenas 20 anos, ficou eternizado como o grande herói da Azzurra no único título do país na Eurocopa.

Depois de anunciar sua aposentadoria, Anastasi chegou a treinar jovens atletas por um curto período de tempo e a comentar jogos em um programa de TV.

Blog e Agência ANSA

Cafu desabafa sobre carência de laterais no Brasil
   18 de janeiro de 2020   │     0:03  │  0

Na próxima Copa do Mundo, em 2022, no Qatar, o atual lateral direito titular da seleção brasileira estará com 39 anos. Mesmo com Daniel Alves já veterano, tem sido difícil para Tite renovar a posição e encontrar um substituto à altura do atleta do São Paulo.

Para Cafu, 49, (foto acima/CBF), dono da posição por muito tempo, esse é o principal reflexo da dificuldade que o país tem de formar novos laterais direitos.

Último brasileiro a levantar a taça de campeão mundial com a seleção e titular do Brasil nos Mundiais de 1998 e 2002, o ex-jogador aponta dois fatores que na sua opinião contribuem para essa situação: novas rotinas de treinos e falta de comprometimento dos atletas.

“Eu fui formado cruzando mais de 150 bolas depois dos treinos. Hoje, os preparadores físicos não deixam mais os atletas fazerem esses trabalhos extras”, disse Cafu à reportagem durante evento em São Paulo no mês de dezembro. “Lateral com a qualidade de um Daniel Alves, Cafu, Carlos Alberto Torres vai ser um pouco difícil formar novamente.”

O ex-atleta, no entanto, não atribui a dificuldade apenas aos preparadores físicos. Para ele, falta atitude dos próprios jogadores. “Na nossa época, tínhamos um comprometimento maior com a camisa que vestíamos”, afirmou.

Cafu acredita que os salários milionários que os principais jogadores do país recebem atualmente estão moldando uma geração mais acomodada.

“Não sou contra jogador ganhar altos salários. O que eu sou contra é o jogador não ter comprometimento baseado naquilo que eles ganham”, disse.

Em 2002, ano em que foi campeão do mundo com o Brasil, o salário de Cafu na Roma era estimado em 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 26 milhões em valores atualizados) por ano.

Antes de voltar ao Brasil para defender o São Paulo, o último clube de Daniel Alves na Europa foi o PSG, no qual ele recebia 8,4 milhões de euros por ano (cerca de R$ 37 milhões em valores atualizados).

No time do Morumbi, o lateral tem vencimentos estimados em R$ 1,4 milhão por mês, com um contrato até dezembro de 2022. A esse valor mensal ainda podem ser acrescidos bônus, com gatilhos como conquistas de títulos e prêmios individuais.

Cafu deixou os gramados em 2008. O último clube dele foi o Milan, da Itália, pelo qual conquistou 6 dos 25 títulos de expressão de sua carreira. Pelo São Paulo, ergueu 10 troféus, incluindo o bicampeonato da Libertadores e do Mundial de Clubes (1992 e 1993).

A carreira vitoriosa e o reconhecimento internacional, no entanto, não evitaram que o ex-jogador enfrentasse dificuldades financeiras em seus negócios. Em julho de 2019, o jornal Folha de S.Paulo revelou que ele possui dívidas de várias espécies e perdeu, no Tribunal de Justiça, cinco imóveis em pagamentos para cobrir empréstimos milionários.

Além desses bens, outros 15 imóveis no nome dele e no nome de sua esposa, Regina, estão penhorados por dívidas da Capi-Penta International Player, empresa criada em 2004 para gerenciar a carreira de atletas e que pertence ao casal.

A companhia é cobrada por empréstimos que vão de R$ 1,1 milhão a R$ 6 milhões.

Em dezembro, a Fundação Cafu anunciou o encerramento definitivo de suas atividades. A instituição é cobrada pela Dívida Ativa da União em R$ 857 mil.

