Category Archives: Copa América

Brasil fatura R$ 43,9 milhões com o título da Copa América; Peru ganha R$ 34,3 milhões
   9 de julho de 2019   │     0:01  │  0

Seleção Brasileira faturou mais de R$ 43 milhões com o título da Copa América

Seleção Brasileira faturou mais de R$ 43 milhões com o título da Copa América (Foto: Guito Moreto / O Globo)

 

A Copa América terminou com a seleção brasileira campeã da edição de 2019, depois de vencer o Peru por 3 a 1, domingo, no Maracanã. Além do novo título, na soma da premiação o Brasil ainda faturou uma boa quantia por ter levantado o caneco: US$ 11,5 milhões (cerca de R$ 43,92 milhões).

O prêmio ao campeão foi de US$ 7,5 milhões (cerca de R$ 28,65 milhões). Mas cada uma das dez seleções que fazem parte da Conmebol vai receber US$ 4 milhões (cerca de R$ 15,28 milhões) apenas por terem participado da competição.

Vice-campeão, o Peru do atacante Paolo Guerrero levou para casa US$ 9 milhões (cerca de R$ 34,38 milhões), contabilizando os US$ 5 milhões (cerca de R$ 19,10 milhões) pelo segundo lugar e mais US$ 4 milhões por ter participado.

As demais seleções vão receber valores referentes às classificações finais no torneio. A entidade só paga premiação extra para os times que chegaram no mata-mata, ou seja, quartas, semis e final.

Convidados para o torneio de 2019, as seleções do Catar e do Japão vão receber apenas US$ 1,25 milhão (cerca de R$ 4,77 milhões) cada.

Blog com EXTRA

O campeão voltou! Brasil vence Peru no Maracanã e conquista a Copa América
   8 de julho de 2019   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Brasil x Peru, hoje

Cebolina abriu o caminho para a vitória brasileira contra o Peru, ontem, no Maracanã (Foto: CBF)

O Maracanã mais uma vez voltou a ser o palco de uma conquista da seleção brasileira. Após Copa das Confederações e o ouro olímpico, os comandados de Tite repetiram 1989 e sagraram-se campeões da Copa América em casa. Mesmo sem ser brilhante no reencontro com o estádio após seis anos, a Seleção derrotou o Peru por 3 a 1, gols de Everton, Gabriel Jesus e Richarlison – Guerrero descontou -, e levantou o troféu continental pela nona vez (a última havia sido em 2007, na Venezuela).

A conquista foi sofrida, apesar do placar. Diante de 69.986 torcedores, a Seleção não teve boa atuação apesar da enorme diferença técnica entre as duas equipes e o fim de jogo ainda foi dramático graças à expulsão de Gabriel Jesus aos 24. A torcida só conseguiu comemorar ao som de “o campeão voltou” quando Richarlison marcou o terceiro aos 44.

Assim como no encontro entre as duas equipes na fase de grupos, o Peru começou melhor: Pressionou em seu ataque contra uma Seleção fria, que não parecia disputar uma final no Maracanã. E novamente os brasileiros, mesmo mal, só precisaram de um ataque para abrir o placar, aos 14 minutos, mais uma vez em jogada individual, assim como na goleada por 5 a 0 em São Paulo.

Gabriel Jesus fez um carnaval em cima de Trauco e cruzou para Everton, sozinho, fazer 1 a 0 e se isolar na artilharia da Copa América, com três gols. Um gol para animar os torcedores, mas não a Seleção, que continuou no seu ritmo lento. Fora dois lances isolados, em chute de Coutinho rente à trave, e cabeçada de Firmino, para fora, o que se viu foi um Peru tentando atacar sem qualidade e um Brasil administrando o resultado numa atuação burocrática.

Até que numa boa tabela entre Cueva e Flores, a bola bateu no braço de Thiago Silva dentro da área. Pênalti para o Peru, confirmado após revisão do VAR. Guerrero cobrou bem e empatou, aos 43, também alcançando a artilharia. Foi o primeiro gol do Brasil sofrido nesta Copa América. A defesa não era vazada há sete jogos e Alisson há nove, contando Liverpool também.

O empate era um castigo pela postura brasileira, mas a preocupação durou apenas quatro minutos. Já nos acréscimos, Firmino recuperou a bola no ataque, tocou para Arthur, que passou para Gabriel Jesus, na entrada da área, fazer o segundo aproveitando escorregão do defensor peruano. A reação de Guerrero, distante dos companheiros e sem acreditar foi um aviso do que estava por vir.

Na volta do intervalo, o Brasil resolveu jogar mais. Sem ser brilhante, passou a criar chances até com certa facilidade nos primeiros minutos, pecando ou na conclusão ou no último passe: Coutinho chutou para fora e deixou de dar dois passes para companheiros, enquanto Firmino finalizou mal. Mas novamente a equipe parou após os 15, deixando o Peru gostar do jogo, cruzando bolas perigosas em sequência para a área brasileira.

E Gabriel Jesus ainda dificultou as coisas ao ser expulso de maneira infantil, aos 24, fazendo falta sem bola em Tapia. O atacante caiu na pilha peruana, após levar entrada dura minutos antes e ficou chorando na entrada para o vestiário. A pressão então aumentou.

Alisson precisou salvar em chute de Trauco e Flores soltou uma bomba para fora. Então Tite colocou Richarlison no lugar de Firmino e Militão no de Coutinho, avançando Daniel Alves para o meio e apostando num contra-ataque. O jogo então ficou tenso, com entradas duras dos peruanos e brasileiros tentando forçar uma expulsão.

