Category Archives: Esportes

Brasil recebe pela primeira vez Copa Libertadores de futebol em cadeiras de rodas
   12 de novembro de 2017   │     0:03  │  0

A equipe Rio de Janeiro Power Soccer (RJPS), que acaba de conquistar o bicampeonato Brasileiro de Power Soocer, será uma das representantes brasileiras na Taça Libertadores
A equipe Rio de Janeiro Power Soccer (RJPS), que acaba de conquistar o bicampeonato Brasileiro de Power Soocer, será uma das representantes brasileiras na Taça Libertadores

 

O Brasil será sede, pela primeira vez, da Copa Libertadores e da Copa Sulamericana 2017 de futebol em cadeira de rodas motorizadas. Os jogos acontecerão na Arena 3, do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

A taça Libertadores será disputada nos dias 16 e 17 de novembro, das 10h30 às 17h30, por seis times: dois do Brasil, dois da Argentina e dois do Uruguai. Entre os representantes brasileiros está o Rio de Janeiro Power Soccer (RJPS), que acaba de conquistar o bicampeonato Brasileiro de Power Soocer, realizado em outubro.

Já a Copa Sulamericana acontece no dia 18 de novembro, das 10h às 15h, e será disputada pelas seleções do Brasil, Argentina e Uruguai, também na Arena 3.

“É um ganho enorme poder sediar, no Parque Olímpico, os dois eventos mais importantes da modalidade na América do Sul. Nossa equipe está muito empolgada com a conquista do bicampeonato brasileiro e tem tudo para fazer uma excelente participação na Libertadores. Além disso, temos cinco atletas na seleção brasileira que irão disputar a Copa Sulamericana e tentarão o título inédito para o Brasil”, diz Bruno Fernandes, presidente do RJPS – maior time brasileiro da modalidade e o primeiro a ter uma equipe exclusivamente infantil no Brasil.

Sobre o esporte

O Power Soccer é a única modalidade paradesportiva que permite a participação de pessoas com deficiência motora severa, como tetraplegia, paralisia cerebral, distrofia muscular, entre outros, a partir dos 6 anos de idade e de qualquer gênero, no mesmo time.

Criado na França e no Canadá, no final dos anos 70, a modalidade ganhou força e o mundo. Atualmente, é praticada em quase 30 países e já é reconhecida pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC). A expectativa é que se torne uma modalidade paralímpica nos Jogos de 2024.

Blog com Jornal do Brasil

COI revoga parcialmente punições impostas ao Brasil
   3 de novembro de 2017   │     0:03  │  0

O Comitê Olímpico Internacional (COI) já anunciou a revogação provisória e parcial da suspensão imposta ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) após o escândalo envolvendo o ex-presidente da entidade Carlos Arthur Nuzman.

Com a decisão, o COB, atualmente presidido por Paulo Wanderley, continuará sem o direito de receber recursos repassados anualmente a título de patrocínio. Segundo representantes do COI, ainda não há previsão de quando a suspensão será totalmente retirada. No entanto, os representantes brasileiros poderão participar das assembleias da Associação de Comitês Olímpicos Nacionais (ANOC) e da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), que acontecerão em Praga, na República Tcheca.

Segundo os dirigentes do COI, a entidade brasileira foi “plenamente cooperante e voluntária” com as investigações e tomou “de forma imediata” as medidas necessárias para responder as “preocupações” do Comitê Internacional.

Entre as iniciativas, está a aceitação da renúncia de Nuzman, a escolha de um novo presidente, além da revisão das contas do período entre 2008 e 2010, “para garantir que o COB não fosse acusado na investigação aberta no Brasil.

No último dia 6 de outubro, o Comitê anunciou a punição depois de Nuzman ser preso no desdobramento da Operação Unfair Play, que investiga a compra de votos na eleição que escolheu o Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

O ex-presidente do COB é réu por corrupção passiva, associação criminosa, lavagem de dinheiro e ocultação de divisas.

Blog com Agência ANSA

Wada absolve 95 dos 96 atletas russos afastados por doping
   14 de setembro de 2017   │     0:02  │  0

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) decidiu absolver 95 dos 96 atletas russos investigados por uso de doping após a acusação de haver no país um “esquema sistêmico” para burlar as regras, informou o jornal “The New York Times” nesta quarta-feira (13).

Segundo um documento obtido pelo periódico, “as provas disponíveis são insuficientes” para acusar os atletas, teria escrito o diretor da agência, Olivier Niggli. No ano passado, o investigador Richard McLaren revelou um esquema, após investigações ao longo de dois anos, que teria beneficiado mais de mil atletas. Mas, à época, ele alertou que os casos seriam difíceis de comprovar por falta da cooperação das autoridades russas em fornecer dados laboratoriais ou pela destruição de provas.

O atleta Olívio, do CRB, será julgado brevemente pela Agência Mundial Antidoping (Wada).

