Category Archives: Copa do Mundo

Com 1 ano para Copa, Rússia tem atrasos e incêndio em estádio
   18 de junho de 2017   │     0:03  │  0

A exatamente um ano da abertura da Copa do Mundo na Rússia, um incêndio atingiu o estádio de Volgogrado que será usado para jogos do torneio. As chamas foram causadas pelo acúmulo de poliestireno expandido, um material de resina termoplástica chamado comercialmente de isopor.

Faíscas de soldagem atingiram o poliestireno e provocaram o fogo, que destruiu uma área de 100 metros quadrados. De acordo com fontes locais, as equipes do Corpo de Bombeiros conseguiram conter as chamas e não houve registro de mortos ou feridos. Faltando 365 para a primeira Copa do Mundo da Fifa no leste europeu, a Rússia ainda está distante de finalizar todos os preparativos e enfrenta uma série de desafios.

Confira

1)Atrasos na obras: Apenas 33% dos estádios que serão usados na Copa do Mundo de 2018 foram entregues até o momento. Das 12 arenas, apenas quatro estão concluídas, número menor que o do Brasil a um ano do Mundial de 2014 (o país tinha 6 estádios prontos).

2)Ameaças de terrorismo: A Rússia é aliada do governo sírio de Bashar al-Assad e mantém soldados no Oriente Médio para lutar contra rebeldes e grupos terroristas, como o Estado Islâmico (EI). Além disso, o país também enfrenta um conflito secular com forças nacionalistas e islâmicas chechenas. Esses dois cenários tornam a Rússia um alvo para atentados.

3)Protestos: Desde o mês passado, líderes opositores como Alexei Navalny convocam manifestações em Moscou e em várias outras cidades do país contra o presidente Vladimir Putin e em protesto pelo fim da corrupção. Somente nesta semana, mais de 1.500 pessoas foram presas nos protestos.

4)Escândalo com Estados Unidos: O governo russo está sendo investigado por sua relação com o líder norte-americano, Donald Trump, e sua possível interferência nas eleições à Casa Branca em 2016. Chamado de “Russiagate”, o escândalo atinge o alto escalão do governo Trump e as agências do FBI e da CIA.

Blog com Agência Brasil

Irã garante vaga na Copa e se junta a Brasil e Rússia
   14 de junho de 2017   │     0:03  │  0

O Irã se tornou a terceira seleção garantida na Copa do Mundo da Rússia, que será disputada a partir de 14 de junho de 2018.

Em partida válida pelo grupo 1 das Eliminatórias da Ásia, o país persa derrotou Uzbequistão por 2 a 0 e não pode mais ser alcançado pelo terceiro colocado na chave.

Com oito rodadas disputadas (de um total de 10), o Irã tem 20 pontos e lidera o grupo. Em segundo lugar aparece a Coreia do Sul, com 13 e um jogo a menos, enquanto o Uzbequistão está em terceiro, com 12 – os dois melhores garantem vaga direta na Copa.

Além do Irã, também estão classificados a Rússia, país-sede do Mundial, e o Brasil, que lidera as Eliminatórias da América do Sul. Essa será apenas a quinta participação iraniana em Copas do Mundo, mas a segunda consecutiva pela primeira vez em sua história.

No Mundial do Brasil, o Irã marcou somente um ponto e terminou em último lugar em seu grupo, que também contava com Argentina, Nigéria e Bósnia-Herzegóvina.

Blog com Agência ANSA

Edu Gaspar e Tite começam a definir base da seleção na Copa da Rússia: logística incluirá família dos jogadores
   18 de abril de 2017   │     0:02  │  0

Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF (Foto: Marluci Martins)

 

Ex-jogador de ótimo passe e elegância no arremate, Edu Gaspar, aos 38 anos, está de novo com a bola. A um ano e dois meses da Copa da Rússia, é ele, coordenador de seleções da CBF, quem vem buscando os atalhos para uma boa logística na competição. De volta há uma semana de um tour russo de nove dias, Edu filtrou cinco possibilidades de quartel-general para a seleção, entre 58 possibilidades oferecidas pela Fifa.

Tais opções de base estão sendo apresentadas desde ontem ao técnico Tite, para a escolha definitiva da concentração do Brasil na Rússia. As anotações a caneta feitas por Edu no mapa das cidades da Copa são as pistas das preferências: São Petersburgo, Sochi, Kazan, Samara e, até, Krasnodar, excluída da lista final das sedes oficiais, mas vizinha aos principais centros da competição a ser disputada em 12 estádios.

– A gente vai precisar de um bom local de treino, independentemente da cidade. Nossa prioridade é atender aos anseios técnicos. Às vezes, uma cidade não é tão glamourosa, mas tem um baita centro de treinamento. Nessa visita à Rússia, em alguns momentos mudei o “schedule” (cronograma). Não quis ver estádios. Priorizei conhecer as cidades porque campo de futebol eu vi durante minha vida inteira – destaca Edu.

O coordenador esteve na Rússia com o supervisor Luis Wagner e o preparador físico Fábio Mahseredjian. O trio voltou ao Brasil resignado com a oferta de uma infraestrutura ainda não tão próxima do padrão de excelência, mas passível de aperfeiçoamentos.

