Category Archives: Dirigentes

Carlos Leite diz que Corinthians lhe deve dinheiro por negociações
   4 de novembro de 2018   │     0:03  │  0

Resultado de imagem para Empresário Carlos Leite

Carlos Leite (dir.) é empresário de Cássio e de outros jogadores do Corinthians (Foto: Meu Timão)

O empresário Carlos Leite revelou que tem dinheiro a receber do Corinthians por negociações realizadas durante a gestão Roberto de Andrade, que antecedeu a chegada de Andrés Sanchez. Em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, o agente, que respondia uma afirmação de que o ex-mandatário o teria “colocado para correr” do clube, não quis revelar os valores.

“O Roberto de Andrade não me colocou para correr. O Renato Augusto, o Gil, o Gabriel e o Mateus Vital eu negociei na gestão dele. O Corinthians ainda me deve dinheiro dessas negociações, aliás”, disse Leite, que negou qualquer influência na escalação do atacante Jonathas, seu cliente, escolha do técnico Jair Ventura para a partida contra o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil.

“Nós não temos essa influência, nós agentes. Espero que tenha ficado tudo entendido. A primeira é que eu não represento o Mano Menezes desde que ele foi para China. A outra é que eu não represento o Jair Ventura, apesar de ter feito o meio-campo entre ele e o Andrés. A terceira é que o Jonathas não tem nada nem perto do que foi colocado”, continuou o empresário, que tem, além dos citados, o goleiro Cássio e o lateral direito Fagner.

O goleiro, aliás, ressaltou durante a semana sua satisfação com a gestão da sua carreira, sugerindo até ao meia Pedrinho que pensasse melhor em quem gerencia seu futuro. O jogador passara por problemas após o seu empresário dizer que o tiraria do Timão nas redes sociais.

“A gente tem que buscar o melhor para os nossos clientes, levar para o lugar em que eles terão segurança para trabalhar, vão receber o melhor salário. Eu não tive culpa quando perdeu nem mérito quando ganhou”, avaliou Leite, reconhecendo que não vê os clubes brasileiros bem administrados.

“Se eu falar que não eu vou ser demagogo. Mas acho que agora o futebol está tentando entrar dentro de uma normalidade. Agora, se o dinheiro vem de empresário ou banco, estando registrado na Receita, pagando imposto, qual é o problema?”, concluiu o empresário.

Blog com Gazeta Esportiva

Time dirigido por Ronaldo marca no fim e mantém boa sequência no Espanhol
   29 de outubro de 2018   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Ronaldo Fenômeno agora é dirigente na Espanha

 

A sequência positiva do Real Valladolid, time que tem brasileiro Ronaldo Fenômeno, (foto acima/Gazeta Esportiva), como sócio majoritário, por minutos não foi interrompida. No último final de semana, diante do Espanyol, a equipe conseguiu um gol de empate nos acréscimos da segunda etapa, igualou o placar em 1 a 1 e atingiu o seu sexto jogo sem perder no Campeonato Espanhol.

Atuando em casa, no estádio José Zorrilla, a agremiação dirigida pro Ronaldo teve dificuldades para encarar o segundo colocado da competição. Aos 20 minutos de jogo, o atacante Borja Iglesias soltou um potente chute de fora da área e abriu o placar para o Espanyol.

O empate do Valladolid veio na bacia das almas. Aos 46 do segundo tempo, o italiano Daniele Verde, que entrou no fim da partida, acertou uma bela cobrança de falta para deixar tudo igual.

O resultado deixou o Valladolid na 6º posição da tabela, dentro da zona de qualificação para a próxima Liga Europa. Na décima rodada da competição, o clube recém-promovido à primeira divisão local soma quatro vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas.

Blog com UOL Esporte

Bandeira rebate Palmeiras e chama reclamação de ridícula
   24 de outubro de 2018   │     0:04  │  0

Bandeira respondeu aos palmeirenses após reclamação (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

 

As reclamações do Palmeiras sobre a arbitragem do último domingo foram respondidas pelo Flamengo. Depois de Alexandre Mattos e Luiz Felipe Scolari protestarem pelo Verdão ter quatro atletas suspensos para encarar o Rubro-Negro, o presidente do clube carioca, Eduardo Bandeira de Mello, rebateu os concorrentes pelo título nacional.

“Acho ridículo, mas ridículo mesmo, que se venha falar de qualquer tipo de favorecimento ao Flamengo”, declarou o dirigente, em entrevista à ESPN Brasil.

As críticas do Palmeiras foram feitas mesmo depois da vitória por 2 a 1 sobre o Ceará, já que o clube perdeu quatro atletas suspensos para o jogo contra os cariocas, na próxima rodada do Brasileirão. Lucas Lima, Mayke e Bruno Henrique receberam o terceiro amarelo, enquanto Deyverson acabou expulso pelo árbitro André Luiz de Freitas Castro, que até se enganou ao explicar os cartões na súmula.

O diretor de futebol alviverde, Alexandre Mattos, ficou irritado com a situação e protestou no Pacaembu. Já o técnico Luiz Felipe Scolari disse que “parece até que tinham lista pronta”. Depois de ouvir os adversários, Bandeira recordou jogos contra o Palmeiras para criticar outros erros que teriam prejudicado o Flamengo.

