Category Archives: Boxe

Ex-boxeador é acusado de traficar 22 toneladas de cocaína avaliadas em US$ 1 bilhão, nos EUA
   3 de novembro de 2022   │     17:00  │  0

Boxeador é acusado de traficar 22 toneladas de cocaína avaliadas em US$ 1 bilhão, nos EUABoxeador é acusado de traficar 22 toneladas de cocaína avaliadas em US$ 1 bilhão, nos EUA (Foto: Reprodução)

O ex-boxeador Goran Gogic, de Montenegro, foi acusado por autoridades americanas de participar de um esquema que traficou 22 toneladas de cocaína, avaliadas em US$ 1 bilhão, de Columbia, na Carolina do Sul, para a Europa central. Ele foi preso na noite deste domingo.

Nascido em Pljevlja, em Montenegro, o ex-boxeador atuou como peso pesado de 2001 a 2012.

Gogic, de 43 anos, estava embarcando em um voo com destino a Zurique, na Suíça, do Aeroporto Internacional de Miami. As 22 toneladas de cocaína dizem respeito a três apreensões de carregamentos da droga em navios de carga ocorridas em 2019.

A maior delas foi a última, em 19 de junho. A cocaína estava no cargueiro MSC Gayane, que se preparava para atracar no porto da Filadélfia. Foi uma das maiores apreensões de cocaína da história dos EUA.

Arivaldo Maia com Redação do EXTRA

 

 

Boxeador ucraniano bicampeão olímpico retorna aos ringues no MSG após servir na guerra pela invasão da Rússia
   29 de outubro de 2022   │     23:58  │  0

Vasily Lomachenko durante pesagem em Nova York.Vasily Lomachenko durante pesagem em Nova York – (Foto: Yong Teck Lim / AFP)

Boxeador ucraniano bicampeão olímpico retorna hoje aos ringues no MSG após servir na guerra pela invasão da Rússia.

Neste sábado, o boxeador Vasily Lomachenko, de 34 anos, retomará um processo que já faz parte da sua vida: a preparação num dia de luta. Depois de oito meses sem usar as luvas numa disputa oficial, o ucraniano voltará aos ringues para enfrentar o americano Jamaine Ortiz, em Nova York, no Madison Square Garden. Essa será a primeira luta de Lomachenko depois de participar da guerra por conta da invasão da Rússia na Ucrânia.

Em fevereiro, quando se preparava para recuperar o cinturão de campeão mundial de peso leve, Lomachenko largou a preparação no exterior e voltou ao território ucraniano para ajudar seu país. Duas vezes medalhista de ouro olímpico, o boxeador teve dificuldades nos primeiros dias de guerra, como revelou à agência Reuters

“Naqueles primeiros dias, os militares russos avançaram muito rapidamente, tomando uma cidade após a outra e indo para Kiev. Portanto, você não conseguia ter uma ideia clara do que poderia acontecer no dia seguinte em sua área, em sua região”, falou Lomachenko.

Mas foi justamente na dificuldade que o boxeador descobriu a bravura e a determinação que os voluntários ucranianos tinham em ajudar o seu país em meio à invasão. Junto disso, Lomachenko utilizou sua experiência no ringue, que o ajudou quando estava em serviço.

“Tanto física quanto mentalmente, no boxe você precisa ter essa consciência do perigo quando está no ringue. Você tem que estar constantemente atento para se proteger, para não permitir que o oponente cause nenhum dano”, disse ele. “Claro, não se pode comparar um ambiente de boxe a estar no campo de batalha, com foguetes e balas voando sobre você. Mas, ao mesmo tempo, acho que estava mais preparado em comparação com pessoas que não tinham experiência em nenhum esporte de combate, então isso me deu uma vantagem.”

Envolvido com o conflito, Lomachenko afirmou que só voltou para a carreira no boxe quando sentiu que a situação nas ruas da Ucrânia já estava melhor. Além disso, o boxeador enfatizou o orgulho que sente em representar sua nação no cenário esportivo.

“Toda vez que você entra numa luta, você representa seu país, você fica atrás das cores de sua bandeira, e desta vez não é diferente. É mais uma oportunidade de mostrar ao mundo quem eu sou e chamar a atenção para a Ucrânia.”

Se superar Jamaine Ortiz, Lomachenko deve ter uma oportunidade de enfrentar Devin Haney, atual dono do cinturão.

Arivaldo Maia com Redação do EXTRA

Anderson Silva pode ter luta cancelada após ser nocauteado em treino
   28 de outubro de 2022   │     5:00  │  0

Anderson Silva x Julio Cesar Chavez Jr — Foto: Jam Media/Getty Images

Anderson Silva x Julio Cesar Chavez Jr —( Foto: Jam Media/Getty Images)

Autoridades do Arizona adotam uma postura mais rígida para a realização de combates de atletas veteranos.

