Category Archives: Estádios

Liminar garante espaço no Maracanã para Flamengo jogar em 2018
   4 de novembro de 2017   │     0:01  │  0

Resultado de imagem para Maracanã, hoje

 

A juíza Milena Angelica Drumond Morais, da 38ª Vara Cível do Rio,  já concedeu liminar  permitindo que o time do Flamengo jogue no Maracanã, (foto acima), em 2018, sem que o consórcio que administra o estádio aumente o valor do aluguel. Atualmente, o contrato prevê que o clube pague, por partida, entre R$ 250 mil e R$ 700 mil, mais os custos operacionais. Sendo que o Fluminense, por decisão da 16ª Câmara Cível do Rio, gasta apenas R$ 100 mil. Caso o Complexo Maracanã descumpra a medida, terá de pagar multa de R$ 250 mil por partida do rubro-negro que seja impedida.

De acordo com a decisão, “o Flamengo assinou acordo financeiro que vai até o final de dezembro. E, embora alegue que os valores estabelecidos são exorbitantes, aceitou pagá-los, de modo que não se verifica parâmetros para a redução do valor, ainda que o argumento seja a fixação de valor inferior para o Fluminense por meio de decisão judicial”. A decisão da magistrada considerou documentos apresentados pelo clube, além do risco de demora, que poderia inviabilizar a realização das partidas no estádio, que, por ser um ambiente público, deve ser disponibilizados a todos.

“Assim sendo, entendo razoável a manutenção do contrato em vigor estabelecido entre as partes, que não poderá ser modificado no ano de 2018 no intuito fim de aumentar as despesas ali previstas enquanto perdurar a presente demanda ou as partes realizarem acordo de modificação das bases contratuais”, concluiu.

A juíza marcou para 5 de dezembro, às 14h, a realização de uma audiência de conciliação entre o clube e o Complexo Maracanã.

Blog com Jornal do Brasil

Acabou: Maceió não tem bebida alcoólica liberada nos estádios
   5 de outubro de 2017   │     16:56  │  3

O Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) pediu e o Poder Judiciário decretou: está proibida a venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol. A decisão, datada desta quinta-feira (5), atendeu a ação civil pública ajuizada pela Promotoria de Defesa do Torcedor da Capital e pela 1º Promotoria Cível da Capital, nessa terça-feira (4), contra a Lei nº. 6.696/17, de autoria do vereador Silvânio Barbosa, que permite a comercialização desse tipo de produto durante campeonatos.

A ação civil pública foi ajuizada pelos promotores de justiça Sandra Malta e Max Martins, das Promotorias de Defesa do Torcedor e 1º Promotoria Cível (Consumidor) respectivamente, contra a Federação Alagoana de Futebol (FAF), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude. Em caso de descumprimento, os titulares dessas duas entidades e do órgão público serão penalizados com multa de R$ 50 mil por jogo.

Na petição, o Ministério Público alegou que expediu a Recomendação nº 03/2017 para que a FAF, a CBF e a Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude cumprissem o que determina Constituição Federal e o Estatuto do Torcedor, que dizem que a legislação sobre desporto é de competência da União, dos estados e do Distrito Federal e que o consumo de bebidas não pode ser permitido em estádios de futebol. Porém, nem as entidades e nem o estado seguiram o que foi recomendado, ensejando o ajuizamento da ação civil pública.

Blog com Gazetaweb

Fla projeta estádio de olho no orçamento: “Queremos conforto, mas sem luxo”
   25 de setembro de 2017   │     0:01  │  0

Terreno que o Flamengo estuda comprar na Avenida Brasil: clube realiza reuniões diárias para avançar no projeto (Foto: Reprodução)

Terreno que o Flamengo estuda comprar na Avenida Brasil: clube realiza reuniões diárias para avançar no projeto (Foto: Reprodução)

Duas semanas depois de anunciar a assinatura de termo de opção de compra de terreno de 160 mil metros na Avenida Brasil, o Flamengo se debruça em estudos para o avanço do projeto. São reuniões quase que diárias para contratações de empresas e consultorias que vão ajudar o clube a analisar se compra ou não o local para a construção do estádio próprio.

Mas uma premissa não sai da ótica do Flamengo, garantem os dirigentes: a viabilidade financeira do projeto e a sustentabilidade do clube. Em outras palavras, como disse o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, em entrevista ao GloboEsporte.com, o clube não vai dar um passo maior que as pernas. Não vai comprometer o presente ou o futuro do Flamengo para realizar o sonho do estádio próprio.

– Sem sombra de dúvida, essa é uma das maiores preocupações (endividamento). Se o projeto caminhar, o prisma do negócio é endividar-se o mínimo possível. Não pensamos em arena de Copa. O estádio é para a torcida, com arquibancada vertical colada ao campo. Queremos conforto, mas sem luxo. Tudo gastando o mínimo possível, com muito rigor – disse Wrobel.

O Flamengo tem 120 dias para definir se compra o terreno. Por enquanto, afirma Wrobel, não houve nenhuma novidade sobre nova licitação do Maracanã ou qualquer sinal do governo sobre a reabertura da concessão do estádio. O projeto acústico na Gávea não está totalmente descartado, mas é um plano B, está em modo de espera – caso o clube não compre o terreno ao Grupo Peixoto de Castro (GPC).Wrobel não confirma os valores – há cláusula de confidencialidade -, mas o preço já acordado – e que teria que passar numa segunda fase por conselhos do Flamengo – é abaixo de R$ 80 milhões para a compra do terreno. Custo bem inferior ao levado para leilão, de R$ 157 milhões. A estimativa é que o Flamengo gastaria mais de R$ 400 milhões no total.