Em nota, a fundação explicou que passava por dificuldades havia alguns anos, e que elas se agravaram recentemente. “2018 e 2019 foram muito difíceis, duros. Tanto para a fundação, como para seu idealizador, Cafu, que está enfrentando uma das maiores perdas de sua vida”, dizia o texto, em referência à morte do filho mais velho do ex-jogador, Danilo, em setembro do ano passado.

Na entrevista que concedeu à reportagem, Cafu solicitou que fossem feitas apenas perguntas sobre futebol e sua carreira, evitando falar sobre questões financeiras e a morte de seu filho.

Blog com Folhapress

Morre Valdir Morais, um dos maiores goleiros do Palmeiras
   12 de janeiro de 2020   │     0:03  │  0

Valdir Joaquim de Morais faleceu neste sábado em Porto Alegre (Foto: Reprodução)

 Valdir Joaquim de Morais faleceu ontem em Porto Alegre (Foto: Reprodução)

 

O Palmeiras comunicou no início da noite de ontem o falecimento de Valdir Morais, um dos maiores goleiros da história do clube. Aos 88 anos, o ídolo palmeirense estava internado em Porto Alegre, sua cidade natal, depois de passar mal. Seu quadro piorou e, no final da tarde, foi confirmada a falência múltipla dos órgãos.

Depois de um AVC, sofrido em 2016, Valdir passou a sofrer com alguns problemas de saúde. Em 2017, ele passou a ficar de cama após sofrer uma fratura no fêmur. Seu estado se agravou nos últimos meses e ficou ainda mais crítico nas semanas anteriores.

O corpo de Valdir está sendo velado no Cemitério ‘São Miguel e Almas’, neste domingo (12), das 08h30 às 16h00 e, em seguida, será cremado.

Valdir começou a sua carreira em 1947 no extinto Renner de Porto Alegre e chegou ao Verdão em 1958 para iniciar uma linda história. Considerado um dos goleiros mais completos da época, o ídolo palmeirense destacava-se por sua impulsão e elasticidade.

Com a camisa do Palmeiras, conquistou três Campeonatos Paulistas (1959, 1963 e 1966), duas Taças Brasil (1960 e 1967), um Rio-São Paulo (1965) e um Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967).

Valdir se despediu do Palmeiras em 16 de maio de 1968, na decisão da Copa Libertadores da América, em que a equipe acabou derrotada por 2 a 0 para o Estudiantes de La Plata na Argentina. O arqueiro deixou o clube com 291 vitórias, 93 empates e 96 derrotas em 480 jogos com a camisa alviverde.

Fora dos gramados, o ídolo do Palmeiras voltou à Academia na década de 1970 para ser pioneiro no cargo de preparador de goleiros. Era a primeira vez que um especialista da posição seria o responsável pelo treinamento dos arqueiros.

Além do Palmeiras, Valdir Joaquim de Morais ainda esteve na comissão técnica da Seleção Brasileira nas Copas de 1982 e 1986 como auxiliar técnico de Telê Santana. Também na década de 1980, foi preparador de goleiros no São Paulo e, no fim dos anos 90, atuou como coordenador técnico no Corinthians.

Blog com Terra Esportes

 

Luto: morre Valdir Morais, lendário goleiro do Palmeiras
   11 de janeiro de 2020   │     20:12  │  0

Valdir Joaquim de Morais ao lado do ex-presidente Paulo Nobre — Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com

Valdir Joaquim de Morais ao lado do ex-presidente Paulo Nobre (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Morreu no início da tarde deste sábado Valdir Morais, lendário goleiro do Palmeiras. Aos 88 anos, ele estava internado na emergência do Hospital Moinhos de Vento desde a madrugada da última terça-feira, após passar mal, e teve falência múltipla dos órgãos em Porto Alegre, cidade onde nasceu.

Valdir Joaquim de Morais estava com a saúde debilitada desde 2016, após ter sofrido um AVC (acidente vascular cerebral). Em 2017, ele fraturou o fêmur e passou a ficar de cama. Seu quadro de saúde piorou nos últimos meses e passou a ser crítico nas semanas finais de vida.

