Category Archives: Estádios

Estádio argentino passará a se chamar Diego Maradona
   20 de dezembro de 2020   │     19:00  │  0

Estadio Único Ciudad de La Plata / Roberto Ferreira & Arquitectos Asociados, © Cortesia da Secretaria Geral do Governo da Província de Buenos Aires

O governador de Buenos Aires, Axel Kicillof, informou que o estádio Unico Ciudad de La Plata, (foto acima), será renomeado como Diego Armando Maradona.  O anúncio foi feito durante um evento no local, que contou com a presença do presidente argentino Alberto Fernández e a vice Cristina Kirchner.

“Resolvemos renomear este estádio porque o Diego também é único e merece que este estádio tenha o seu nome”, disse Kicillof.

O estádio foi a última casa de Maradona no futebol, já que é o palco dos jogos do Gimnasia, clube que o ídolo argentino comandava até falecer, no dia 25 de novembro de 2020. Dios, como era conhecido, morreu aos 60 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória.

Este, inclusive, não é o primeiro estádio que mudou de nome para homenageá-lo. Recentemente, o Napoli informou que o San Paolo também passará a carregar o seu nome.

Outra novidade anunciada pelo governador de Buenos Aires foi a mudança do nome de uma das arquibancadas da arena.

“Perdemos tantas coisas este ano. Também aqui em La Plata perdemos outro atleta formidável, por isso vamos denominar uma das arquibancadas deste estádio, a tribuna de Alejandro Sabella”, comunicou.

Ídolo do Estudiantes, outra equipe que manda seus compromissos no estádio Unico Ciudad de La Plata, e técnico da Seleção Argentina na Copa de 2014, levando o time até a final do torneio, Sabella morreu semanas depois de Maradona, aos 66 anos. O ex-comandante estava internado desde o fim de novembro, depois de sofrer uma arritmia a partir de um quadro de retenção de líquidos.

Blog com Terra Esportes

Estádio do Napoli é rebatizado em homenagem a Maradona
   6 de dezembro de 2020   │     22:00  │  0

 

O estádio San Paolo passa a ser Diego Armando Maradona (Foto: Divulgação/Napoli)

 

O Estádio San Paolo do Napoli foi rebatizado oficialmente como Estádio Diego Armando Maradona em homenagem ao falecido atacante argentino, que levou o time italiano à conquista de seus dois únicos títulos do Campeonato Italiano e da Copa da Uefa, informou o conselho da cidade neste final de semana.

Maradona morreu depois de sofrer um infarto em sua casa no subúrbio de Buenos Aires na semana passada, menos de um mês depois de seu 60º aniversário.

O conselho municipal aprovou a resolução proposta pelo prefeito de Nápoles, Luigi de Magistris, para mudar o nome do estádio para homenagear o lendário campeão mundial, que marcou 115 gols em seus sete anos no time.

“Passei os últimos 17 anos conversando com as autoridade locais, sempre pedi para comprar o estádio e rebatizá-lo de ‘Diego Armando Maradona'”, disse o presidente do Napoli, Aurelio de Laurentiis, à rede Sky da Itália.

“Se, por tradição, precisarmos chamá-lo tanto de ‘San Paolo’ quanto de ‘Maradona’, que seja. Não vai mudar muita coisa, mas nada mais justo que Maradona tenha este reconhecimento. Mesmo que fossemos construir um estádio inteiro novo, eu o batizaria assim”, disse.

“Seus anos aqui continuam indeléveis nas lembranças do povo de Nápoles – algo que simboliza uma redenção cobiçada e uma ressurreição ansiada.”

Blog com Rohith Nair em Bengaluru/Reuters

Estádio do Napoli terá o nome de Maradona
   29 de novembro de 2020   │     15:00  │  0

O prefeito de Nápoles, Luigi De Magistris, disse que o estádio do Napoli, (foto acima/maltadaily) deve ser rebatizado para Diego Armando Maradona entre 10 e 15 dias. O local atualmente se chama San Paolo e mudará de nome em homenagem ao craque argentino que morreu na última quarta-feira, aos 60 anos.

