Category Archives: Estádios

Assembléia aprova venda de bebidas alcoólicas nos estádios
   16 de maio de 2019   │     19:02  │  1

Deputados estaduais aprovaram o projeto de lei que permite a venda e consumo de bebidas alcoólicas em estádios de Alagoas. A votação aconteceu em uma sessão extraordinária nesta quinta-feira (16), no plenário da Assembleia Legislativa.

Foram 12 votos a favor e 6 contra. Mesmo com a aprovação do projeto, a matéria ainda vai ser apreciada pelo governador Renan Filho (MDB) para decidir pela sanção ou pelo veto.

O PL é de autoria do deputado Bruno Toledo (Pros) e estava para ser apreciado em segunda votação na terça (14), mas foi retirado da pauta por solicitação do deputado Antonio Albuquerque (PTB). Contudo, um requerimento o colocou em votação nesta tarde.

O relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, deputado Davi Maia (DEM), defende que a violência nos estádios de futebol não é fruto da liberação da bebida alcoólica.

“Todo mundo sabe que o torcedor não se torna um criminoso por conta da bebida. O torcedor comum, caso tenha exagerado no álcool, será repreendido pelas autoridades”, disse o relator.

Blog com G1 AL

Campello: ‘Não vamos aceitar que o Maracanã seja entregue a um ou dois clubes’
   10 de abril de 2019   │     0:01  │  0

Resultado de imagem para Maracanã lotado com a torcida do Flamengo

 

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, declarou que não aceitará que apenas um ou dois clubes – no caso Flamengo e Fluminense – façam a gestão do Maracanã, (foto acima/Torcedores.com). Isso porque Flamengo e Fluminense apresentaram uma proposta conjunta ao Governo do Estado do Rio de Janeiro sem incluir o clube cruz-maltino ou o Botafogo. O mandatário afirmou que apenas o Rubro-Negro tem condições de gerir sozinho o estádio, mas a direção vascaína insiste em uma proposta conjunta e irá consultar o jurídico para saber como proceder.

– Não seremos “chaveirinho” na calça dos outros clubes. O Vasco tem que participar da gestão. O Vasco não quer esmola de jogar lá. Se o Fluminense se submete a esse desejo, é algo deles. O Vasco não aceitou ser subalterno e não participar da gestão. Não vamos aceitar que o Maracanã seja entregue a um ou dois clubes. Falamos com o Flamengo, que nos apresentou uma proposta que não era isonômica. Aceitamos que eles tivessem maior participação do lucro, pois jogariam mais lá, mas eles não abriam mão de ter controle do estádio. Eles disseram que procurariam o Fluminense – falou:

– Na reunião na federação, o Flu disse que estava preparando uma proposta única e o que se viu não foi isso. Nos preocupa muito. O Vasco não concorda com esse tipo de cessão de direitos e não irá aceitar esse direcionamento. O Maracanã é um patrimônio do povo, construído com o dinheiro da sociedade. Não pode ser de preferência de um clube. Vamos buscar nossos direitos na Justiça ou em qualquer lugar – completou.

Campello explicou ainda o motivo do Flamengo ser o único a poder gerir o estádio sozinho e comentou sobre a estranheza que sentiu pelo clube rubro-negro apresentar sua proposta em um tempo curto.

– São exigências de índices financeiros. Inicialmente nenhum clube estaria em condições de participar da concorrência. A partir das mudanças, o Flamengo passou a ter condições. É uma das coisas que nos causou estranheza. É difícil montar um projeto em tão pouco tempo, a não ser que se saiba com mais antecedência. Se existe um interesse que a gestão seja compartilhada, todos deveriam sentar juntos e discutir. É minimamente estranho. Ficamos surpresos com esse processo e a forma como aconteceu – criticou.

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, e Pedro Abad, mandatário do Fluminense, estiveram no Palácio Guanabara, sede do Governo do Estado do Rio de Janeiro, para apresentar o projeto. Os dois dirigentes garantiram que a declaração não exclui Botafogo e Vasco, que poderão utilizar o estádio sob os mesmos valores da dupla Fla-Flu.