Blog com Globoesporte

 

 

Subutilizado após Rio 2016, Maracanã frustra futebol carioca
   19 de agosto de 2017   │     0:01  │  0

Resultado de imagem para Maracanã, hoje

A festa de encerramento da Olimpíada do Rio, em 21 de agosto do ano passado, voltou a projetar mundialmente o Maracanã, (foto acima), conhecido mundo afora como o templo do futebol. Depois de obras, superfaturadas, e de uma final olímpica que resultou na primeira medalha de ouro para o Brasil do esporte protagonizado por Neymar e companhia, esperava-se um retorno triunfal do estádio aos grandes jogos. Mas uma crise entre a concessionária que administra o Maracanã e o governo do Estado emperrou tudo.

Para quem se acostumou a trabalhar no Maracanã e viu desfilar por lá gênios do futebol ao longo de décadas, a situação é muito triste, com a escassez de partidas disputadas no local nos últimos meses. Pior, eles não veem perspectivas de melhoras a curto ou médio prazo.

“Perdem os clubes, os torcedores, a autoestima do carioca vai lá pra baixo. A sensação é que roubaram do povo um patrimônio público, reverenciado no mundo todo. O estádio está se degradando e isso nos atinge em cheio”, afirmou o locutor da Rádio Globo, Luiz Penido, em entrevista ao Terra .

Com larga experiência em transmissão de jogos da seleção brasileira, por todos os cantos do planeta, Penido é categórico ao dizer que o Maracanã é o estádio que apresenta a melhor acessibilidade entre os maiores do mundo.

“Eu conheço os 100 estádios mais famosos do mundo e asseguro que não tem nenhum com o apelo, a história e as facilidades de acesso que o Maracanã dispõe. Há ali uma estação de trem que atende a vários ramais, uma estação do metrô, linhas integradas e pontos finais de ônibus, larga área ao redor para estacionamento.”

Outro locutor de ponta do futebol carioca e brasileiro, José Carlos Araújo, o Garotinho, atualmente na Rádio Tupi, faz coro com Penido para criticar a falta de autoridade que levou o Maracanã ao estado atual.

“Desde 1963 acompanho o dia a dia do Maracanã. São 54 anos. O prejuízo é pra todos, principalmente para os grandes clubes. O Flamengo gastou R$ 5 milhões para reformar a Arena do Urubu, mas isso foi uma medida emergencial. Não resolve. O clube precisa do Maracanã, assim como os outros grandes do Rio”, disse José Carlos ao Terra.

O consagrado narrador esportivo cita outro obstáculo com a limitação de jogos no Maracanã – o que se dá, em parte, em razão das taxas cobradas pela concessionária, consideradas muito altas pelos clubes. “Deslocar para Volta Redonda ou ainda para alguma alternativa fora do Estado do Rio também acaba sendo um transtorno para a imprensa. O Maracanã tem uma posição geográfica privilegiada, fica perto da zona sul e do Méier e Tijuca, os dois grandes bairros da zona norte.”

Blog com Terra Esportes

Flamengo atrasa envio de laudos, e CBF confirma clássico contra o Botafogo em Volta Redonda
   1 de junho de 2017   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Campo da Portuguesa, nova casa do Fla

O jogo de inauguração da Arena da Ilha passa a ser contra a Ponte Preta, no dia 14 de junho, às 21h45 (de Brasília).

A diretoria do Flamengo se pronunciou sobre a liberação da Arena da Ilha para o clássico contra o Botafogo, no próximo domingo, às 11h, pelo Campeonato Brasileiro. O clube informou que entregou os laudos na noite de terça-feira, data limite estipulada, e que a autorização só dependeria da CBF. No entanto, a entidade máxima do futebol brasileiro reiterou que o jogo será no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, porque só recebeu os documentos às 11h50 desta quarta-feira.

O Clube de Regatas do Flamengo informa que encaminhou para a CBF todos os laudos de segurança para a liberação do estádio da Ilha do Governador. Assim, informamos que o estádio encontra-se em plenas condições para abrigar qualquer partida, o que acontecerá a qualquer momento, a critério da Confederação Brasileira de Futebol”, disse a nota da assessoria.

O Flamengo tinha a liberação do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar para fazer a estreia na arena da Ilha do Governado, mas os documentos não foram entregues no prazo na CBF – a previsão era até a terça-feira, dia 30. Com isso, a CBF confirmou o jogo em Volta Redonda.

O Corpo de Bombeiros deixou claro que o clube entregou o projeto contra incêndio e pânico em cima da hora, e que não houve lentidão para aprovação do estádio para a partida do próximo domingo pelo Brasileiro. Através de sua assessoria de imprensa, os Bombeiros informaram que atuaram conforme prevê a legislação.

“Em nenhum momento houve lentidão ou demora nos processos referentes à regularização da Arena da Ilha, no que diz respeito à segurança contra incêndio e pânico. A corporação informa, ainda, que o Flamengo apresentou, hoje (30.05), o novo projeto com as alterações necessárias. Logo, não se trata de morosidade do CBMERJ”, dizem os Bombeiros, que reforçaram estar adotando todas as medidas de segurança para os torcedores que frequentarão o estádio da Ilha.

Blog com EXTRA