“Entre 10 e 15 dias, em muito pouco tempo, encerraremos o processo formal. Levei alguns instantes para decidir isso, todos fomos inundados pelo mesmo sentimento. Daremos o nome do maior jogador de todos os tempos a esse estádio que faz parte da nossa vida e da nossa história”, disse o prefeito, em entrevista à emissora “La7”.

Maradona jogou na Napoli por sete anos, entre 1984 e 1991. Após chegar como a contratação mais cara da história, o camisa 10 correspondeu em campo e rapidamente se tornou ídolo da torcida, tanto pelo desempenho em campo quanto pela paixão e identificação. Os dois títulos italianos do clube foram com o argentino em campo, nas temporadas 1986/1987 e 1989/1990. Ainda conquistou uma Copa da Uefa (hoje chamada de Liga Europa), uma Copa da Itália e uma Supercopa da Itália.

“Maradona nos deu tudo: vitória e emancipação, mas Nápoles também lhe deu muito. Nápoles nunca o esquecerá porque é uma cidade com grande coração e, acima de tudo, nós não julgamos o homem Maradona, apenas o amamos”, disse De Magistris.

Após a morte de Maradona, dezenas de torcedores do Napoli se reuniram em frente ao ainda estádio San Paolo para fazer homenagens ao craque. O Napoli atuou na última quinta-feira, em jogo marcado por diversas homenagens ao ídolo. A equipe venceu o Rijeka, da Croácia, por 2 a 0, pela Liga Europa.

Blog e ESTADÃO Conteúdo

Série especial celebra os 50 anos do Estádio Rei Pelé
   6 de outubro de 2020   │     18:00  │  0

Pelé, entrevistado por Haroldo Miranda, marcou dois gols no jogo que inaugurou o gramado mais importante de Alagoas (Foto: Arquivo GA)

Os 50 anos do Estádio Rei Pelé serão comemorados com uma série de reportagens especiais, com depoimentos das pessoas que fizeram história no maior palco do futebol alagoano – dentro e fora das quatro linhas.

Desde ontem (5)  até o aniversário do Trapichão, no dia 25 de outubro, episódios inéditos da série “Estádio Rei Pelé – 50 anos” serão exibidos na TV Mar (25 e 525 da Net Claro), de segunda a sexta, sempre às 11h30, com reprise às 17h30. E também no portal Gazetaweb.com.

Além dos vídeos, aspectos relevantes e curiosos da história do Trapichão serão abordados em reportagens, com imagens e informações exclusivas, tornando a iniciativa um registro histórico que marca o meio século do templo sagrado do nosso futebol.

Fernando James, diretor comercial da Organização Arnon de Mello, ressalta que a primeira websérie da OAM chega conectada com o público. Para tornar a ideia uma realidade, ele evidencia o apoio de empresas como a Alagoas Ambiental, Hospital Veredas, Condominio Vista Lagoa, Uninassau, Hapvida e Naturalle.

“Reunimos figuras ilustres, como Márcio Canuto, repórter que atuou na inauguração do estádio, o repórter e historiador Lauthenay Perdigão, Dr. Vinícius Maia Nobre, engenheiro chefe da construção do Trapichão, Arivaldo Maia, narrador esportivo da inauguração, o repórter Walmari Vilela, ex-jogadores e figuras emblemáticas, como Zagallo e o Rei Pelé, que contarão sobre suas experiências e emoções em relação ao imponente estádio”, revela o diretor.

O Trapichão, como é carinhosamente chamado, foi inaugurado no dia 25 de outubro de 1970, com uma partida empolgante: Santos X Seleção Alagoas. O jogo simbólico tinha como propósito inaugurar o estádio na presença do grande homenageado: o Rei Pelé.

Pelé foi o responsável por descerrar a placa e declarar inaugurado o estádio e, lembra Walmari, concedeu uma entrevista à Arivaldo Maia, à época, dizendo que estava surpreso com a dimensão daquela obra.

