Category Archives: Eliminatórias

Seleção do Uruguai demite Óscar Tabárez após 15 anos
   22 de novembro de 2021   │     23:55  │  0

Óscar Tabárez não é mais o técnico da seleção uruguaia – (Foto: EFE)

Em comunicado, a entidade agradeceu os serviços prestados pelo treinador ao longo dos últimos 15 anos e disse que a decisão foi tomada devido ao mau rendimento da equipe nacional nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022.

A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) demitiu, na tarde da última sexta-feira, 19, o técnico Óscar Tabárez do comando da seleção uruguaia. Em comunicado, a entidade agradeceu os serviços prestados pelo treinador ao longo dos últimos 15 anos e disse que a decisão foi tomada devido ao mau rendimento da equipe nacional nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022. Sétima colocada na tabela, a “Celeste” está fora até da zona de repescagem para o Mundial do Catar e precisa obter bons resultados nas últimas quatro rodadas.

“Expressamos enfaticamente que esta decisão não implica em desconhecer a importância da contribuição de Tabárez no futebol uruguaio. Saudamos e reconhecemos as fundamentais conquistas obtidas nos últimos 15 anos, que colocaram o Uruguai novamente entre os primeiros do futebol mundial. O Comitê Executivo da AUF optou por esta decisão devido as circunstâncias presentes, comprometido com o futuro próximo e os resultados que todos esperamos”, diz a nota da entidade que rege o futebol do pequeno país sul-americano.

Experiente, Óscar Tabárez levou a seleção uruguaia ao quarto lugar na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul – foi a melhor campanha da equipe desde o bicampeonato de 1950. Além disso, o técnico levou o país aos Mundiais seguintes (2014 e 2018) e conquistou a Copa América de 2011. Apesar disso, o profissional de 74 anos viu a pressão aumentar com os resultados negativos da Celeste nesta Eliminatórias. Diego Aguirre, atual comandante do Internacional, é um dos cotados para assumir o cargo. Vale lembrar que a seleção só volta a campo na Data Fifa de janeiro de 2022, quando o Uruguai visita o Paraguai e recebe a Venezuela. Em março, o país fecha a campanha contra Peru, em casa, e Chile, em Santiago.

Blog com Jovem Pan

Veja como o parcial jornal argentino ‘Olé’ viu o 0 x 0 com o Brasil
   18 de novembro de 2021   │     17:00  │  0

Os jogadores da Argentina na hora do Hino Nacional, antes de enfrentar o Brasil, em San Juan. (Foto: Mario Quinteros)

 

A  Argentina queria ganhar, o Brasil não queria perder (cumpriu pena) e o 0-0 deixou um gosto estranho na boca . Houve uma festa em San Juan, onde o povo e principalmente os jogadores tentaram voltar a vencer o clássico, mas não conseguiram.

A gravata foi justa, picante, com uma perna forte e polêmica. E no final da data, o Scaloneta, invicto em 27 jogos, se classificou para a Copa do Mundo do Qatar 2022. Com a implantação de De Paul , a segurança do Draw Martínez , a ferocidade de Cuti Romero , a contribuição de Lionel Messi.

A história não mente: poucos jornais são tão parcias quanto o Olé. A propósito, na parte dos comentários dos seus leitores, um, escreveu a verdade do jogo: ‘Celebrar un empate logrado gracias a la ayuda del árbitro del partido que no expulsó a Otamendi (alguien debería haber tomado represalias) … Son realmente mediocres’.

Os outros comentários…. deixa pra lá!

Nota do Blog: Ontem, por determinação da Conmebol, árbitros de campo e do VAR foram afastados por tempo indeterminado, pela ‘lambança’ contra o Brasil.

Arivaldo Maia e Olé – Buenos Aires

 

Em clássico brigado e polêmico, Argentina e Brasil ficam no zero a zero
   16 de novembro de 2021   │     22:50  │  0

Vinicius Junior foi o jogador mais participativo do ataque da Seleção – (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Jogo ficou marcado por cotovelada de Otamendi em Raphinha; “Pipocou”, diz Galvão sobre árbitro.

Zero a zero brigado!

