Category Archives: Dirigentes

Conselheiros preparam dois pedidos de impeachment no Santos
   8 de junho de 2018   │     0:03  │  0

Presidente sofre pressão no Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O Santos terá dois novos pedidos de impeachment ao presidente José Carlos Peres nos próximos dias. Os documentos estão prontos e aguardam por assinaturas de conselheiros para serem entregues ao presidente do órgão, Marcelo Teixeira.

Alexandre Santos e Silva, conselheiro eleito pela chapa do ex-presidente Modesto Roma, faz nova tentativa. Em abril, o documento foi protocolado e indeferido. Dessa vez, o pedido tem 20 páginas e se baseia em diversos fatores, como a ligação de Peres com o gerente das categorias de base afastado, Lica, negociação com empresas ligadas ao presidente no passado, supostas irregularidades e déficit apontados no parecer do Conselho Fiscal e danos à imagem do clube, como a entrevista onde classifica a Vila Belmiro como “puxadinho”.

O segundo pedido é liderado por Esmeraldo Soares Tarquinio de Campos Neto, conselheiro nato e ex-presidente do Conselho do Santos. O documento tem 150 páginas e promete recolher mais de 100 assinaturas. A base da solicitação vem do item D do artigo 68 do Estatuto Social: “ter ele (presidente) infringido por ação ou omissão, expressa ordem estatutária”.

Em entrevista à ESPN, José Carlos Peres disse que não teme o impeachment. O mandatário promete respostas mais robustas.

“Essa questão do impeachment virou moda. As pessoas têm de ver que eu trabalho, a corrupção agora é zero. Mesmo assim, a oposição não para de procurar motivos para impeachment. Quem é santista tem de ajudar. O santista verdadeiro não quer tumultuar, arregaça as mangas e vem ajudar. Mas vê se querem ajudar? Não temo nada porque não fiz nada errado, o Santos teve evolução, as dívidas estão sendo pagas. O futebol brasileiro está infestado dessas questões políticas, todos os presidentes sofrem”, explicou.

Durante viagem à Inglaterra para chefiar a delegação da seleção brasileira, o presidente perdeu aliados na diretoria e precisa recuperar o tempo perdido para continuar à frente do Santos.

Blog com Gazeta Press

Flamengo pode contratar Paulo Autuori
   26 de maio de 2018   │     0:04  │  0

O Flamengo convidou o ex-técnico Paulo Autuori, (foto acima/Divulgação), para assumir a gerência do futebol rubro-negro, cargo antes ocupado por Mozer, demitido recentemente.

O atual executivo do Fluminense, que há algum tempo demonstra sua insatisfação com a crise política e financeira nas Laranjeiras, teve ofertas de fora.

Especificamente para dirigir equipes do Chile (Universidad de Chile) e da Colômbia (Independiente Santa Fé).

Mas, por questões pessoais, avalia o convite feito há uma semana pelo CEO do Flamengo Fred Luz e o executivo Carlos Noval.

A intenção da diretoria rubro-negra é ter na comissão técnica um profissional sênior, dos mais vitoriosos, capaz de dar suporte ao jovem Maurício Barbieri.

Autuori desempenhou este papel recentemente no Atlético-PR, com Fabiano Soares de treinador.

Hoje é peça importante na estrutura de trabalho que os tricolores oferecem a Abel Braga.

Tem no currículo, entre vários títulos, um Brasileiro, duas Copas Libertadores e um Mundial.

E já foi técnico do Flamengo em 1997.

Autuori comunicou ao presidente Pedro Abad o seu desejo de deixar as Laranjeiras.

Há quem ainda alimente a hipótese da permanência, mas o próprio Abad já foi está atrás de um substituto.

Sondou o gaúcho Rodrigo Caetano, que acertou com o Internacional, e avalia agora alguns nomes que lhe foram indicados.

A saída de um e a chegada do outro devem ser oficializada em breve.

Blog com EXTRA

Rodrigo Caetano é apresentado oficialmente no Internacional
     │     0:02  │  0

Resultado de imagem para Rodrigo caetano, do Inter

O Internacional já apresentou seu novo diretor executivo de futebol. Trata-se de Rodrigo Caetano, (foto acima/Inter), que concedeu entrevista coletiva e falou sobre os planos que começa a traçar para o Colorado.

Questionado se iria trabalhar no mercado para contratar novos jogadores, o dirigente foi político e deixou claro que, no momento, vai analisar as peças, mas classifica o Internacional como um dos melhores do país.

“Quando recebi o convite, uma das coisas que mais me motivou foi o elenco. É um dos elencos que está entre os melhores do país. Questões de melhoria ou não vão ser discutidas com a diretoria. Outra coisa que me tranquiliza é suceder um grande profissional, que é o Jorge Macedo. Ainda não conversamos sobre nomes para reforçar.”

Apesar de ocupar a metade da tabela, Rodrigo Caetano mira as primeiras colocações na competição e bate na tecla que o clube do Beira-Rio precisa assumir seu papel de protagonista no cenário nacional.

“O Internacional tem grandes conquistas e uma história que dispensa comentários. A gente tem que olhar pro topo e mirar as primeiras colocações. Temos que voltar a ser protagonistas no cenário nacional. O Internacional vai fazer um grande Campeonato Brasileiro com a segurança de um clube gigante como é”, declarou. O Internacional volta a campo no próximo domingo, quando recebe o Corinthians, no Beira-Rio.

