Category Archives: Dirigentes

Após anunciar estrangeiros, Peres projeta a chegada de mais três reforços
   20 de julho de 2018   │     0:03  │  0

Presidente santista projeta a chegada de um camisa 9 e um 5, além de um ponta (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Mesmo após oficializar as contratações dos meio-campistas Bryan Ruiz e Carlos Sánchez, o Santos ainda não considera o seu elenco fechado para a sequência da temporada. Segundo o próprio presidente do clube, José Carlos Peres, a expectativa é de que ainda cheguem mais três reforços nesta janela.

“O camisa 10 e o 8 já chegaram. Eles formam um meio de campo que no papel é forte. Mas ainda estamos correndo atrás de um camisa 9 e um 5. E pode vir também um jogador de beirada que faça a camisa 10 também. Ai encerra e precisaremos nos preparar para a continuação da Libertadores, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil!, comentou o mandatário com exclusividade a Gazeta Esportiva.

Apesar de não citar os nomes dos atletas que estão na mira, a diretoria santista confirmou que negocia com os atacantes Derlis González, paraguaio do Dínamo de Kiev-UCR, e Joaquín Ardaiz, uruguaio do El Tanque Sisley-URU. Ambos os negócios estão 50% concluídos na visão dos cartolas do Peixe.

A situação do primeiro já esteve muito próxima de ser concretizada. No entanto, o meia Vitor Bueno não aceitou ser emprestado por uma temporada ao clube ucraniano como forma de troca. Dessa forma, o Santos tenta agora convencer o Dínamo a aceitar uma compensação financeira pelo atleta.

Já a negociação com o segundo atleta depende de uma resposta do clube uruguaio para a proposta de 1,5 milhão de dólares (R$ 5,8 milhões) pelo atleta. Vale lembrar que a pedida inicial da equipe uruguaia foi de 3 milhões de dólares (R$ 12 milhões) por 50% dos direitos econômicos do jogador conhecido como “Pássaro”. Para conseguir concretizar a transação, o Peixe precisará vencer a concorrência com o Sampdoria, da Itália.

Blog com Gazeta Press

 

Presidente da CBF é blindado pelos assessores para não falar besteiras por aí
   17 de julho de 2018   │     0:01  │  0

Resultado de imagem para Cel. Antonio Carlos, presidente da CBF

Um velho sonho alimentado pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o paraense Antônio Carlos Nunes de Lima, (foto acima/O Globo), voltou a ser tema da imprensa nacional. O site Terra publicou matéria assinada pelo jornalista Sílvio Barsseti, na qual é reavivada a ideia do cartola de ter o atual treinador do Paysandu, Dado Cavalcanti, no comando da seleção brasileira, recém-eliminada do Mundial da Rússia.

No texto, Barsseti recorda que o desejo de Nunes é antigo, desde a época em que ele ainda não havia atingido o topo do comando do futebol brasileiro, embora hoje, como salienta o jornalista, o prestígio do dirigente não esteja tão em alta na direção da CBF, em função de uma série de declarações e posicionamentos equivocados do cartola, o maior deles o apoio ao Marrocos e não aos Estados Unidos, como o acertado previamente, para sediar o Mundial de 2026.

Ainda de acordo com a publicação do Terra, Nunes, que já havia falado em Dado na seleção há dois anos, quando ainda era um dos vices da CBF, não voltou a tocar no tema após o adeus dado pelo time nacional no Mundial. Mas, mesmo sem grandes poderes na entidade, o desejo público do presidente causa calafrios entre os demais integrantes da cúpula da CBF, sobretudo em Rogério Caboclo, que assumirá a presidência da entidade em 2019. O temor é por uma nova saia justa e atitude impensada causada pelo Coronel.

O silêncio de Nunes sobre a pretensão de ter Dado no comando do time canarinho só vem sendo possível, segundo o texto de Barsseti, em função de o cartola ter sido blindado pelos dirigentes de grandes poderes na CBF. Isso leva a crer que a entidade não deverá encontrar barreiras para formular a permanência do atual treinador da seleção, Tite, no cargo até 2022, quando acontece a Copa do Mundo no Qatar, uma nova oportunidade para o Brasil concretizar o sonhado hexa.

Com isso, pode até ser que um dia Dado venha a assumir o cargo, mas não até o próximo Mundial, frustrando o sonho de Nunes, apaixonado torcedor do Paysandu, no qual já assumiu diversos cargos, entre eles o de diretor de futebol em 1991, quando o Papão conquistou o seu primeiro título da Série B. Embora distante do Pará há algum tempo, o dirigente segue ligado umbilicalmente ao Papão, que cumpre campanha apenas razoável no Brasileiro, justamente sob o comando de Dado.

Blog com matéria do Diário do Pará

Sócios do Sporting votam pela destituição do presidente do clube
   25 de junho de 2018   │     0:02  │  0

Imagem relacionada

 

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, (foto acima/Divulgação), foi destituído do cargo após uma assembleia geral em Lisboa, que votou sobre a continuidade do dirigente à frente do popular clube português, que atravessa grave crise.

Mais de 70% dos sócios do Sporting, ou seja cerca de 9.400 votos, decidiram pela destituição do presidente do clube.