– Quase nenhum campo de treinamento chegou ao padrão Fifa. Alguns CTs ainda estão em construção. Fui a oito ou nove cidades, e nenhum “base camp” (conjunto de hotel e campo de treino) vai atender a 100% da demanda da seleção. Vamos supor que você fique em um hotel muito bom, com conforto, mas sem estrutura pós-treino… Por isso, ainda voltarei à Rússia. E não quero esperar muito, pois há a possibilidade de precisarmos mexer na infraestrutura. Mas seria injusto falar de coisas ruins. Nada me assustou. Eles vão entregar o que estão prometendo.

Nem mesmo o atentado no metrô de São Petersburgo, quando Edu estava em Moscou, no início de abril, desmonta o otimismo. Naquele dia, o telefone tocou várias vezes. A alta cúpula da CBF queria saber de sua integridade física. Foi assim que Edu ficou a par do incidente com 14 mortos e mais de 40 feridos.

– A gente não sabia de onde veio a bomba. Claro, (o terrorismo) é uma pauta negativa. Recebi um comunicado da Fifa. Sabiam que eu estava lá e tiveram a preocupação de me avisar que a própria Fifa e o governo russo vão estar muito atentos a isso no período da Copa. Eu não acho que teremos esses incidentes. Em todas as Copas, se fala sobre essa possibilidade, mas nunca aconteceu nada — diz o coordenador, que ficou bem mais assustado na última terça-feira quando, já de volta ao Brasil, acompanhou pela imprensa os estilhaços da repercussão da bomba perto do ônibus do Borussia Dortmund, na Alemanha: — Essas coisas não costumam ocorrer no futebol.

Edu Gaspar está com a cabeça na Rússia. E com o olhar em outras seleções de ponta.

– Teremos um amistoso contra a Alemanha, em março (de 2018), e ainda trabalhamos para conseguir mais outro. E queremos mais dois em novembro – lembra, certo de que o tempo está passando com a velocidade de uma bola chutada a gol.

Blog com EXTRA

EUA, Canadá e México lançam candidatura para Copa de 2026
   13 de abril de 2017   │     0:01  │  0

Os Estados Unidos, o Canadá e o México já lançaram oficialmente suas candidaturas para sediar a Copa do Mundo de 2026. Pela primeira vez, três países propõem fazer o Mundial de maneira conjunta.

Durante o anúncio em Manhattan, os presidentes das três federações de futebol se disseram confiantes na candidatura – já que os europeus e os asiáticos não podem se candidatar por sediarem as duas próximas edições do evento, em 2018 na Rússia e em 2022 no Catar. A Fifa quer manter o “rodízio” de continentes sediando a competição.

O anúncio ocorre em um momento de grande tensão política entre as três nações, já que o governo de Donald Trump quer construir um muro na fronteira entre EUA e México e ainda tem visões opostas da situação internacional com o líder do governo canadense, Justin Trudeau. No entanto, na esfera esportiva, o discurso é de união. Até hoje, a Copa do Mundo sempre foi sediada por apenas um país – com a exceção de 2002, quando Coreia do Sul e Japão realizaram o evento conjuntamente.

Além de ser inédito haver uma possível sede tripla, o Mundial de 2026 será o primeiro com a modificações propostas e aprovadas pelo presidente Gianni Infantino. Serão 48 equipes na disputa, com uma espécie de “play-off” meses antes para definir as últimas vagas.

Essa também é a primeira candidatura oficial para sediar o evento. Colômbia, Marrocos e uma Copa conjunta entre Austrália e Nova Zelândia já demonstraram interesse em ter o Mundial, mas não há apresentação oficial ainda.

Blog com Agência ANSA

Fifa propõe playoff com 6 times para Copa de 48 seleções
   1 de abril de 2017   │     0:03  │  0

A Fifa já divulgou sua proposta para a distribuição de vagas a partir da Copa do Mundo de 2026, quando o torneio passará a ser disputado por 48 seleções, 16 a mais que as atuais 32.

Pelo sistema sugerido pela entidade máxima do futebol mundial, 46 times se classificariam diretamente para a competição. Já os outros dois seriam definidos em um playoff no mês de novembro anterior à Copa, sempre no país-sede.

O torneio classificatório seria uma espécie de evento-teste para o Mundial e contaria com uma seleção da América do Sul, uma da América do Norte e Central, uma da Ásia, uma da África, uma da Oceania e uma da confederação que sediar a Copa.

Já as 46 vagas diretas seriam distribuídas da seguinte forma: 16 para a Europa, nove para a África, oito para a Ásia, seis para a América do Sul, seis para a América do Norte e Central e uma para a Oceania. O país-sede continuaria tendo lugar garantido, que seria descontado da confederação correspondente.

As medidas ainda serão discutidas na próxima reunião do Conselho da Fifa, em 9 de maio, no Bahrein. A nova Copa do Mundo, principal novidade de Gianni Infantino desde sua chegada à presidência da entidade, deverá ter 16 grupos com três equipes cada. Os dois primeiros avançarão para o “mata-mata”.

Antes de comandar a Fifa, o cartola já havia apoiado o aumento do número de seleções na Eurocopa de 16 para 24.

Blog com Agência ANSA