Blog com LANCE

Crise no Vasco: Alexandre Campello ressalta balanço e se defende de críticas
   10 de maio de 2018   │     0:02  │  0

Presidente do Vasco rebateu críticas em entrevista coletiva
Presidente do Vasco rebateu críticas em entrevista coletiva realizada em São Januário (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)

 

Alexandre Campello veio a público para se posicionar pela primeira vez desde a saída de 13 vice-presidentes de sua gestão. O dirigente destacou que o balanço financeiro feito por ele, com empresas de auditoria, foi o principal motivo de rompimento com o grupo político que o levou à presidência. Voltou a dizer que os ex-aliados foram contrários à transparência que pregavam nos tempos de campanha eleitoral.

Em 40 minutos de fala, oscilou entre ataque e defesa, mostrou confiança, mas também hesitou diante de algumas questões. O balanço financeiro e a boa repercussão que o documento teve entre os grupos de oposição é o grande trunfo de Campello. Com ele que o dirigente aposta que conseguirá remontar sua diretoria administrativa.

– Estou tranquilo quanto a isso. Fui procurado por diversas pessoas para receber o apoio diante do balanço que fiz, pessoas que entendem como eu que o Vasco precisa disso. Terei problemas para nomear os vices porque tenho mais opções do que lugares disponíveis – afirmou.

Campello teve de se defender das acusações de que teria tirado dinheiro da renda dos jogos do Vasco, feita pelo ex-vice-presidente de patrimônio, Luiz Gustavo Pereira. Segundo ele, a retirada ocorreu para gerar receita e pagar contas imediatas do clube, como as viagens dos times. A respeito do uso de uma verba proveniente da venda de Douglas para quitar uma retirada de dinheiro do Vasco, classificou a denúncia de calúnia.

– Não entrou dinheiro novo nenhum no Vasco referente ao Douglas. O clube tem para receber uma parcela que está penhorada. Estamos tentando liberar essa receita, inclusive – frisou.

Acusado de centralizador pelos vice-presidentes que pediram exoneração, Campello contra-atacou. Reclamou de falta de transparência na operação dos jogos e na prestação de contas depois das partidas, o que o motivou a tomar as rédeas da questão, antes nas mãos de Luiz Gustavo Pereira. Sobre o ex-vice-presidente financeiro Orlando D’Almeida e sua reclamação de ter sido excluído da produção do balanço, ele afirmou que o ex-aliado optou por viajar quando o documento estava sendo produzido no clube.

Os maiores ataques, porém, foram voltados para Fred Lopes, ex-vice-presidente de futebol e um dos nomes da Identidade Vasco mais próximos de Campello antes da ruptura. O presidente questionou a capacidade de Fred Lopes para tocar a pasta. Afirmou que sugeriu a contratação de Newton Drummond uma vez que Lopes não tinha conhecimento de futebol. Insinuou ainda que o clube teve problema na inscrição de jogadores por causa de uma falta de organização do ex-dirigente.

Sobre a reclamação de Fred Lopes de que não sabia se o dinheiro referente à venda de Paulinho já havia entrado ou não no clube, afirmou que as explicações a respeito de como está sendo gasto a receita serão dadas no momento oportuno.

– Não tenho que ficar dando explicações a respeito do que estamos fazendo a todo momento. O dinheiro está sendo usado para pagar dívidas, resolver questões fiscais. Temos a expectativa de pagar os salários de jogadores e funcionários entre hoje e amanhã. Montamos uma operação financeira porque precisamos dar prioridades. Esse dinheiro do Paulinho não é suficiente para pagar tudo que devemos e ainda cumprirmos os compromissos que teremos daqui para frente – alegou.

Blog com EXTRA

Presidente do Grêmio aposta na relação com Renato Gaúcho: ‘Confio cegamente’
   5 de abril de 2018   │     0:01  │  0

Renato Gaúcho é cobiçado pelo Flamengo (Foto: MATTHEW CHILDS / Reuters)

 

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, aposta na relação de confiança que construiu com Renato Gaúcho para que o técnico não seja seduzido pela iniciativa do Flamengo de tentar contratá-lo para substituir Paulo César Carpegiani.

Romildo, que apostou na contratação de Renato em outubro de 2016 e colheu como frutos os títulos da Copa do Brasil e da Libertadores, por exemplo, diz, inclusive, que não foi procurado diretamente sobre o tema.

– Não sei de nada. Ninguém falou comigo, ninguém tocou no assunto. Não sei absolutamente nada. Renato renovou em janeiro. Confio cegamente nele – disse o dirigente gremista

A diretoria do Grêmio ficou mais próxima aos cartolas rubro-negros nos últimos anos por causa do movimento da Primeira Liga. Bolzan se firma na crença da camaradagem do Flamengo, mesmo sabendo que os interesses nos negócios podem os levar para lados opostos.

– Não acredito que o Flamengo venha a fazer uma proposta pelo Renato. Sinceramente, conhecendo os dirigentes do Flamengo, não acredito que façam isso. Mas é do jogo se fizerem – comentou o presidente.

Cogitar um Grêmio sem Renato nem passa pela cabeça de Romildo Bolzan:

– Nem contamos com isso.

Blog com EXTRA