/BLOGS

Arivaldo Maia

Sem espaço, joia pode deixar o Flamengo
   4 de junho de 2020   │     17:00  │  0

Rumo à Europa? Sem oportunidades e expectativas de entrar para o ‘seleto’ grupo de Jorge Jesus, o promissor lateral-direito Matheus França, conhecido como Matheuzinho, pode deixar o Flamengo na próxima janela de transferências. A informação inicial é do jornalista Venê Casagrande.

Segundo o OneFootball, o atleta de 19 anos chegou ao Rubro-Negro Carioca na temporada passada e é um dos destaques das categorias de base do clube, tendo dominado a posição no Sub-20 e ‘cavado’ vaga no elenco profissional. Porém, não recebeu oportunidades e deve deixar o Ninho do Urubu.

Matheuzinho disputou 3 partidas no profissional no começo da temporada.
Matheuzinho disputou 3 partidas no profissional no começo da temporada. | (Foto: Reprodução / Coluna do Fla)

Reforço do ano passado, Matheuzinho participou de 4 partidas no grupo principal em 2020 e esperava continuar o ano sob comando do Mister, no entanto, não foi ‘efetivado’ e agora vê seus empresários procurarem um novo clube para ele. Conforme o Transfermarkt, o lateral tem contrato até dezembro de 2023.

A princípio, o Flamengo não dificultaria em uma negociação de saída do atleta, considerando que precisa de dinheiro e não vê espaço para o jovem. A tendência, apesar do lateral ter espaço no Brasil, é de que ele seja negociado com o mercado europeu – o Lille, da França, e o Borussia Dortmund têm interesse na joia.

Vale destacar que o Mais Querido pagou apenas R$ 1,2 milhão ao Londrina por 50% dos direitos econômicos do jogador e que a previsão é de que lucre consideravelmente em uma eventual negociação.

Blog com 90MIM

COMENTÁRIOS 0

Fred receberá dois salários mínimos no Flu
     │     14:00  │  0

Fred voltou a vestir a camisa do Fluminense em live de comemoração do tetracampeonato brasieleiro - Divulgação
Fred voltou a vestir a camisa do Fluminense em live de comemoração do tetracampeonato brasieleiro (Imagem: Divulgação)

O presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, disse no anúncio do retorno de Fred, que o jogador abriu mão de dinheiro para iniciar sua segunda passagem pelo clube. Durante a live de comemoração da conquista do tetracampeonato brasileiro o mandatário deu mais detalhes sobre o assunto. Bittencourt falou em algumas oportunidades que Fred teve que entender o momento do Fluminense e abrir mão de dinheiro. E não foi pouco.

Um dos maiores vencimentos do Cruzeiro, em 2019, o centroavante aceitou receber dois salários mínimos até a volta do Campeonato Brasileiro. “Dentro dessa nossa realidade, o Fred compreendeu que nós passamos por um momento de extrema dificuldade, nós temos um acordo com nosso grupo de jogadores onde eles fizeram redução salarial.

E o Fred olhando o que o grupo fez, entendendo que todos nós estamos principalmente estamos tentando sair desse momento difícil da pandemia, preservando empregos das pessoas menos favorecidas, aceitou que enquanto não houver jogo do Campeonato Brasileiro, pode haver de outra competição, a remuneração dele no contrato de trabalho será de dois salários mínimos, para que ele possa contribuir neste momento com a instituição”, disse Mário à FluTV.

O contrato de Fred com o Fluminense é válido até o dia 21 de julho de 2022. A partir do Brasileiro, o atacante terá uma remuneração fixa em torno de R$ 300 mil, contando com um adicional variável de utilização de imagem e um percentual de venda de produtos e camisas, Sócio Futebol, patrocínios exclusivos e outros projetos de marketing. Segundo Bittencourt, o plano é que Fred siga no clube após o fim do contrato, mas não como jogador. “A nossa ideia é que ele fique conosco até lá e possa encerrar sua carreira como atleta profissional de futebol no Fluminense.