O corpo de Valdir Joaquim de Morais será velado no cemitério São Miguel e Almas, neste domingo, das 8h30 às 16h. Em seguida, ele será cremado.

Carreira

Valdir Joaquim de Morais defendeu o gol do Palmeiras de 1958 e 1968, período no qual atuou em 480 partidas.

Como jogador, conquistou sete títulos pelo Verdão: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967), Taça Brasil (1960 e 1967), Rio-São Paulo (1965) e Paulistão (1959, 1963 e 1966).

Ainda no Palmeiras, Valdir foi treinador interino por algumas vezes entre 1973 e 1980, consultor-técnico (à convite de Vanderlei Luxemburgo, atual treinador) de 1993 a 1997, período no qual enfileirou títulos.

Depois de se aposentar, Valdir Joaquim de Morais criou a profissão de preparador de goleiros em 1969, à época inexistente no Brasil. Nesta função, ele trabalhou na Seleção (Copa do Mundo de 1982) e também no São Paulo e no Corinthians, entre outros clubes.

Valdir Joaquim de Moraes morre aos 88 anos

Marcos beija seu ‘Mestre’ no Palmeiras

Blog com Globo Esporte

 

Cafu vive drama com a morte do seu filho
   31 de dezembro de 2019   │     17:00  │  0

Membro da Academia Laureus, o Oscar do Esporte, Cafu destaca o Flamengo e diz que o time de Jesus é digno de ser premiado

Membro da Academia Laureus, o Oscar do Esporte, Cafu destaca o Flamengo e diz que o time de Jesus é digno de ser premiado (Foto: Rener Pinheiro/Mowa Press/Divulgação)

Antes de se tornar recordista de partidas pela seleção (149 jogos), Cafu precisou deixar para trás a frustração pela reprovação em nove peneiras até ser aceito e virar profissional no São Paulo. O desafio atual do multicampeão lateral-direito agora é na vida pessoal. Em 4 de setembro, seu filho Danilo, de 30 anos, morreu após passar mal num campo de futebol.

Cafu é membro da Academia Laureus, o Oscar do Esporte, que premia atletas de desempenho destacado e exemplos de superação do esporte. O conhecimento de causa ajuda o ex-capitão no momento atual, que também passa pelo fechamento da Fundação Cafu.

A família está dando um apoio bacana. Eu dou apoio à família. Tem Wellington e a Michele, meus filhos, Gabriel e Yasmin, que são meus netos, estamos dando força um para o outro. Sempre fomos muito unidos, e isso faz com que a gente supere. Fiquei surpreso pelo carinho, pela atenção e dedicação das mensagens de todo mundo. Muitos deles conheciam meu filho. Outros, não. E meu filho, todo mundo gostava dele. Esse era um ponto positivo. Em todos os lugares que eu ia, eu o levava e ele fazia as mesmas amizades que eu. O mundo do futebol passou a mensagem, e eu fiquei muito feliz.

A mensagem que eu passo é: verdade, estou sofrendo bastante. Mas Deus está me confortando e dando força para eu superar tudo isso. Estou me apegando às coisas que eu sempre gostei de fazer, nas coisas que meu filho fazia. É o que vai confortando a ausência. O choro vai ser para sempre, não tem jeito. Mas o sorriso vai voltar. Vou voltar a dar o sorriso que as pessoas conhecem.

Com relação ao Flamengo, Caju diz o seguinte:

Sem sombra de dúvida. Fecharia com chave de ouro se conquistasse o Mundial. Vendo de fora, é um time coeso, que joga em conjunto. Não existe a disputa: “eu faço o gol” ou “eu sou o melhor”. Um toca a bola para o outro. Quando um está mais bem posicionado, procura o companheiro. Isso é digno de um grande time.

Blog com EXTRA