Sem nenhuma necessidade de continuar lutando, já que tem uma excelente estrutura financeira, Anderson Silva, tantas vezes campeão do MMA, insiste na carreira de lutador, agora praticando o Boxe, aos 47 anos.

A luta de boxe entre o ex-campeão do UFC Anderson Silva e o youtuber Jake Paul, marcada para o próximo asmanhã, (29), nos EUA, pode ser suspensa por um motivo inusitado: o lutador brasileiro foi nocauteado em seus treinamentos e isso causou enorme preocupação em sua equipe técnica.

Preocupou também o Departamento de Jogos do Arizona, onde a luta deverá ser disputada, que adota uma postura mais rígida para a realização de combates de atletas veteranos, com mais de 36 anos.

Anderson, em sua preparação para o combate, recrutou boxeadores de alto nível para ajudá-lo a encarar Jake. Os treinos tem sido duríssimos. O próprio brasileiro admitiu que chegou a sofrer dois nocautes nos sparrings.

Após a revelação feita pelo ex-campeão do UFC, o Departamento de Jogos do Arizona informa que a realização ou não do combate está sendo analisada.

Aos 47 anos, Anderson Silva, é um dos lutadores mais celebrados dos esportes de combate. Em seu auge no MMA, o brasileiro marcou época no UFC. “Spider” conquistou o título do peso-médio (84 kg) logo após sua estreia na companhia e o defendeu dez vezes.

Nocauteado duas vezes, treinando, Anderson Silva decepciona sua imensa legião de admiradores. Lutar mais pra que?

Arivaldo Maia e Metrópoles

Morre Éder Jofre, orgulho do boxe brasileiro
   3 de outubro de 2022   │     12:00  │  0

O mundo esportivo acordou triste na manhã de ontem. Aos 86 anos, o ex-pugilista Éder Jofre faleceu por conta de complicações de uma pneumonia. Ele estava internado em uma clínica em Embu das Artes, município de São Paulo. Com a passagem, é importante relembrar a gloriosa carreira do eterno “Galo de Ouro”.

Éder Jofre faleceu aos 86 anos (Foto: Ale Cabral/Lancepress!)
Éder Jofre faleceu aos 86 anos (Foto: Ale Cabral/Lancepress!)

Foto: Lance!

Com dificuldades para se manter no peso da categoria, o “Galo de Ouro” parou de lutar por três anos. Em 1969, ele voltou aos ringues na categoria peso-pena, uma acima da que se notabilizou no cenário esportivo.

Depois de voltar a ativa, ele disputou o título mundial em 1973 com o histórico adversário José Legra, no Ginásio de Esportes de Brasília, e venceu mais uma vez. O cubano naturalizado espanhol contestou a decisão da arbitragem pela contagem de pontos.

A lenda do esporte encerrou a carreira em 1976, considerado o melhor peso-galo da história do esporte na era moderna. Éder Jofre venceu 72 lutas, sendo 50 por nocautes, além quatro empates técnicos e somente duas derrotas.

Arivaldo Maia com Terra Esportes

Rússia convoca ex-campeão mundial de boxe para guerra com Ucrânia
   2 de outubro de 2022   │     19:00  │  0

Nikolai Valuev ex-campeão mundial de boxe

Nikolai Valuev ex-campeão mundial de boxe

(Foto: Maxim Shemetov)

Nikolai Valuev, de 49 anos, é considerado um dos boxeadores mais altos e pesados da história do esporte.

A Rússia convocou ex-campeão mundial de boxe Nikolai Valuev, de 49 anos, para lutar na Ucrânia. Com 2,13 metros de altura e 150 quilos, ele é considerado um dos boxeadores mais altos e pesados da história do esporte.

Em entrevista à mídia estatal russa, Valuev disse que recebeu sua intimação quando estava em Donbas, no leste da Ucrânia. Ele afirma ter sido instruído a ir ao escritório de registro e alistamento militar.

Também conhecido como ‘Homem da Montanha’, o ex-atleta encerrou sua carreira esportiva em 2009. Em 2010, o médico dele relatou que Valuev sofria de “sérios problemas ósseos e articulares”.

Em 2011, o ex-boxeador ingressou na carreira política como membro do partido Rússia Unida, apoiado por Putin e o maior do país. Por causa do seu tamanho, o parlamento russo teve até que providenciar uma cadeira especial para o ex-boxeador.

Arivaldo Maia com Redação Terra