Até que, aos 42, Everton arrancou da esquerda, foi para o meio e entrou na área. O atacante adiantou muito e levou ombro a ombro de Zambrano. Pênalti que a arbitragem marcou mesmo com o auxílio do VAR. Richarlison, ovacionado pela torcida ao entrar, cobrou e marcou aos 44, garantindo a vitória e o título da Seleção no Maracanã, a sua casa.

Blog com O DIA

‘Não temos que ser parte desta corrupção’, diz Messi após expulsão
     │     0:02  │  0

Copa America Brazil 2019 - Third Place Play Off - Argentina v Chile

Flagrante do momento que resultou na expulsão do atacante Messi (Foto: AMANDA PEROBELLI / REUTERS)

Messi falou depois da expulsão sofrida no primeiro tempo do jogo entrre Argentina e Chile, válido pelo terceiro lugar da Copa América. E disse que o cartão vermelho foi a “fatura” pelo que disse depois da derrota para o Brasil.

– Com um cartão amarelo, teria acabado para nós dois, mas, bem, talvez o que eu disse na última vez tenha pesado nas contas … O importante é que a equipe terminou bem a Copa – afirmou Messi, que cobrou a revisão da jogada pelo árbitro do vídeo.

Na ocasião da derrota para a seleção brasileira, Messi disse que o Brasil controlava a Conmebol. E criticou a entidade por não ter sido revisto pelo menos um lance de pênalti.

O craque não compareceu à premiação pelo terceiro lugar no campo do Itaquerão.

– Por tudo um pouco. Não temos que ser parte desta corrupção, desta falta de respeito em toda a Copa. A corrupção, os árbitros, tudo isso não permite que a gente participe do futebol, do show, e arruíne tudo um pouco – disparou Messi, que falou em armação a favor do Brasil.

– Não há dúvidas, está tudo armado para o Brasil. Tomra que o VAR e o árbitro não influenciem na final e que o Peru possa competir.

Após o jogo, Messi exaltou o elenco da Argentina e o técnico Scaloni.

– Creio que Scaloni foi crescendo ao lado da equipe. Encontramos uma ideia e jogo, uma boa dinâmica – disse Messi, em meio a especulações sobre a troca de treinador.

O grupo demonstrou muita personalidade. Não é fácil começar perdendo. Isso nos fez mais fortes e terminamos de maneira positiva – emendou o camisa 10.

Messi afirmou que suas declarações são apenas um relato da verdade, que a repercussão do que ele fala não lhe cabe, mas que sempre busca ser sincero.

O camisa 10 foi expulso depois de se estranhar com o meio-campo Medel, do Chile, quando a Argentina já vencia o jogo por 2 a 0.

O jogador argentino empurrou o chileno após disputa de bola na linha de fundo, e ambos se encararam e trocaram peitadas.

Essa foi a segunda expulsão de Messi pela Argentina. A primeira foi na partida de estreia, um amistoso contra a Hungria, em 2005, com apenas 40 segundos em campo.

O juiz Mario Diaz de Vivar só havia apitado dois jogos entre seleções adultas. Um 2 a 2 entre Bolívia e Equador, em 2016, e um Brasil 2 a 0 sobre o Equador , em 2017.

Blog com EXTRA

Brasil domina premiação de melhores da Copa América
   7 de julho de 2019   │     22:00  │  0

Após a vitória por 3 a 1 sobre o Peru, no Maracanã, neste domingo, a seleção brasileira dominou a premiação dos melhores da Copa América. Levaram troféus individuais Daniel Alves, Everton Cebolinha e Alisson.

Capitão da seleção, Daniel Alves foi eleito o melhor jogador do torneio. O lateral-direito, de 36 anos, marcou um belo gol contra o Peru na primeira fase, mas se destacou principalmente na semifinal diante da Argentina, quando comandou a vitória por 2 a 0 no Mineirão.

Everton Cebolinha recebeu dois prêmios: melhor jogador da final e artilheiro da competição. O atacante do Grêmio marcou três gols, assim com Guerrero, mas teve mais assistências do que o peruano e, por isso, ficou com o troféu.

Alisson, que sofreu neste domingo o seu primeiro gol na Copa América, foi eleito o melhor goleiro da competição. Alisson levou o seu único gol em cobrança de pênalti de Guerrero, no primeiro tempo. Já a seleção brasileira ficou com o prêmio Fair Play, por respeito aos adversários.

Veja os prêmios dados pela Conmebol

Melhor jogador: Daniel Alves

Melhor jogador da final: Everton Cebolinha

Fair play: Seleção brasileira

Melhor goleiro: Alisson

Artilheiro: Everton

Blog com Terra Esportes

Copa América/2019 é do Brasil
     │     19:10  │  1

07/07/2019 - Brasil x Peru - Final da Copa America no Estadio Maracana, Rio de Janeiro - Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Cebolina abriu o caminho para a conquista brasileira diante do Peru (Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia)

É campeão! Com um a menos no 2º tempo, Brasil vence Peru e conquista sua nona Copa América.

Seleção bate peruanos por 3 a 1 no Maracanã e volta a levantar a taça após 12 anos. Gabriel Jesus dá assistência, deixa o seu, é expulso na segunda etapa e sai revoltado.

O Maracanã mais uma vez voltou a ser o palco de uma conquista da seleção brasileira. Após Copa das Confederações e o ouro olímpico, os comandados de Tite repetiram 1989 e sagraram-se campeões da Copa América em casa.

Mesmo sem ser brilhante no reencontro com o estádio após seis anos, a Seleção derrotou o Peru por 3 a 1, gols de Everton, Gabriel Jesus e Richarlison – Guerrero descontou -, e levantou o troféu continental pela nona vez (a última havia sido em 2007, na Venezuela).

Aguarde mais detalhes.

Arivaldo Maia