/BLOGS

Arivaldo Maia

Category Archives: Ex-Dirigentes

Blatter é investigado por empréstimo de um milhão de dólares
   17 de junho de 2020   │     12:00  │  0

O ex-presidente da Fifa, Sepp Blatter, durante uma coletiva de imprensa em Zurique, no dia 8 de março de 2018© Fabrice COFFRINI – O ex-presidente da Fifa, Sepp Blatter, durante uma coletiva de imprensa em Zurique, no dia 8 de março de 2018.
O ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, está sendo investigado pela Justiça suíça devido a um empréstimo acordado pela instância em 2010 para a Federação de Futebol de Trinidad e Tobago (TTFF), disseram fontes judiciais à AFP. 
Não é “um novo processo criminal contra Joseph Blatter, mas é adicionado ao conjunto de processos criminais” aberto contra o ex-presidente da FIFA (1998-2015), afirmou o Ministério Público suíço (MPC) em um email. Esta nova parte da investigação, lançada em maio, concentra-se em outros dois membros eminentes da Fifa na época: o ex-secretário-geral Jérôme Valcke e o ex-diretor financeiro Markus Kattner.
Trata-se de um empréstimo de um milhão de dólares que a Fifa concedeu à TTFF em 2010 sem juros nem garantias, que, de acordo com o documento ao qual a AFP teve acesso, logo se tornaram um “subsídio”.
“Fui informado dessa acusação e rejeitei completamente o conteúdo”, reagiu Blatter. Essa nova ramificação da investigação vem a público no momento em que a Fifa continua sob os olhos da Justiça suíça devido a vários pagamentos fraudulentos destinados a Jack Warner, expulso da Federação Internacional pelo resto da vida depois de ter sido membro por anos e acusado de corrupção pela Justiça americana.
Blatter, no entanto, viu ser arquivada em maio uma investigação do MPC sobre um contrato de direitos televisivos acordado em 2005 para a União de Futebol do Caribe, comandada na época por Warner.
Mas o suíço ainda está sob a ameaça de outro processo criminal, o do pagamento, atrasado e sem rastro, de dois milhões de francos suíços (US$ 2,11 milhões) ao então presidente da Uefa Michel Platini, o que levou ao afastamento do ex-craque por vários anos de todas as atividades relacionadas ao futebol, o que impediu o francês de concorrer nas eleições para suceder Blatter.
Blog com AFP

Ex-presidente do Timão fala sobre dívida gigante
   23 de maio de 2020   │     16:50  │  0

Roberto de Andrade é ex-presidente do Corinthians.

Roberto de Andrade, ex-presidente do Corinthians, falou sobre a dificuldade do clube em pagar a Arena, localizada em Itaquera, na zona leste da cidade de São Paulo. O ex-mandatário afirmou que o Timão, provavelmente, levará 30 anos para quitar o estádio.

Em entrevista ao “Fox Sports”, Roberto de Andrade negou que a construção da Arena tenha sido um erro, mas admitiu que o modelo de negócio do estádio do rival Palmeiras é mais vantajoso.

“Não dá para falar que (a Arena Corinthians) é um erro, porque é o sonho de qualquer clube ter uma arena, tá certo? Pode ser que o erro… Eu não gosto de falar isso porque eu não participei da forma que foi desenhada a parte financeira. Eu não participei. Eu lembro muito bem que todo mundo criticava a forma que o Palmeiras negociou a arena dele por 30 anos com a (construtora) W. Torre. E o Palmeiras continua com a bilheteria. O Palmeiras paga um aluguel para usar o campo para a W. Torre, mas a receita do estádio é 100% do Palmeiras. Se eu não estiver errado, já deve ter passado uns seis, sete anos dessa conta, já não são mais 30, são 23 (anos). E nós fizemos de uma forma diferente”, comentou o também ex-diretor de futebol do Corinthians.

“Só que hoje, olhando, a gente vê que a forma que o Palmeiras fez foi melhor do que a nossa. Porque a gente não consegue viabilizar. Vamos pagar o estádio? Vamos pagar o estádio. Talvez não no mesmo prazo, talvez até igual o Palmeiras em 30 anos ou perto disso”, completou.