Blog e Agência ANSA

Universíade: gêmeos do levantamento de peso compartilham rotina e sonho olímpico
   27 de agosto de 2017   │     0:03  │  0

No levantamento de peso, cada atleta tem três chances de tentar superar suas marcas durante as competições, mas os árbitros brasileiros já sabem que, se o mesmo rosto aparecer seis vezes para erguer a barra, ele pertence aos gêmeos Gabriel e Rafael Fernandes, de 20 anos. Em seu primeiro ano como adultos no esporte, a dupla representou o Brasil na Universíade de Taipei e treina com um objetivo em comum: chegar à Olimpíada de Tóquio, em 2020.

O caminho até a capital japonesa é compartilhado entre os dois durante praticamente todo o dia. Atletas universitários, eles estudam educação física na mesma turma do Centro Universitário Estácio de Sá, treinam no Clube Recreativo Mineiro e moram sob o mesmo teto. A rotina só separa os dois quando estagiam em lugares diferentes, só que para fazer a mesma coisa: são instrutores em aulas de crossfit na capital mineira.

O único lugar em que não podem estar juntos é no pódio, e por isso decidiram disputar medalhas em categorias diferentes. Gabriel ficou na que permite pesar até 62kg, e Rafael subiu para a de até 69kg.

Com corpos geneticamente idênticos, os gêmeos são a prova de que cada categoria requer um tipo de preparação. Com 1,70m, Gabriel precisa manter uma dieta rígida para continuar na categoria de até 62kg, enquanto Rafael pode “comer de tudo” para competir com menos de 69kg. Para a altura deles, a categoria ideal, no entanto, é a de até 85kg, o que eles devem demorar a atingir.

“É um trabalho muito longo. De 62kg para 85kg é muito peso”, reconhece Gabriel.

Na Universíade, os dois não subiram ao pódio: Rafael foi o 15º de sua categoria, e Gabriel, o nono. O desempenho não desanimou os gêmeos, que talvez tenham que lidar ainda com um problema no sonho olímpico: a possibilidade de o Brasil levar apenas um atleta masculino para a olimpíada, o que vai depender dos resultados gerais do país nas próximas competições. Nesse caso, mesmo que estejam em categorias diferentes, Rafael e Gabriel voltarão a ser concorrentes no sonho que dividem diariamente.

“Se ele conquistar essa vaga, vai ser como se eu tivesse ido. E se eu for, sei que para ele vai ser como se fosse ele”, diz Gabriel, que concorda com o irmão de que eles também não devem se intimidar com a concorrência de atletas que já tiveram mais resultados.

“A mesma coisa que a gente tem eles têm, dois braços e duas pernas. Basta treinar e correr atrás dessa vaga”, afirma Rafael.

Blog com Agência Brasil

Ministério do Esporte anuncia novo edital do Bolsa Atleta
   6 de agosto de 2017   │     0:03  │  0

O Ministério do Esporte já anunciou o lançamento do novo edital do Programa Bolsa Atleta. Segundo o ministro Leonardo Picciani, a chamada pública será publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (7), e as inscrições poderão ser feitas já no dia seguinte, exclusivamente pelo site do ministério, até o dia 22.

De acordo com informações do ministério, o pleito terá como base os resultados esportivos do ano passado nas modalidades que compõem o programa dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paralímpicos. Já os atletas contemplados na categoria de bolsa estudantil são selecionados nos Jogos Escolares e nos Jogos Universitários Brasileiros.

As informações foram dadas durante bate-papo online entre o ministro e atletas a passagem de um ano dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A conversa foi transmitida via Facebook do Ministério do Esporte e contou com a participação dos atletas Ângelo Moreira, da luta olímpica, e Luiza Nunes, do nado sincronizado, além do coordenador-geral de Esportes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o ex-nadador Ricardo Prado. Eles responderam a perguntas de internaturas enviadas pelo Facebook.

O edital prevê a concessão de bolsas nas categorias Atleta de Base (R$ 370), Estudantil (R$ 370), Nacional (R$ 925), Internacional (R$ 1.850), e Olímpica/Paralímpica (R$ 3.100). O atleta contemplado receberá o equivalente a 12 parcelas do valor definido na categoria.

“Podem concorrer atletas que tenham obtido bons resultados em competições nacionais e internacionais de suas modalidades e que estejam vinculados a uma entidade de prática desportiva. Esportistas da categoria estudantil devem estar regularmente matriculados em instituição de ensino, pública ou privada”, informa o Ministério.

Situação atual

Atualmente, 239 atletas estão sendo patrocinados e se preparando para os Jogos de Tóquio 2020, com investimento anual de R$ 31,5 milhões. Do total de atletas participantes do programa, 72 obtiveram medalhas nos Jogos Rio 2016 e 80 atletas são patrocinados pela primeira vez nesta categoria.

Entre os estreantes, estão atletas como Pedro Henrique da Silva, da canoagem slalom. Na última edição dos Jogos, ele ficou em sexto lugar, o que representou a primeira vez do Brasil  em uma final da categoria.

Blog com Agência Brasil