Category Archives: Atletismo

Bolt perde medalha olímpica por doping de companheiro
   28 de janeiro de 2017   │     0:03  │  0

Resultado de imagem para Usain Bolt

Lamentável: O homem mais rápido do mundo foi prejudicado por doping de companheiro (Foto: Divulgação)

Já foi retirada de Usain Bolt a medalha de ouro ganha na prova dos 4x100m dos Jogos Olímpicos de 2008, realizados em Pequim, na China.

Tudo porque Nesta Carter, seu colega de equipe na prova, foi desqualificado ao ser detectado o uso uma substância dopante em uma  nova análise de amostras dessa data.

A consequência da eliminação de Carter é a aplicação de uma medida semelhante aos membros restantes da equipe jamaicana, fazendo com que Usain Bolt deixe de ter medalhas de ouro nas últimas três edições dos Jogos nas provas de 100m, 200m e 4x100m.

Blog com Jornal do Brasil

 

Jornal elege Bolt e Biles como melhores atletas de 2016
   1 de janeiro de 2017   │     0:04  │  0

Resultado de imagem para Usaín Bolt, hoje

O jornal L’Équipe destaca o grande corredor Usaín Bolt, premiado como melhor do mundo (Foto: Arquivos do Blog do Arivaldo Maia)

O velocista jamaicano Usaín Bolt e a ginasta norte-americana Simone Biles foram eleitos os melhores esportistas do ano de 2016, segundo votação realizada pelo jornal esportivo francês “L’Équipe”.

Esta é a quinta vez que Bolt é eleito o “campeão dos campeões”, depois de ser consagrado em 2008, 2009, 2012 e 2015, enquanto Biles, estreia no topo da lista e sucede a tenista Serena Williams. Os dois atletas foram os principais destaques durante os Jogos Olímpicos da Rio 2016.

O jamaicano conquistou três ouros olímpicos consecutivos nas provas de 100m, 200m e 4x100m. “Nunca me canso dos prêmios porque recompensam meu trabalho e me dão motivação”, afirmou Bolt ao jornal. Na votação, ele ficou com 979 pontos, seguido do nadador norte-americano Michael Phelps e do tenista Andy Murray.

Já Biles, ganhadora de cinco medalhas na Rio 2016, sendo quatro ouros e um bronze, foi a vencedora com 850 pontos, deixando a nadadora norte-americana Katie Ledecky na segunda posição seguida da atleta jamaicana Elaine Thompson.

Blog com Agência ANSA

São Paulo se prepara para 92ª edição da Corrida de São Silvestre
   30 de dezembro de 2016   │     18:49  │  0

As ruas de São Paulo começam a ser preparadas nesta sexta-feira (30) para a tradicional Corrida de São Silvestre, que ocorre sempre no último dia do ano e em 2016 chega a 92ª edição. Os bloqueios ao tráfego de veículos em vários pontos da região central e da Avenida Paulista começam às 22h desta sexta-feira.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) terá 117 agentes na operação e utilizará mais de 1,6 mil cavaletes, 192 faixas informativas, 39 banners de orientação aos usuários da região, 100 rolos de fita zebrada e 1.730 metros de gradis na sinalização.

Alguns pontos serão liberados para veículos às 13h deste sábado (31), mas novas interdições começarão às 15h por causa da festa da Virada, na Paulista.

A prova tem 15 quilômetros, mas este ano terá um novo percurso. Alguns trechos foram alterados para adequar o espaço à demanda de participantes, segundo a organização do evento. Foram retiradas do trajeto as ruas Margarida, Olga e outras próximas ao Memorial da América Latina, na zona oeste. Em substituição, o percurso terá trechos do Centro Histórico de São Paulo (as ruas Xavier de Toledo, Sete de Abril, Bráulio Gomes, Viaduto 9 de Julho, Viaduto Jacareí e Rua Dona Maria Paula).

A saída será na Avenida Paulista, na pista sentido Consolação, próximo à Alameda Ministro Rocha Azevedo, e a chegada em outro ponto da mesma via, em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero.

Considerada a corrida mais importante do gênero na América Latina, a São Silvestre deve reunir na 92ª edição cerca de 30 mil pessoas, entre amadores e profissionais, sendo 120 atletas no pelotão de elite.

