Category Archives: Copa do Mundo

Tite quer que seleção crie condições para Neymar driblar e definir jogos na Copa
   19 de fevereiro de 2018   │     0:03  │  0

Neymar e Tite se cumprimentam em coletiva da seleção brasileira

O craque Neymar e técnico Tite se cumprimentam em coletiva da seleção brasileira –  (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O departamento de análise de desempenho da CBF tem uma jogada separada que ilustra bem o que se quer na Copa do Mundo. No amistoso contra a Inglaterra, empate por 0 a 0 em novembro, houve poucas chances concretas de gol. Uma delas não virou nem sequer chute à meta do goleiro Hart.

O Brasil puxou contra-ataque com Paulinho e a bola chegou a Neymar frente à frente com o lateral Joe Gomez. O craque brasileiro tentou o drible, mas puxou a bola para o lado de dentro e, sem ângulo, recuou para Marcelo.

A instrução é outra.

A seleção trabalha para deixar Neymar em condição de drible. Quando perceber que está um contra um, a recomendação na Copa do Mundo será: vai você!

Neymar não foi o craque que pensamos na partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid. No duelo imaginário Cristiano Ronaldo x  Neymar, está 1 a 0 a favor de Cristiano. No debate concreto, o Real Madrid está vencendo por 3 a 1. Mas tem o jogo de volta.

Decidir numa jogada individual, atualmente, é mais difícil do que era há 28 anos, quando Maradona dominou a bola na intermediária e levou três marcadores antes de deixar Caniggia frente a frente com Taffarel. Ou quando Garrincha enfileirava Gérson e Jordan, na final do Campeonato Carioca de 1962, com o Canhotinha em início de carreira escalado para marcar Mané, com o lateral esquerdo Jordan em sua cobertura.

O espaço para o drible era maior. Não porque o Maracanã tinha 110 m x 75 m e agora tem 105 m x 68 m, mas porque os jogadores corriam 5 km e hoje percorrem mais de 10 km por jogo –Toni Kroos fez 13 km no jogo do Real Madrid contra o Paris Saint-Germain, na quarta (15).

Mais quilômetros percorridos significam mais aproximação de três defensores para marcar o mais criativo atacante adversário. Neymar vai ter sempre dois ou três pela frente, na Copa do Mundo.

A não ser que se crie condição diferente para o craque brilhar.

Técnico da seleção brasileira de basquete na Olimpíada de Moscou, Cláudio Mortari dizia há três décadas que o futebol ficaria parecido com o basquete. Ficou.

A imagem de Neymar no departamento de análise de desempenho no lance de Brasil x Inglaterra indica que é preciso atrair a defesa adversária para um lado e virar o lado da jogada para tentar deixar o maior talento com, no máximo, um marcador. No mano a mano, ele resolve.

Michael Jordan resolveu jogos como a final da NBA de 1998 contra o Utah Jazz numa jogada individual. Coisa de gênio. Messi e Cristiano também podem fazer. Idem Neymar.

Mas o que Tite propõe é criar a condição de deixar o craque no um contra um. Na mesma decisão da NBA de 1998, definida por Michael Jordan, o armador Stockton, do Utah Jazz, passou por todo o garrafão para enganar a defesa e poder arremessar. Jogada ensaiada. Recebeu o passe quando estava sem marcação. Três pontos!

O jornalista Jonathan Wilson, autor de “A Pirâmide Invertida”, diz que o Brasil não é só técnica e sempre houve tática nas jogadas ofensivas. A diminuição de espaço exige esse trabalho mais ainda.

Tite quer que o drible decida a Copa. Para isso, trabalha para deixar os craques no mano a mano.

Blog com FOLHA DE SÃO PAULO

Técnico sérvio vê favoritismo do Brasil e quer 2° lugar no grupo
     │     0:01  │  0

O técnico da Sérvia, Mladen Krstajic, durante um jogo amistoso disputado contra a seleção da China, em GuangzhouO técnico da Sérvia, Mladen Krstajic, durante um jogo amistoso disputado contra a seleção da China, em Guangzhou – (Foto: VCG/VCG via Getty Images)

 

Mladen Krstajic, 43, parecia desconfortável após o sorteio para os grupos da Copa do Mundo, em dezembro, na Rússia. Ele estava ali como quebra-galhos, um interino que tinha de responder a perguntas sobre uma seleção que meses depois ele sabia que não seria mais sua.

O ex-zagueiro havia sido escolhido para ocupar o cargo de forma interina após a saída de Slavoljub Muslin, 64, técnico que havia classificado a Sérvia para o Mundial.

“Seja de forma interina ou em definitivo, é uma honra. Qual técnico não quer representar seu país?”, questiona.

Em janeiro, ficou definido que ele será o técnico da Sérvia na Copa. Em 27 de junho, em Moscou, vai liderar a equipe contra o Brasil, na última rodada do Grupo E.

À Folha, Krstajic diz que sua principal missão será criar um clima de harmonia entre os jogadores, algo que quase nunca foi possível no passado, quando o elenco se dividia em panelas étnicas de sérvios, croatas e bósnios.

Se conseguir isso, acredita ser possível ficar em segundo na chave e ir às oitavas de final. A primeira colocação será do Brasil, opina.

Temos de ser realistas. Claro, no futebol você nunca sabe… Tudo é possível. Mas temos de partir do princípio que o Brasil está acima dos demais. Pelo menos no início do torneio, nosso nível de competição está com Suíça e Costa Rica. Não é nenhuma vergonha reconhecer isso. São três seleções que brigarão em igualdade de condições pela segunda vaga no grupo. Espero que sejamos nós os classificados. Temos capacidade para isso.