Blog com Jovem Pan

Ex-presidente do Palmeiras, é condenado por cambismo
   22 de maio de 2020   │     0:05  │  0

Mustafá Contursi durante evento de Leila Pereira, em fevereiro de 2017© Gazeta Press – Mustafá Contursi durante evento de Leila Pereira, em fevereiro de 2017.
Mustafá Contursi, ex-presidente do Palmeiras, foi condenado em um processo por cambismo de ingressos que tramitava na Justiça desde dezembro de 2017

Na ação, à qual a ESPN teve acesso, Contursi foi considerado culpado de envolvimento na revenda irregular de ingressos para jogos no Allianz Parque, desrespeitando os artigos 41-F (vender ingressos para eventos esportivos por preço superior ao estampado no bilhete) e 41-G (fornecer, desviar ou facilitar a venda de ingressos por preço superior) do Estatuto do Torcedor.

Com isso, o ex-dirigente, hoje afastado das atividades do clube, terá que pagar indenização de 25 salários em favor de instituição pública ou privada de destinação social a ser indicada pelo Juízo das Execuções Criminais de São Paulo.

De acordo com as investigações, Mustafá recebia os ingressos da Crefisa e os repassava a Eliane de Souza Guimarães Fontana, que teria fornecido para um terceiro (Anderson Munari). Munari, por sua vez, era o responsável por vender os bilhetes na porta o Allianz Parque.

Na decisão expedida nesta segunda-feira, Eliane foi condenada a dois anos e oito meses de pena restritiva,tendo que prestar serviços comunitários.

Munari, por sua vez, também terá que cumprir pena, mas de um ano e seis meses, com prestação de serviços comunitários.

Os réus ainda terão que arcar com as despesas judiciais do caso, mas poderão recorrer em liberdade.

Blog com ESPN

Morre Laudo Natel, patrono do São Paulo
     │     0:04  │  0

Laudo Natel com a maquete do Morumbi - FOTO: Arquivo Histórico do São Paulo FC© Fornecido por LANCE! – Laudo Natel com a maquete do Morumbi – FOTO: Arquivo Histórico do São Paulo FC.
Morreu na última  segunda-feira Laudo Natel, ex-presidente, conselheiro vitalício e membro nato do Conselho Consultivo do São Paulo, considerado patrono do clube por ter sido idealizador da construção do Morumbi na década de 1950. O CT da base do Tricolor, em Cotia, leva seu nome.​ 

A causa do falecimento não foi divulgada. Natel estava com 99 anos e faria seu centésimo aniversário em setembro. Ele nasceu em São Manuel, interior de São Paulo, em 1920.

Seu sobrinho, Roberto Natel, é um dos nomes cotados para ser um dos candidatos da oposição nas eleições presidenciais do São Paulo em dezembro deste ano. Ele é vice-presidente atualmente, mas rachado com Leco.

Sucessor de Cícero Pompeu de Toledo na presidência do clube, Laudo Natel ocupou o cargo entre 1958 e 1972 – estava na cadeira, portanto, quando o Morumbi foi inaugurado. Também foi governador do Estado entre 1971 e 1975, além de um mandato tampão durante oito meses entre 1966 e 1967 após a cassação de Ademar de Barros, de quem era vice.

Laudo Natel era figura importante do Banco Brasileiro de Descontos, que viria a se tornar o Banco Bradesco, quando foi consultado por Cícero Pompeu de Toledo sobre uma solução para tornar o São Paulo viável financeiramente. A saída encontrada por ele foi vender o Canindé, único bem do clube, e construir um estádio imponente, com enorme capacidade – na época, 150 mil pessoas.

A obra do Morumbi durou 18 anos. O estádio começou a ser erguido em 1952 e foi inaugurado em 1960, mas ainda pela metade. A inauguração completa ocorreu apenas em 1970. Natel já disse que, se o São Paulo fosse um clube rico, este processo demoraria no máximo três anos.

Como não era, o clube contou com a ajuda da Imobiliária Aricanduva, que doou parte do terreno, e investiu em soluções criativas para fazer dinheiro e realizar o sonho. O goleiro José Poy, ídolo do clube, ficou conhecido por bater de porta em porta para vender cadeiras cativas, por exemplo.

