Category Archives: Ex-Dirigentes

Blatter abre o jogo sobre corrupção na Fifa e critica Neymar
   17 de abril de 2019   │     0:02  │  0

Resultado de imagem para Blatter. ex da Fifa

 

O ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, (foto acima/BBC com), abriu o jogo sobre diversos assuntos que permeiam a entidade e o futebol de uma forma geral. Em entrevista ao ‘Uol’, o suíço analisou os casos de corrupção e disse “não saber de nada”, além de ressaltar que a Fifa foi uma “vítima”. Também comentou sobre a organização das Copas do Mundo, incluindo a de 2014, no Brasil e criticou a proposta de um novo modelo com 48 seleções, falando também sobre a figura de Neymar como ídolo.

PALMEIRAS CAMPEÃO MUNDIAL
– Concordamos em reconhecer o Palmeiras. Devemos reconhecer que o Palmeiras foi o primeiro campeão mundial de clubes e ponto final. Foi o primeiro

CORRUPÇÃO NA FIFA
– A Fifa foi sequestrada, foi vítima. Devo dizer que fizeram isso de forma inteligente. Tínhamos a impressão de que a Fifa era a responsável por tudo. Mas, assim que a Copa começou, tudo ficou mais calmo. Claro, até a famosa semi-final entre Brasil e Alemanha.

RICARDO TEIXEIRA
– A última vez que o Brasil ganhou uma Copa foi sob sua presidência em 2002. Mas, em todos os negócios e no futebol, não se pode ser um ditador. Isso não é bom. Na política, em alguns países, você precisa de um ditador. Mas, aqui, no futebol, o exemplo da Alemanha é ainda mais relevante que os casos do Brasil e Argentina. Pelo Brasil, ele foi positivo (Ricardo Teixeira). Para o mundo? Eu não sou juiz.

INOCÊNCIA
– Eu não sabia o que eles estavam fazendo. Eu não era responsável pelo que fizeram. Eu posso ser responsável por não ter visto o que havia um grupo dentro da Fifa que queria tomar a presidência. Fui tolo de não ter sentido isso (…) Podem procurar, nunca vai aparecer, eu não estou na corrupção

CRISE DE 2015
– Eu não renunciei. Coloquei meu mandato à disposição, mas, depois, fui suspenso. Por que coloquei a disposição? Nos EUA, nos disseram que éramos uma organização criminosa. Assim que eu coloquei meu mandato à disposição, fomos considerados vítimas. Depois, em outubro de 2015, fui suspenso. Eu aceitei, mas não deveria. Um comitê não pode suspender um presidente que foi eleito pela assembleia

DOMÍNIO EUROPEU NA COPA
– Hoje, na América do Sul, temos duas federações com um futebol excepcional, que são Brasil e Argentina. O Uruguai também teve essa posição no passado. Mas onde estão os demais? Peru, Colômbia? Deviam estar presentes, mas nã estão. O número de europeus na Copa é maior. Além disso, eu diria que, para os europeus, ter seus jogadores atuando em casa ajuda muito. Não acho que há um declínio do futebol sul-americano. Mas com a exceção do Brasil e Argentina, o restante está dormindo. Eles estão dormindo.

NEYMAR
– Ele não é um líder. Ele é um jogador excepcional. Mas não tem o carisma de um líder, como foi Ronaldo

ESTÁDIOS BRASILEIROS DA COPA DE 2014
– Eu disse que poderíamos fazer com nove estádios, mas eles apresentaram um projeto com 17 estádios. (Quem sugeriu) Foi a CBF. O Comitê Organizador, que era a mesma coisa. Dissemos que poderíamos fazer com dez, mas vieram com o argumento de que não estamos num país, mas num continente, e, portanto, deixe-nos jogar em todo o continente. Acabou que fechamos com doze estádios. (…) No caso do Brasil, tivemos uma discussão sobre Manaus. E eles disseram que, depois, seria usado para festivais de música. Esse é o risco de megalomania, quando você quer ser maior que de fato você é.

COPA COM 48 SELEÇÕES
– Desde o começo, eu disse que não vejo isso como uma boa solução. Existem dois motivos. O primeiro deles é mesmo a qualidade. Teremos praticamente um a cada cinco times do mundo na Copa. Mas o outro problema é a forma pela qual foi proposto, com grupos iniciais de três seleções. Isso significa que o último jogo se abra a possibilidade de alguma coisa estranha. Não se pode jogar em grupos de três. Outro problema é que teremos quatro jogos por dia. Eu falo com muitos presidentes de federações africanas e eles estão felizes. Mas não pensam na qualidade da Copa.