Blog com FOLHA DE SÃO PAULO

Fifa divulga bases das seleções na Copa; Brasil fica em Sochi
   12 de fevereiro de 2018   │     0:01  │  0

A Fifa já confirmou a lista das bases das 32 seleções que vão participar da Copa do Mundo da Rússia. A região de Moscou, capital e maior cidade do país, vai abrigar 10 delegações.

Rússia, Portugal, Irã, França, Peru, Argentina, Alemanha, México, Bélgica e Tunísia vão ficar na região que recebe o maior número de delegações.

A seleção brasileira fica em Sochi, no Sul do país. A comissão da seleção escolheram a cidade pela estrutura e pelo clima mais ameno.

Após a fase de grupos, as equipes que avançam para as próximas rodadas terão a opção de continuar usando suas bases ou mudar de sede de acordo com os jogos.

Blog com Jornal do Brasil

Di María coloca a Argentina entre as favoritas ao título da Copa: ‘Temos Messi’
   24 de janeiro de 2018   │     0:01  │  0

Di María é um dos destaques do PSG

 

A Argentina, por pouco, não ficou fora da Copa do Mundo da Rússia. Poucos meses após a péssima campanha nas Eliminatórias, no entanto, já tem muita gente colocando os hermanos entre os favoritos à conquista do Mundial. É o caso do meia Di María, do PSG, (foto acima), que deve disputar a competição pela seleção hermana mais uma vez.

Ao falar das seleções favoritas ao título, Di María, que vive um bom momento na França, não citou a seleção brasileira.

“A Argentina sempre é uma das favoritas, principalmente porque temos Lionel Messi. Tem outras equipes jogando em alto nível, como Espanha e França, mas a Argentina está entre as melhores. Temos que seguir trabalhando duro para permanecer em um nível superior. As Copas sempre são diferentes das Eliminatórias. Se você não ganha, vai pra casa, e é isso que torna o jogo especial”, afirmou ele, segundo o jornal “Sport”.

“Ganhar a Copa do Mundo daria ainda mais força pra ele, mas já é o melhor. Com sorte, o futebol dará a Messi essa Copa do Mundo. Seria bom pra todos”, acrescentou, por fim.

A Argentina está no Grupo D da Copa do Mundo ao lado de Islândia, Croácia e Nigéria.

Blog com EXTRA

Palco da estreia do Brasil na Copa, Rostov é conhecida como ‘Casa dos Maníacos’
   3 de janeiro de 2018   │     0:04  │  0

A seleção brasileira vai estrear no estádio de Rostov

Na Copa da Rússia a seleção brasileira vai estrear no estádio de Rostov (Foto: AP Photo )

Rostov do Don, capital da província do mesmo nome no sul da Rússia, é o palco da estreia do Brasil na Copa do Mundo, contra a Suíça, dia 17 de junho. O torcedor brasileiro que passar por lá, e consultar o guia turístico mais famoso do mundo sobre a Rússia, encontrará palavras desanimadoras sobre a cidade: “não existe nenhuma razão particular para ficar aqui pra além de um dia”, diz o livro. O guia esconde, no entanto, algo que pode afastar ainda mais o turista mais medroso: a cidade é considerada a “capital mundial dos serial killers”, com apelidos nada convidativos como “Cidade da Morte” ou “Casa dos Maníacos”.

A fama vem dos últimos anos do século XX. Entre 1987 e 1999, segundo dados da polícia local, mais 34 assassinos em série foram presos na região, sem contar um número acima da média de estupradores capturados.

É de lá o mais famoso serial killer da Rússia, uma das figuras mais temidas da história do crime no mundo: Andrei Chikatilo, um engenheiro ucraniano que se mudou para a União Soiviética ainda na infância, e que confessou 56 violentos assassinatos entre 1978 e 1990, na maioria com mulheres e crianças como vítimas. Foi condenado à morte por 52 brutais crimes e executado em 1994. Pelo modo que cometia seus crimes, e como deixava os corpos, ficou conhecido como “O Açougueiro de Rostov”, ou o “Estripador Vermelho”.

Só quando a polícia russa admitiu contar com a ajuda de um psiquiatra, o médico Alexander Bukhanovsky (algo não comum para a conservadora sociedade soviética da época, que negava até a existência de desvios mentais), que Andrei Chikatilo foi descoberto e preso, o que mudou a forma de investigar os crimes do tipo na cidade. De certa maneira, o fato ajudou a dar a fama de terror a Rostov, que apesar da estatística, não é considerada uma cidade mais perigosa que outros grandes centros urbanos.

— Não tem nada a ver com a nossa água local. Serial killers existem em toda parte, mas aqui nós temos mais prática na captura deles, por isso as estatísticas são mais elevadas — disse o psiquiatra, falecido em 2013, a um documentário da BBC gravado na década passada.

Além do jogo do Brasil, Rostov do Don, que construiu para o Mundial a Arena Rostov, com capacidade para 45 mil pessoas, receberá outras quatro partidas da Copa, incluindo uma oitava de final. Chance de construir fama menos macabra, já que o terror só vai ficar marcado para quem perder por lá. E que seja a cidade em que o Brasil comece a exterminar seus adversários, um a um, sem nunca ser pego no caminho até Moscou. Na bola e sem violência, evidentemente.

Blog com EXTRA