Blog com LANCE

Ex-ministro não recomenda volta do futebol
   10 de maio de 2020   │     8:30  │  0

© Getty – Ex-ministro Mandetta.
 

Luiz Henrique Mandetta, ex-Ministro da Saúde, conversou com exclusividade com o SportsCenter e não se mostrou favorável à volta ao futebol no país. Ele chegou a comparar a situação brasileira com a da Alemanha, que deve ter o retorno da Bundesliga já no próximo final de semana. Para Mandetta, porém, o Brasil ainda está muito longe de chegar ao mesmo patamar.

“A Alemanha vai fazer um protocolo muito rígido. É um dos poucos países que tinha uma capacidade instalada. É um país que trabalha em seus hospitais com redundância: tudo que ela tem ativo, tem no depósito do hospital em dobro. Então, quando teve necessidade, expandiu a rede muito rapidamente. E tem profissionais muito bem formados”, explicou Mandetta.

“O Brasil tem problemas de equipamentos de proteção individual, de respiradores e de profissionais de saúde. Então o que seria razoável administrarmos essas duas variáveis, velocidade de transmissão e vulnerabilidade do sistema. Melhorando a performance do sistema e controlando o máximo possível a transmissibilidade, a gente passaria por esse estresse. De uma maneira mais lenta, mas passaríamos e com menos perdas”, comparou.

“Ao meu ver, temos outras medidas mais importantes a fazer antes de falar de futebol. Acho que a gente estaria atropelando a história natural desse vírus. Não tem elementos para fazer essa decisão no momento. Estamos aumentando o número de casos. Seria decidir pelo retorno e logo na frente ter que suspender. Seria flertar com a possibilidade de uma quarentena mais rígida, de um lockdown, como se chama. Seria a possibilidade de colocar o futebol como um dos corresponsáveis de uma situação crítica para a sociedade. Não faria bem ao futebol. Acho que não tem elementos. Acho que a gente deve esperar um pouco mais e ver como isso vai se dar na Europa, onde já passou o pior da crise. Para que aí a gente possa passar da nossa crise e tomar as nossas decisões”, completou em outra resposta.

Ex-chefe da Saúde acha que não está na hora de discutir um retorno aos gramados pelo Brasil© Fornecido por ESPN –  Ex-chefe da Saúde acha que não está na hora de discutir um retorno aos gramados pelo Brasil. 

Mandetta ainda falou sobre a força do coronavírus e o impacto negativo ainda maior que um lockdwon maior pode gerar até mesmo para o futebol.

“Esse vírus gosta mesmo de ser desafiado, ele não negociou com ninguém. Não teve nenhuma pessoa, por mais poderosa e cheia de certezas, que o desafiou. Ele fez questão de derrubar sistemas, causou muito sofrimento. Estamos falando de uma doença nova, que derrubou o sistema de saúde da Itália, da Espanha, da França, da Inglaterra, de Nova York, de Chicago, da Califórnia, da Flórida… Não estamos falando de uma doença que seja passageira, leve”, disse.

“Quando você quer acelerar a volta, você corre o risco de acelerar (a transmissão) em nome do esporte ou da economia. Essa aceleração pode levar a um quadro de transmissão desordenada que leva o espaço urbano ao que estão chamando de lockdown. E quando você determina isso, aí é uma coisa muito mais dura, é ficar em casa e sair no máximo 50m sob pena de multa ou prisão. É uma coisa impositiva, a força da lei vai te colocar dentro de casa. E quando a cidade tem que apelar para esse tipo de medida, a economia, o futebol, a cultura levam muito mais tempo para se recuperar”, completou.

Mandetta foi o Ministro da Saúde do Brasil no começo da crise, mas deixou o cargo no meio de abril. A Pasta agora é comandada por Nelson Teich.

O esporte no Brasil – e em boa parte do mundo – está paralisado desde o meio de março.

Blog com ESPN

© Copyright 2000-2016 Gazeta de Alagoas Online Ltda. Todos os direitos reservados