Blog com Terra Esportes

Final triste: José Maria Marin é banido por toda vida pela Fifa após ser culpado por suborno
   16 de abril de 2019   │     0:02  │  0

O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi banido para sempre da Fifa
O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi banido para sempre da Fifa (Foto: DON EMMERT / AFP)

 

Uma decisão em segunda instância no Comitê de Ética da Fifa confirmou o banimento do ex-presidente da CBF José Maria Marin de todas as atividades relacionadas ao futebol. Ontem, a entidade informou sobre a sua decisão em um comunicado.

O ex-dirigente foi banido por toda vida de todas as atividades relacionadas ao futebol (administrativas, esportivas ou qualquer outra) em nível nacional e internacional. Além disso, a Fifa ainda aplicou uma multa no valor de 1 milhão de francos suíços (o equivalente a R$ 3.855.471 milhões).

Em 2015, Marin tinha sido banido de forma provisória, mas agora o Comitê julgou o mérito da causa. A decisão cabe recurso à corte de apelações da Fifa.

“A investigação sobre o senhor Marin revelou vários esquemas de suborno, em particular entre 2012 e 2015, na relação com seu papel em conceder contratos a empresas de mídia e direitos de marketing de competições da Conmebol, Concacaf e CBF”, diz parte do comunicado da Fifa.

José Maria Marin foi condenado a quatro anos de prisão em agosto de 2018 por crimes decorrentes do escândalo de suborno que envolveu o esporte há três anos. A sentença foi dada pela juíza Pamela Chen, da Corte Federal do Brooklyn, em Nova York, EUA. Ele terá ainda que pagar uma multa de U$ 1,2 milhões e devolver U$ 3,3 milhões.

Marin, de 86 anos, foi considerado culpado pelos crimes de organização criminosa, fraude bancária e lavagem de dinheiro no período em que foi presidente da Confederação Brasileira de Futebol, de 2012 a 2015.

Entenda o caso

A Promotoria, que o acusou de receber US$ 6,55 milhões em subornos das empresas Torneos y Competencias, Full Play e Traffic em troca da concessão de contratos para a transmissão por TV e marketing de competições como a Copa América e a Libertadores, havia solicitado uma pena de 10 anos de prisão e o pagamento de multa de US$ 6,6 milhões.

Envolvido no caso conhecido como ‘Fifagate’, Marin foi um dos dirigentes da Fifa detidos no dia 27 de maio de 2015 em um hotel de luxo de Zurique pela polícia da Suíça, a pedido da justiça dos Estados Unidos.

Depois de passar cinco meses em uma prisão suíça e ser extraditado aos Estados Unidos, pagou uma fiança de US$ 15 milhões e passou dois anos em prisão domiciliar, em seu apartamento na luxuosa Trump Tower na Quinta Avenida de Nova York, de onde saía apenas duas vezes por semana para assistir a missa.

Marin foi preso imediatamente em Nova York após sua condenação, anunciada em 22 de dezembro de 2017. Após sete semanas de julgamento no tribunal do Brooklyn, um júri popular o considerou culpado de seis das sete acusações de associação criminosa, lavagem de dinheiro e fraude bancária por aceitar subornos ligados a contratos da Copa Libertadores e da Copa América.

Durante o julgamento, a defesa o apresentou como um idoso sem poderes, a quem a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) caiu no colo de surpresa em 2012, para preencher o espaço deixado pela inesperada renúncia do até então poderoso Ricardo Teixeira.

E insistiu que, embora Marin fosse o presidente, não fazia nada sem Marco Polo Del Nero, com quem compartilhava os subornos.

Durante um jantar em 2014, Marin foi gravado falando sobre propinas por José Hawilla, empresário também acusado que colaborava com a justiça americana e que faleceu em maio deste ano.

No escândalo conhecido como Fifagate, a justiça americana acusou 42 pessoas e empresas de 92 crimes e de aceitação de mais de 200 milhões de dólares em subornos.

Blog com EXTRA

Banido pela Fifa, Del Nero repassa bens ao filho e a ex-mulher
   21 de março de 2019   │     0:03  │  0

Resultado de imagem para Del Nero

 

Acusado de suborno e corrupção, Marco Polo Del Nero, (foto acima/Folha – Uol), foi banido do futebol pela Fifa e deixou o comando da CBF, em abril de 2018. Segundo o jornal ‘Folha de São Paulo’, o ex-dirigente está se desfazendo de seu patrimônio e repassando para familiares alguns de seus bens.