Em um jogo marcado por cotovelada em Raphinha, carretilha de Vini Jr., muitas faltas e um Brasil superior, a seleção brasileira ficou no empate em 0 a 0 com a Argentina, no Estádio Bicentenário, em San Juan, pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Já classificado para o Mundial do Catar, o time comandado por Tite foi melhor em campo. Fred acertou o travessão e Vini Jr. quase marcou. Messi, craque da partida, foi bem marcado por Fabinho e só levou perigo em chute aos 45 do segundo tempo. A Seleção recheada de jovens segurou a pressão (e a porrada) argentina e brochou a festa em San Juan.

Não expulsou?!

Aos 33 minutos, o zagueiro Otamendi acertou uma cotovelada no meia-atacante Raphinha. O árbitro uruguaio Andres Cunha nem sequer marcou falta. O lance foi checado pelo VAR, comandado pelo também uruguaio Esteban Ostojich, árbitro da final da última Copa América, entre Brasil e Argentina. Mesmo após a revisão, nada foi marcado.

O brasileiro sofreu um corte no lábio e, mesmo sangrando, seguiu em campo. O jogador de 24 anos teve que levar cinco pontos na boca no intervalo da partida.

Argentina bate, e o Brasil…

No segundo tempo, Vini Jr. aplicou uma linda carretilha em cima de Molina. A jogada quase culminou em gol. Após o drible, o atacante conseguiu avançar na área e ajeitar para o chute de Paquetá atrás. E de lambreta eles entendem, como bem sabe Leandro Damião!

Como fica?

Com o empate, o Brasil manteve a invencibilidade, a liderança e a distância de seis pontos para a vice-líder Argentina. São 35 pontos da Seleção Brasileira contra 29 dos argentinos. Na próxima rodada, a equipe comandada por Tite visita o Equador, no dia 27 de janeiro de 2022. A Argentina enfrenta o Chile na mesma data.

Blog com Redação do GE – Rio de Janeiro

Sem Neymar, Brasil visita Argentina, que quer se garantir
     │     13:00  │  0

Neymar na partida entre Argentina e Brasil

Neymar na partida entre Argentina e Brasil

(Foto: Maga Jr/O Fotografico/Gazeta Press)

Seleção brasileira tem oportunidade de realizar novos testes contra forte rival, às 20h30, pelas Eliminatórias.

A Argentina pode se garantir hoje na Copa do Mundo do Catar se vencer o Brasil. Além disso, os argentinos ainda não engoliram a interrupção do jogo de setembro na Neo Química Arena e culpam os brasileiros, apesar de terem desrespeitado as regras sanitárias do País. Ainda assim o técnico Tite não acredita em clima hostil contra a seleção no jogo, logo mais às 20h30 em San Juan. Problema maior para ele foi perder Neymar em cima da hora.

Neymar nem sequer viajou. Ontem, poucas horas antes do embarque para a Argentina, queixou-se de dores no adutor da coxa esquerda e, como não havia tempo para a realização de exames complementares, foi desligado da delegação. Será uma das quatro alterações que Tite tem intenção de fazer em relação ao time que bateu a Colômbia na quinta-feira.

Neymar deverá ser substituído por Vinícius Junior, mas Coutinho também tem chances. Casemiro, suspenso, dará lugar a Fabinho. Em má fase, Gabriel Jesus fica no banco e Matheus Cunha é o mais cotado. Na defesa, Éder Militão entra na vaga de Thiago Silva.

Tite descarta hostilidade dos argentinos contra os brasileiros por causa dos incidentes de setembro. Na ocasião, o jogo foi paralisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por conta de irregularidades na entrada de jogadores argentinos no Brasil em meio às restrições determinadas em função da pandemia de covid-19. A interrupção causou atritos e insatisfação dos argentinos.
O técnico espera que o jogo, hoje, seja resolvido em campo. “É difícil dimensionar isso, não sei a ótica que a Argentina encarou esses fatos todos”, declarou. “Que nós façamos um grande jogo, que seja um grande espetáculo e que tenha um cunho de dentro do campo.”

Ele lamentou a não conclusão daquela partida, mas ressaltou: “Tenho claro que, antes do futebol, existe saúde, existem leis e correção dos fatos. Isso tudo aconteceu. Agora como se encara essas situações é bastante particular, próprio e pessoal.”

Outra lamentação na seleção é com o fato de o clássico de hoje ser na cidade de San Juan e num estádio com capacidade para apenas 25 mil torcedores. “Entendemos que Brasil x Argentina merecia uma infraestrutura melhor”, disse o auxiliar César Sampaio.

Olho na vaga

Na Argentina, Messi vai jogar desde o início. Com 28 pontos, os rivais se classificam matematicamente para a Copa se vencerem hoje.