Blog com Lance

Flamengo ganha companhia do Fluminense em proposta para assumir o Maracanã
   5 de abril de 2019   │     0:01  │  0

Flamengo e Fluminense se uniram em proposta para gerir o Maracanã
Flamengo e Fluminense se uniram em proposta para gerir o Maracanã (Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo)

 

Flamengo e Fluminense entregaram já uma proposta ao governo do Rio para receberem a permissão de uso com o objetivo de gerirem o Maracanã pelos próximos 180 dias.

Os presidentes Rodolfo Landim e Pedro Abad foram ao Palácio Guanabara durante a manhã. O anúncio do permissionário será anunciado nas próximas horas.

– É um momento histórico. O governo do estado teve a clarividência de permitir aos clubes gerir um equipamento caro, sem a presença de intermediários, que sempre dificultaram a nossa vida no estádio. Mais histórico ainda é que duas instituições centenárias foram capazes de se acertarem com harmonia e racionalidade para entregarem em conjunto uma proposta para operarem o estádio. Estamos vivendo um momento importante. Temos que aproveitar – declarou Abad, na saída da reunião.

Inicialmente, o Flamengo faria uma proposta em “voo solo”, mas o Fluminense decidiu aderir ao modelo, em uma medida que surpreendeu os dirigentes rubro-negros.

– O que temos para comemorar é o fato histórico do governo dar aos clubes a participar disso. O Maracanã é algo muito importante para o Estado, e os torcedores sempre tiveram a expectativa de ter os clubes à frente do processo sem intermediários. É histórico e louvável que o governador tenha feito isso em prol de todos. Gostaria de reforçar essa relação com o Fluminense, como o Pedro (Abad) falou, com a possibilidade de participação de todos os clubes – disse Rodolfo Landim.

Blog com EXTRA

 

 

Dupla Fla-Flu vai gerenciar o Maracanã
   4 de abril de 2019   │     21:30  │  0

O Maracanã, um dos estádios mais famosos do Universo, será gerenciado por dois dos maiores clubes do Brasil.

Depois de ser reformado e administrado por uma construtora, jogar no Maracanã ficou caro demais.

O novo governo do Rio retomou o comando do estádio e vai entregar sua administração para a dupla Fla-Flu.

O acordo deverá ser oficializado nas próximas horas.

Arivaldo Maia

 

Projeto prevê reforma do complexo do Pacaembu de R$ 500 milhões
   29 de março de 2019   │     0:02  │  0

Resultado de imagem para estádio do Pacaembu

O futuro do Pacaembu, (foto acima/Correio do Estado), está nas mãos da Justiça. Há uma reforma de 28 meses encaminhada para o complexo esportivo na ordem de R$ 350 milhões, que pode chegar a R$ 500 milhões. O Consórcio Patrimônio SP, que arrematou a concessão do estádio Paulo Machado de Carvalho por R$ 111 milhões, a Prefeitura de São Paulo, diretamente interessada em fazer cumprir o Plano Municipal de Desestatização, e a Viva Pacaembu, entidade do bairro da zona oeste que defende o uso regular do local, mas dentro das leis vigentes do município, como as de zoneamento e tombamento, aguardam ansiosos por uma decisão da Justiça.

Foi a juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13.ª Vara da Fazenda Pública, que determinou em fevereiro a suspensão do repasse do Pacaembu por 35 anos à iniciativa privada ao pedir esclarecimentos do caso. Os próximos passos serão dados em breve. No dia 7, a Prefeitura entrou com recurso no Tribunal de Justiça (TJ), rebatendo os seis pontos da ação que parou a concessão, entre eles a ampla participação da população local na nova gestão.

O TJ pode derrubar a liminar que suspende a concessão, de modo a avançar no processo e liberar as tratativas para a assinatura do contrato da Prefeitura com a vencedora da concorrência, o Consórcio Patrimônio SP, liderado pela empresa de engenharia Progen, de Eduardo Barella, e o fundo de investimentos Savona. Se isso ocorrer, o trâmite do repasse do estádio deve ser feito em três meses. A partir daí, o Pacaembu deixaria de ser gerido pela Prefeitura, que alega prejuízo de R$ 6 milhões por ano com o estádio, e passaria a ser administrado pelo consórcio ganhador.

O estádio é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). A privatização do local faz parte do processo da prefeitura paulista de abrir mão da gestão de áreas da cidade, como parques, mercados municipais e o autódromo de Interlagos, entre outras.

Blog com Terra Esportes