“A única listinha que tenho é a que já falei. Em 2015, fomos prejudicados na Arena naquele jogo em que deixaram de dar dois pênaltis, um no Pará e outro no Guerrero. Em 2016, o Márcio Araújo foi expulso injustamente por esse mesmo juiz que apitou o jogo de hoje do Palmeiras. Em 2017, na Ilha, os dois gols do Palmeiras foram irregulares e o juiz anulou um legítimo do Guerrero. Em 2018, foi esse absurdo do Felipe Melo, de camburão… Se existe alguma lista, é esta”, afirmou.

No primeiro turno, o presidente flamenguista afirmou que Felipe Melo deveria ter sido expulso e saído de camburão do estádio após falta sobre o Vinícius Júnior, que rendeu um cartão amarelo.

O Palmeiras aparece na liderança do Brasileirão, com 62 pontos, quatro a mais do que o Rubro-Negro, que é o segundo colocado. Os dois clubes se enfrentam no sábado, no Maracanã.

Blog com Gazeta Press

Inferno no Fluminense: falta dinheiro e sobra confusão
   21 de outubro de 2018   │     0:01  │  0

Pedro Abad, presidente do Fluminense
Pedro Abad, presidente do Fluminense (Foto: Mailson Santana / Fluminense)

 

A turbulência política do Fluminense tem feito o clube se tornar notícia por fatores que nada tem a ver com o que se passa dentro das quatro linhas. No início do ano, uma reunião na sede das Laranjeiras foi invadida por torcedores, o que levou a polícia a ser acionada. Há nove dias, uma briga entre dois conselheiros foi parar na delegacia. Agora, as divergências internas podem virar alvo de uma ação na Justiça comum.

O motivo para este imbróglio é a votação das finanças do ano passado, o que deveria ter ocorrido na última semana. O problema é que, após a identificação de uma série de irregularidades, o balanço de 2016 precisou ser refeito. Com isso, abriu-se um debate sobre a necessidade de se deliberar novamente estas contas antes de se debruçar sobre 2017.

A situação, formada por membros dos grupos Flusócio (do presidente Pedro Abad) e Esportes Olímpicos, não entende desta maneira. E, em votação apertada, conseguiu aprovar no Conselho Deliberativo que as contas do ano passado fossem avaliadas antes. A partir daí, teve início toda uma discussão, que terminou com agressão física e a suspensão da reunião, ainda sem nova data para continuar.

A oposição, por sua vez, entende que não votar 2016 antes foge do que consideram como boa prática jurídica e já estuda pedir a interferência da Justiça comum. Uma ideia que ganha força entre os conselheiros tricolores.

Entre as irregularidades encontradas e que são usadas para justificar a revisão das contas de 2016 estão a antecipação das luvas pagas ao clube pelo televisionamento do Campeonato Brasileiro de 2019 a 2024 e, principalmente, a alteração do resultado final (mudou de um superávit de R$ 8 milhões para um déficit de R$ 13 milhões). Os reajustes levaram o clube a atrasar a divulgação do balanço deste ano, o que fere uma das exigências da Lei Pelé.

A discussão ocorre num momento de desgaste de Pedro Abad. No início do mês, um conselho foi formado para avaliar requerimento que pede o impeachment do mandatário. A reunião que votará seu prosseguimento ainda não foi marcada.

Blog com EXTRA

Após vitória de Peres, Santos prevê demissões e corte de R$ 4 milhões
   3 de outubro de 2018   │     0:02  │  0

Santos prevê cortes após vitória do presidente José Carlos Peres (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

 

Após José Carlos Peres ser mantido como presidente do Santos em votação dos associados, o clube deve passar por uma reformulação nos próximos dias.

Peres e os demais membros da diretoria estimam até 40 demissões. O objetivo é reduzir os gastos em R$ 4 milhões por mês – atualmente, o Peixe gera R$ 8 milhões em receitas, mas gasta R$ 12 mi.

“A reestruturação não será política. Vou chamar as quatro áreas – futebol, administração, jurídico e marketing/comunicação. Faremos uma lista do que não precisamos mais, extinguir cargos. Não vai ter facão, vai ter ajuste. Pontual. Sem perseguição política. Teremos cortes precisos”, disse Peres, após a votação no último sábado.

“O Comitê de Gestão não entendeu que as decisões são colegiadas, mas quem executa sou eu. Eu executo, chamo cada área profissional e cada um faz seu trabalho, admitem e demitem, montam departamento e eu cobro com metas”, completou.

O Santos tem quatro executivos – o volante Renato no futebol, Ricardo Feijoo no administrativo/financeiro, Marcelo Frazão no marketing/comunicação e Rodrigo Gama Monteiro no jurídico. Há o objetivo de, no futuro, contratar um CEO.

O Comitê de Gestão é formado, atualmente, por Peres, o vice-presidente Orlando Rollo e outros três membros: Estevam Juhas, Fabio Gaia e Pedro Doria Mesquita. Quatro pediram renúncia e serão substituídos se o Conselho Deliberativo aprovar: Andres Rueda, Hanie Issa, José Carlos de Oliveira e Urubatan Helou.

Blog com Gazeta Press