“Esta equipe do Brasil é a mais vertical dos últimos tempos. Tentaremos minimizar as coisas boas que têm. Queremos o controle da partida”, disse o técnico Lionel Scaloni.

Blog com 
Estadão

CBF não crê em remarcação de Brasil x Argentina e espera vitória na Fifa; Tite lamenta em dobro
   14 de novembro de 2021   │     13:00  │  0

Neymar e Messi, cabisbaixos, após incidente em Brasil x Argentina — Foto: AFP

Neymar e Messi, cabisbaixos, após incidente em Brasil x Argentina — (Foto: AFP)

Técnico gostaria de disputar o clássico que aconteceria em Itaquera, mas acabou suspenso, e se decepcionou com rivais por entender que eles tinham ciência de infrações a decreto federal.

Dois meses após o polêmico clássico entre Brasil e Argentina, que acabou suspenso após intervenção de agentes da Anvisa e da Polícia Federal, as seleções voltam a se encontrar nesta terça-feira, em partida que será disputada em San Juan, no interior do país vizinho.

Na visão da CBF, a tendência é que este seja o único duelo entre os rivais nestas Eliminatórias. Isso porque a entidade acredita que não haverá datas disponíveis para a remarcação do jogo suspenso antes da Copa do Mundo de 2022.

Tanto Brasil quanto Argentina já apresentaram suas defesas e aguardam julgamento da Fifa. A CBF acredita estar muito mais embasada em sua argumentação no caso e espera obter os três pontos da partida no tribunal.

A entidade apresentou documentos que, em teoria, comprovam que os argentinos sabiam que não poderiam utilizar os jogadores que atuam na Inglaterra, casos do goleiro Emiliano Martinez, os meias Emiliano Buendia e Giovani Lo Celso e o zagueiro Cristian Romero. Por decreto federal, os quatro precisariam cumprir quarentena de 15 dias ao entrar no Brasil.

O calendário prevê mais duas “janelas” de Eliminatórias no ano que vem, uma entre o fim de janeiro e o começo de fevereiro e outra em março. Uma alternativa seria encaixar o clássico suspenso em uma dessas datas, mas isso não é fácil, uma vez que os clubes europeus se opõem a liberar seus jogadores por tanto tempo.

Como o sorteio dos grupos da Copa de 2022 acontece em abril, não faria muito sentido disputar um jogo de Eliminatórias depois disso.

A situação das duas seleções no torneio classificatório para o Mundial também favorece uma decisão nos tribunais e não em campo. O Brasil já carimbou o passaporte para o Catar, enquanto a Argentina, segunda colocada, está próxima de também garantir a vaga. Desta forma, os três pontos daquela partida não fariam tanta diferença para ambos.

Porém, em entrevista no mês passado, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, se mostrou favorável à realização do duelo:

– É sempre bom decidir os jogos dentro de campo e não fora. Fornecer informações falsas não pode acontecer, nem uma partida ser interrompida daquela forma. É inaceitável e prejudica o futebol. É preciso aguardar para ver o que os órgãos disciplinares da Fifa vão decidir – declarou.

Chateação em dobro

O episódio em setembro fez o técnico Tite lamentar duplamente. Primeiro, porque ele gostaria de enfrentar a Argentina, maior rival do Brasil e considerada um seleção “de nível de Copa”.

Segundo, por ter se decepcionado com a postura dos adversários. Ainda no gramado da Neo Química Arena, Tite ouviu do técnico argentino Lionel Scaloni e do craque Lionel Messi que eles não sabiam do veto aos quatro jogadores que atuam na Inglaterra.

Porém, ao tomar conhecimento dos relatórios da Anvisa, o treinador teve a certeza de que tal alegação não era verdadeira.

Mesmo com o Brasil já classificado para a Copa, Tite pretende usar força máxima na terça-feira em vez de aproveitar o jogo para observar jogadores. O técnico vê o clássico como um desafio importante, que pode dar “casca” à Seleção.

Ele também quer usar a reta final das Eliminatórias para fazer ajustes e dar entrosamento à equipe.

Após folga na sexta-feira, o elenco canarinho se reapresentou ontem, em São Paulo, e treina no CT do Palmeiras. O grupo viaja amanhã para San Juan.

Blog com Bruno Cassucci e Raphael Zarko – Redação do GE – São Paulo