Category Archives: Campeonatos Estaduais

Estaduais de 2017 começam com regulamentos bizarros; Confira o regulamento de Alagoas
   27 de dezembro de 2016   │     0:05  │  0

O ano de 2016 está acabando e os fanáticos por futebol já começam a sentir falta da rotina de jogos. Apesar de muito contestados, são os campeonatos estaduais que farão o torcedor matar a saudade da bola em 2017. Por isso, o Blog do Arivaldo Maia destaca matéria exclusiva do Portal da Band, listando os dez regulamentos bizarros que vão rolar pelos gramados brasileiros.

A fama dos estaduais é justamente pelo fato de serem campeonatos com finais, mata matas, que os torcedores costumam gostar muito, e também pelo fato de terem muitos clássicos. Mas a tradicional forma de um campeonato de turno único, com os quatro melhores se classificando para as semifinais já ficou para trás em muitos estados.

Espalhados pelo Brasil, alguns estaduais parecem ter se esforçado muito no quesito criatividade em seu regulamento, isso sem contar aqueles que nem tem seu sistema ainda definido, como o amazonense, que tem início previsto para março. Outros começam bem cedo, como o paraibano, que tem sua primeira rodada marcada para o dia 8 de janeiro.

Tem campeonato com apenas dois estádios aptos para receberem jogos, outro com semifinais e finais em três jogos ou então aquele em quem não se classifica para a segunda fase será rebaixado. Confira agora os regulamentos:

1º Rio de Janeiro – Seis equipes, as quatro piores colocadas em 2016 e as duas que subiram da segunda divisão, jogam a fase preliminar. Os dois melhores avançam para a fase seguinte, quando se juntam ao restante dos times. Os 12 clubes se dividem em dois grupos e disputam então dois turnos: Taça Guanabara e Taça Rio. No primeiro enfrentam os times da sua chave, e no segundo os do outro. Semifinais e final são em jogo único e os campeões se garantem na semifinal geral, junto com os dois outro de melhor campanha geral. Semifinal será em jogo único e final com ida e volta.

2º Goiás – Dez clubes divididos em dois grupos de cinco. São três turnos. Nos dois primeiros as equipes enfrentam os rivais do outro grupo. No terceiro jogam contra as equipes de seu próprio grupo. Os dois primeiros de cada grupo se classificam para as semifinais junto com os outros dois de melhor campanha, independente do grupo. Os dois piores, independente do grupo, são rebaixados.

3º Pernambuco – Primeira fase com nove equipes divididas em três grupos de três. Jogam contra os rivais dos outros grupos. Os líderes de cada chave avançam para um hexagonal que contará também com os três grandes da capital: Santa Cruz, Náutico e Sport. Os outros dois de cada grupo vão disputar o hexagonal do rebaixamento. Com ida e volta, os quatro melhores se classificam para as semifinais e depois final.

4º Ceará – Dez clubes participantes. Se enfrentam em jogos só de ida. Os oito primeiros se classificam para as quartas de final. O primeiro enfrenta o 8º, o 2º contra 7º e assim por diante, em partidas de ida e volta. Os dois últimos são rebaixados. A partir da semifinal a disputa é em três jogos, precisando o time somar ao menos 5 pontos. Duas vitórias elimina o terceiro jogo.

5º Acre – Campeonato em turno e returno. Oito equipes. O sétimo e oitavo colocados não disputam o 2º turno, sendo que o lanterna é rebaixado. Campeão do primeiro tuno vai para final contra o vencedor do segundo. Se for o mesmo será campeão direto. Rodadas duplas em apenas dois estádios: Arena da Floresta e Florestão, ambos em Rio Branco. Três times do interior.

6º Alagoas – Dois grupos de cinco equipes. Nessa fase, os times enfrentam os adversários do outro grupo em jogos de ida e volta. Classificam três de cada grupo para um hexagonal com partidas apenas de ida. Os quatro melhores vão para as semifinais em partida de ida e volta, o 1º contra o 4º e o 2º contra o 3º. Os dois últimos de cada grupo disputam um quadrangular de ida e volta, e os dois últimos são rebaixados.

7º Pará – Dois grupos de cinco equipes. Clubes jogam ida e volta contra rivais da outra chave. Os dois melhores se classificam para a semifinal, que será disputada entre os times do mesmo grupo.

8º Amapá – Campeonato com início em junho. Nove times profissionais no estado e expectativa que todos participem. Em 2016, a disputa teve apenas cinco clubes. Apenas o estádio Zerão é apto para receber jogos profissionais. Sem sistema definido ainda.