O contrato é dividido em três partes. O Fred tem um contrato de trabalho, que é obrigatório por lei, todos os atletas profissionais têm, um de imagem, que versará sobre várias situações, criação de linha de produtos, relação com sócio-torcedor. Será uma exploração da imagem completa, o que não foi feito no passado quando ele esteve no clube.

E uma terceira parte do contrato, que ainda não é um contrato, uma surpresa que eu queria fazer aqui na live: deixamos em aberto a possibilidade dele encerrando a carreira dele, sendo da vontade dele, ele se tornar um embaixador do Fluminense, se tornar um grande representante aqui no Brasil, Europa e em todo mundo. Ter a relação com o Fluminense que vários ídolos têm em seus clubes.

Se a gente realmente partir para esse caminho lá na frente, ele será exclusivo do Fluminense. A utilização da imagem dele e da posição dele como embaixador, representante do clube em várias áreas”, afirmou.

Blog com UOL Esporte

COMENTÁRIOS 0

UFC: Durinho desafia amigo Usman
     │     13:00  │  0

Gilbert Durinho definitivamente não chegou aonde está escolhendo só as melhores lutas. E não seria prestes a disputar o cinturão do UFC que ele mudaria isso! O brasileiro não perdeu tempo após o massacre contra Tyron Woodley e já desafiou o campeão Kamaru Usman, apesar de os dois serem amigos e companheiros de treino.

 

“Vamos lá, eu amo o campeão, Kamaru é o meu irmão. Tenho muito respeito por ele, mas eu sou o próximo. Ele bateu o ex-campeão, eu fiz o mesmo, talvez até melhor. Eu não tenho nenhum arranhão, nada, posso lutar em julho. Quero lutar pelo título”, disse Durinho.

“Brasil, eu vou trazer esse cinturão para vocês”, completou.

Depois, em entrevista coletiva, ele aumentou a aposta. Disse ter conversado com Dana White e se oferecido para lutar o mais rápido possível enquanto nomes como Jorge Masvidal estão endurecendo na negociação dos contratos.

“Eu sei que tem o Masvidal e toda essas coisas… Mas eu disse para o Dana agora que estou pronto para lutar em julho. Se esses caras continuarem com as loucuras deles, eu quero lutar pelo título”, disse.

Masvidal seria o próximo desafiante de Usman, mas as negociações não evoluíram. O combate parece tão distante que Kamaru já havia até começado a desafiar Conor McGregor pelas redes sociais.

Durinho, porém, tem argumentos fortes a seu favor. Afinal de contas, Woodley era o número 1 do ranking da categoria. Durinho, que era o 6º, tem tudo para ganhar posições após engrenar a sua quarta vitória em quatro lutas como meio-médio. E todas elas de peso: Alexey Kunchenko (até então invicto), Gunnar Nelson, Demian Maia e agora Tyron Woodley.

O brasileiro, porém, já mostrou que não vai ficar parado esperando a chance.

“E se eu não for lutar pelo cinturão, me dê quem ficar disponível. Colby, Leon Edwards, qualquer um. Quero me manter ocupado. Claro que eu quero lutar pelo cinturão agora, mas, se não acontecer, não pensem que vou ficar esperando, vou lutar com outro cara”, disse.

Blog com ESPN

 

 

COMENTÁRIOS 0

CBF prega cautela pelo retorno
     │     10:00  │  0

CBF prega cautela pelo retorno, mas garante campeonatos nacionais sem mudar formato© Divulgação / CBF – CBF prega cautela pelo retorno, mas garante campeonatos nacionais sem mudar formato.
A Confederação Brasileira de Futebol mantém o discurso cauteloso quanto o retorno do futebol no Brasil. A entidade deixar a cargo de cada federação estadual os retornos, ou não, das competições estaduais, e não garante data para o início dos campeonatos nacionais. 

“Nós não temos a data onde isso pode acontecer (o início dos campeonatos nacionais), até porque a logística da competição nacional é muito mais complexa, o sistema aéreo está praticamente paralisado. Não há Série C, Série B e Série A sem uma malha aérea muito consistente”, explicou Walter Feldman, secretário geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para a Rádio Sagres.

