Category Archives: Eliminatórias

Chile treina em São Paulo e vive drama para substituir o volante Arturo Vidal
   10 de outubro de 2017   │     0:01  │  0

Imagem relacionada

Juan Antonio Pizzi , técnico do Chile, está otimista para enfrentar o Brasil, apesar dos problemas para escalar sua equipe (Foto: Divulgação)

A seleção do Chile fez um treino em São Paulo na preparação para o duelo da noite de hoje, no estádio Allianz Parque, contra o Brasil, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O trabalho no CT do São Paulo foi aberto para a imprensa durante 15 minutos, período em que ficou clara a preocupação da equipe com o possível substituto de um dos principais jogadores. Possível substituto do volante Arturo Vidal, Charles Aránguiz foi poupado.

O técnico argentino Juan Antonio Pizzi e o elenco desembarcaram na noite do último sábado em São Paulo preocupados em como substituir Arturo Vidal. O jogador do Bayern de Munique está suspenso pelo segundo cartão amarelo e não tem uma reposição pronta. Charles Aránguiz, ex-Internacional e hoje no Bayer Leverkusen (Alemanha), se recupera de lesão na panturrilha e durante o período em que o treino foi aberto apenas caminhou ao lado do preparador físico, em campo separado, enquanto que os colegas faziam trabalho de aquecimento.

A ausência de Arturo Vidal, um dos grandes nomes da equipe, aumenta a preocupação chilena para a partida. A equipe precisa o feito inédito de vencer o Brasil fora de casa para se classificar à Copa do Mundo sem depender de outros resultados. Caso contrário, terá de torcer contra concorrentes diretos. Os atuais campeões da Copa América estabeleceram uma programação bastante discreta em São Paulo, com treinos fechados e apenas uma entrevista, a do treinador, realizada ontem.

Blog com A TARDE.

 

Argentina conta com vitória do Brasil para aumentar chances de estar na Copa
   9 de outubro de 2017   │     0:02  │  0

O jogo da Seleção Brasileira contra o Chile, pela última rodada das eliminatórias da Copa do Mundo, ganhou importância após o empate da Argentina, com a Venezuela, em Buenos Aires, por 0x0. É que, entre as hipóteses de classificação da Argentina para uma das quatro vagas diretas das eliminatórias sul-americanas para a Copa, está uma derrota chilena no jogo em São Paulo e um empate entre entre Peru e Colômbia, em Lima, isso desde que a Argentina vença o Equador em Quito e some 28 pontos.

O Brasil lidera as eliminatórias, com 38 pontos e já está classificado para o Mundial da Rússia, mas o Chile ainda luta pela vaga e está em 3º lugar, com 26 pontos. A Argentina é 6º, com 25 pontos. A classificação geral é esta: 1º, Brasil, 38 pontos; 2º, Uruguai, 28; 3º, Chile, 26; 4º, Colômbia, 26; 5º, Peru, 25; 6º, Argentina, 25; 7º, Paraguai, 24; 8º, Equador, 20; 9º, Bolívia 14; 10º, Venezuela, 9.

O regulamento das eliminatórias prevê que, em caso de empate nos pontos, serão utilizados os critérios seguintes de desempate, nesta ordem: saldo de gols; gols pró; confronto direto, sendo que gol fora de casa tem peso 2; e sistema de pontos por esportividade, que envolve pontuação negativa para cartões vermelhos e amarelos. Se  o empate persistir, haverá sorteio.

Com base nessa ordem, se perder para o Equador, a Argentina, com 25 pontos, só não será eliminada se o Peru perder para a Colômbia por diferença por diferença de gols maior do que a derrota dos portenhos em Quito e ainda se o Paraguai não vencer a Venezuela, em Assunção. Com esses resultados, o time de Messi conseguiria a vaga na repescagem, como quinto colocado nas eliminatórias sul-americanas, e enfrentaria a Nova Zelândia, representante da Oceania.

Em caso de empate no Equador, a Argentina somará 26 pontos e poderá ir à repescagem se o Peru perder para a Colômbia, o Chile for derrotado por dois ou mais gols pelo Brasil e o Paraguai não vencer a Venezuela em Assunção. Na rodada desta terça-feira, todos os jogos começarão às 20h30, pelo horário de Brasília, e são os seguintes: Brasil x Chile; Uruguai x Bolívia; Equador x Argentina e Paraguai x Venezuela.

Blog com Agência Brasil

Argentina volta a tropeçar no Peru em La Bombonera e se complica
   8 de outubro de 2017   │     0:02  │  0

Em 1969, a Argentina precisava de uma vitória em cima do Peru do técnico brasileiro Didi para ir à Copa do Mundo do ano seguinte. À época, resolveu levar o confronto para o mítico estádio de La Bombonera. Porém, um empate por 2 a 2 acabou com o sonho argentino em plena Buenos Aires. Desde então, os Hermanos nunca mais ficaram de fora de um Mundial.

A noite da última quinta-feira certamente trouxe lembranças ruins para os argentinos mais velhos. De novo a pressão da casa do Boca Juniors foi a aposta dos albicelestes diante da seleção que carrega um uniforme semelhante ao do River Plate. E, como em 69, a ideia não surtiu efeito. Messi e companhia não passaram de um empate por 0 a 0 na penúltima rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia e tornaram a situação dos atuais vice-campeões do mundo em um drama inimaginável há pouco tempo.