9º Sergipe – Dez equipes jogam entre si em turno único. Os seis melhores disputam um hexagonal de ida e volta, e os dois primeiros colocados fazem a final. Os quatro últimos da primeira fase fazem o quadrangular que definirá os dois rebaixados.

10º Maranhão – Dois grupos de quatro equipes cada. São dois turnos. No primeiro, os jogos são entre clubes do mesmo grupo. Ida e volta. Os dois melhores de cada grupo vão para semifinal, disputada em jogo único. A final de cada turno é ida e volta. No segundo turno a disputa é parecida, mas com os clubes jogando contra equipes do outro grupo. Os vencedores de cada turno se enfrentam na final. Se for a mesma equipe ela será a campeã.

Blog com matéria do Band Esportes

Final entre Bota e Vasco coloca em lados opostos juventude e experiência
   8 de maio de 2016   │     0:04  │  0

Rodrigo, de 35 anos, travou duelo particular com Ribamar, de 18, no primeiro jogo

Rodrigo, de 35 anos, travou duelo particular com Ribamar, de 18, no primeiro jogo (Foto: Divulgação)

Quem se sobressairá num duelo entre um time jovem contra um experiente? Façam suas apostas, porque hoje, às 16h, no Maracanã, Botafogo e Vasco colocarão à prova quem tem mais vantagens em relação às idades de seus respectivos elencos.

No último fim de semana, os veteranos cruzmaltinos levaram a melhor sobre os novatos alvinegros e venceram por 1 a 0 com gol do “trintão” Jorge Henrique. Naquela ocasião, o Vasco entrou em campo com uma média de idade de 30,8, enquanto o Botafogo tinha uma de 26,9.

Na avaliação do técnico alvinegro Ricardo Gomes, a experiência vascaína acabou pesando no confronto inicial, mas o mesmo fez questão de frisar que seus jovens atletas atuaram de igual para igual.

“Olha só, estamos falando de um time bem jovem. O meio de campo você compara com o Vasco. Onde se ganha um jogo? No meio de campo. Eles têm Nenê, Andrezinho, Marcelo Mattos, Julio dos Santos… São experientes. Mas estamos jogando de igual para igual. Temos um time jovem, disciplinado e talentoso”, destacou.

Já na avaliação de Jorginho, comandante do Vasco, há vantagens e desvantagens em relação à experiência e juventude.

“Não tenha dúvidas de que a equipe deles, pela juventude, é muito veloz. São jogadores de extrema velocidade, e isso pode ser um trunfo para eles. Mas não perdemos na condição física. Apesar de termos jogadores experientes, eles estão bem fisicamente. O Jorge Henrique saiu porque tomou uma pancada. Minha equipe, apesar de ter uma faixa etária mais alta, se iguala muito bem na questão da parte física. A experiência conta, pois muitos jogadores já viveram esse momento (disputa de título). Isso vai ser importante para nós”, disse.

Para o decisivo confronto da tarde de hoje, o Vasco deverá manter a mesma equipe do primeiro duelo. Já o Botafogo poderá ter duas mudanças: o zagueiro Joel Carli, de 29 anos, na vaga de Renan Fonseca, de 26, e Fernandes, de 21, no lugar de Gegê, de 22, que está lesionado e é dúvida.

 

Blog com UOL Esporte

 

Entenda como será o Alagoano-2016 que vai começar no dia 24 de janeiro
   19 de novembro de 2015   │     0:05  │  5

O Conselho Arbitral da Federação Alagoana de Futebol esteve reunido na tarde de ontem no auditório da AMA, e decidiu que o Campeonato Alagoano de 2016, na sua 1ª Divisão, será iniciado no dia 24 de janeiro de 2016, com encerramento programado para o dia 8 de maio.

Entre outras decisões, ficou estabelecido que os clubes terão que apresentar os laudos dos estádios até o dia 05 de janeiro, sem nenhuma possibilidade de prorrogação. O encontro contou com a participação de 10 clubes, incluindo o Murici, apesar de ter anunciado antes, através da sua direção, que não participaria da competição.

O Alagoano-2015 terá sua primeira fase, depois o hexagonal, seguido de semifinais e final. Haverá ainda um quadrangular da permanência. Com relação ao Profut, quatro clubes ainda não entregaram as certidões: CSA, ASA, Murici e CSE.

O prazo para a entrega dos documentos se esgotou no dia de ontem, entretanto, por falta de tempo não apenas para os clubes de Alagoas, mas, de todo o Brasil, a FAF estendeu a data para o dia 30, prazo nacional dado pelo Profut. Na verdade, nem São Paulo, a maior potência financeira do país, conseguiu resolver o problema até o presente momento.