“Da minha parte isto acabou (…) deixo o clube para sempre”, escreveu Bruno de Carvalho em sua conta no Facebook, acrescentando ter sido “enganado”.

“Já não sou membro do Sporting”, afirmou, destacando que vai apresentar sua carta de renúncia de sócio nesta segunda-feira.

À espera de novas eleições, que acontecerão em 8 de setembro, o clube será dirigido por uma comissão de gestão provisória.

De Carvalho já havia sido suspenso na semana passada por um das instâncias do clube, uma decisão que considerou ilegítima e à qual se recusou a obedecer.

Os sócios do Sporting buscavam no sábado encontrar a saída para uma crise que chegou a ter incidentes violentos. Em maio, torcedores mascarados, inconformados com os resultados da equipe, invadiram o centro de treinamento do clube para agredir e ameaçar jogadores e membros da comissão técnica.

O presidente de 46 anos, que iniciou o primeiro mandato em 2013 e foi reeleito em 2017, foi alvo de duras críticas pelo episódio. Diversos dirigentes do Sporting e torcedores influentes pediram sua demissão, responsabilizando De Carvalho por criar um ambiente hostil no clube, que conquistou o Campeonato Português pela última vez em 2002.

O técnico do Sporting na última temporada, Jorge Jesus, e diversos jogadores pediram a rescisão unilateral de seus contratos com o clube, um dos maiores de Portugal e responsável por revelar Cristiano Ronaldo.

Blog com Jornal do Brasil

Santos acerta contratação de Ricardo Gomes como executivo de futebol
   22 de junho de 2018   │     0:01  │  0

Santos contrata Ricardo Gomes como executivo de futebol (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

 

O Santos voltará a ter um executivo de futebol. O treinador Ricardo Gomes assinou contrato de um ano com o ‘Peixe’. O profissional, gestor em uma passagem pelo Vasco, tem 53 anos e foi unanimidade entre os diretores. Com sua chegada e seu aval, o ‘Peixe’ manteve Jair Ventura no comando técnico.

Jogador de sucesso e técnico de equipes como São Paulo, Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco, Ricardo está desempregado desde a saída do Al-Nassr, da Arábia Saudita, em 2017. Lá, dirigiu o clube por apenas sete jogos. No Brasil, sua última passagem foi pelo Tricolor, em 2016.

O último diretor do alvinegro foi Gustavo Vieira, demitido após menos de dois meses. O profissional tinha carta branca para negociar e centralizava a busca por reforços. Com Ricardo Gomes, será diferente. O presidente José Carlos Peres seguirá participando das conversas em busca de contratações.

A ideia é dividir esse trabalho com Ricardo e contar com sua experiência e rede de contatos. Jogador de sucesso e técnico de equipes como São Paulo, Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco, o executivo ajudará dentro e fora do Brasil. O planejamento ainda inclui grande participação nas categorias de base.

Peres ganhou moral internamente depois da negociação pela venda de Rodrygo ao Real Madrid-ESP. O presidente bateu o pé e conseguiu 40 milhões de euros limpos (R$ 173 mi) após tratar com o clube espanhol numa cafeteria em Liverpool, na Inglaterra, durante experiência como chefe de delegação da seleção brasileira.

Atualmente, o departamento de futebol tem William Machado como gerente técnico, Sérgio Dimas como gerente administrativo e Diogo Castro como coordenador.

Blog com Gazeta Esportiva

Oposição do Fluminense trabalha para isolar presidente Pedro Abad
   21 de junho de 2018   │     0:02  │  0

O conturbado momento político do Fluminense deve se estender até o fim do próximo ano, quando acontecerá a eleição presidencial. Isso porque os variados grupos de oposição estão agindo nos bastidores com o objetivo de montarem uma chapa única a fim de derrotar o presidente Pedro Abad ou qualquer outro candidato da situação, que está no poder há nove anos, por meio do grupo FluSócio, que chegou ao cargo máximo no clube com a eleição de Pedro Siemens, que fez o sucessor.

Nas últimas semanas o ex-presidente da Unimed, o empresário Celso Barros e o ex-diretor jurídico do clube Mário Bittencourt passaram a manter contatos no sentido de costurar um acordo. Ambos concorreram e foram derrotados por Abad na eleição passada. Mário ficou em segundo e Celso em terceiro. Porém, ambos entendem que unidos e com apoio de outros oposicionistas, a eleição poderia ser ganha.

A oposição ainda não definiu o nome, pois ainda falta muito para o pleito, mas quem agrada aos dois grupos é Ricardo Tenório, que foi candidato a vice na chapa de Mário e já ocupou o cargo de vice-presidente de futebol.

Por falar em vice-presidentes, Abad ficou ainda mais isolado em maio, quando cinco vices, incluindo alguns de pastas importantes, se desligaram da gestão por não concordarem com a atual administração.

Dentro de campo, o elenco do Fluminense foi liberado para um período de folga e só retorna aos trabalhos no dia 26 de junho. O próximo compromisso pelo Campeonato Brasileiro, que está paralisado para a disputa da Copa do Mundo, será em 19 de julho, no clássico carioca com o Vasco pela 13ª rodada.

Blog com Gazeta Esportiva