Blog com Agência Brasil

Usain Bolt anuncia sua última corrida e aposentadoria após Mundial
   15 de outubro de 2016   │     0:02  │  0

Dono de nove medalhas de ouro olímpicas, três de cada uma das últimas três edições do Jogos, Usain Bolt está mesmo muito perto da aposentadoria. Nesta sexta-feira, ele participou de um programa matinal na televisão jamaicana e, entre uma brincadeira e outra, avisou que fará, em junho, sua última prova em seu país natal.

“Eu definitivamente vou me aposentar depois do Mundial de Atletismo em Londres, que vai ser o meu último. O Racers Grand Prix vai ser minha última prova diante do povo da Jamaica, a última vez que vou correr na Jamaica”, contou.

O Racers é uma competição anual no Estádio Nacional de Kingston, capital jamaicana, disputada sempre em junho, em um dia só. Reúne majoritariamente atletas da Jamaica, mas também de outros países da América Central e dos Estados Unidos. Bolt, que é da equipe da Racers, correu lá este ano e venceu os 100m com 9s88.

O recordista mundial dos 100m e dos 200m não precisa participar do Campeonato Jamaicano do ano que vem porque já está automaticamente classificado para o Mundial do ano que vem, onde vai defender seus títulos. A competição no estádio olímpico de Londres vai de 5 a 13 de agosto.

Texto: A Tarde

Com tumor no cérebro, Verônica Hipólito se despede da Rio 2016 com duas medalhas
   18 de setembro de 2016   │     0:02  │  0

Resultado de imagem para Verônica Hipólito
A brilhante brasileira Verônica Hipólito, um exemplo maravilhoso de força e competência, apesar do seu grave problema de saúde (Foto: folharj.com.br)

 

Nem em seus sonhos mais distantes a paulistana Verônica Hipólito se imaginaria com duas medalhas paralímpicas no peito em setembro deste ano. “Eu não esperava nem vir para os Jogos. No dia 20 de agosto do ano passado, eu estava passando por cirurgia. No dia 1º de setembro de 2015 eu devia estar chorando de dor. Agora, estou aqui comemorando”, vibra a carismática atleta, que encerrou sua participação nos Jogos do Rio com o bronze nos 400m T38, classe para pessoas com paralisia cerebral.

Verônica não esconde de ninguém todos os percalços que enfrentou até chegar à sua primeira Paralimpíada. Tanto é que ela menciona, como se fosse um detalhe irrelevante, que competiu em suas três provas com um tumor na cabeça – mais especificamente, na região da hipófise. “Não é nada demais. Eu já retirei uma vez e tratei com remédio na outra, então de repente posso ser medicada novamente. Eu não sei o tamanho em que ele está porque não tive tanto tempo para acompanhar esse tumor neste ano, infelizmente. Eu tinha até esquecido, na verdade. Foi só quando meu médico me mandou mensagem que lembrei que eu tinha um tumor na cabeça”, diz a corredora, que enfrenta o problema há oito anos.

Na última sexta-feira (9), Verônica já tinha ficado com a prata nos 100m de sua classe. No domingo (11), o susto: depois de disputar a final do salto em distância e chegar em oitavo lugar, ela sentiu fortes dores na perna esquerda, na panturrilha e na posterior de coxa, e teve que deixar o Engenhão carregada. “Para quem não estava conseguindo andar depois do salto, vir aqui, conseguir correr o 400m e ainda ficar com medalha é de grande valia. Eu não podia me dar o direito de dar menos que o meu melhor de novo.”

A última prova

“Eu senti logo no início, mas quando você está em uma final de 400m, na sua última prova, então, meu amigo, vai e seja feliz. Dê o seu melhor. E foi o que eu fiz. No meio da prova, pensei em acelerar mais para forçar para cima das meninas. No final, não deu tão certo assim. Elas estavam até brincando comigo que eu tentei quebrá-las, mas eu dei o meu melhor até o final. Agora que a adrenalina da prova está baixando, a minha panturrilha está voltando a doer um pouco. Mas a minha dor não é maior do que a minha felicidade.”

Lição

“Se alguém falar para vocês que algo é impossível, saiba que não é. Todo mundo fala o que você pode e o que você não pode, mas é você quem vai fazer. É você que decide a sua vida e você quem vai trabalhar por isso. Você não tem que se apegar ao seu AVC, ao seu tumor, à sua lesão, mas sim no que vem depois – o seu tratamento e sua cirurgia. Todo mundo tem problemas e só vocês sabem o que vocês estão sentindo. A dor é de vocês, mas não deixe a dor ser maior do que a solução. A solução é sempre maior e é isso que me faz estar aqui hoje.”

Blog com Agência Brasil