A competição será composta de dois grupos, A e B, por meio das colocações anteriores dos times no Campeonato Alagoano. Grupo A: CRB, ASA, Murici, Santa Rita e Penedense. Grupo B: Coruripe, CSA, CSE, Ipanema e Sete de Setembro.

Por sugestão do representante do CRB as chaves foram divididas por títulos estaduais. Na votação, deu 6 x 4 em favor da proposta alvirrubra. Os clubes jogarão a primeira fase em sistema de ida e volta, com os times do grupo A enfrentando os do grupo B, com cada time fazendo 10 jogos. Se classificam os três primeiros de cada chave, formando um hexagonal.

Com relação ao hexagonal, se classificam quatro equipes para as semifinais, em que o 1º enfrenta o 4º e o 2º encara o 3º colocado do hexagonal. Quem passar vai para a final e disputará o título.

No quesito rebaixamento, haverá um quadrangular de permanência. Neste caso, com jogos de ida e volta, totalizando seis partidas para cada time. O último e o penúltimo nesse quadrangular estarão rebaixados para a Segundona em 2017.

Vale lembrar que Alagoas tem três vagas na Copa do Brasil de 2017. As vagas ficarão com o campeão e vice do Alagoano 2016, e o terceiro lugar. Haverá um sistema de mata-mata nas semifinais, e os eliminados irão realizar um confronto de ida e volta. Neste caso, o vencedor irá se sagrar como terceiro colocado, garantido a vaga na Copa do Brasil.

Com relação ao Campeonato Brasileiro da Série D, como CRB e ASA já possuem divisão nacional, o campeão alagoano de 2016 será o representante do estado nesta competição, em 2016 e 2017, segundo determinação da CBF, objetivando melhorar a organização e planejamento dos clubes e entidades.

Se o título máximo da temporada ficar com CRB ou ASA, o vice-campeão será o dono da vaga na Série D. Havendo uma final com participação de CRB e ASA, a vaga alagoana da Série D será do terceiro colocado, que sairá do confronto direto entre os eliminados nas semifinais.

 

Texto: Arivaldo Maia

FPF quer rebaixar seis clubes no Paulistão de 2016
   21 de agosto de 2015   │     0:01  │  0

O Campeonato Paulista poderá ter um novo formato para o próximo ano. A Federação Paulista de Futebol estuda rebaixar seis clubes para a Série A2. A informação de Jorge Nicola, comentarista das rádios do Grupo Bandeirantes.

A entidade vai se reunir com os clubes da elite nos próximos dias para apresentar o regulamento para 2016.

A intenção da FPF é manter a competição com os quatros grupos, com cinco equipes cada, mas com seis sendo rebaixados para a segunda divisão, ao contrário do número atual: quatro.

O objetivo da entidade máxima do futebol paulista é ter apenas 16 clubes na Série A1 a partir de 2017.

Por outro lado, apenas duas equipes subiriam da A2 para a elite. A boa notícia é que as cotas para os clubes da divisão inferior seriam maiores.

 

Blog com Band Esportes

Federação define Allianz Parque e Vila Belmiro como sede das finais do Paulista
   24 de abril de 2015   │     0:02  │  0

Paulo Nobre e Modesto Roma Júnior se cumprimentam sob risos de Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF

 

A Federação Paulista de Futebol (FPF) definiu, em congresso com representantes de Palmeiras e Santos os locais das finais do Campeonato Paulista de 2015. O acordo firmado entre os presentes cravou que as casas originais dos dois times sediarão o confronto: o primeiro duelo será disputado no Allianz Parque, em São Paulo, enquanto a finalíssima ocorrerá na Vila Belmiro, na Baixada Santista.

Os dois jogos serão disputados em domingos sequenciais. A primeira final, na casa alviverde, será às 16h (de Brasília) deste domingo, 26 de abril. No mesmo horário da semana seguinte, 3 de maio, ocorre a decisão na Vila.

Havia a expectativa de que o mando santista do jogo parasse no Pacaembu ou em outro estádio neutro maior, mas o Santos preferiu levar o duelo para o “alçapão”. A intenção é de que a Vila Belmiro faça diferença para o time.

O duelo de ida será o primeiro Palmeiras x Santos da história do Allianz Parque. Os santistas se classificaram para a final em sua própria casa, após vencerem o São Paulo por 2 a 1. Já o time alviverde derrotou o Corinthians nos pênaltis após empate por 2 a 2 em plena Arena de Itaquera.

 

Blog com Gazeta Esportiva