O repasse

Para o filho, Marco Polo Del Nero Filho, o ex-presidente da CBF repassou sua firma de advocacia, enquanto que para ex-mulher, Márcia Baldrati, doou um imóvel avaliado em mais de R$ 5 milhões, localizado no bairro nobre de São Paulo, Higienópolis.

Redução no patrimônio

O imóvel foi adquirido em 2012 e era um bons bens mais valiosos de Del Nero. Ainda de acordo com a publicação, desde que entrou na CBF, o patrimônio do ex-dirigente teve um aumento de 175%. A doação reduziu o patrimônio imobiliário de Del Nero em 25%, caindo de R$ 6,6 milhões para R$ 5 milhões.

Desde que assumiu a CBF, em 2015, Del Nero comprou mais dois imóveis, que, juntos, somam R$ 6,8 milhões. São duas coberturas dúplex, uma delas localizada na Barra da Tijuca, no valor de R$ 5,2 milhões.

Investigações

A ex-mulher para que o aparamento foi doado já foi investigada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), por conta de doações recebidas em dinheiro vivo. Em 2015, recebeu R$ 85 mil, enquanto outras duas ex-companheiras receberam mais de R$ 1,2 milhão de Del Nero.

Blog com LANCE

Banido do futebol, Del Nero repassa bens para familiares
   20 de março de 2019   │     11:10  │  1

Resultado de imagem para Del Nero

 

Acusado de suborno e corrupção, Marco Polo Del Nero, (foto acima/Divulgação), foi banido do futebol pela Fifa e deixou o comando da CBF, em abril de 2018. Segundo o jornal ‘Folha de São Paulo’, o ex-dirigente está se desfazendo de seu patrimônio e repassando para familiares alguns de seus bens.

Desde que deixou a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em abril de 2018, após ser banido do futebol pela Fifa por acusações de suborno e corrupção, Marco Polo Del Nero, de 77 anos, vem se desfazendo aos poucos de seu patrimônio.

O cartola repassou sua empresa de advocacia em São Paulo para o nome de seu filho, Marco Polo Del Nero Filho, e doou para uma ex-mulher, Márcia Baldrati, um imóvel comprado em 2012 por R$ 1,6 milhão, localizado em Higienópolis, bairro nobre de São Paulo. O valor de mercado atual do apartamento supera os R$ 5 milhões, segundo pesquisas em sites especializados.

Na edição desta quinta o Blog destaca matéria mais detalhada sobre o caso Del Nero.

Blog com GAÚCHAZH

 

Ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda morre aos 74 anos
   12 de março de 2019   │     13:11  │  3

   Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco — Foto: Leonardo Magliano

O mais icônico dirigente do Vasco saiu de cena nesta terça-feira. Aos 74 anos, Eurico Miranda, (foto acima/ Leonardo Magliano, morreu em um hospital na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, vítima de câncer no cérebro. Atualmente, ele estava no cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube.

Nos últimos meses, Eurico não fez aparições públicas. Seu estado de saúde se agravou, e ele foi levado ao hospital na manhã desta terça. Lá não resistiu e morreu no início da tarde.

Em novembro, numa reunião do Conselho Deliberativo, já bastante debilitado, precisou de ajuda para se levantar e puxar o grito de Casaca, uma tradição do Vasco à qual se habituou a liderar.

No mesmo evento, Eurico anunciou que diminuiria a frequência de suas visitas ao Vasco e se limitaria a reuniões do Conselho de Beneméritos e do Conselho Deliberativo. Ele havia dispensado seguranças e motoristas.

Eurico se encontrava em estado debilitado desde o início de 2018. Mesmo assim, foi figura presente em jogos do Vasco em São Januário.

Antes da atual doença, o dirigente conseguiu superar um câncer na bexiga e outro no pulmão. Nos últimos meses, andava de cadeira de rodas. Recentemente, passou a se tratar em casa, com idas frequentes ao médico.

Euricio foi presidente do Vasco em dois períodos: de 2003 a 2008, e de 2015 a 2017. Também foi vice-presidente de futebol do clube entre 1990 e 2002, tendo participado do período de maiores conquistas do clube, como o Campeonato Brasileiro de 1997, a Copa Libertadores de 1998, a Copa João Havelange de 2000 e a Copa Mercosul de 2000.

Blog com GloboEsporte