Não perca nenhum lance:

A websérie “Estádio Rei Pelé – 50 anos” tem episódios de segunda a sexta, às 11h30 e às 17h30, na TV Mar (25 e 525 da Net Claro), durante o Canal Esportes, e no Portal Gazetaweb.com. Além dos episódios com depoimentos marcantes, reportagens serão publicadas diariamente, também no portal Gazetaweb, até o dia do aniversário do Trapichão, em 25 de outubro.

Blog com Gazetaweb

Casa do São Paulo, Morumbi completou 60 anos
   4 de outubro de 2020   │     11:30  │  0

Morumbi foi inaugurado com parte do anel superior ainda em obras (Foto: Divulgação/São Paulo)

Morumbi foi inaugurado com parte do anel superior ainda em obras (Foto: Divulgação/São Paulo)

 

Casa do São Paulo, o estádio do Morumbi completou 60 anos na última sexta-feira. Construído durante a década de 1950, o local foi inaugurado no dia 2 de outubro de 1960 em uma partida contra o Sporting, de Portugal. Na ocasião, mais 64 mil pessoas pagaram ingresso para acompanhar o triunfo do Tricolor, por 1 a 0, com gol do atacante Peixinho.

Na década de sua inauguração, o estádio do Morumbi era o maior estádio particular do planeta. Afinal, a concepção da casa são-paulina foi pensada para receber 150 mil pessoas. Atualmente, por conta das reformas e dos exigentes padrões de segurança, a capacidade é de pouco mais de 66 mil espectadores. Mesmo assim, ainda é o maior estádio particular do Brasil.

Por lá, o São Paulo conquistou alguns de seus maiores títulos como a Copa Libertadores de 1992 e 2005, as edições de 2006 e 2007 do Campeonato Brasileiro e o Paulistão de 1998, em cima do rival Corinthians.

Embora o estádio seja a casa do Tricolor, seus rivais também conquistaram títulos expressivos jogando no Morumbi. O Corinthians, por exemplo, faturou o bicampeonato Brasileiro em 1998 e 1999 jogando lá. O Paulistão de 1977, considerado por muitos o maior título do Timão, foi decidido no Morumbi e o clube do Parque São Jorge ficou com a taça.

O maior público do estádio, inclusive, aconteceu nas finais de 1977, quando Corinthians e Ponte Preta. No dia 9 de outubro daquele ano, 146.072 pessoas acompanharam a vitória da Macaca, por 2 a 1, no Morumbi.

Blog com LANCE

Nota do Blog: O Timaço, hoje na 98.3, transmitiu, ao vivo, direto do Morumbi, a histórica final em 1977, o 3º duelo entre Corinthians e Ponte Preta na decisão do título paulista. Eu narrei o jogo e acabei fazendo parte da revista comemorativa do Corinthians. Algumas ‘frases de efeito’ que utilizei durante a transmissão, uma delas dizendo que o Brasil inteiro torcia pelo Timão naquele momento, para acabar com o sofrimento da sua torcida, mereceram destaque na edição especial que o clube divulgou no dia seguinte, graças ao jornalista Bernardino Souto Maior, correspondente na época de uma grande jornal brasileiro. Ele, em Maceió, ouvindo o Timaço, destacou minhas frases em matéria divulgada na mesma noite, e que acabaram na revista comemorativa do time paulista.

Na primeira partida, o Corinthians havia vencido por 1 a 0 com gol do atacante Palhinha. Mas na segunda partida, a Macaca  venceu por 2 a 1 num Morumbi com mais de 142.000 mil pessoas, forçando assim, uma partida extraordinária.

E nesta partida que eu narrei com muita emoção, numa jogada emocionante de aproximadamente sete segundos, o volante Basílio consegue fazer o gol do título do Corinthians, terminando assim, o jejum de 22 anos, 8 meses e 7 dias sem conquistar um Campeonato Paulista, tornando-se assim, uma das conquistas inesquecíveis para sua torcida.

Arivaldo Maia e Wikipédia