O dirigente, por outro lado, nega que tenha qualquer chance de cancelamento no momento. Feldman acredita que podem haver “pequenas adaptações”, mas as fórmulas das competições, inclusive nas Séries C e D, devem ser mantidas.

“Nesse momento, não há nenhuma alteração estrutural no modelo. Os ajustes que eu digo são aproveitamento de datas que podem ser feitas no final do ano, período em que normalmente que não tem jogo que é entre natal e ano novo, quem sabe utilizar algumas datas em janeiro e fazer uma redução do espaço entre as partidas. Mas cancelamento ou mudança estrutural em campeonato nacional, não temos no nosso ângulo de visão”, projetou.

Bloc com ogol.com.br

COMENTÁRIOS 0

Joãozinho Paulista e seus sucessores no CRB
     │     8:00  │  0

Joãozinho Paulista falou com o GloboEsporte.com sobre os seus sucessores no Galo. E citou ainda três centroavantes que têm o estilo parecido com o dele.

Joãozinho Paulista é um dos maiores ídolos do CRB — Foto: Foto: Jonathan Lins/G1

Joãozinho Paulista é um dos maiores ídolos do CRB — Foto: Foto: Jonathan Lins/G1

– Eu jogava num sistema com dois pontas, dois meias encostados e eu saía pouco da área. O sistema de jogo é diferente. Mas posso dizer que o Zé Carlos e Aloísio Chulapa têm estilos semelhantes ao meu. O próprio Chulapa disse que eu era a inspiração dele. Já o Zé Carlos é um jogador de área, que tem uma qualidade impressionante.

Joãozinho citou o estilo de Zé Carlos — Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas

Joãozinho citou o estilo de Zé Carlos — Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas

O terceiro goleador apontado por Joãozinho é o atual centroavante do CRB, Léo Gamalho. João encheu a bola do camisa 9.

– Ele é o jogador de área. Tendo jogadores que cheguem no fundo e façam um cruzamento qualificado, ele tem um posicionamento de qualidade, protege bem. Tem faro de gol!

O ex-atacante do Galo comentou as mudanças no futebol da época dele para 2020. João se destacou nas décadas de 70 e 80.

– Mudou demais. Antigamente, eram dois laterais, um volante só, os meias e os ponteiros. Era difícil o lateral passar dos pontas. Uns jogadores que faziam bem isso de chegar à linha de fundo eram o Carlinhos e o Melo. O Melo era rápido demais – citou, destacando também outros jogadores da sua época.

Léo Gamalho foi muito elogiado por Joãozinho Paulista — Foto: Fernando Moreno/Divulgação CRB

Léo Gamalho foi muito elogiado por Joãozinho Paulista — Foto: Fernando Moreno/Divulgação CRB

– A gente tinha o Ivanildo e o Fanta. A nossa equipe era muito qualificada. E a toda hora a bola estava na área. E eu era um jogador que era difícil a bola passar e eu não colocar pra dentro.

Joãozinho também aproveitou para comentar a falta de entrosamento dos jogadores atuais.

– Centroavante que se preza tem que treinar finalização. Pega o parceiro pra treinar exaustivamente. Quanto mais treinar, mais sucesso. Na minha época, era assim. A gente treinava muito, muito mesmo. Tanto que o parceiro pegava na bola, eu já sabia onde ela vinha – lembrou João, que fez uma parceria especial com Silva Cão.

– Com o Silva, era assim: se ele cruzasse de fora da área, a bola era na segunda trave. Dentro da área, primeiro pau. A bola do Roberval Davino era do pênalti para o primeiro pau. Eu já me posicionava ali no pênalti. A gente costumava dizer que era a curva da banana.

Joãozinho e Silva são os principais atacantes da história do CRB — Foto: Arquivo Museu dos Esportes

Joãozinho e Silva são os principais atacantes da história do CRB — Foto: Arquivo Museu dos Esportes.

Blog com Globo Esporte/AL

COMENTÁRIOS 0

© Copyright 2000-2016 Gazeta de Alagoas Online Ltda. Todos os direitos reservados