Já são quatro jogos seguidos sem um triunfo, e a última chance de ir à Copa será disputada dia 10, próxima terça-feira, na altitude de 2.850 metros de Quito, contra o Equador. Em sexto lugar, com 25 pontos, a Argentina estaria fora do Mundial hoje

E quis o destino que Ricardo Gareca fosse um dos responsáveis por jogar mais lenha na fogueira argentina. Autor do gol no Monumental de Nuñez que colocou a Argentina na Copa do Mundo de 1986, de novo depois de um empate por 2 a 2 com o Peru no ano anterior, o ex-treinador do Palmeiras levou os peruanos à quinta colocação, posição que leva a equipe à repescagem, com os mesmos 25 pontos, mas com um saldo de gols melhor.

Invicta há cinco rodadas, a seleção do Peru terá contra a Colômbia, em Lima, também dia 10, o jogo mais importante de sua história recente. Um resultado positivo e Paolo Guerrero e seus companheiros estarão na Copa do Mundo, o que não acontece desde 1982.

Blog com Gazeta Press

 

Brasil para no goleiro e fica no 0 a 0 com a Bolívia na altitude de La Paz
   6 de outubro de 2017   │     0:04  │  0

Neymar fez um bom jogo e esteve perto de marcar para o Brasil (Foto: Globoesporte)

A Seleção Brasileira não passou de um empate sem gols com a Bolívia, que contou com grande atuação do goleiro Lampe, ontem, na atitude de 13.640m de La Paz. Foi o penúltimo compromisso da equipe dirigida por Tite, já classificada para o Mundial da Rússia, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Também com a melhor campanha das Eliminatórias assegurada, o Brasil alcançou os 38 pontos ganhos na tabela. A Bolívia, que não tem mais chances de ir à Copa do Mundo, com 14 pontos, está na penúltima posição.

Invicta em jogos oficiais sob o comando de Tite, a Seleção Brasileira acumulou o seu segundo empate consecutivo nas Eliminatórias – ficou no 1 a 1 com a Colômbia na rodada passada, em Barranquilla.

Na terça-feira, no Palestra Itália, o Brasil encerrará a sua campanha diante do Chile, que ainda almeja uma vaga no Mundial. A Bolívia enfrentará o Uruguai no mesmo dia, no Centenário de Montevidéu.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 0 X 0 BRASIL

Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia)
Data: 5 de outubro de 2017, quinta-feira
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Fernando Rappalini (Argentina)
Assistentes: Diego Bonfá e Gabriel Chade (ambos da Argentina)
Cartão amarelo: Valverde (Bolívia)

BOLÍVIA: Lampe; Bejarano, Valverde, Raldes e Gutiérrez; Justiniano (Castro), Morales, Arce (Saucedo), Fierro (Álvarez) e Machado; Marcelo Moreno
Técnico: Ángel Guillermo Hoyos

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Marquinhos), Miranda e Alex Sandro; Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Philippe Coutinho (Willian), Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

Blog com Gazeta Press

Seleção argentina está mal porque virou ‘grupo de amigos’, diz Kempes
   15 de setembro de 2017   │     0:04  │  0

Mario Kempes atualmente trabalha como comentarista esportivo da ESPN
Mario Kempes atualmente trabalha como comentarista esportivo da ESPN (Foto: Divulgação)

A situação delicada da Argentina nas eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, não surpreende um dos maiores jogadores da história do país.

Campeão mundial e artilheiro da Copa de 1978, Mario Kempes, 63, vê a quinta posição no qualificatório para 2018 –posição que lhe daria apenas vaga na repescagem mundial– como resultado de um time que virou um “grupo de amigos” e não uma das equipes mais respeitadas do futebol internacional.

“Os jogadores estão há tanto tempo que faz com que essa seleção seja um grupo de amigos e não a equipe nacional. É um grande grupo de amigos, e isso não é bom. Assim não se consegue nada”, disse à Folha o ex-atacante, atualmente comentarista dos canais ESPN, na sede da empresa antes do duelo contra os uruguaios.

“É preciso sangue novo e novos jogadores, não importando que seja o melhor. Espero que [o atual técnico, Jorge] Sampaoli acerte isso e mostre que para estar na seleção é preciso mostrar sempre.”

Na quinta-feira (31), a Argentina empatou em 0 a 0 com o Uruguai, em Montevidéu, e foi a 23 pontos nas eliminatórias, 13 a menos do que o líder Brasil.

Colômbia, Uruguai e Chile, pela ordem, estão à frente dos bicampeões mundiais (1978 e 1986).

Kempes exime Sampaoli de culpa e diz que seu trabalho ainda vai demorar um tempo para se ajustar. Ele, porém, não poupou críticas aos antecessores.

Afirmou que, com Edgardo Bauza, a Argentina viveu um período aflitivo, no qual a única tática era entregar a bola a Messi. “Era passar para ele e esperar que produzisse alguma coisa.”

Apesar da desconfiança, Kempes afirma que espera uma classificação da equipe para o Mundial da Rússia.

Blog com FOLHA DE SÃO PAULO